Você está na página 1de 20

SOBRE OS ABUSOS E

ESTUPROS...
Psicóloga Hananda Silva
Porque ainda precisamos falar sobre isso?

 O Brasil contabilizou mais de 66 mil casos de


violência sexual em 2018 o que corresponde a mais
de 180 estupros por dia
 É importante levar em consideração que o estupro
tem baixa notificação ou denúncia, por medo de
retaliação por parte do agressor, receio das vítimas
do julgamento, constrangimento e falta de
confiança nas instituições
Porque ainda precisamos falar sobre isso?

 Segundo relatório do Fórum Brasileiro de


segurança públicas, apenas 7,5% das vítimas de
violência sexual no Brasil notificam a polícia
Estatísticas

82% são do sexo feminino


54% tinha até 13 anos
7 anos é a idade em que meninos são mais vítimas
13 anos é a idade em que meninas são mais vítimas
76% dos autores são conhecidos das vítimas
Consequências a curto prazo

 Físicas: pesadelos e problemas com o sono, mudanças de hábitos


alimentares, perda do controle de esfíncteres.
 Comportamentais: consumo de drogas e álcool, fugas, conduta
suicida ou de autoflagelo, hiperatividade, diminuição de rendimento
escolar.
 Emocionais: medo generalizado, agressividade, culpa e vergonha,
isolamento, ansiedade, depressão, baixa autoestima, rejeição ao
próprio corpo.
 Sexuais: conhecimento sexual precoce e impróprio para a idade,
masturbação compulsiva, exibicionismo, problemas de identidade
sexual.
 Sociais: déficit em habilidades sociais, retração social,
comportamentos antissociais.
Consequências a longo prazo

 Físicas: dores crônicas gerais, hipocondria ou transtornos


psicossomáticos, alterações do sono e pesadelos constantes,
problemas gastrointestinais, desordem alimentar.
 Comportamentais: tentativa de suicídio, consumo de drogas
e de álcool, transtorno de identidade. Emocionais: depressão,
ansiedade, baixa autoestima, dificuldade para expressar
sentimentos.
 Sexuais: fobias sexuais, disfunções sexuais, falta de satisfação
ou incapacidade para o orgasmo, alterações da motivação
sexual, maior probabilidade de sofrer estupros e de entrar para
a prostituição, dificuldade de estabelecer relações sexuais.
 Sociais: problemas de relacionamento interpessoal,
isolamento, dificuldade de vínculo afetivo com os filhos.
O que é estupro?
 Estupro é qualquer ato sexual sem consentimento, com
emprego de violência ou grave ameaça.
 É todo o ato ou brincadeira sexual, relação hétero ou
homossexual, em que o agressor (adulto) tenha mais
consciência do que a criança ou do que o adolescente sobre o
que está fazendo. A intenção é estimular a criança ou o
adolescente sexualmente, bem como utilizá-las para obtenção
de satisfação sexual do abusador. Estas práticas eróticas e
sexuais são impostas à criança ou adolescente por meio da
violência física, de ameaças ou de induções de sua vontade.
(FIOCRUZ/ENS/CLAVES, 1994 – texto adaptado).
O que é estupro?
 Com menor de 14 anos, é considerado estupro de vulnerável
 Com contato físico ou sem contato físico
Você sabia que...
 fazer com que uma criança ou um adolescente assista a
filmes pornográficos ou presenciem relações sexuais ...
 fazer com que uma criança ou um adolescente vejam
adultos nus, revistas pornográficas, ou adultos se
masturbando...
 fotografar ou filmar crianças e adolescentes nus, em
posturas eróticas...
 ficar observando os genitais de crianças e adolescentes
para conseguir se excitar, mesmo que seja de forma
escondida, podendo assustá-la ou perturbá-la...
Você sabia que...
 falar sobre relações sexuais com crianças ou
adolescentes com a finalidade de se excitar ou de
deixá-los excitados...
 tocar ou acariciar os órgãos genitais de uma
criança ....
 ter relação sexual oral, anal ou genital com uma
criança

TUDO ISSO É ABUSO SEXUAL


O que fazer quando sei de algo?
 Se você tiver suspeita ou conhecimento de alguma criança
ou adolescente que esteja sofrendo violência, a sua atitude
deve ser denunciar! Isso pode ajudar meninas e meninos
que estejam em situação de risco. As denúncias podem ser
feitas a qualquer uma dessas instituições:
 Conselho Tutelar da sua cidade;
 Disque 100 (por telefone ou pelo e-mail
disquedenuncia@sedh.gov.br) – canal gratuito e anônimo;
 Escola, com os professores, orientadores ou diretores; •
Delegacias especializadas ou comuns;
 Polícia Militar, Polícia Federal ou Polícia Rodoviária Federal;
 Número 190; • Casos de pornografia na internet: denuncie em
www.disque100.gov.br
Exposição com roupas de vítimas de estupro

 A exposição foi realizada na Bélgica


 A mostra apresenta ao público
as roupas que vítimas de estupro usavam quando
foram atacadas, desconstruindo a ideia de que o
vestuário pode justificar a violência sexual.
Algumas roupas
Algumas roupas
Algumas roupas
Mitos e verdades
 Mito: Quem comete abuso sexual quase sempre é
homossexual.
 Verdade: Passa longe disso. Os autores de crimes sexuais
têm perfis muito distintos.
 Mito: Adolescentes que sabem o que estão fazendo não
são vítimas de exploração sexual.
 Verdade: Não é verdade. A legislação brasileira prevê que
crianças e adolescentes são indivíduos em “condição
peculiar de desenvolvimento”, sendo, portanto, vítimas em
qualquer situação de abuso ou exploração. O autor da
agressão tem inteira responsabilidade pela violência.
Mitos e verdades
 Mito: A criança muitas vezes inventa que sofreu violência
sexual.
 Verdade: Raramente a criança mente. Apenas 6% dos casos são
fictícios.

 Mito: Para denunciar uma violência contra crianças e


adolescentes, é preciso se identificar e ter certeza absoluta do
que viu.
 Verdade: De jeito nenhum. Há vários canais de denúncia em que o
anonimato é assegurado: é o caso do Disque 100 e dos conselhos
tutelares. Além disso, as denúncias podem se basear em suspeitas.
Como superar?
 É importante ressaltar que a denúncia é apenas uma das
ações necessárias. É necessário ter ações que visam a
melhoria dos sintomas e traumas deixados pelo
estupro/violência sexual:
 Aprenda a se defender
 Faça psicoterapia
 Encontre sua rede de apoio: amigos, namorados, família,
igreja, etc..
 Ajude outras pessoas que passaram pelo mesmo
 Cuide de si mesmo
 Não se culpe pelo que aconteceu
Como superar?
 Não tente aliviar a dor do abuso sofrido através de
meios como: álcool, drogas, comer compulsivamente,
automutilação.
 Tente usar a arte, o esporte ou outros meios de expressar
seus sentimentos e dores de uma forma mais saudável
 Trabalhar a resiliência frente à situação. Resiliência é
um processo que relaciona mecanismos de proteção que
não necessariamente eliminam os riscos, mas encorajam
a pessoa a se engajar na situação de superação.
Meus contatos

 Email: hanandapsicologa@gmail.com
 Instagram: @hanandapsicologa