Você está na página 1de 15

Rádio e TV digital

RÁDIO DIGITAL

Rádio digital é uma tecnologia que realiza a compressão dos sinais de voz para permitir a

transmissão simultânea de outros dados pelo espectro eletromagnético, por meio da

digitalização do áudio e da modulação de sua sequência binária em padrões diferenciados.

A partir daí, o sinal digital de rádio fica pronto para ser transmitido pelo ar, de forma parecida

à das rádios analógicas convencionais, utilizando elementos como torres e antenas.


VANTAGENS DA RÁDIO DIGITAL

Além da melhoria na qualidade do áudio, que começou com a migração do AM para a

FM, a digitalização possibilita transmitir informações em formato de texto, como nome

da música, do cantor ou do entrevistado, por exemplo, que podem ser visualizadas na

tela do aparelho que sintoniza rádio digital.


CONT.

 Permite ao transmissor enviar mais de um  Elimina as interferências, tão comuns no rádio


programa na mesma frequência analógico;
(multiprogramação);
 Cobertura de uma mesma área com menor
 Transmissão de dados digitais de qualquer
potência;
natureza, incluindo fotos e até vídeos de baixa
resolução;  Utilização da faixa de canais VHF, após o

 Uso mais eficiente do espectro eletromagnético; desligamento da TV analógica, para o

 Sintoniza emissoras AM e FM nas frequências surgimento de novos tipos de radiodifusão;


já conhecidas;  Menor consumo de energia para as emissoras
DESVANTAGEM DA RÁDIO DIGITAL

 A principal desvantagem do sistema digital está nos gastos para trocar os atuais rádios de pilha e

aparelhos de som por modernos dispositivos para sintonizar rádios digitais, ou seja, o ouvinte precisará
investir quantias consideráveis para ter acesso à nova tecnologia.
TELEVISÃO DIGITAL (TV DIGITAL)

A TV digital permite, além de uma qualidade de imagem e som muito superior à televisão convencional, a
possibilidade de interatividade e a oferta de novos serviços. Apesar dessa diferença fundamental com
relação a TV analógica, a TV digital continua, da mesma maneira, a lidar com informações de áudio e
vídeo. A diferença básica é que agora os dados passam a ser manipulados na forma digital. Um sistema
digital que manipula fluxos de áudio e vídeo costuma ser chamado de sistema multimídia.
CONT.

A TV convencional, ao contrário da TV digital, não pode ser considerada como um sistema multimídia, pois não
trabalha com mídias digitais. Pela própria definição do meio, todas as informações transmitidas são analógicas.

Segundo a definição acima, existem mídias estáticas ou discretas que são aquelas que não mudam com o tempo
(imagens, gráficos, etc.) e as mídias contínuas ou dinâmicas que possuem dimensão temporal, por exemplo,
animação, áudio e vídeo, como também possuem uma taxa de apresentação.
CONT.

A Televisão digital de alta resolução – HDTV representa muito mais do que a simples questão da resolução mais alta
das imagens.

Nos dois sistemas de HDTV, o sinal de vídeo analógico contem frequência de ate 20 MHz, o que torna impossível a
sua transmissão através dos canais tradicionais de TV, com banda de 6 MHz.

A digitalização de vídeo e áudio usa o mesmo principio da digitalização de sinais analógicos do áudio, mas o que é
digitalizado é o conteúdo visual, cada quadro de vídeo é uma imagem estática que e pixalisada, ou seja, a informação
de cor de cada ponto de imagem e armazenada em um pixel.
VANTAGENS E DESVANTAGENS DA TV DIGITAL

 Conservação da qualidade do sinal, pois o número de linhas horizontais de recepção, mesmo em modo SDTV

(Standard Definition Television), é superior a quatrocentos, sendo idêntico àquele proveniente do canal de
transmissão.
 Digitalmente a imagem é muito mais imune a interferências e ruídos, ficando livres dos “chuviscos” e
“fantasmas” tão comuns na TV analógica
 Na transmissão digital, os sinais de som e imagem são representados por uma sequência de bits e não mais por

onda eletromagnética analógica ao sinal televisivo.


CONT.

 Otimização do espectro de frequência, que pode ocorrer de umas maneiras:

o Compactação do sinal

o Ausência de interferência do sinal.

 Compatibilidade de meios de transmissão.

 Compatibilidade de serviços.

 Melhor aproveitamento de espectro.


IMPLEMENTAÇÃO DE MIGRAÇÃO DIGITAL EM MOÇAMBIQUE

 A implementação da migração digital da televisão visa imprimir um novo paradigma de radiodifusão, que permite

um conjunto de vantagens, nomeadamente:

 Maior qualidade de recepção dos conteúdos produzidos pelos operadores de televisão, através da distribuição de

um sinal de maior qualidade (vídeo e áudio, com possibilidade de som multicanal);


 Possibilidade de transmissão e recepção universal de serviços em modo portátil e móvel;

 Maior robustez contra interferências na transmissão do sinal, decorrente da aplicação de novas tecnologias;

 Potencial de desenvolvimento de outros serviços de elevado valor acrescentado, para o sector da televisão e da

rádio (serviços interactivos) vocacionados para as pessoas e empresas;


 Promoção da inclusão social através de livre acesso à informação e conteúdos relevantes para os cidadãos.
CONTEXTO ACTUAL DA TELEVISÃO DIGITAL

 Os principais factores responsáveis pelo atraso da implementação da migração digital devem-se,

essencialmente, ao Início tardio da fiscalização das obras de instalação de equipamento emissores e o


atraso no desembolso dos fundos de financiamento por parte dos financiadores da companhia chinesa
que ganhou o concurso de implementação da televisão digital em Moçambique.
ACESSO AO SET TOP BOX

Basicamente o set-top box é o aparelho que, conectado ao televisor, permite que o sinal digital recebido
seja visualizado no aparelho de televisão analógico convencional ou digital, proporcionando uma
qualidade de imagem e som superiores aos recebidos actualmente.

Os primeiros STBs serão vendidos na região Sul de Moçambique, onde irá iniciar a primeira emissão da
televisão digital, até aos finais de Novembro de 2018. Tomando em conta a volatilidade cambial e as
famílias de baixo rendimento, esta medida terá um impacto negativo sobre as populações de baixa renda
e, consequentemente, no acesso à informação transmitida pela televisão digital.
RISCOS

 Fraca aderência dos operadores privados aos serviços de transmissão da TMT, devido à reduzida

cobertura geográfica do sinal da televisão digital, tendo em conta a oferta competitiva das companhias
privadas de transmissão do sinal da televisão;
 Fraca aderência dos operadores de televisão aos serviços da TMT, devido aos prováveis preços de

transporte e transmissão do sinal da televisão até ao consumidor final;


CONT.

 Baixa qualidade de produtos televisivos, devido à falta de recursos humanos com preparação técnica

para produzir no ambiente digital competitivo;


 Fraca aderência da população rural aos canais nacionais dos operadores privados das televisões,

devido à mobilidade para plataformas pagas dos provedores privados de transporte do sinal como a
Gotv, Start times e TV cabo.
 Aumento de zonas de penumbra e de má qualidade do sinal, devido à ausência de um sistema de

monitoria de qualidade do sinal na TMT.

Você também pode gostar