FILOSOFIA ANTIGA ARISTOTELES E A IDEIA DE EXPERIÊNCIA

.

tem-se. a busca do bem supremo. nesse caso. Não se poderia dissociar a ação humana. a finalidade última da ação do homem. criticou. Então. Para tanto. o homem enquanto indivíduo transformador da Sociedade. Isso porque esses atos são estudados sob a ótica prática. conforme Aristóteles. Logo. as suas ações. da mesma forma que Platão a Sócrates. da práxis social. ‡ ‡ . deve-se estudar o que. qual seja. tampouco a sua finalidade. compõe a natureza desse homem.ARISTÓTELES E O FIM DA AÇÃO HUMANA ‡ Aristóteles. O que se percebe na filosofia aristotélica é o destaque para a realidade. já que o mundo abstrato e o mundo físico trabalham conjuntamente e reciprocamente. especificadamente. em outros termos. na satisfação do interesse coletivo. apesar de seguir a essência dos ensinamentos de seu mestre. diferenciando a essência da substância. desse modo. de seus pressupostos: a ética e a política. a teoria platônica das idéias afirmando que não deveria haver uma cisão entre as idéias e a realidade como um todo. representado. a virtude e a moral somente estarão presentes quando o homem viver no meio comum (Sociedade) e os seus fins forem coincidentes com os da pólis.

. valem como meios e não como fins.ARISTÓTELES E O FIM DA AÇÃO HUMANA ‡ ‡ ‡ ‡ O que é. ou seja. 100) destaca um ponto central na teoria de Aristóteles: [. p. Para Aristóteles. 99): [. O que é essência para Aristóteles? É a identificação autêntica da substância. p. a Felicidade encontra-se num aspecto exterior. no máximo. Qual a Essência da Felicidade? É Busca de Riquezas? Reale (2007. Percebeu-se a menção da categoria essência. a idéia do Bem Supremo? A Felicidade (eudamonia). já que depende dos anseios e desejos de cada pessoa. somente se efetiva a partir da virtude (areté).] a vida dedicada a acumular riquezas é a mais absurda e a mais inautêntica. Materializar o bem supremo passa pela reflexão de algo que é individualmente inalienável. porque é gasta para buscar coisas que. portanto. o núcleo da ação que promove essa finalidade deve identificar a essência na qual é reconhecida por todos. afirmando exatamente o que é. em Aristóteles. segundo a teoria aristotélica. no que consiste a Felicidade? A resposta parece relativa. sendo. A Felicidade. Segundo Reale (2007.] a felicidade é o fim ao qual tendem todos os homens. um bem imanente. Entretanto.. ‡ ‡ ‡ ...

‡Entretanto. a sua razão de existir. Nesse aspecto. a base da filosofia de Aristóteles repousa em um teleologismo fulcrado na moral e nas virtudes humanas. Por essa razão. dessa forma. se justificou a filosofia de Aristóteles alicerçada nas virtudes e moralidade. ‡Para o citado filósofo. se a pessoa é feliz. É nessa medida que a ética adquire. quais sejam: a sua finalidade (a busca do interesse coletivo como bem supremo) e o hábito. segundo a doutrina aristotélica? ‡A ética busca compreender o ato moral e o fim a que ele se destina. ‡O que seria a ética. a ética precisa de suportes para poder existir. não se concretiza devidamente. A virtude é o agir humano e não uma qualidade do espírito. ‡O filósofo compartilha dos ensinamentos de seu mestre ao reconhecer o valor das virtudes e da racionalidade da alma enquanto forma de condução da atitude do Ser humano. a pessoa dita virtuosa é ética por excelência. consequemente. ético. e como alerta o filósofo. por meio da virtude. ‡Esse agir é o hábito que sem ele a ação não tem uma seqüência e. a virtude maior reside na felicidade posto que essa é atividade intrínseca do espírito. como já se afirmou anteriormente. a ética é uma ciência e se diferencia da moral porque há justamente essa análise de comportamentos. também.‡Como se pode visualizar. esse o será moral e. ARISTÓTELES E A ÉTICA . Por esse motivo. ‡Como assim hábito? Como ele se exterioriza? ‡Nas linhas anteriores.

] à política compete a função arquitetônica. pode-se afirmar a necessidade imperiosa de um tipo de comportamento no qual os cidadãos consigam perceber a real valoração de viver em conjunto. de fornecer ao Estado os subsídios necessários para reger o todo comum. 97): [. os pilares centrais da política e da coletividade devem ser uníssonos com a estrutura ético-individual. A Política e o seu exercício nasce por ato dos Homens. Diante desse discurso.. A partir dessa possibilidade. ou seja. o papel da Ciência Política é encontrar uma forma de implantar e ratificar uma convivência social pacífica. uma vez que as atitudes tidas como individuais precisam estar fortemente ratificadas pela ética no intuito de efetivar o significado de bem coletivo.ARISTÓTELES E A POLÍTICA ‡ ‡ O Homem é um animal solitário ou coletivo? A moral pode ser estudada como Ciência Política? A partir dessas indagações. p. como a Ética faz parte do discurso do Estado? O Poder Público é uma criação humana. pode-se enxergar o conteúdo dos estudos aristotélicos.. Para Reale (2007. Como se poderia fazer isso? Por meio das leis ditadas pelo Estado. Tendo essa natureza em mente. Para se perceber o significado de bem coletivo deve-se antes ter a compreensão de bem individual. quais devem aprender cada um e até que ponto. de comando: ela compete determinar que as ciências são necessárias na Cidade. ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ . ou seja.

e muitas vezes as disposições são identificadas por via das pessoas nas quais elas se manifestam.] a justiça é a disposição da alma graças à qual elas se dispõem a fazer o que é justo. par. de transmitir conhecimento. Considerada como conceito. [. denota ato de educar. de maneira idêntica.. [. excelência intelectual. [.] A categoria educação.. [. no contexto pesquisado.] a educação deve corresponder à potência do ser para a sociedade.] A palavra no contexto aparece como princípio de política pública da cidade. a agir justamente e a desejar o que é justo. A Justiça. p. pois o Ser educado.] A instrução é a virtude. [.. Nesta linha de estudo. revela-se como o agir conforme a excelência moral e intelectual. O conceito de Justiça foi primeiramente trabalhado por Aristóteles.. diz-se que a injustiça é a disposição da alma graças à qual elas agem injustamente e desejam o que é injusto. consegue concretizar ações nas quais busquem o meio termo e evitem a falta ou excesso... Essa condição encontra seu fundamento na educação. 1999.ARISTÓTELES E A JUSTIÇA ‡ ‡ O tema da Justiça aparece com freqüência no estudo sobre a concepção de Direito. no Livro V.. 92).. de ensinar. [. Segundo o referido filósofo (c1985. Para Silva (2006.. a palavra instrução assume equivalência designativa de educação. voltado ao desenvolvimento intelectual.. com fundamento e fins próprios. 81-82). p. compreendida no pensamento aristotélico..] É por isto que muitas vezes se reconhece uma disposição da alma da alma graças a outra contrária. de sua obra Ética a Nicômacos. 1129a. A prática da Justiça somente pode ser realizada por meio da virtude. pelo conhecimento teórico e sua experiência.. ‡ ‡ . físico e moral do ser humano. designa educação no mais elevado grau.

A educação torna o ser humano livre.. para Aristóteles (c1985. conforme Silva (2006..ARISTÓTELES E A JUSTIÇA ‡ Justiça. [.. é a [. Pratica-se a justiça e evita-se seu oposto ± a injustiça.]. é reconhecida como necessária à vida política a partir da educação. revela-se como o ato praticado por pessoas que infringem a lei. O Princípio da Justiça surge como modo de igualdade entre as pessoas. Essa distinção.. ‡ ‡ ‡ ‡ A Justiça como fundamento legal precisa ser dividida entre Justiça Distributiva e Corretiva. embora não seja de modo irrestrito. as pessoas ambiciosas (nesse caso. não se trata de um conceito com amplo alcance a todos. 1999. [. a partir de suas potencialidades.. a educação tem por missão desenvolver o homem.] o ser humano deve ser educado para viver em Sociedade organizada. mas em relação ao próximo. são aquelas que desejam mais ao que efetivamente têm direito a receber). 81). 93). [. dotado de conhecimento capaz de distinguir a virtude do vício. p. Contudo. Portanto a justiça é freqüentemente considerada a mais elevada forma de excelência moral. p. Neste sentido.] excelência moral perfeita.. Ser injusto. conforme o pensador citado.. . 1130a. Aristóteles adverte que esse princípio aplica-se tão-somente àqueles que são iguais entre si.. par. Segundo o mencionado autor.] Ela é perfeita porque as pessoas que possuem o sentimento de justiça podem praticá-la não somente em relação a si mesmas como também em relação ao próximo. para aprender a viver em Sociedade. bem como as iníquas (pessoas nas quais desejam muito as coisas boas e pouco as más).

conforme ressalta Silva (2006. define-se como suas. no pensamento de Aristóteles. mas à pessoa. representa proporcionalidade. nessa modalidade. .. ‡ A concepção de igualdade. 88). segundo seus méritos.] merecer alguma coisa por agir em conformidade com a virtude moral. por lei. Aristóteles afirmava que a Justiça seria relativa. por regra. ‡ A categoria mérito. Tratar de modo igual aqueles que. p. 1999. [. são iguais. especialmente quando se distribui algo para alguém. Proporcionalidade significa meio termo.ARISTÓTELES E A JUSTIÇA ‡ A Justiça Distributiva aparece como a dar a cada um o que é seu. p. e o injusto é o que viola a proporcionalidade. significa.. O mérito por algo não é representado pelos bens. ‡ Segundo Aristóteles (c1985. Divide-se entre as pessoas seus bens ou benefícios porque a lei da cidade confere a essas receber o que. 1131b. 97). O justo nesta acepção é portanto proporcional. par.

roubo. ter. p.. falso testemunho. O justo. Os termos perdas e ganhos. locação. é avaliada nas relações privadas de perdas e ganhos. na concepção aristotélica de Justiça Corretiva (c1985. 1132a. pois. não se aplica segundos os méritos de cada pessoa. todas as pessoas são iguais perante a lei. significa [. p. entre outros) e involuntários (homicídio. qual a parte lesada. referem-se aos atos voluntários a fim de impedir que a maior parte esteja com aquelas pessoas nas quais desejam ter mais do que lhes é permitido... par. A igualdade. 99). entretanto. mas por vontade estrita da lei por atos voluntários (por exemplo: contrato de compra e venda. 1999. depósito.] um meio termo entre o ganho e a perda nas ações que não se incluem entre as voluntárias. Para Aristóteles (c1985. Não se decide o critério se uma pessoa é boa ou não. e acrescentasse ao segmento menor. ‡ ‡ ‡ ‡ . 1132b. escravidão. p. 1999. Restaura-se uma status quo ante. 98). A aplicação da Justiça Corretiva é mediada a partir do Juiz. e o juiz subtraísse a parte que faz com que o segmento maior exceda a metade. e consiste em ter um quinhão igual antes e depois da ação. por lei. 91-92).. [. conforme Silva (2006. par.] O juiz então restabelece a igualdade. as coisas se passam como se houvesse uma linha dividida em dois segmentos desiguais. [. segundo o pensador citado. e a lei pune o autor da injustiça. o montante do prejuízo.. nesse caso.ARISTÓTELES E A JUSTIÇA ‡ A Justiça Corretiva.] Na justiça corretiva a lei indaga quem cometeu o dano. furto. entre outros)..

considerando sua postura ética frente aos deveres políticos o que lhe incumbe em função ao convívio social. e sim em relação aos outros. (Aristóteles) É neste sentido que se pode distinguir o homem justo (díkaios). pois esta é uma tarefa difícil.] O melhor dos homens não é aquele que põe em prática sua excelência moral em relação a si mesmo. do bom cidadão.... (Eduardo Bittar) ...Para Refletir. ‡ [.

c1985. Direito. Tradução de Henrique Cláudio de Lima Vaz e Marcelo Perine. 3. 2006. Curitiba: Juruá. virtude moral e razão: reflexões. v. 2007. Ética a nicômacos. justiça. Brasília: Editora da Universidade de Brasília. ‡ REALE.REFERÊNCIA DAS FONTES CITADAS ‡ ARISTÓTELES. ‡ SILVA. Giovanni. 1999. . São Paulo: Loyola. Tradução de Mário da Gama Kury. ed. História da filosofia grega e romana: aristóteles. IV. Moacyr Motta da.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful