Você está na página 1de 16

Transmissão Digital

Antonio Marcos
Augusto Paiva
Celso Takechi
Introdução

A transmissão digital de dados representa um valor


"instantâneo" de uma situação, diferente do
analógico não representa um movimento contínuo
dos sinais.
Processos da Transmissão Digital
 Codificação
 Decodificação
 Multiplexação
 Quantização
Codificação

É a modificação de características de um sinal para


torná-lo mais apropriado para uma aplicação
específica, como por exemplo transmissão ou
armazenamento de dados.
Técnicas de Codificação
 Return to Zero (RZ)
 Non Return to Zero (NRZ)
 Diferenciais
Non Return to Zero (NRZ)
 Existem dois níveis de tensão ou corrente, para representar os dois
símbolos digitais (0 e 1).

 É a forma mais simples de codificação e consiste em associar um nível de


tensão a cada bit: um bit 1 será codificado sob a forma de uma tensão
elevada e um bit 0 sob a forma de uma tensão baixa ou nula.
Return to Zero (RZ)
 Na codificação RZ o nível de tensão ou corrente retorna sempre ao nível
zero após uma transição provocada pelos dados a transmitir (a meio da
transmissão do bit). Geralmente um bit 1 é representado por um nível
elevado, mas a meio da transmissão do bit o nível retorna a zero.
Diferenciais
 Os 0 e 1 são representados através de uma alteração do estado da tensão
ou corrente. Assim, o valor 1 é representado pela passagem de uma tensão
ou corrente baixa/nula para uma tensão ou corrente elevada. O valor 0 é o
contrário, ou seja, passa-se de uma tensão ou corrente elevada para outra
baixa/nula.
Multiplexador

Atribui, de uma maneira sequencial, a cada um dos 32


canais, um intervalo de tempo para transmitir 8 bits. Esse
processo é repetido a cada 125 µs.
Definições do funcionamento
 Os canais são numerados de 0 a 31. O canal 0 é utilizado para
sincronismo e o canal 16 é reservado para sinalização. Essa
estrutura de quadro para o PCM é utilizada na Europa e no
Brasil e corresponde a uma frequência de amostragem de 8
KHz, e uma codificação de 8 bits por amostra (A padronização
desse sistema PCM foi feita por ITU-T, e se encontra como
padrão G.711).
 Como o canal 16, utilizado para a sinalização, contém
somente 8 bits, é necessário uma estrutura para transportar os
bits de sinalização dos 30 canais de voz. A Fig. 3.4 mostra a
estrutura de multiquadro utilizada para transportar as
informações de sinalização dos 30 canais de voz.
Divisões de canais
Dos 32 canais, 30 canais são de voz, um de
sincronismo e um de sinalização. A saída opera a uma
taxa de (32 x 8) / 125 µseg. = 2,048 Mbps. Por
simplicidade essa taxa é escrita como 2 Mbps.
Decodificação
Com o aumento da demanda dos consumidores interessados em
linhas de telecomunicações forçou as distribuidores desse
aparato tecnológico a evoluírem em suas formas de transmissões
de dados e de boa qualidade (sem ruídos), desde então os
sistemas digitais foram implantados.
Decodificação do sinal Digital
 Para a conversão usa-se conversor A/D ( Analógico-Digital ) e D/A
( Digital- Analógico ) técnica designada por PCM, pelo Codec (Coder-
Decoder).
Quantização

Em processamento de sinais, quantização é o


processo de atribuição de valores discretos para um
sinal cuja amplitude varia entre infinitos valores.
Processo
 Com o sinal analógico em forma de amostras ou
pulsos (PAM), precisamos quantificar (ou
quantizar), pois estão em valores infinitos, para
obter um sinal digital.
 A conversão é feita por um circuito chamado
conversor analógico-digital A/D ou ADC.
Ilustração do processo

Você também pode gostar