Você está na página 1de 20

CONTEXTUALIZAÇÃO

TRANSCULTURAL
PR. MARCELO CARVALHO
INTRODUÇÃO
Missionários Nathan e Orleanna Price

Congo: 1959
Povo: Bacongo
Língua: Kikongo

Nathan: não admite sua dúvida e fraqueza

Mensagem: Tata Jesus is Bängala!


trad.: Jesus é precioso e amado!
trad.: Jesus dá coceira!
CONTEXTUALIZAÇÃO
• O termo “Contextualização” surge no CMI (Conselho Mundial de
Igrejas), na década de 50 a 60.

• São as pressuposições teológicas que vão definir a direção,


sentido e o método da contextualização. “...Nossa teologia
determinará a forma como compreenderemos e executaremos a
tarefa da contextualização...” (Hesselgrave, ACTE-vol 1., 1994, p.116)
Ex.: a) ICAR – Deus será encontrado em cada cultura.
b) Pe. Bruno e os enfeites da cultura tukano
para contextualizar.
Pressuposto: A Bíblia é a Palavra de Deus, inerrante e autoritativa.

Texto base: Rm 1.18-32; 3.9-18.

O Evangelho é de Deus, proclama a salvação de Deus e deve ser


proclamado em todo o mundo, perto e longe, em obediência a
Deus e para a glória de Deus. (Ronaldo Lidório)
Evangelho é…

Supracultural, pois define e explica a cultura, não o contrário;


Cultural, por ter sido revelado à humanidade em seu próprio
contexto e história;
Intercultural, por juntar ao redor de Jesus pessoas de todos os
povos;
Multicultural, ao ser destinado a todos os povos e línguas;
Transcultural, quando transmitido de uma cultura a outra; e
Contracultural, pois sempre confronta o homem
em sua própria cultura.
CONCEITO:
Hesselgrave: “... a tentativa de comunicar a mensagem da pessoa,
das obras, da palavra e da vontade de Deus de como fiel à revelação
de Deus, sobretudo como está apresentado nos ensinos das
Escrituras Sagradas, e que é significativo aos receptores em suas
culturas e contextos existenciais respectivos. A contextualização é
tanto verbal quanto não-verbal e está ligada à teologização; à
tradução, à interpretação e à aplicação da Bíblia; ao estilo de vida
encarnacional; à evangelização; à instrução cristã; à criação e ao
crescimento de igrejas; à organização da igreja; ao estilo de culto –
na verdade a todas aquelas atividades relacionadas com a execução
da Grande Comissão.” (Hesselgrave, ACTE-vol1, 1994, p.120)
Contextualização
Transcultural
Mensagem O povo-alvo
Contextualizada distante dos
O missionário que contextos histórico-
Mensagem 100% recebeu a linguistíco-culturais
Compreensível mensagem que precisa
A Mensagem decodificada para o receber de forma
comunicada em um seu contexto decodificada e
contexto histórico- histórico- compreensível a
linguístico-cultural linguístico-cultural. mensagem.
próprio (distante
do nosso contexto).
CONTEXTUALIZAÇÃO
DIMENSÕES
1. COSMOVISÃO: Uma cosmovisão é um compromisso, uma
orientação fundamental do coração, que pode ser expresso como
uma narrativa ou como um conjunto de pressuposições ... que nós
sustentamos... sobre a constituição básica da realidade, e que
fornece o fundamento sobre o qual nós vivemos, nos movemos e
existimos. (JAMES W. SIRE)
Ex.: o conceito de alma ocidental e para o povo Húpd’äh. Como
decodificar?
CONTEXTUALIZAÇÃO
DIMENSÕES
2. FORMAS DE PENSAR: Todas as pessoas normais de todas as
culturas têm habilidade de pensar, mas elas pensam diferente. As
pessoas em culturas diferentes tendem a chegar às suas conclusões
por diversos processos de pensamento.
Ex.: a) O monge que foi expulso de aldeia africana por causar
tempestades. A magia pode ser um sistema de pensamento.
b) O temporal e os Húpd’äh.
CONTEXTUALIZAÇÃO
DIMENSÕES
3. A LÍNGUA E O SENTIDO: Aqui está a barreira mais óbvia de
todas na contextualização da mensagem. Se você conhece a
Palavra mas não fala a língua, você não comunica nada, muito
menos contextualizado. A língua reflete o que é mais importante na
cosmovisão, na forma de pensamento e na prática diária da vida.
Ex.: a) Cultura que não valoriza o tempo verbal
certamente valorizará o aspecto verbal.
b) Sentido das palavras:
Adoração (ocidental) X Respeito (indígena)
CONTEXTUALIZAÇÃO
DIMENSÕES
4. PADRÕES DE COMPORTAMENTO: aqui me refiro às formas de
agir. Ex.: a) Receber visitas; b) Relação entre sexos opostos (fala,
disposição, tarefas); c) Relação idosos X adultos X jovens –
(eutanásia entre os Húpd’äh); d) Falar em público para os demais
(tom e altura da voz, o olhar); e) Distribuição da família ou das
famílias numa casa; f) Sexo (iniciação, prostituição e relações
diversas – adultério, estupro, violação, pedofilia etc.);
g) Comportamento cristão pode ser inaceitável
em muitas culturas: não festejar > espírito mal.
CONTEXTUALIZAÇÃO
DIMENSÕES
5) FONTES DE MOTIVAÇÃO: aqui me refiro às formas de tomar
decisão. Pode ser comunitário, familiar, pessoal ou circunstancial
(existencial) – decido agora e amanhã estou aberto a seguir outro
caminho.
Ex.: a) Movimento elástico da decisão dos indígenas;
b) Conversão de toda uma família, porque o cabeça decidiu.
c) Pela magia, sonhos etc.
CONTEXTUALIZAÇÃO
TRANSCULTURAL
ATOS 17.16-31
DESDOBRANDO O TEXTO
NA BÍBLIA
Contexto Ateniense: centro filosófico sem
pressupostos bíblicos.
Epicureus: Eram materialistas e hedonistas.
O lema poderia ser: “viva o agora”.
Estoicos: Eram fatalistas e por isso,
insensíveis a tudo. O lema poderia ser: “é
assim mesmo”.
CONTEXTUALIZAÇÃO
TRANSCULTURAL
ATOS 17.16-31
DESDOBRANDO O TEXTO
NA BÍBLIA
Ponto de partida:
- Evidências da criação e do deus desconhecido.
- Deus como Criador, não manipulável e providente
(vv.24-26)
- Deus relacional: vocês estão no caminho (v.27)
- Cita o poeta dos atenienses: “...Porque dele também
somos geração” (v.28)
CONTEXTUALIZAÇÃO
TRANSCULTURAL
ATOS 17.16-31
DESDOBRANDO O TEXTO
NA BÍBLIA
- Desconecta o conceito dos deuses atenienses
do conceito do Deus bíblico: ninguém pode
construir um deus. (v.28)

O Evangelho é comunicado: Deus é gracioso,


arrependam-se! Ele vem julgar o mundo, Jesus
é o que vem, o que ressuscitou entre os mortos.
CONTEXTUALIZAÇÃO
TRANSCULTURAL
ATOS 17.16-31
DESDOBRANDO O TEXTO
NA BÍBLIA
Resultado:
- Grupo A: escarneceram e adiaram v.32
- Grupo B: creram (Dionísio e Dámaris) – v.34

Mensagem Contextualizada não tem êxito total


MÃO NA MASSA

MONTAR UMA ABORDAGEM


BÍBLICA
CONTEXTUALIZADA PARA
COMUNICAR O CONCEITO
DE PECADO NUMA CULTURA
INDÍGENA
MONTAR UMA ABORDAGEM BÍBLICA
MÃO NA MASSA CONTEXTUALIZADA PARA COMUNICAR O
CONCEITO DE PECADO NUMA CULTURA
INDÍGENA

- Não creem na existência de Deus;


- Não creem na vida após a morte nem na condenação eterna;
- Creem em espíritos e todos eles são mãos;
- Não adoram espíritos;
- São mágicos (feitiçaria, simpatias etc.);
- Acreditam em tabus (proibições que se quebradas podem trazer algum tipo
de infelicidade);
- Os espíritos sentem o cheiro quando quebram tabu;
- A quem quebra tabu dizem que tal pessoa “errou”.
- Eles são individualistas;
- Homens e mulheres não se sentam juntos para
conversarem.
PALAVRA
DE IMPACTO
A PRINCIPAL DE
TODAS AS
BARREIRAS NA
CONTEXTUALIZAÇÃO
TRANSCULTURAL:
VOCÊ