Você está na página 1de 28

AULA DE TEORIA

DA
CONSTITUIÇÃO
Os conceitos de Constituição com base no Curso de
Direito Constitucional de Paulo Bonavides
A Constituição política: a Constituição do
Estado.
Material: conjunto de normas pertinentes à
organização do poder, a distribuição da
competência e ao exercício da autoridade, à forma
de governo, aos direitos da pessoa humana, tanto
individuais como sociais;
Não há Estado sem Constituição!

■ Aspecto material é o ■ E o aspecto formal?


aspecto sociológico, ■ Tem uma forma, um
político, real. corpo normativo; o
que se refere ao
sistema a que ela
pertence.
Sistema Formal e Rígido

■ Obedecem requisitos ■ Distinção entre a


para a sua criação e legislação ordinária
reforma. e legislação
constitucional.
A importância das Constituições escritas
e formais
■ As primeiras ■ Essas Constituições
Constituições exigem um processo
liberais, com base na solene e rígido de
Declarações de alteração de seu
Direitos. texto.
Quais os tipos de Constituição??

■ Rígidas; ■ Codificadas e legais;


■ Semi-rígidas; ■ Outorgadas;
■ Flexível; ■ Pactuadas;
■ Costumeiras e ■ Populares.
escritas;
As constituições: diferem-se pelo
conteúdo e forma:
 Flexível: não tem
requisito especial de
reforma.
■ Ex. Inglaterra; ■ As Constituições
costumeiras são
Constituições
próprias dos regimes
absolutistas
Constituições ■ Outorgadas: vontade
As legais: textos política do soberano, a
esparsos; ex. Francesa,
1875. Carta de Luís XVIII em
E as codificadas, fazem 1814, a monarquia
parte de um documento. francesa; a Constituição
imperial do Brasil, 1824;
As demais Constituições o Estatuto Albertino na
são habitualmente Itália em 1848; Arabia
codificadas.
Saudita, 1950.
Pactuadas: duas forças políticas:

■ A constituição francesa de ■ As constituições populares


1791; constitucionalismo traduzem a vontade do
inglês: Bill of Rights, povo, as chamadas
1689, Espanha, 1845 e constituições
1876; Grecia, 1844. democráticas. A ex. Das
constituições que surgiram
entre as duas grandes
guerras.
 As concisas: ■A teoria do poder
sucintas,
sumárias e Constituinte
básicas, ex: Originário e
Estados Unidos;
França, Chile; Derivado: como se
 As prolixas: a do caracteriza o poder
Império do Brasil, na Modernidade?
1946, 1969, 1988;
A substituição do poder decadente e
absoluto do Rei pela Razão Humana
■ De quem é a Soberania?
■ A titularidade do poder?
■ A expressão política e jurídica do poder:
soberania popular e nacional
O poder sempre existiu mas a teorização
dele não!
■ O fundamento absoluto; a teoria do poder; a filosofia política
iluminista, do contrato social, do pensamento mecanicista anti-
historicista e anti-autoritário do racionalismo francês, uma nova
concepção de sociedade.
■ Uma justificativa racional para o Estado Moderno de Direito.
■ A distinção entre o poder constituinte e os poderes constituídos:
promoveu o advento das Constituições rígidas e de limitação do
poder.
A soberania representativa: a vontade do
povo:
■ O poder despersonalizado;
■ O poder institucionalizado;
■ A legitimidade do poder estatal como poder soberano;
■ A grande distinção entre a auctoritas – poder legítimo
consentido e potestas – condensação material do poder.
■ A base de legitimação do Estado de Direito: criação racional
inspirada nos valores das liberdades humanas.
O poder constituinte: o povo e a nação

■ A obediência legítima e o comando da


sociedade;
■ O poder legítimo como poder institucionalizado,
poder despersonalizado é o alicerce de todo
Direito Constitucional Moderno;
"O Estado como fenômeno da ordem
jurídica".
■ A teoria do poder
constituinte empresta ■ Como teoria prende-
dimensão jurídica às se
instituições
indissociavelmente
produzidas pela
ao conceito de
razão humana.
Constituição formal.
O conceito de soberania representativa do povo: Sieyès:
Constituição Francesa de 1791 e alterada em 1793 por Rousseau.

■ Constituinte
As Constituições válidas e originário: político e
perfeitas: povo/nação
extrajurídico; o criador
■ Soberania popular x das Cartas
Constitucionais
soberania
parlamentar
E o derivado? Os
poderes constituídos?
■ Está inserido na Constituição; conhece
limitações tácitas e expressas; poder jurídico!!

■ Tem como objeto a "reforma" do texto


constitucional
Esse poder é em si mesmo transcendental?! Ou
apoia-se em seu titular?!?

■ Publicistas: ele é ■ O poder constituinte se liga


transcendente ao direito as crises e as rupturas do
positivo; é legítimo em si e poder;
não no titular;
■ Carl Schmitt: o poder é
revolucionário; outros ■ " o poder tem algo de
ligados à Restauração misterioso, sendo
Francesa: afirmam que é uma imprudente inquirir-lhe a
questão de fato; origem". Bastid.
Esse conceito revolucionário do poder leva-nos ao
conceito material de Constituição.

■ A sua existência independe de um contraponto jurídico;


■ Caracteriza o poder primário ou originário como poder
político, de fato,
■ O fato da tipicidade do poder não exclui a sua
legitimidade/legitimação.
Questões levantadas acerca do titular do
poder e seu exercício:
■ Titular?? ou ■ A Nação!!!
■ Titular legítimo?! ■ Poder constituinte:
instrumento para fazer valer
■ E qual é o exercício da a titularidade legitima da
titularidade?! Nação!!!
■ A soberania nacional:
legitima para reger o destino
dos povos;
O conceito de Nação:

■ Com base em Sieyès: a nação tem o direito


absoluto de mudar a Constituição, ela organiza o
Governo e o cria também! Produto do Direito
Positivo. Nunca, ela, pertencente ao estado de
natureza, obra do direito natural.
"O poder é o poder que tudo pode"

■ Não se "autolimita";
■ Livre de toda a coação!!
■ A constituição obriga os poderes constituídos,
não obriga o poder constituinte;
■ Mas esse mesmo poder se fará representativo.
O conceito jurídico do poder constituinte:
■ O poder constituinte atua
sempre atado ao Direito;
■ A forma representativa; ■ Na moldura de um
■ Não é um poder essencial; Ordenamento Jurídico;
■ A convenção: Assembléia ■ O primeiro, como poder
jurídico, é o poder constituinte
do Dto. Constitucional;
conforme a representatividade.
■ O segundo, como poder
constituinte extrajurídico da
Ciência Política;
A historicidade das Constituições: as
constituições novas derivam das
Constituição velhas: com base na
ordem jurídica
■ Os meios previstos ■ Todo poder
de mudança estão jurídico é
no próprio texto eminentemente
constitucional poder constituído
Assim, o poder extrajurídico das
Revoluções e Golpes de Estado, está
assentado no fato e não no Direito.

■ Qual é então a natureza do poder constituinte


constituído?! E qual é a sua extensão??
■ Constituinte Originário e Constituinte Derivado
■ O poder de primeiro grau e de segundo grau
 Soberania Nacional

■ Estado Liberal: revoluções XVIII;


■ Individualista;
■ Proteção dos Dtos Humanos;
■ Limites do poder;
 Soberania Popular
■ Versão francesa revolucionária;
■ Versão americana;
1. A primeira: distinção dos poderes: constituinte e
constituídos; A Constituinte é o povo;
2. As Convenções, assembléias de poderes
limitados; com aprovação do povo;
A titularidade do poder