FILOSOFIA ANTIGA ARISTOTELES E A IDEIA DE EXPERIÊNCIA

.

representado. nesse caso. tem-se. deve-se estudar o que. o homem enquanto indivíduo transformador da Sociedade. a finalidade última da ação do homem. Não se poderia dissociar a ação humana. da mesma forma que Platão a Sócrates. as suas ações. criticou. conforme Aristóteles.ARISTÓTELES E O FIM DA AÇÃO HUMANA ‡ Aristóteles. a teoria platônica das idéias afirmando que não deveria haver uma cisão entre as idéias e a realidade como um todo. na satisfação do interesse coletivo. de seus pressupostos: a ética e a política. O que se percebe na filosofia aristotélica é o destaque para a realidade. qual seja. apesar de seguir a essência dos ensinamentos de seu mestre. em outros termos. a virtude e a moral somente estarão presentes quando o homem viver no meio comum (Sociedade) e os seus fins forem coincidentes com os da pólis. já que o mundo abstrato e o mundo físico trabalham conjuntamente e reciprocamente. ‡ ‡ . tampouco a sua finalidade. Logo. especificadamente. desse modo. a busca do bem supremo. Para tanto. compõe a natureza desse homem. Isso porque esses atos são estudados sob a ótica prática. da práxis social. diferenciando a essência da substância. Então.

afirmando exatamente o que é.. porque é gasta para buscar coisas que. 100) destaca um ponto central na teoria de Aristóteles: [. ‡ ‡ ‡ . portanto. O que é essência para Aristóteles? É a identificação autêntica da substância. 99): [. Materializar o bem supremo passa pela reflexão de algo que é individualmente inalienável.] a felicidade é o fim ao qual tendem todos os homens. no que consiste a Felicidade? A resposta parece relativa. a Felicidade encontra-se num aspecto exterior. segundo a teoria aristotélica. p. somente se efetiva a partir da virtude (areté). Segundo Reale (2007. ou seja. Entretanto. Para Aristóteles. no máximo. um bem imanente..ARISTÓTELES E O FIM DA AÇÃO HUMANA ‡ ‡ ‡ ‡ O que é.] a vida dedicada a acumular riquezas é a mais absurda e a mais inautêntica. o núcleo da ação que promove essa finalidade deve identificar a essência na qual é reconhecida por todos. Qual a Essência da Felicidade? É Busca de Riquezas? Reale (2007.. valem como meios e não como fins. sendo. A Felicidade. p. já que depende dos anseios e desejos de cada pessoa.. Percebeu-se a menção da categoria essência. a idéia do Bem Supremo? A Felicidade (eudamonia). em Aristóteles.

como já se afirmou anteriormente. Nesse aspecto. consequemente. quais sejam: a sua finalidade (a busca do interesse coletivo como bem supremo) e o hábito. ético. se a pessoa é feliz. ‡O filósofo compartilha dos ensinamentos de seu mestre ao reconhecer o valor das virtudes e da racionalidade da alma enquanto forma de condução da atitude do Ser humano. esse o será moral e. a virtude maior reside na felicidade posto que essa é atividade intrínseca do espírito.‡Como se pode visualizar. não se concretiza devidamente. Por essa razão. a pessoa dita virtuosa é ética por excelência. a sua razão de existir. também. dessa forma. por meio da virtude. a ética é uma ciência e se diferencia da moral porque há justamente essa análise de comportamentos. segundo a doutrina aristotélica? ‡A ética busca compreender o ato moral e o fim a que ele se destina. ‡Para o citado filósofo. a base da filosofia de Aristóteles repousa em um teleologismo fulcrado na moral e nas virtudes humanas. se justificou a filosofia de Aristóteles alicerçada nas virtudes e moralidade. ‡O que seria a ética. Por esse motivo. ARISTÓTELES E A ÉTICA . e como alerta o filósofo. ‡Entretanto. ‡Como assim hábito? Como ele se exterioriza? ‡Nas linhas anteriores. A virtude é o agir humano e não uma qualidade do espírito. É nessa medida que a ética adquire. a ética precisa de suportes para poder existir. ‡Esse agir é o hábito que sem ele a ação não tem uma seqüência e.

Tendo essa natureza em mente.] à política compete a função arquitetônica. p. ou seja. Como se poderia fazer isso? Por meio das leis ditadas pelo Estado. o papel da Ciência Política é encontrar uma forma de implantar e ratificar uma convivência social pacífica. ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ . Diante desse discurso. pode-se enxergar o conteúdo dos estudos aristotélicos. A partir dessa possibilidade. uma vez que as atitudes tidas como individuais precisam estar fortemente ratificadas pela ética no intuito de efetivar o significado de bem coletivo. quais devem aprender cada um e até que ponto. Para Reale (2007. pode-se afirmar a necessidade imperiosa de um tipo de comportamento no qual os cidadãos consigam perceber a real valoração de viver em conjunto. os pilares centrais da política e da coletividade devem ser uníssonos com a estrutura ético-individual. A Política e o seu exercício nasce por ato dos Homens... 97): [.ARISTÓTELES E A POLÍTICA ‡ ‡ O Homem é um animal solitário ou coletivo? A moral pode ser estudada como Ciência Política? A partir dessas indagações. Para se perceber o significado de bem coletivo deve-se antes ter a compreensão de bem individual. de comando: ela compete determinar que as ciências são necessárias na Cidade. ou seja. de fornecer ao Estado os subsídios necessários para reger o todo comum. como a Ética faz parte do discurso do Estado? O Poder Público é uma criação humana.

A Justiça. [. de maneira idêntica. p. ‡ ‡ . [. designa educação no mais elevado grau. pois o Ser educado. 92).. [. físico e moral do ser humano. 1129a..ARISTÓTELES E A JUSTIÇA ‡ ‡ O tema da Justiça aparece com freqüência no estudo sobre a concepção de Direito. Segundo o referido filósofo (c1985. [. consegue concretizar ações nas quais busquem o meio termo e evitem a falta ou excesso. p.] a educação deve corresponder à potência do ser para a sociedade. A prática da Justiça somente pode ser realizada por meio da virtude. compreendida no pensamento aristotélico. O conceito de Justiça foi primeiramente trabalhado por Aristóteles. a agir justamente e a desejar o que é justo.] É por isto que muitas vezes se reconhece uma disposição da alma da alma graças a outra contrária. [...] A palavra no contexto aparece como princípio de política pública da cidade.. no Livro V. de transmitir conhecimento. no contexto pesquisado. Essa condição encontra seu fundamento na educação. de sua obra Ética a Nicômacos. excelência intelectual.. [. 1999. Nesta linha de estudo.] A instrução é a virtude. Para Silva (2006.. com fundamento e fins próprios. a palavra instrução assume equivalência designativa de educação. 81-82).] A categoria educação. par. diz-se que a injustiça é a disposição da alma graças à qual elas agem injustamente e desejam o que é injusto. e muitas vezes as disposições são identificadas por via das pessoas nas quais elas se manifestam..] a justiça é a disposição da alma graças à qual elas se dispõem a fazer o que é justo. revela-se como o agir conforme a excelência moral e intelectual.. de ensinar. pelo conhecimento teórico e sua experiência... denota ato de educar. voltado ao desenvolvimento intelectual. Considerada como conceito..

. Portanto a justiça é freqüentemente considerada a mais elevada forma de excelência moral. 81).. não se trata de um conceito com amplo alcance a todos. [. p.] Ela é perfeita porque as pessoas que possuem o sentimento de justiça podem praticá-la não somente em relação a si mesmas como também em relação ao próximo.]. [. Aristóteles adverte que esse princípio aplica-se tão-somente àqueles que são iguais entre si. Segundo o mencionado autor. conforme Silva (2006. para Aristóteles (c1985. Contudo. ‡ ‡ ‡ ‡ A Justiça como fundamento legal precisa ser dividida entre Justiça Distributiva e Corretiva. [... as pessoas ambiciosas (nesse caso.. 93). 1130a. embora não seja de modo irrestrito... Neste sentido. p. revela-se como o ato praticado por pessoas que infringem a lei. O Princípio da Justiça surge como modo de igualdade entre as pessoas. Essa distinção.ARISTÓTELES E A JUSTIÇA ‡ Justiça. . bem como as iníquas (pessoas nas quais desejam muito as coisas boas e pouco as más). mas em relação ao próximo. a educação tem por missão desenvolver o homem.. Ser injusto. par. Pratica-se a justiça e evita-se seu oposto ± a injustiça.] o ser humano deve ser educado para viver em Sociedade organizada. A educação torna o ser humano livre. conforme o pensador citado. são aquelas que desejam mais ao que efetivamente têm direito a receber). dotado de conhecimento capaz de distinguir a virtude do vício. para aprender a viver em Sociedade. é a [.] excelência moral perfeita. a partir de suas potencialidades. 1999. é reconhecida como necessária à vida política a partir da educação.

1131b.. Divide-se entre as pessoas seus bens ou benefícios porque a lei da cidade confere a essas receber o que. [. mas à pessoa. p.ARISTÓTELES E A JUSTIÇA ‡ A Justiça Distributiva aparece como a dar a cada um o que é seu. ‡ A concepção de igualdade. p. define-se como suas. significa.] merecer alguma coisa por agir em conformidade com a virtude moral. por regra. ‡ A categoria mérito. Proporcionalidade significa meio termo. 97). especialmente quando se distribui algo para alguém. par.. 88). nessa modalidade. conforme ressalta Silva (2006. representa proporcionalidade. são iguais. 1999. ‡ Segundo Aristóteles (c1985. . segundo seus méritos. por lei. Aristóteles afirmava que a Justiça seria relativa. O mérito por algo não é representado pelos bens. no pensamento de Aristóteles. Tratar de modo igual aqueles que. e o injusto é o que viola a proporcionalidade. O justo nesta acepção é portanto proporcional.

98). referem-se aos atos voluntários a fim de impedir que a maior parte esteja com aquelas pessoas nas quais desejam ter mais do que lhes é permitido. [. e o juiz subtraísse a parte que faz com que o segmento maior exceda a metade. ter. todas as pessoas são iguais perante a lei. entre outros). Os termos perdas e ganhos. é avaliada nas relações privadas de perdas e ganhos. e a lei pune o autor da injustiça. p. par. p. entretanto. depósito. não se aplica segundos os méritos de cada pessoa.ARISTÓTELES E A JUSTIÇA ‡ A Justiça Corretiva. furto. por lei. ‡ ‡ ‡ ‡ . mas por vontade estrita da lei por atos voluntários (por exemplo: contrato de compra e venda. qual a parte lesada. o montante do prejuízo. Não se decide o critério se uma pessoa é boa ou não. Para Aristóteles (c1985. A igualdade.] O juiz então restabelece a igualdade. O justo. 91-92). as coisas se passam como se houvesse uma linha dividida em dois segmentos desiguais. p. significa [. entre outros) e involuntários (homicídio. 99).. falso testemunho. [. na concepção aristotélica de Justiça Corretiva (c1985. 1999.. 1132b..] um meio termo entre o ganho e a perda nas ações que não se incluem entre as voluntárias. 1999. conforme Silva (2006. par. locação. roubo.] Na justiça corretiva a lei indaga quem cometeu o dano... e consiste em ter um quinhão igual antes e depois da ação. e acrescentasse ao segmento menor. Restaura-se uma status quo ante.. escravidão. 1132a. segundo o pensador citado. nesse caso. pois. A aplicação da Justiça Corretiva é mediada a partir do Juiz.

. (Aristóteles) É neste sentido que se pode distinguir o homem justo (díkaios).. considerando sua postura ética frente aos deveres políticos o que lhe incumbe em função ao convívio social. (Eduardo Bittar) ....] O melhor dos homens não é aquele que põe em prática sua excelência moral em relação a si mesmo. ‡ [.Para Refletir. e sim em relação aos outros. do bom cidadão. pois esta é uma tarefa difícil.

c1985. virtude moral e razão: reflexões. Tradução de Mário da Gama Kury.REFERÊNCIA DAS FONTES CITADAS ‡ ARISTÓTELES. Giovanni. 2006. v. Curitiba: Juruá. Brasília: Editora da Universidade de Brasília. . Moacyr Motta da. Tradução de Henrique Cláudio de Lima Vaz e Marcelo Perine. Ética a nicômacos. 2007. justiça. 1999. 3. História da filosofia grega e romana: aristóteles. São Paulo: Loyola. ed. IV. ‡ REALE. Direito. ‡ SILVA.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful