Você está na página 1de 18

REUNIÃO PREFEITOS DA AMREC

POLÍTICA NACIONAL DE
ATENÇÃO BÁSICA
Portaria Nº 2.436, de 21 de setembro de 2017

Fernando de Fáveri - Gerente Regional de Saúde – 20ª GERSA


Fernanda Sônego - Coordenação Regional Saúde Bucal
Luciana Rosa – Coordenação Regional Atenção Básica

Criciúma, 16 de novembro de 2017


Atualizar a PNAB, considerando:

oO tempo de revisão da PNAB (2006-2011-2017); - toda política pública deve ser aprimorada na direção daquilo que
pretende produzir;
oProposta 5.5.11 - da 15ª Conferência Nacional de Saúde: “Garantir o processo de revisão da política nacional de
atenção básica – PNAB, considerando principalmente as seguintes dimensões: composição de profissionais por equipe
de saúde da família, carga horária dos profissionais e critérios de distribuição de habitantes por equipe.”
oOs resultados observados nos dois primeiros ciclos do PMAQ, bem como no e-SUS AB, além das atuais necessidades
expressadas pelos gestores (estaduais e municipais), de modo a fomentar um modelo de atenção à saúde que atenda à
pluralidade e às necessidades de saúde do país.
Objetivos da atualização da PNAB:

oAfirmar os fundamentos e diretrizes estratégicas para a política nacional de atenção básica, reforçando a Saúde da
Família como estratégia prioritária para expansão e consolidação da atenção básica;
oReconhecer e garantir na PNAB importantes mudanças na perspectiva de ampliação do acesso, acolhimento e
resolutividade da AB em todo o País, respeitando as especificidades existentes nas diferentes realidades.
Linha do
tempo
2017

-GT CIT + Plenário CIT;


-GT CNS + Plenário CNS;
-Debates com trabalhadores do DAB;
-Consulta Pública – 28/07 a 10/08;
-Aprovação na CIT 31/08/2017.
ATUALIZAÇÃO
FINANCIAMENTO DE EQUIPES DE ATENÇÃO BÁSICA

PNAB 2011 PNAB 2017


- EAB não era reconhecida; - EAB passa a ser reconhecida;
- EAB não tinha financiamento federal; - Há previsão de financiamento da EAB, com
- Município podia compor da forma que lhe fosse valor inferior ao repassado às ESF, que continua
conveniente, incluindo definição de composição e prioritária (em financiamento e modelo de
carga horária; atenção);
- EAB não enviava produção de saúde. - EAB deve atender aos princípios e diretrizes da
AB;
- EAB tem caráter transitório em direção à ESF;
- Definida carga horária mínima semanal (40h) e
composição das equipes (máximo 3 profissionais
por categoria / CH mínima 10h)
ACS E ACE – INTEGRAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA E VIGILÂNCIA
PNAB 2011 PNAB 2017
- ACE não compunha ESF/EAB; - ACE pode ser membro da ESF/EAB;
- Processo de trabalho e território - Território único e planejamento integrado das ações;
diferentes; - ACS obrigatório na ESF (quantidade a depender da
- ACS obrigatório na ESF (1 para cada 750 necessidade e perfil epidemiológico local / em áreas de
pessoas; máximo de 12 por equipe) e vulnerabilidade, 1 para máximo de 750 pessoas,
facultativo na EAB; cobrindo 100% da população / excluído máximo por
- EACS sem definição de quantidade mínima equipe) e facultativo na EAB;
de ACS; - EACS com quantidade a depender da necessidade e
- Sem atribuições dos ACE; perfil epidemiológico local;
- 8 atribuições dos ACS; - Incorpora as atribuições do ACE (Lei 11.350) e
- Coordenação do trabalho do ACS apenas acrescenta 11 atribuições comuns ACE e ACS;
pelo enfermeiro; - Amplia as atribuições dos ACS (12);
- Sem atribuições relacionadas à Vigilância. - Coordenação do trabalho do ACS passa a ser
responsabilidade de toda a equipe (nível superior);
- Inseridas ações de integração da AB e Vigilância.
ATRIBUIÇÕES DO ACS
Cabe ao gestor municipal ampliá-las, de acordo com as especificidades locais

•Poderão ser consideradas, ainda, atividades do Agente Comunitário de Saúde, a serem


realizadas em caráter excepcional, assistidas por profissional de saúde de nível superior, membro
da equipe, após treinamento específico e fornecimento de equipamentos adequados, em sua
base geográfica de atuação, encaminhando o paciente para a unidade de saúde de referência.

•I - aferir a pressão arterial, inclusive no domicílio, com o objetivo de promover saúde e prevenir
doenças e agravos;

•II - realizar a medição da glicemia capilar, inclusive no domicílio, para o acompanhamento dos
casos diagnosticados de diabetes mellitus e segundo projeto terapêutico prescrito pelas equipes
que atuam na Atenção Básica;
• III- aferição da temperatura axilar, durante a visita domiciliar;

• IV - realizar técnicas limpas de curativo, que são realizadas com material limpo, água corrente ou
soro fisiológico e cobertura estéril, com uso de coberturas passivas, que somente cobre a ferida;

• V - orientação e apoio, em domicílio, para a correta administração da medicação do paciente em


situação de vulnerabilidade.

Importante ressaltar que os ACS só realizarão a execução dos procedimentos que requeiram
capacidade técnica específica se detiverem a respectiva formação, respeitada autorização
legal.

A atividade do ACS deve se dar pela lógica do planejamento do processo de trabalho


a partir das necessidades do território, com priorização para população com maior de
vulnerabilidade e de risco epidemiológico.
NASF-AB – Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica
PNAB 2011 PNAB 2017
- NASF = Núcleo de Apoio à Saúde da Família; - NASF-AB = Núcleo Ampliado de Saúde da Família
- NASF (Núcleo de Apoio à Saúde da Família) e Atenção Básica;
podia se vincular apenas às eSF; - NASF-AB pode se vincular às eSF e EAB;
-3 modalidades; - 3 modalidades;
-19 CBO podem compor os NASF; - 19 CBO podem compor os NASF-AB;
-Continha descrição do processo de trabalho - Não contém descrição do processo de trabalho do
do NASF; NASF-AB, considerando que este é disciplinado
-Definia os valores de implantação e custeio; em CABs e normativas específicas;
-Parâmetros de vinculação: NASF 1(5-9 ESF); - Valores de implantação e custeio serão
NASF 2 (3-4 ESF); NASF 3 (1-2 ESF). normatizados em portarias específicas;
- Parâmetros de vinculação mantidos: NASF 1(5-9
ESF/EAB); NASF 2 (3-4 ESF/EAB); NASF 3 (1-2
ESF/EAB).
Gerente de Atenção Básica
PNAB 2011 PNAB 2017
- Não reconhecia - Reconhece a figura do gerente de UBS, recomendando sua inserção na equipe,
este trabalhador. a depender da necessidade local;
- Não há previsão de recursos adicionais para equipes com este trabalhador;
- Gerente de AB deve ter nível superior, preferencialmente da área da saúde.
Caso seja enfermeiro, a UBS deverá ter outro enfermeiro para as ações de
cunho clínico.

Composição das equipes


PNAB 2011 PNAB 2017
- ESF mínima: médico, enfermeiro, - ESF mínima: médico, enfermeiro, técnico/auxiliar de
técnico/auxiliar de enfermagem, ACS; enfermagem, ACS;
- ESF complementar: saúde bucal, NASF; - ESF complementar: ACE, saúde bucal, NASF;
- EAB não havia definição – a critério do - EAB deve seguir parâmetros da ESF, exceto ACS.
gestor local.
Oferta Nacional de Serviços e Ações Essenciais e Ampliados da AB
PNAB 2011 PNAB 2017
- Não possuía. - Incorpora o debate em torno da formulação de uma Oferta
Nacional de Serviços e Ações Essenciais e Ampliados da AB –
busca a uniformidade da AB no País, a garantia da oferta de
serviços essenciais no âmbito da AB à toda a população e a
ampliação da resolutividade da AB.

Territorialização / Vínculo
PNAB 2011 PNAB 2017
- Usuário só podia se vincular a uma - Usuário pode se vincular a mais de uma UBS.
UBS.
Segurança do paciente
PNAB 2011 PNAB 2017
- Não possuía. - Incorpora o debate em torno da segurança do paciente no
âmbito da AB, como atribuições de todos os membros da
equipe.

Regulação
PNAB 2011 PNAB 2017
- Tratado de forma superficial - Acrescenta, nas atribuições dos membros da equipe, a
(aparece 3 vezes). função de participar e contribuir com os processos de
regulação do acesso a partir da AB;
- Sinaliza o Telessaúde e a utilização de protocolos como
ferramentas de apoio e aperfeiçoamento do processo de
regulação.
Pontos de apoio
PNAB 2011 PNAB 2017
- Não há referência. - Reconhece os pontos de apoio como estrutura física que
compõe a AB/SUS para atendimento às populações
dispersas (rurais, ribeirinhas, assentamentos, áreas
pantaneiras, etc.);
- Destaca que os pontos de apoio devem respeitar as normas
gerais de segurança sanitária, bem como ser um local de
acolhimento humanizado para a população.
Carga horária
PNAB 2011 PNAB 2017
- ESF 40h + 5 tipos de ESF (equipes - ESF 40h para todos os membros + EAB 40h por categoria
com composição de carga horária e profissional (máx. 3 profissionais por categoria, mínimo de
transitória); 10h/semana).
Apoio institucional
PNAB 2011 PNAB 2017
- Considerado apenas como ferramenta de - Reconhece o Apoio Institucional também como
gestão do trabalho; ferramenta de educação permanente;
- Sinalizado nas competências dos entes. - Mantém-se nas competências dos entes.

Educação permanente e Formação em Saúde


PNAB 2011 PNAB 2017
- EP distribuída ao longo do texto, - EP distribuída ao longo do texto, versa sobre formação em
não versava sobre formação em saúde que deve ser incorporada no processo de trabalho das
saúde (ensino na saúde); equipes;
- Não abordava espaço físico para - Sinaliza a importância de estrutura física e ambiência que
tais ações; comporte os processos de EP e formação em saúde;
- Incorpora a temática do ensino na saúde – integração ensino-
serviço, destacando o papel da AB como lócus de formação
na graduação e residência, de pesquisa e extensão.
Financiamento
PNAB 2011 PNAB 2017
O financiamento federal desta política é - Optou-se por manter o financiamento em diretrizes
composto por: A) Recursos per capita; gerais, até definição dos Blocos de Financiamento,
B) Recursos para projetos específicos, C) assim como manter modalidades e valores de
Recursos de investimento; D) Recursos que financiamento em normativas específicas para
estão condicionados à implantação de facilitar revisão quando necessário.
estratégias e programas prioritários, E) - - A composição do financiamento segue a mesma da
Recursos condicionados a resultados e PNAB 2011: - Recursos per capita; que levem em
avaliação do acesso e da qualidade, tal consideração aspectos sociodemográficos e
como o PMAQ. epidemiológicos; - Recursos que estão
B) Recursos para Projetos específicos, que condicionados à implantação de estratégias e
inclui os recursos da Compensação das programas da Atenção Básica; - Recursos
Especificidades Regionais (CER), o Programa condicionados à abrangência da oferta de ações e
de Requalificação das Unidades Básica de serviços; - Recursos condicionados ao desempenho
Saúde e Recurso de Estruturação. dos serviços de Atenção Básica com parâmetros,
* CER – Apesar de constar na PNAB 2011, aplicação e comparabilidade nacional, tal como o
foi revogado e incorporado ao PAB fixo. PMAQ; - Recursos de investimento (requalifica).
Credenciamento
PNAB 2011 PNAB 2017
- Não constava sobre credenciamento das - incluiu-se no regramento de credenciamento o prazo
equipes. de 4 meses para implantação, após publicação no DOU,
sob pena de descredenciamento.

Sistema de Informação da AB

PNAB 2011 PNAB 2017


- Sem alteração
“A primeira impressão que se tem de um governante e da sua
inteligência é dada pelos homens que o cercam”.
NICOLAU MAQUIAVEL

POLÍTICA NACIONAL DE
ATENÇÃO BÁSICA
Portaria Nº 2.436, de 21 de setembro de 2017

Fernando de Fáveri - Gerente Regional de Saúde – 20ª GERSA


Fernanda Sônego - Coordenação Regional Saúde Bucal
Luciana Rosa – Coordenação Regional Atenção Básica

Criciúma, 16 de novembro de 2017

Você também pode gostar