Você está na página 1de 9

Sociologia

Industrialização do
Brasil até os anos 1950
Fases da industrialização brasileira

•1530 – 1808: período colonial, quando as indústrias estavam proibidas


•1808 – 1930: compreende a época joanina, o Primeiro e o Segundo
Reinado, e a Primeira República. Surgem as primeiras fábricas, mas o
café era o grande produto de exportação.
•1930 – 1956: alguns assinalam que nestas décadas se deu a Revolução
Industrial Brasileira. O governo Vargas passa a ser o grande investidor e
formador da indústria pesada no País.
•1956 – até os dias de hoje: começa com o estímulo à indústria de
automóveis por JK, a abertura da economia ao capital estrangeiro e a
globalização.
Início da
colonização

Capitanias hereditárias

Concentração de:
Terras
Capital
Poder
1ª fase: período colonial

Durante o período colonial, a metrópole


portuguesa proibia a manufatura, pois
os produtos iriam concorrer com os do
reino e, com o fortalecimento da
economia, a colônia poderia se tornar
independente, o que não interessava a
Portugal.
Modelo
econômico

Baseado em:

Latifúndio
Mão-de-obra escrava
Exportação de gêneros agrícolas
Transição
império - república

Impacto do fim da escravidão

Manutenção do modelo agrícola


Dificuldade de inserção dos ex-escravos
na transição para mão-de-obra livre.
Industrialização na Primeira República

Durante a Primeira República (1899-1930), verificamos a instalação de


tecelagens, montadoras de automóveis, fábricas de calçados, alimentos,
produtos de higiene e limpeza como sabão, etc. As condições de trabalho
eram duras com jornadas de 14 horas, seis dias na semana e o salário baixo.

Também a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) impulsou a industrialização


no Brasil. Com o conflito era inviável importar produtos manufaturados da
Europa e dos Estados Unidos e muitos artigos foram substituídos pela
fabricação local.
No entanto, o grande impulso industrial no Brasil ocorreria após a crise do
café e a de 29.
Getúlio Vargas

Nova (?) República

Continuidade da importância do café


Incentivo à industrialização (Ex: CSN e
indústria pesada)
Contexto de guerra
Juscelino Kubitschek 

Industrialização
 Crescimento da indústria de bens intermediários.
Indústria automobilística em detrimento do transporte ferroviário e a fabricação de
autopeças conheceu um grande impulso.
Abertura da economia brasileira ao capital estrangeiro.
Incremento industrial automobilístico de São Paulo, no ABCD paulista (Santo André, São
Bernardo do Campo, São Caetano do Sul e Diadema).
A construção de Brasília também garantiu o fomento da indústria nacional, pois era preciso
muito material para levantar a nova capital.

Você também pode gostar