Você está na página 1de 4

Maria Judite de Carvalho,

“George”
O diálogo entre realidade,
memória e imaginação
1. Em que medida é que no conto se
enceta um diálogo entre realidade,
memória e imaginação?
O diálogo entre realidade, memória e
imaginação surge no conto configurado de
duas formas: na aparição de Gi e no respetivo
confronto com a juventude e no diálogo com
Georgina e no confronto com a velhice. A
marcha do tempo é, assim, sintetizada no
afastamento progressivo da infância e na
aproximação à velhice da protagonista, George,
uma pintora reconhecida e conceituada.
2. De que forma se cruza no conto
memória e imaginação?

Quando a protagonista dialoga com Gi


recorre às memórias da sua juventude,
quando interage com Georgina, a mulher
idosa de 70 anos, perspetiva a sua vida futura.