Você está na página 1de 18

PARAGEM

CARDIORRESPIRATÓRI
A
O que é uma paragem
cardiorrespiratória (PCR)

A PCR é um acontecimento repentino e consiste na


interrupção ou falência súbita das funções cardíaca
e respiratória.

Em consequência a pessoa:
• fica inconsciente;
• não responde;
• não respira ou não respira normalmente.
Quais são as causas de uma
paragem cardiorrespiratória
As causas de uma PCR
podem ser diversas, mas as
mais frequentes relacionam-
se com o coração, por
exemplo: alterações graves
do ritmo cardíaco; enfarte
agudo do miocárdio,
também designado por
ataque cardíaco.
Outras causas: obstrução da
via aérea por corpo estranho
ou engasgamento e
No 1º ano de vida, a causa mais afogamento.
frequente é de origem respiratória
O SBV pediátrico
consiste na aplicação
de manobras e
competências que, sem
a utilização de
adjuvantes técnicos.
SUPORTE Permitem o
BÁSICO DE reconhecimento e
intervenção numa
VIDA criança em paragem
cardíaca ou
(SBV) respiratória.
Possibilita “ganhar
tempo” até a criança
poder receber
tratamento mais
diferenciado.
A PESSOA QUE VAI PRESTAR
AUXÍLIO, NÃO DEVE CORRER
RISCO IGUAL OU SUPERIOR AO
DA CRIANÇA.

NO CASO DE QUALQUER SITUAÇÃO


QUE SE APRESENTE COMO PERIGOSA,
ESTA DEVE SER AFASTADA, OU
ENTÃO, A CRIANÇA DEVE SER
RETIRADA DO LOCAL.
AVALIAÇÃO DO ESTADO DE
CONSCIÊNCIA DA CRIANÇA

Aproximar-se da criança e avaliar se


esta responde, enquanto a estimula,
suavemente, batendo nos ombros.
Tratando-se de uma criança pequena
não a deve abanar, estimule-a mexendo
nas mão e/ou nos pés ao mesmo tempo
que a chama em voz alta.
Se a criança não responder peça ajuda.
Não abandone a criança e prossiga a
avaliação.
PERMEABILIZAÇÃO
DA VIA AÉREA

Desapertar as roupas e expor o tórax;


Remover corpos estranhos;
Colocar a palma de uma mão na testa da
criança e os dedos indicador e médio da
outra mão no bordo da mandíbula;
Permeabilizar a via aérea efetuando
simultaneamente a extensão da cabeça e
elevação do maxilar inferior.
Passar à avaliação da existência de
ventilação.
AVALIAR RESPIRAÇÃO
(MÉTODO VOS)

Aproximar a sua face da face da criança, olhando para o


tórax e:
VER – se existem movimentos torácicos;
OUVIR – se existem ruídos de saída de ar pela boca ou
nariz da vítima;
SENTIR – na sua face se há saída de ar pela boca ou nariz
da vítima.
Se a criança não respirar normalmente, manter a
permeabilidade da via aérea e iniciar ventilação com ar
expirado, efetuando 5 insuflações.
Cada insuflação de ar deve
ser feita durante 1 a 1,5
segundos com um volume
5 INSUFLAÇÕES de ar suficiente apenas para
causar uma extensão
torácica visível.

Depois das 5 insuflações


iniciais, reavaliar a criança.
Se não respirar, iniciar 1
minuto de SBV.
Esta reavaliação não deve
exceder os 10 segundos.
TÉCNICA DE COMPRESSÕES TORÁCICAS
NAS CRIANÇAS
Ajoelhar-se Colocar o bordo de
junto da uma mão no 1/3
criança inferior do esterno

Levantar os dedos de Mantendo o braço esticado,


sem fletir o cotovelo,
forma a não posicionar-se para que o
comprimir as ombro fique perpendicular
costelas ao ponto de apoio da mão

Pressionar o Aliviar a pressão


tórax cerca de sem retirar a
1/3 da sua altura mão do esterno
TÉCNICA DE COMPRESSÕES TORÁCICAS
NOS LATENTES
Manter a permeabilidade Colocar a ponta de
da via aérea, mantendo a
dois dedos da outra
cabeça em posição neutra,
com uma mão na cabeça mão sobre o terço
do latente. inferior do esterno.

Comprimir o tórax na
vertical de forma a causar
uma depressão com cerca
de 1/3 da sua altura.

Aliviar a pressão de forma a


permitir ao tórax retomar a sua
Fazer 15 compressões
Caso estejam presentes dois reanimadores,
enquanto este minuto de SBV é aplicado, o outro
reanimador pode antecipar o pedido de ajuda,
ligando 112.

No caso de só haver um reanimador


o pedido de ajuda é efetuado após
este primeiro minuto.

Após o pedido de ajuda o reanimador deve


voltar para junto da criança e deve continuar as
manobras de SBV de forma ininterrupta até que:

Chegue ajuda diferenciada;

A criança recupere sinais de vida:


comece a acordar, inicie movimentos,
abra os olhos e respire normalmente;

Fique exausto e incapaz de


continuar o SBV.
Nas situações de PCR só deve interromper as
manobras para reavaliação da criança, apenas
e só se esta apresentar
sinais de vida.
CONCLUSÃO
Fazer a massagem cardíaca é muito
importante para substituir o trabalho do
coração e manter o cérebro da criança bem
oxigenado, enquanto a ajuda profissional
chega.

Dessa forma é possível reduzir os danos


neurológicos que podem começar a surgir em
apenas 3 ou 4 minutos quando o coração não
está a bombear sangue.

O conhecimento e a aplicação destes


procedimentos pode fazer a diferença entre a
vida e a morte.
BIBLIOGRAFIA

Manual Curso Suporte básico e noções de suporte avançado de vida pediátrico.


(https://escolapediatria.pt/quem-somos-formacao-pediatria/)
https://www.tuasaude.com/parada-cardiorrespiratoria/
https://www.youtube.com/watch?v=iWtKg0RhiJ4&feature=emb_logo
https://www.msdmanuals.com/pt-pt/profissional/medicina-de-cuidados
cardiopulmonar
https://www.inem.pt/category/cidadaos/gestos-que-salvam/
Google Imagens

Você também pode gostar