Você está na página 1de 21

Universidade Privada de Angola

Faculdade de Medicina
Anatomia IV

Tema: Mamas

Integrantes do Grupo 20: O Docente


Isidro António _____________________________
Luzia Quimboca Prof/Dr. Manuel Alvarez Vieira
SUMÁRIO

 Conceitos
 Localização
 Tecidos que formam
 Estruturas anatómica
 Inervação
 Vascularização
 Drenagem linfática
Introdução
As mamas são glândulas sudoríparas modificadas, que se diferenciam em
tecido glandular mamário, com o objectivo de produção do leite.
No homem este órgão é bastante rudimentar não havendo uma finalidade
funcional para o mesmo. Mesmo sendo um órgão rudimentar, a mama
masculina apresenta as mesmas células que as mamas femininas.
O desenvolvimento e funcionamento destas células são reguladas através de
hormônios presentes normalmente no homem e na mulher
Localização
As mamas são colocadas sobre o músculo peitoral maior e, geralmente,
prolongam verticalmente a partir do nível da segunda costela, até a sexta ou
sétima. No sentido horizontal, estende-se desde a borda do osso esterno a uma
linha média, imaginária, na axila. Na extremidade distante do tórax, no
terceiro espaço intercostal, a pele é especializada para formar o mamilo e
aréola.
Limites
L. Anterior: seu revestimento epitelial.
L. Posterior: músculo peitoral maior.
L. Inferior: sulco submamário
L. Superior.
Estrutura anatómica externa
Estrutura anatómica interna
Histologia das mamas

As mamas são formadas pelos seguintes tecidos:

• Tecido epitelial glandular;


• Tecido conjuntivo adiposo;
• Tecido conjuntivo frouxo.
Tecido Glandular
O tecido glandular e de tipo túbulo – alveolar constituído por 12- 20 lobos,
formados por lóbulos e estes por ácinos. Cada lobo e drenado por um canal
excretor próprio, o canal lactífero.
Tecido adiposo
O tecido adiposo subcutâneo reveste a glândula completamente, podendo
descrever – se duas partes: uma anterior e outra posterior.
Tecido conjuntivo frouxo
Ele estende-se desde a bolsa serosa retro mamária até a derme, por entre os
lobos e os canais lactíferos. E bem desenvolvido na parte superior da mama
ajudando a sustentar os seus lobos, pelo que se denomina de ligamento suspensor
da mama.
Função das mamas

• Função lactante: as mamas são essenciais no corpo feminino, são elas as


responsáveis pela alimentação dos bebês em seus primeiros anos de vidas
• Função sexual: seios são um poderoso fator de atração da atenção
masculina, e a sensibilidade da região faz das mamas uma das principais zonas
erógenas do corpo da mulher. Nos homens, no entanto, as mamas não servem
para rigorosamente nada.
Irrigação das mamas
E proveniente das artérias torácica
superior, lateral, toraco- acromial,
torácica interna.
A torácica superior e o ramo toraco-
acromial abordam a mama pelo bordo
superior. a torácica lateral desce ao longo
do bordo lateral do musculo peitoral
menor, a artéria torácica interna, ramo da
subclávia desce atras das cartilagens
costais. Durante o seu trajecto emite
ramos perfurantes que atravessam de trás
para frente os segundo, terceiro e quarto
espaço intercostais e o peitoral maior
originando a artérias mamárias medias
que atingem a glândula mamária medial.
Drenagem
E feita pelas veias axilar, veia torácicas interna, veias superficiais do abdómen.
Inervação
A sua inervação e feita pelos ramos supraclavicular do plexo cervical e os ramos
torácicos do plexo braquial.
Drenagem linfática
Aproximadamente 75% da linfa de origem nas mamas viaja a partir da mama aos 
linfonodos na axila do mesmo lado. O resto viaja para os nódulos linfáticos
paraesternais, para a mama no lado oposto e finalmente para os linfonodos
abdominais. Os gânglios axilares incluem o grupo inferior ou peitoral - que drena a
parte profunda e transmuscular -, o grupo interno ou subescapular - que drena a parte
interna da glândula mamária - e o grupo externo ou úmero - que drena a parte externa
da mama.
A drenagem linfática das mamas drena os linfonodos da axila.
Esta drenagem é particularmente importante na oncologia, porque as mamas são

um local comum de desenvolvimento de câncer, se células malignas são derivadas do

tecido mamário, poderiam se espalhar para outras partes do corpo através do 

sistema linfático para produzir metástases. O fato dos vasos linfáticos percorrerem o

tecido transmuscular do peitoral maior é justificativo para a remoção da mesma no

tratamento cirúrgico do câncer de mama - chamada de mastectomia radical 


SABIAS QUE!
Câncer
Cancro da mama ou câncer
de mama é o cancro que se
desenvolve no tecido mamário
. Entre os sinais de cancro da
mama estão o aparecimento de
um nódulo na mama ou perto
da mama na zona da axila;
alterações na forma ou na
aparência da mama, como
retração do mamilo, pele da
mama ou aréola, mamilo com
aparência escamosa, vermelha,
inchada ou com saliências e
reentrâncias; ou ainda
sensibilidade no mamilo e
secreção ou perda de líquido
pelo mamilo. Em pessoas com
a doença disseminada, pode
também verificar-se dor óssea, 
gânglios linfáticos inchados, 
falta de ar.
O cancro da mama é um
tumor maligno que se inicia nas
células da glândula mamária e é
o mais frequente nas mulheres.
No entanto, o cancro da mama
também pode atingir o sexo
masculino, cerca de 1% dos
casos de cancro da mama são nos
homens.
Tal como acontece em
relação ao sexo feminino, o
diagnóstico precoce é essencial,
pois aumenta a probabilidade do
tratamento ser mais eficaz e,
como tal, de o prognóstico da
doença ser melhor.
Conclusão
Depois das pesquisas feitas e de uma análise profunda sobre os conteúdos
investigados, chegamos a conclusão que as mamas são estruturas glandulares pares
situadas na parede anterior e superior do tórax, que derivam de glândulas sudoríparas
modificadas, com o objectivo da produção do leite. Visto que a mesma na mulher
desenvolve-se na puberdade por influência de homónimos responsáveis pelas
características femininas, e no homem são inibidos por hormônios responsáveis pelo
desenvolvimento e manutenção das características masculinas.
Referências bibliográficas
 Histologia básica I L.C. Junqueira e José Carneiro. - [12 . ed]. - Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan, 2013. Pág. 441-446
 Grays Anatomia para Estudantes, Richard L. Drake, Wayne Vogl, Adam W. M.
Mitchel. 2ª tiragem, Página 115-117
 www.fspog.com/fotos/editor2/cap33pdf
 www.super.abril.com.br,ciências

Você também pode gostar