Você está na página 1de 63

ESTRUTURA

CRISTALINA
Definição
 A estrutura cristalina de um sólido é a
designação dada ao conjunto de propriedades que
resultam da forma como estão espacialmente
ordenados os átomos ou moléculas que o
constituem.
Os materiais sólidos podem ser cristalinos ou amorfos.
O conceito de estrutura cristalina está relacionado
à organização dos átomos de forma geométrica
Material Cristalino
 Os materiais sólidos podem ser classificados
em cristalinos ou não-cristalinos de acordo
com a regularidade na qual os átomos ou íons
se dispõem em relação à seus vizinhos.
 Material cristalino é aquele no qual os
átomos encontram-se ordenados sobre longas
distâncias atômicas formando uma estrutura
tridimensional que se chama de rede cristalina
Estrutura Cristalina
 As estruturas cristalinas estão presentes em
diversos materiais, em que os átomos
.
distribuídos dentro de sua estrutura formam uma
rede chamada retículo cristalino.
 Possuem, portanto, estruturas cristalinas os sais,
metais e a maior parte dos minerais
 As moléculas das estruturas cristalinas podem
possuir dois tipos de ligações, as direcionais, em
que se incluem as covalentes e dipolo-dipolo e
as não-direcionais em que estão as ligações
metálica, iônica, van der Walls.
Estrutura cristalina
 Arranjo organizado em três dimensões que se
repete em todo o material
 Forma regular
 Metais – apresentam três formas simples
 Cerâmicos – inúmeras tipos de estruturas
 Poliméricos – são dificilmente cristalizados
Estrutura cristalina

Figura 2.12 – (a) Alumínio - cúbica e b) Magnésio – hexagonal


Observações
Alumínio – cúbica – dúctil
Magnésio – hexagonal - frágil
Diferentes estruturas

Tetragonal

Romboédrica

Cúbica
Estrutura cristalina
Nos materiais não-cristalinos ou amorfos não
existe ordem de longo alcance na disposição dos
átomos
As propriedades dos materiais sólidos cristalinos
depende da estrutura cristalina, ou seja, da
maneira na qual os átomos, moléculas ou íons
estão espacialmente dispostos.
Há um número grande de diferentes estruturas
cristalinas, desde estruturas simples exibidas pelos
metais até estruturas mais complexas exibidas
pelos cerâmicos e polímeros
Célula Unitária
 As estruturas cristalinas são formadas por
células unitárias que são sua unidade básica,
pois constituem o menor conjunto de átomos
associados encontrados numa estrutura
cristalina.
 Consiste num pequeno grupos de átomos que
formam um modelo repetitivo ao longo da
estrutura tridimensional (analogia com elos da
corrente);
 A célula unitária é escolhida para representar a
simetria da estrutura cristalina.
Célula Unitária
 A geometria da célula unitária é determinada pelo
tamanho das arestas e pelos ângulos formados
entre os eixos cristalográfico, conhecidos então
pelos parâmetros de rede ou constantes de rede

Geometria de uma célula unitária. Adaptação de


Shackelford (2011).
Célula Unitária

Célula Unitária

Os átomos são representados como esferas rígidas


Estrutura cristalina dos metais

 A ligação metálica é não-direcional não há


restrições quanto ao número e posições dos
vizinhos mais próximos.
 Então, a estrutura cristalina dos metais têm
geralmente um número grande de vizinhos e
alto empacotamento atômico.
 Três são as estruturas cristalinas mais comuns
em metais: Cúbica de corpo centrado, cúbica de
face centrada e hexagonal compacta
Parâmetros de rede e ângulos
dos sete sistemas cristalinos
Células unitárias do arranjos
cristalinos de Bravais. (14 arranjos)
Sistema Cúbico
 Os átomos podem ser agrupados dentro do
sistema cúbico em 3 diferentes tipos de
repetição
1) Cúbico simples
2) Cúbico de corpo centrado
3) Cúbico de face centrada
CRISTAIS COMPACTOS

Cristais Cúbicos
 Cúbico simples (CS)

 Cúbico de corpo centrado (CCC)


􀂄
 Cúbico de face centrada (CFC)
Cristais Hexagonais

 Hexagonal simples (HS)

 Hexagonal compacto (HC)


Estrutura típica cúbica de face
centradas
Estrutura típica cúbica de corpo
centrada
SISTEMA CÚBICO SIMPLES

 Apenas 1/8 de cada


átomo cai dentro da
célula unitária, ou seja, a
célula unitária contém
apenas 1 átomo.
 Essa é a razão que os
metais não cristalizam na
a estrutura cúbica simples
(devido ao baixo
empacotamento atômico)
Parâmetro de rede
Número de Coordenção Para
Cúbico Simples

 Número de coordenação:
corresponde ao número de átomos
vizinhos mais próximos
 Para a estrutura cúbica simples o
número de coordenação é 6.
RELAÇÃO ENTRE O RAIO ATÔMICO (R) E
O PARÂMETRO DE REDE (a)PARA O
SISTEMA CÚBICO SIMPLES

 No sistema cúbico
simples os átomos
se tocam na face

 a= 2 R
FATOR DE EMPACOTAMENTO
ATÔMICO PARA CÚBICO SIMPLES
Fator de empacotamento= Número de átomos x Volume
dos átomos
Volume da célula unitária

Vol. dos átomos=número de átomos x Vol. Esfera (4R3/3)


Vol. Da célula=Vol. Cubo = a3

 Fator de empacotamento = 4R3/3


(2R) 3

O FATOR DE EMPACOTAMENTO PARA A EST. CÚBICA


SIMPLES É O,52
EST. CÚBICA DE CORPO
CENTRADO
 O PARÂMETRO DE REDE E O RAIO
ATÔMICO ESTÃO RELACIONADOS
NESTE SISTEMA POR:
accc= 4R /(3)1/2

 Na est. ccc cada átomo dos vertices do


cubo é dividido com 8 células unitárias
 Já o átomo do centro pertence somente
a sua célula unitária.
 Cada átomo de uma estrutura ccc é
cercado por 8 átomos adjacentes
 Há 2 átomos por célula unitária na
estrutura ccc
 O Fe, Cr, W cristalizam em ccc
RELAÇÃO ENTRE O RAIO ATÔMICO
(R) E O PARÂMETRO DE REDE (a)
PARA O SITEMA CCC

 No sistema CCC
os átomos se
tocam ao longo da
diagonal do cubo:
(3) 1/2.a=4R

accc= 4R/ (3)1/2


NÚMERO DE COORDENAÇÃO
PARA CCC

 Número de coordenação corresponde


ao número de átomos vizinhos mais
próximos
 Para a estrutura ccc o número de
coordenação é 8.
NÚMERO DE
COORDENAÇÃO
1/8 de átomo

1 átomo inteiro

Para a estrutura ccc o número de coordenação é 8


FATOR DE EMPACOTAMENTO
ATÔMICO PARA CCC

 Fator de empacotamento= (Número de átomos x


Volume dos átomos)/Volume da célula unitária

O FATOR DE EMPACOTAMENTO PARA A EST.


CC É O,68
EST. CÚBICA DE FACE
CENTRADA
 O PARÂMETRO DE REDE E O
RAIO ATÔMICO ESTÃO
RELACIONADOS PARA ESTE
SISTEMA POR:

acfc = 4R/(2)1/2 =2R . (2)1/2

 Na est. cfc cada átomo dos vertices


do cubo é dividido com 8 células
unitátias
 Já os átomos das faces pertencem
somente a duas células unitárias
 Há 4 átomos por célula unitária na
estrutura cfc
 É o sistema mais comum encontrado
nos metais (Al, Fe, Cu, Pb, Ag, Ni,...)
NÚMERO DE COORDENAÇÃO
PARA CFC

 Número de coordenação corresponde ao


número de átomos vizinhos mais
próximo
 Para a estrutura cfc o número de
coordenação é 12.
NÚMERO DE COORDENAÇÃO
PARA CFC

Para a estrutura cfc o


número de
coordenação é 12.
FATOR DE EMPACOTAMENTO
ATÔMICO PARA CFC

 Fator de empacotamento= (Número de átomos X


Volume dos átomos) / Volume da célula unitária

O FATOR DE EMPACOTAMENTO PARA A EST. CFC É O,74


TABELA RESUMO PARA O
SISTEMA CÚBICO
Átomos Número de Parâmetro Fator de
por coordenação de rede empacotamento
célula
CS 1 6 2R 0,52
CCC 2 8 4R/(3)1/2 0,68
CFC 4 12 2R.(2)1/2 0,74
PRINCIPAIS ESTRUTURAS
CRISTALINAS
Maioria dos elementos metálicos (90%) cristaliza-se com
estruturas altamente densas:
􀂄 Cúbica de Corpo Centrado (CCC)
􀂄 Cúbica de Face Centrada (CFC)
􀂄 Hexagonal Compacta (HC)
􀂄 Dimensões das células cristalinas metálicas são
pequenas:
􀂄 Aresta de uma célula unitária de Fe à temperatura
ambiente é igual a 0,287 nm
􀂄 Sólidos Cristalinos de 1 único elemento:
􀂄 52% - estrutura cúbica
􀂄 28% - estrutura hexagonal
􀂄 20% - outros 5 tipos estruturais
Exemplo
 O chumbo exibe estrutura CFC. Qualquer quantidade de
chumbo sólido é constituída por pequenos cubos
imaginários (células unitárias), com arestas medindo
0,495x10-9 m, onde os átomos desse elemento ocupam
vértices e centro das faces. A partir dessas informações,
calcule o número de cubos existentes em 1 cm3 (1x10-6 m3 )
de chumbo.

Dados:
 Aresta do cubo - 0,495x10-9 m
 Volume de chumbo - 1 cm3 (1x10-6 m3 )
Solução
 O número de células unitárias é obtido pela divisão
do volume total pelo volume de uma célula.
 Volume da célula unitária do chumbo
 aresta – 0,495x10-9 m

 Volume do cubo

 (0,495x10-9 m)3 =1,2x10-28 m3

 Número de células unitárias


 1x10-6 m3 / 1,2x10-28 m3 =

 8,2 x 1021 células (cubos)

 820.000.000.000.000.000.000
CÁLCULO DA DENSIDADE

 O conhecimento da estrutura cristalina


permite o cálculo da densidade ():
 = nA / VcNA
n= número de átomos da célula unitária
A= peso atômico
Vc= Volume da célula unitária
NA= Número de Avogadro(6,02 x 1023
átomos/mol)
Densidade
Exemplo
Calcule a densidade do:
a)Fe (CCC) b) Fe (CFC).
A densidade teórica de um cristal é igual a massa da
célula unitária dividida pelo seu volume.
a) Fe (CCC)
Fe na estrutura CCC, que tem um a0 de 2,866A e
massa atômica de 55,85 g/g.mol.
Solução
Solução
b) Fe – CFC
Fe na estrutura CFC, que tem um a0 de 3,6 A e massa
atômica de 55,85 g/g.mol.
Volume da célula unitária:
Solução
Densidade CFC:
SISTEMA HEXAGONAL
SIMPLES
SISTEMA HEXAGONAL
SIMPLES
 Os metais não cristalizam no sistema hexagonal
simples porque o fator de empacotamento é
muito baixo
 Entretanto, cristais com mais de um tipo de átomo
cristalizam neste sistema.
ESTRUTURA HEXAGONAL
COMPACTA
 Os metais em geral não
cristalizam no sistema
hexagonal simples pq o fator
de empacotamento é muito
baixo, exceto cristais com mais
de um tipo de átomo
 O sistema Hexagonal
Compacta é mais comum nos
metais (ex: Mg, Zn)
 Na HC cada átomo de uma
dada camada está diretamente
abaixo ou acima dos
interstícios formados entre as
camadas adjacentes
ESTRUTURA HEXAGONAL
COMPACTA
 Cada átomo tangencia 3 átomos da camada de
cima, 6 átomos no seu próprio plano e 3 na camada
de baixo do seu plano
 O número de coordenação para a estrutura HC é 12
e, portanto, o fator de empacotamento é o mesmo
da cfc, ou seja, 0,74.
ESTRUTURA HEXAGONAL
COMPACTA

Relação entre R e a:
a= 2R
ESTRUTURA HEXAGONAL
COMPACTA

Há 2 parâmetros de rede representando os parâmetros


Basais (a) e de altura (c)
RAIO ATÔMICO E ESTRUTURA
CRISTALINA DE ALGUNS METAIS
POLIMORFISMO OU
ALOTROPIA
 Fenômeno onde uma substância apresenta
variações de arranjos cristalinos em diferentes
condições
 Alguns metais e não-metais podem ter mais de
uma estrutura cristalina dependendo da
temperatura e pressão. Esse fenômeno é
conhecido como polimorfismo.
 Geralmente as transformações polimorficas são
acompanhadas de mudanças na densidade e
mudanças de outras propriedades físicas.
EXEMPLO DE MATERIAIS
QUE EXIBEM POLIMORFISMO
 Ferro
 Titânio
 Carbono (grafite e diamante)
 SiC (chega ter 20 modificações cristalinas)
Dos elementos químicos conhecidos,
40 % apresentam variações
alotrópicas
ALOTROPIA DO FERRO

 Na temperatura ambiente, o
Ferro têm estrutura ccc,
número de coordenação 8,
fator de empacotamento de
0,68 e um raio atômico de
1,241Å.
 A 910°C, o Ferro passa para
estrutura cfc, número de
coordenação 12, fator de
empacotamento de 0,74 e um
raio atômico de 1,292Å.
 A 1394°C o ferro passa
novamente para ccc.
ALOTROPIA DO FERRO PURO

Na temperatura ambiente, o ferro puro apresenta


estrutura cristalina cúbica de corpo centrado
(CCC), denominada ferrita alfa (α).
 A estrutura CCC do ferro (ferrita α) é estável até
912°C.
 Nesta temperatura a estrutura CCC sofre uma
transformação alotrópica para a estrutura cúbica
de faces centradas (CFC), denominada ferro
gama (γ) ou austenita.
 A austenita (CFC) é estável entre 912 e 1394° C.
 Na T=1394°C ocorre uma nova transformação
alotrópica na qual a estrutura CFC da austenita
transforma-se novamente em CCC, denominada
de ferrita delta (δ);
 A ferrita delta (δ) CCC é estável até a T= 1538°C,
que é a temperatura de fusão do Fe puro;
 Acima de 1538°C a estrutura CCC da ferrita δ
torna-se amorfa, sem ordenação cristalina,
caracterizando o estado líquido.
 O ferro líquido (L) é estável até T= 2880°C,
temperatura na qual este passa para fase vapor.
Ferrita delta
CCC

CFC
Austenita

CCC
Ferrita alfa
ALOTROPIA DO TITÂNIO
FASE 
 Existe até 883ºC
 Apresenta estrutura hexagonal compacta
 É mole
FASE 
 Existe a partir de 883ºC
 Apresenta estrutura ccc
 É dura
Alotropia do Carbono
 Os átomos de Carbono podem se unir de várias
formas diferentes, formando inúmeras substâncias,
a esta propriedade denominamos de Alotropia.
 O diamante, o grafite e o fulereno são alótropos do
carbono e se diferem pelo arranjo geométrico.
 Estas três formas são substâncias simples
formadas apenas por carbono;
 A grande diferença entre elas é a maneira como os
átomos ficam organizados nas moléculas, ou seja,
o rearranjo dos átomos.
 As três formas são compostas pelo mesmo
elemento (carbono), mas que devido ao rearranjo
dos átomos se transformam em substâncias com
propriedades completamente diferentes
Propriedades químicas dos
alótropos do carbono
 O grafite é a forma mais estável do carbono,
constitui um sólido macio e cinza; bom condutor de
calor e eletricidade; densidade = 2,25 g/cm3.
 O diamante é um isolante elétrico e térmico,
transparente e duro; É utilizado para ferramenta de
corte. Sua densidade é 3,51g/cm3.

 O fulereno, devido à sua forma tridimensional com


ligações insaturadas, apresenta propriedades
físicas e químicas únicas que podem ser
exploradas em várias áreas da bioquímica e da
medicina.
Obtenção das formas
alotrópicas do carbono

 O diamante (a natureza é responsável por este


processo).
 Grafite: Aquecendo um diamante até 1800 °C na
presença de oxigênio, ele se transforma
lentamente em grafite.
 Fulerenos surgiram em meados da década de
1980. Este alótropo do carbono foi sintetizado
pela primeira vez em 1985 através da
evaporação do grafite com raios laser.

Você também pode gostar