Você está na página 1de 35

PGR e GRO são

uma novidade?

Pedro Braz
OHSAS OHSAS ISSO
BS 8800 ILO-OSH FUNDACENTRO
18001 18001 45001

1996 1999 2001 2005 2007 2018

Pedro Braz
Por quê fazer o
GRO?

Pedro Braz
SST SST
Tradicional Business

Pedro Braz
Promover ambientes de trabalho seguros e
saudáveis.

COMPLIANCE, LESÕES,
CUSTOS, DOENÇAS,
REPUTAÇÃO. BEM-ESTAR.

Pedro Braz
Impacto de um GRO ineficaz.
• Aumento do FAP,
• Pagamento de adicionais,
• Inconformidade com dispositivos legais,
• Despesa Médicas,
Empresa • Custos judiciais e indenizações,
• Pagamento do salário nos primeiros 15 dias de atestados,
• Contribuição do FGTS,
• Custo com contratação e treinamento para substituição,

Pedro Braz
Impacto de um GRO ineficaz.
• Custos em horas extras,
• Comprometimento da qualidade do produto ou da
prestação de serviços,
Empresa • Redução da produção,
• Atraso das entregas,
• Paradas de máquinas, equipamentos ou processos,
• Impacto na imagem da empresa.

Pedro Braz
Impacto de um GRO ineficaz.
• Redução da remuneração,
• Despesas com medicamentos ,
Colaborador • Redução temporária ou permanente da capacidade
biomecânica e/ou cognitiva,
• Interferência na vida familiar e convívio social,
• Redução na empregabilidade.

Pedro Braz
Impacto de um GRO ineficaz.
• Pagamentos de benefícios assistenciais,
• Despesas com o SUS ,
Órgãos
• Despesas com o corpo de bombeiros / SAMU,
Públicos
• Despesas Administrativa e com profissionais
(SIT, FUNDACENTRO, CEREST).

Pedro Braz
O que é GRO?

Pedro Braz
O que é GRO?
São diretrizes para nortear as empresas na implantação de
medidas de prevenção, voltado à segurança e saúde dos
trabalhadores.

Objetivo
Estabelecer a melhoria contínua do desempenho de SST, ou
seja, a promoção permanente de ambientes de trabalho
seguros e saudáveis.

Pedro Braz
1 – IDENTIFICAR OS PERIGOS PGR 2 – AVALIAR OS RISCOS PGR GRO
1° Levantamento preliminar de perigos, GRO 1° Nível de Risco (Severidade X Probabilidade),
2° Descrição dos perigos, 2° Classificação dos Riscos (Priorização).
3° Identificação das fontes ou circunstâncias,
4° Possíveis lesões ou agravos à saúde,
5° Indicação do grupo de trabalhadores expostos.

3 – AVALIAR OS RISCOS PGR 4 – IMPLEMENTAÇÃO E ACOMPANHAMENTO


1° Eliminar os Riscos, GRO 1° Verificação da execução das ações Planejada,
2° Reduzir ou controlar os Riscos. 2° Inspeções nos Ambientes de Trabalho,
- Substituição,
3° Monitoramento das condições ambientais
- Controle de Engenharias (EPC’s)
- Controle Administrativas / organizacionais, GRO
- Controles Individuais (EPI’s)

Pedro Braz
Como fazer
GRO?

Pedro Braz
1° Levantamento da situação inicial,
2° Política,
7° Melhoria 3° Planejamento.

A P
6° Verificação C D 4° Suporte,
5° Implementação.

Pedro Braz
O que é PGR?

Pedro Braz
O que é PGR?
É um programa que apresenta de forma ordenada, os riscos
ocupacionais identificados, analisados e avaliados de um
estabelecimento, bem como as ações preventivas que precisam
ser adotadas.
Objetivo
Consolidar os riscos ocupacionais e as medidas de prevenção
(documento físico, digital, software), a fim de ser um
instrumento de acompanhamento e melhoria contínua do
desempenho de SST.
Pedro Braz
1 – IDENTIFICAR OS PERIGOS PGR 2 – AVALIAR OS RISCOS PGR GRO
1° Levantamento preliminar de perigos, GRO 1° Nível de Risco (Severidade X Probabilidade),
2° Descrição dos perigos, 2° Classificação dos Riscos (Priorização).
3° Identificação das fontes ou circunstâncias,
4° Possíveis lesões ou agravos à saúde,
5° Indicação do grupo de trabalhadores expostos.

3 – AVALIAR OS RISCOS PGR 4 – IMPLEMENTAÇÃO E ACOMPANHAMENTO


1° Eliminar os Riscos, GRO 1° Verificação da execução das ações Planejada,
2° Reduzir ou controlar os Riscos. 2° Inspeções nos Ambientes de Trabalho,
- Substituição,
3° Monitoramento das condições ambientais
- Controle de Engenharias (EPC’s)
- Controle Administrativas / organizacionais, GRO
- Controles Individuais (EPI’s)

Pedro Braz
O PGR deve ser elaborado por
estabelecimento.
Mas, a critério da organização, o PGR pode ser Implementado por
unidade operacional, setor ou atividade.

Pedro Braz
Avaliação de riscos deve ser revista a
cada 2 anos ou quando...
1º Após a implementação das medidas de prevenção, para avaliação de riscos residuais.
2º Após inovações e modificações nas tecnologias, ambientes, processos, condições,
procedimentos e organizações do trabalho.
3º Quando identificadas inadequações, insuficiências ou ineficácias das medidas de
prevenção.
4º Na ocorrência de acidentes ou doenças relacionadas ao trabalho.
5º Quando houver mudanças nos requisitos legais aplicáveis.

Pedro Braz
Responsabilidade sobre o PGR
Os documentos integrantes do PGR devem ser elaborados sob a
responsabilidade da organização, respeitando o disposto na
demais NR’s, datados e assinados.

Pedro Braz
Inventário de Risco

1 – IDENTIFICAR OS PERIGOS 2 – AVALIAR OS RISCOS


1° Levantamento preliminar de perigos, 1° Nível de Risco (Severidade X Probabilidade),
2° Descrição dos perigos, 2° Classificação dos Riscos (Priorização).
3° Identificação das fontes ou circunstâncias,
4° Possíveis lesões ou agravos à saúde,
5° Indicação do grupo de trabalhadores expostos.

Pedro Braz
Informações mínimas que devem constar
no inventário de Riscos.
1º Caracterização dos ambientes de trabalho,
2º Caracterização dos processos,
3º Caracterização das atividades
4º Descrição de Perigos
5ºDescrição das possíveis lesões ou agravos à saúde dos trabalhadores,
6º Identificação das fontes ou circunstâncias,
7º Descrição de riscos gerados pelos perigos,

Pedro Braz
Informações mínimas que devem constar
no inventário de Riscos.
8º Indicação dos grupos de trabalhadores sujeitos a esses riscos,
9º Descrição de medidas de prevenção implementadas,
10º Dados da analise preliminar ou do monitoramento das exposições a agentes Físicos,
Químicos e Biológicos,
11º Os resultados da avaliação de ergonomia nos termos da NR17,
12º Avaliação e classificação dos riscos
13º Critérios adotados para avaliação dos riscos e tomada de decisões

Pedro Braz
IDENTIFICAÇÃO DE PERIGOS
CARACTERIZAÇÃO DO AMBIENTE

CARACTERIZAÇÃO DO PROCESSO

DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE

TRABALHADORES EXPOSTOS

PERIGOS RISCOS CAUSAS CONSEQUENCIAS MEDIDAS DE CONTROLE ANÁLISE PRELIMINAR


EXISTENTE OU MONITORAMENTO
DAS EXPOSIÇÕES

Pedro Braz
ANÁLISE DE RISCO

RISCO SEVERIDADE PROBABILIDADE NIVEL DE RISCO

A gradação da severidade deve levar em conta: A gradação da probabilidade deve levar em conta:
- O número de trabalhadores expostos, - Os requisitos estabelecidos em NR’s,
- Ocorrência de acidentes ampliados. - As medidas de prevenção implementadas,
- As exigências da atividade de trabalho.

Pedro Braz
Técnicas e ferramentas.
As organizações devem selecionar as ferramentas e técnicas de
avaliação de riscos que sejam adequadas ao riscos ou
circunstâncias em avaliação.
ESTIMATIVA DA SEVERIDADE ESTIMATIVA DA PROBABILIDADE
PESO CATEGORIA PESO CATEGORIA
1 LEVEMENTE PREJUDICIAL 1 ALTAMENTE IMPROVAVEL
RISCO
2 PREJUDICIAL 2 IMPROVAVEL
INERENTE
3 EXTREMAMENTE PREJUDICIAL 3 PROVAVEL

Fonte: BS8800

Pedro Braz
Extremamente Risco Risco
prejudicial Risco Intolerável
moderado substancial

SEVERIDADE
Prejudicial Risco
Risco Tolerável Risco substancial
moderado
Levemente
RISCO Prejudicial
Risco Trivial Risco Tolerável Risco moderado
INERENTE

Altamente Improvável Provavel


Improvável
PROBABILIDADE

Fonte: BS8800

Pedro Braz
Plano de Ação.

3 – AVALIAR OS RISCOS
1° Eliminar os Riscos,
2° Reduzir ou controlar os Riscos.
- Substituição,
- Controle de Engenharias (EPC’s)
- Controle Administrativas / organizacionais,
- Controles Individuais (EPI’s)

Pedro Braz
Equipamentos de proteção individual

Utilizar controles administrativos e


organizacionais incluindo treinamentos.

Utilizar controles de engenharia e


reorganização do trabalho

Substituir processos, operações, materiais


ou equipamentos menos perigosos

Eliminar os perigos

Pedro Braz
Plano de Ação.
ORDEM RISCO TAREFA RESPONSAVEL PRAZO INVESTIMENTO STATUS

Pedro Braz
Tratamento diferenciado para MEI.
O MEI esta dispensado de elaborar o PGR.
Serão expedidas pelo SERPRI fichas com orientações sobre as
medidas de prevenção a serem adotados pelo MEI.

Pedro Braz
Tratamento diferenciado para ME e EPP.
As ME e EPP, graus de risco 1 e 2, que no levantamento preliminar
de perigos não identificarem exposições ocupacionais a agentes
físicos, químicos e biológicos e declararem as informações digitais,
ficam dispensadas da elaboração do PGR.

Pedro Braz
O PRG e a relação entre contratante e
contratada.
O PGR da empresa contratante poderá incluir as medidas de
prevenção para as empresas contratadas para prestação de
serviços que atuem em suas dependências ou local previamente
convencionado em contrato ou referenciar os programas da
contratada.

Pedro Braz
O PRG e a relação entre contratante e
contratada.
As organizações contratantes devem fornecer às contratadas
informações sobre os riscos ocupacionais sob sua gestão e que
possam impactar nas atividades das contratadas.

As organizações contratadas devem fornecer ao contratante o


inventário de riscos ocupacionais específicos de suas atividades
que são realizadas nas dependências da contratante ou local
previamente convencionado em contrato.
Pedro Braz
Atualizado:
25/08/2020

Pedro Braz

Você também pode gostar