Você está na página 1de 27

RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

Aula 10 – Análise de Tensões


RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DESTA AULA

 Analisar as tensões principais;

 Verificar as tensões de cisalhamento

máximas;

 Reconhecer o Circulo de Mohr para

tensões.

ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10


RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

ANÁLISE DE TENSÕES PRINCIPAIS

• O estado geral de tensão é caracterizado por seis tensões

independentes (3 normais e 3 cisalhantes);

• O estado geral de tensão não é comum em engenharia;

• Engenheiros fazem simplificações e tornam este estado

em um plano de tensão, ou seja, um único plano e com três

componentes (2 normais e 1 cisalhante).


ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10
RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

ESTADO GERAL DE TENSÃO


z

yz
xz
y
xy

x

ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10


RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

ESTADO PLANO DE TENSÃO – VISÃO BIDIMENSIONAL


y

xy

xy
• z = 0;
x
x
• yz = 0;

• xz = 0. xy

xy
y

ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10


RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

ESTADO PLANO DE TENSÃO – VISÃO BIDIMENSIONAL

Na prática da engenharia, muitas vezes é importante


determinar a orientação dos planos para encontrar
situações particulares (tensões máxima e mínima).

As tensões normais e as tensões de cisalhamento variam


continuamente quando os eixos são rotacionados através do
ângulo , nos planos em que as tensões agem. Observe a
figura a seguir.

ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10


RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

TRANSFORMAÇÃO DE TENSÃO NO PLANO


y x'
x'y’
y’ x'y’
xy

xy

x
x 

xy
y'

xy x' x'y’ x'y’


y

x x’ y y’ xy  x’y’


ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10
RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

TRANSFORMAÇÃO DE TENSÃO NO PLANO - EXPRESSÕES

Abaixo temos as relações que fazem as transformações

x x’ y y’ xy  x’y’


 x  y  x  y
 x'   . cos(2 )   xy .sen(2 )
2 2
 x  y  x  y
 y'   . cos(2 )   xy .sen(2 )
2 2
 x  y
 x' y'   .sen(2 )   xy . cos(2 )
2
ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10
RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

APLICANDO O CONHECIMENTO – EX 1

O estado plano de tensão em um ponto é representado pelo


elemento da figura. Determine o estado de tensão no ponto
em outro elemento orientado a 30º no sentido horário em
relação à posição mostrada.

ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10


RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

APLICANDO O CONHECIMENTO – EX 1
MPa

MPa

MPa



ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10


RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

APLICANDO O CONHECIMENTO – EX 1

Da figura e observando a convenção de sinais temos que:

x= - 80 Mpa; y= + 50 Mpa ; xy = - 25 Mpa e = - 30º

 x  y  x  y
 x'   . cos(2 )   xy .sen(2 )
2 2
 80  50  80  50
 x'   . cos(60º )  25.sen(60º )
2 2
 x '  15  65.(1 / 2)  25.( 3 2 )  25,8MPa

ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10


RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

APLICANDO O CONHECIMENTO – EX 1
 x  y  x  y
 y'   . cos(2 )   xy .sen(2 )
2 2
 80  50  80  50
 y'   . cos(60º )  (25).sen(60º )
2 2
 y '  15  65.(1 / 2)  25.(  3 )  4,15MPa
2
 x  y
 x' y'  .sen(2 )   xy . cos(2 )
2
 80  50
 x' y'  .sen(60º )  25. cos(60º )  68,8MPa
2
ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10
RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

TENSÕES PRINCIPAIS NO PLANO

Para determinarmos tais valores devemos derivar a seguinte


equação e igualar a zero:
 x  y  x  y
 x'   . cos( 2 )   xy .sen(2 )
2 2

Assim, d x '  x  y
 2. .sen(2 )  2 xy . cos(2 )  0
d 2
2. xy
tg (2 p ) 
( x   y )

ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10


RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

TENSÕES PRINCIPAIS NO PLANO

Dessa forma foram determinados as orientações do planos


(p1 e p2) onde as tensões normais são máxima e

mínima. Fazendo as substituições devidas, teremos:


 x  y  x  y 2
 1, 2   ( )  ( xy ) 2
2 2
Dependendo do sinal utilizado, determinaremos o valor
máximo ou mínimo.

ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10


RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

TENSÃO DE CISALHAMENTO MÁXIMA NO PLANO

Para determinarmos este valor devemos derivar a seguinte


equação e igualar a zero:
 x  y
 x' y'   .sen(2 )   xy . cos(2 )
2

Assim, d x ' y '  x  y


 2. . cos(2 )  2 xy .sen(2 )  0
d 2
 ( x   y )
tg (2 p ) 
2. xy

ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10


RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

TENSÃO DE CISALHAMENTO MÁXIMA NO PLANO

Dessa forma foram determinados as orientações do planos


(p1 e p2) onde a tensão cisalhante é máxima. Os

planos para tal condição são aqueles rotacionados de 45º em


relação aos planos de tensão principal.
 x  y 2
 máxima  ( )  ( xy ) 2
2
Neste plano, ocorre uma tensão normal denominada média e
 x  y
dada por:  média 
2
ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10
RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

APLICANDO O CONHECIMENTO – EX 2
Suponha que uma torção T seja aplicada a uma barra e
produza um estado de cisalhamento puro no material.
Determine:

a) A tensão de cisalhamento máxima no plano e a tensão


média associada;

b) As tensões principais.

ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10


RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

APLICANDO O CONHECIMENTO – EX 2
• x = y= 0 e xy= -

 x  y 2
 máxima  ( )  ( xy ) 2
2
00 2
 máxima  ( )  ( ) 2   
2
 x  y
 média 
2
00
  média  0
2
ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10
RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

APLICANDO O CONHECIMENTO – EX 2
• x = y= 0 e xy= 
2
2. xy 2.
tg (2 p )  
 ( x   y ) 0  0
 p1  45º e  p 2  135º

 x  y  x  y
 x'   . cos( 2 )   xy .sen(2 )
2 2
 2   e  1  
1
ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10
RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

APLICANDO O CONHECIMENTO – EX 2
2. xy 2.
tg (2 p )     p1  45º e  p 2  135º
( x   y ) 0  0
• Substituindo 45º e 135º 2 = - 
 x '   e  y '   

1= 

ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10


RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

CÍRCULO DE MOHR PARA TENSÕES.


Neste tópico, é possível mostrar que as equações para
transformação da tensão no plano têm uma solução
gráfica que muitas vezes é mais conveniente.

Além disso, essa abordagem nos permite “visualizar” qual


será a variação das componentes de tensão normal e
tensão de cisalhamento, à medida que o plano em que
agem é orientado em diferentes direções.

ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10


RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

CÍRCULO DE MOHR PARA TENSÕES.


A partir das equações:
 x  y  x  y  x  y
 x'   . cos( 2 )   xy .sen(2 )  x' y '  .sen(2 )   xy . cos(2 )
2 2 2

É possível escrever que:


 x  y 2 2  x  y 2 2
[ x '  ( )]   x ' y '  ( )   xy
  2 2
( x '   médio ) 2   x2' y '  R 2
 x  y 2 2
R ( )   xy
2
ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10
RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

CÍRCULO DE MOHR PARA TENSÕES.

x – y)/2

C 

R xy
médio

A

x
ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10
RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

APLICANDO O CONHECIMENTO – EX 3

Devido a carga aplicada a um cilindro maciço um ponto A


fica submentido ao estado de tensão abaixo. Desenhe o
círculo de Mohr.

MPa

MPa

ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10


RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

APLICANDO O CONHECIMENTO – EX 3

Pela convenção: x = -12 MPa;y= 0 e xy= -6MPa

 x  y
• Centro do círculo: X C  ( 2 )  6 MPa
• Ponto inicial A:
 x  y  12
X A  6 MPa   6   12 MPa
2 2
YA   xy  6 MPa
 x  y 2 2
• Raio R: R ( )   xy  8,49MPa
2
ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10
RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

APLICANDO O CONHECIMENTO – EX 3
12

6 R
2p 
C
6


ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10
RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I

RESUMINDO
Nesta aula vocês estudaram:

 As tensões principais;
 As tensões de cisalhamento máximas;
 O círculo de Mohr para tensões;
 Aplicações.

ANÁLISE DE TENSÕES – AULA 10

Você também pode gostar