Você está na página 1de 23

Sete princípios para o

casamento dar certo


Erick Veliz
Nos Estados Unidos:

• Em 2012, 50% dos primeiros casamentos


se separam.
65% de união estável ou união estável.
• Metade dos divórcios ocorrem nos
primeiros 7 anos.
• A taxa de divórcio em segundos
casamentos aumenta 10%.
Prognóstico de
divórcio
1. Mais negatividade do que positividade
2. A presença dos quatro cavaleiros do
apocalipse (1. Crítica 2. Desprezo.3. Defensividade 4.
Distanciamento)
3. Tentativas de reparo que falham
4. Início rude da discussão
5. O homem não aceita a influência da
mulher
6. Percepções e atribuições negativas
7. Inundação emocional e fisiológica
A verdade sobre os
casamentos felizes
Princípio 1: Aprofundar o
conhecimento mútuo
Quanto mais o casal conhece e entende um
ao outro, mais fácil é manter-se unido. Saber
desejos, preocupações, formas de pensar,
problemas no trabalho e outros. Para isto, a
comunicação é preciso. Vocês podem criar o
hábito de, ao final do dia, conversarem
sobre “os altos e baixos” do dia de cada um.
Assim, estarão atualizando o conhecimento
de vocês sobre vocês mesmos.
Princípio 2: Cultivar a afeição e a
admiração
É preciso alimentar pensamentos e sentimentos
positivos de admiração, de carinho, lembrar de
bons momentos e elogiar mais do que criticar. No
dia a dia do casamento, na correria da vida, a
nossa tendência é passarmos a viver no
“automático”, e esquecemos de que a expressão
de afeto e admiração é necessária para que a outra
pessoa se lembre dos seus sentimentos por ela,
assim como você também necessita disto (seja
através de palavras, de atos, de contato físico, de
presentes, de tempo com a pessoa).
Princípio 3:
Estar voltado um para o outro
Dar atenção ao outro em vez de dizer
que está sem tempo, mesmo que
esteja distante (ligando, escrevendo
um bilhete, ouvindo. Isto é diferente
de conversar durante o almoço
assistindo à televisão, por exemplo).
Lembrem-se das pequenas atenções.
Princípio 4:
Aceitar as opiniões do parceiro
Criar rituais familiares, ou seja, atividades feitas pelo casal
ou pela família a fim de se manterem mais unidos. São
comportamentos ou atividades que vocês passam a ter o
costume de fazer e que unem o casal e a família. Por
exemplo, que vocês tenham um jantar especial juntos em
algum dia da semana, que vocês tenham um dia para fazer
algo juntos na cozinha e que ao chegar do trabalho no final
do dia, cada um fale sobre seu “alto e baixo” do dia (o que
houve de pior e de melhor no dia). Rituais são
comportamentos ou atividades que vocês gostem de fazer
e que, por isso, se transforme em um hábito para vocês, de
forma que vocês sempre terão o prazer de esperar por
aquilo todas as semanas ou todos os dias. Pensem nisto e
desenvolvam isto.
Princípio 5: Resolver os problemas
que têm solução
É importante que vocês evoluam na
comunicação, falando também de
sentimentos, e não só de fatos do dia. Isto
não significa que conversar sobre coisas
mais “leves” e sobre fatos do dia não deva
acontecer. Mas, procurem mesclar isto.
Procurem falar sobre vocês, em vez de falar
um sobre o outro. Ouvir o que o outro tem a
dizer sem ficar sempre na defensiva.
Princípio 6: Superar os
impasses
As críticas em tom de brincadeira
também machucam. O desprezo e o
silêncio não resolvem problemas.
Por isso, lembrem-se que vocês são
um “time” e não adversários. Vocês
devem “jogar” a favor de vocês
como casal, e não um contra o outro.
Princípio 7:
Criar significados na vida em comum
A meta crucial de qualquer casamento
é criar uma atmosfera que encoraje
cada pessoa a falar honestamente
sobre suas convicções. Quanto mais
falarem de forma honesta e respeitosa
um com o outro, mais provável será a
harmonia entre seus valores comuns.
Jesus deseja ver casamentos
e lares felizes.
Bible Echo, 4 de setembro de 1899.
Quando tivermos bom lar religioso
teremos boas reuniões religiosas.
Sustentai a fortaleza do lar. Consagrai
vossa família a Deus, e então falai e agi
em casa como cristãos. Sede bondosos,
longânimes, pacientes no lar, sabendo que
sois professores. Cada mãe é uma mestra,
e toda mãe deve ser aluna na escola de
Cristo, a fim de poder saber como ensinar
e poder dar a moldagem correta e a
correta forma de caráter a seus filhos.
Manuscrito 70.
Pai e mãe são
responsáveis pela
manutenção da religião no
lar. Manuscrito 47, 1908.
O lar pode ser simples, mas
pode sempre ser um lugar em
que se profiram palavras alegres
e se pratiquem atos de
bondade, onde a cortesia e o
amor são hóspedes constantes.
Review and Herald, 9 de julho de 1901.
Deus os abençoou e lhes disse:
"Sejam férteis e multipliquem-se!
Encham e subjuguem a terra!
Gênesis 1:28
Dominem sobre os peixes do mar,
sobre as aves do céu e sobre
todos os animais que se movem
pela terra".
Se, porém, não agrada a vocês servir
ao Senhor, esco­lham hoje a quem
irão servir, se aos deuses que os seus
Josué 24:15 antepassados serviram além do
Eufrates, ou aos deuses dos
amorreus, em cuja terra vocês estão
vivendo. Mas eu e a minha família
servi­remos ao Senhor".
Se alguém não cuida de
seus parentes, e
1 Timóteo 5:8
especialmente dos de sua
própria família, negou a fé e
é pior que um descrente.
Agora, por tua bondade, abençoa a
família de teu servo, para que ela
continue para sempre na tua
2 Samuel 7:29 presença. Tu, ó Soberano Senhor, o
prometeste! E, abençoada por ti,
bendita será para sempre a família de
teu servo.