Você está na página 1de 55

Craniopuntura

• Chiao Shun Fa
• (anos 60)
Yamamoto
New Scalp
Acupunctur
e
YNSA -Histórico

Toshikatsu Yamamoto
YNSA -Histórico
• Médico japonês – Toshikatsu Yamamoto
• Especialista em anestesiologia (NY, 1956), ginecologia/obstetrícia
• (Univ.Colônia.Alemanha com sua esposa)
• (Japão, anos 60, província de Miyasaki, cidade de Nishinam) – tratava os
lavradores, que ficavam com pernas mergulhadas na água e enfrentando inverno rigoroso no Japão.
• Primeira parte de sua vida, injetava anestésicos no local ou em bloqueios nervosos para aliviar as
dores dos pctes. (1cc xilocaina e 9cc de água destilada) Um belo dia, uma pcte referiu que melhorou
após a injeção, mas Yamamoto descobriu que injetou só água destilada, havia esquecido o
anestésico,
• Começou a experimentar o agulhamento sem medicamento – interessou-se por Acupuntura.
Posteriormente, aderiu à técnica;
• Experimentos com pacientes – foi mapeando a cabeça – ex: pcte com dor no ombro – dor em uma
região da cabeça- agulha melhorava dor no ombro – ponto do ombro
• 30 anos para mapear todos os pontos;
• 1973 – primeira vez que apresentou seu trabalho em um evento da Escola Ryodoraku no Japão
• Pra diferenciar da Acupuntura Escalpeana Chinesa – nomeou de “Nova Acupuntura Escalpeana”
YNSA
• Set 2000, apesar das ameaças e boicotes de mestres radicais – curso no Brasil para 400 pessoas –
implantou a YNSA no Brasil
YNSA -Histórico
• Nomeou primeiro os pontos básicos – de acordo com a
ordem de descoberta
• Ponto A- cabeça e cervical;
• Ponto B – escápula, ombro, pescoço
• Ponto C- MMSS
• Ponto D – metade inferior do corpo;
• Ponto E, F, G, H, I ,...
• Pontos dos órgãos dos sentidos;
• Pontos Cerebrais, Cerebelo, Tronco Cerebral;
• Órgãos internos – Pontos Y;
• Para usar os Pontos Y – aperfeiçoou o diagnóstico abdominal
dos Japoneses e depois aperfeiçoou o diagnóstico cervical
Vantagens
• Fácil aprendizado;
• Segurança;
• Eficácia rápida - Tempo da sessão: casos agudos – 15 a 30 min; casos
crônicos 30 a 50 min;

• Agulhas ou outros instrumentos: laser, imã, agulhas intradérmicas,


massagem, sementes, esferas de pressão, eletricidade, tens, haihua –
qualquer estímulo no ponto consegue aliviar as dores no pcte – o mais
importante é acertar o ponto;

• Pontos Y –desequilíbrios de Zang Fu e Meridianos; diagnóstico –


sensibilidade dos pontos na cabeça, cervical e abdômen

• Economia de tempo e espaço – pcte pode ficar sentado


Critérios de Monitorização

• Mínimo de 80% da melhora do caso agudo; já em casos


crônicos, qualquer melhora já é significativo;

• IG4 (Hegu) -Para doenças na metade superior do corpo –


supradiafragmáticos;

• Sensibilidade dos pontos do pescoço e abdômen.


Pontos
• Não são pontos – são áreas com limites dinâmicos – mudam de posição
conforme o estado patológico;

• Microssistema -

• Gravidade da perturbação:
• Alterações energéticas ou elétricas – alterações leves de sensibilidade
como formigamento, peso – dor provocada por pressão local,
chegando a ocorrer dor espontânea;

• Localizar:
Apertar com a ponta do polegar – procurar inchaço, endurecimento,
caroço, cordão, dor;
• Precisão: tubo de ensaio ou cabo da agulha
Yin Yang
Escolha dos pontos
• Em geral homolateral à dor ou

• IG4 – problemas na parte superior do corpo –

• Ponto D – problemas na parte inferior do corpo;

• Distúrbios nos Zang Fu e Meridianos –Pontos Y ou


os pontos do diagnóstico cervical ou abdominal;

• Sequelas neurológicas - contralateral


Ponto A
• Cabeça e coluna cervical - cefaléias,
enxaqueca, tontura, amigdalite, nevralgia do
trigêmeo, herpes facial, labirintite, problemas
cervicais, laringite, pós-op de cirurgias
(amigdalectomias) etc.
SNC
Ponto B

• Ombro (escápula, clavícula) e pescoço:


bursite ombro, tendinite, artrose, etc..
Ponto C

• Ombro e MMSS: epicondilites, túnel do


carpo, Raynaud, paralisias
SNC
Ponto D

• Lombar, Quadril e MMII: lombalgia,


ciática, artrose da coxa, do joelho, luxação da
patela, tendinite no tendão calcâneo, dor no
calcanhar, parestesia ou paralisia dos MMII,
problemas urogenitais, impotência, etc..

• Linha D
SNC
Ponto E
• São 12 pontos: T1 (acima da pupila) até T12;

• Coluna dorsal e tórax: dor nas costas,


nevralgia intercostal, herpes zoster, bronquite,
alergias, respiratórias, problemas de nariz e
garganta, etc..
SNC
• Pontos A, B, C, D, E
• Descobertos na 1ª fase de pesquisa do
Yamamoto
• Estão na parte YIN da cabeça
Ponto F
• Região lateral da apófise mastóide, numa área
mais saliente, mais ou menos 1cm acima da
ponta;

• Ciática e lombalgia
Ponto G
• 3 pontos em torno da ponta da apófise mastóide
(am);
• G1: parte medial do joelho; ant à ponta da am;
• G2: parte anterior do joelho; abaixo da am;
• G3: parte lateral do joelho; atrás da ponta da
am;

• Joelho: artrose, artrite, contusão


Ponto H
• 1 cm acima do Ponto B

• Lombalgia e Ciática: auxiliam o Ponto D


Ponto I
• 1cm acima do Ponto C

• Lombalgia e Ciática: auxiliam o Ponto D


Pontos Sensoriais
• OLHO:
• 1cm da linha mediana, 1cm abaixo do Ponto A

• NARIZ:
• 1cm abaixo do ponto do Olho

• BOCA:
• 1cm abaixo do Ponto do Nariz

• OUVIDO:
• 1,5cm abaixo sobre o prolongamento caudal do Ponto C
Pontos Neurológicos, 1995
• CÉREBRO:
• 1cm acima do Ponto A, pode ser dividido em Frontal, Parietal, Occipital,
Temporal, etc.

• CEREBELO:
• 1cm acima do ponto cérebro (3cm abaixo da sutura coronal);

• GÂNGLIOS DAS BASE (OU TRONCO CEREBRAL):


• Faixa estreita sobre a linha mediana, entre os Pontos cérebro e Cerebelo

• Seqüelas neurológicas, afetando tronco, cerebelo ou cérebro, Parkinson,


Alzheimer, Esclerose múltipla, Epilepsia, Nevralgia do Trigêmeo,
enxaqueca, insônia, depressão e outros distúrbios psicológicos,memória
• Pontos de A até I: problemas do aparelho
locomotor;
• Pontos sensoriais;
• Pontos neurológicos;

• Problemas de Zang Fu e Meridianos: Pontos Y


Pontos Y, 1980

• Cada um representa um órgão e seu meridiano correspondente;

• Vantagem – Por ex: problema afetando um segmento longo do


meridiano pode ser resolvido com um ponto;

• limites: limite anterior da implantação temporal dos cabelos,


atrás pela linha vertical passando pelo ápice da orelha; abaixo
pelo arco zigomático; e uma linha horizontal acima da
orelha( linha que passa pelo meio da fronte)
Pontos Y
• Na linha vertical do limite anterior dos cabelos: logo acima do
arco zigomático: 3 Yang do MS - IG, TA (acima do D), ID;
• Linha horizontal 1cm acima da orelha: 3 Yin do MS – acima e
post ao ID, P ao lado CS e mais para trás o C;
• Linha vertical entre a orelha e limite anterior dos cabelos: B
(acima do arco zigomático), R, BP, E ;
• A frente da implantação antero-sup da orelha, na horizontal de
TA – VB e 1cm acima e post, F

• Entre o E e o BP – foi descoberto o ponto da Afasia de Broca


Pontos Y
Observação
• OS PONTOS SERVEM DE REFERÊNCIA PARA
AQUELA REGIÃO – PROCURAR ALGUMA
ALTERAÇÃO NO LOCAL – NÓDULOS,
ENDURECIMENTO, AFUNDAMENTO,
DOLORIMENTO.

• O PONTO NÃO ESTÁ ONDE VC DESEJA E SIM


AONDE A PATOLOGIA SE MANIFESTA;

• ENCONTRANDO UM PONTO DOLORIDO, TEM


QUE SER TRATADO
Área Yang
• Em 90% trabalha-se a Área Yin;

• A área Yang é quase um espelho da área Yin;

• A Área Yang começa no Lambda – sutura lambdóide;

• Área mais estreita – medidas um pouco menores que


na frente
Diagnóstico Cervical
Diagnóstico Cervical
Diagnóstico cervical - Palpação
• Lado mais dolorido do pescoço;

• Começa pelo ponto do Rim – atrás do feixe clavicular no


estercleido, depois lombar, dorsal, cervical e cérebro;

• B está escondido atrás da clavícula;

• No meio do esternocleido – F (palpação suave); desce para a


VB, sobe para CS – na borda anterior do esternocleido; C, P;

• Pontos posteriores na borda trapézio, ID, BP, TA e sobre o


trapézio – E e IG
Diagnóstico Cervical
• Palpação – nos pontos em que há dolorimento e
endurecimento – usar ponto Yin;

• Se o ponto está dolorido e mole – usar ponto Yang;

• Se houver vários pontos sensíveis- sempre iniciar o


tratamento com o ponto do Rim – às vezes os outros
desaparecem;

• Também pode procurar os pontos sensíveis


diretamente nos Y.
Hara
• Um pouco diferente dos acupunturistas japoneses;

• Palpação com o pcte deitado com abdômen relaxado;

• Procura de áreas de tensão, contratura, dores, maior


sensibilidade;

• Diagnóstico e monitorizar o tratamento;


Hara
• Base do Apêndice xifóide – Cérebro
• Ponta do ax - Coração
• CS
Tratamento
• Palpar o ponto – com o dedo, a unha, uma
espátula, ou algo mais fino;
• Colocar a agulha – não tem direção definida;
• Yamamoto – prefere inserção oblíqua.
Prática Y
• Primeiro a ser pesquisado é o R e B;

• B está entre os limites ant e post bem acima do arco


zigomático. R um pouco acima deste, BP , E e CS;

• IG, D, TA, ID, P;

• CS, C;

• VB, F
• http://www.ynsacupuncture.com