Você está na página 1de 59

GEOGRAFIA-AULA 05 PEDOLOGIA

PROFESSOR: MARCUS RIOS


PEDOLOGIA
• A pedologia é um dos ramos científicos responsáveis por estudar
e compreender os solos, entendendo-os como um corpo
formado a partir da dinâmica natural ambiental. Contempla o
estudo integrado dos aspectos condicionantes para a formação
dos solos (pedogênese) tais como o clima, o relevo, as rochas e
os organismos vivos.
Os solos
• Os solos podem ser definidos como a superfície inconsolidada
que recobre as rochas e mantém parte do complexo biológico
do planeta. Os solos possuem elevada relevância ao sistema
ambiental, e em especial à sociedade. Estes são essenciais ao
desenvolvimento das bases elementares produtivas da
organização humana: a agricultura.
PEDOGÊNESE
• É o processo que ocorre
para a formação dos solos,
na qual alia os processos
físicos, químicos e,
posteriormente biofísicos
(processos intempéricos).
Para ocorrer a pedogênese, é necessária a existência de uma
rocha que sofrerá modificações devido aos processos atuantes.
Desta forma, os solos são resultados do intemperismo que atua
nas rochas, ou seja, pela desagregação mecânica ou
decomposição química e biológica do material de origem.
Nestas condições, os solos se constituem de agregados ou
partículas formadas por fragmentos minerais combinados com
diversas matérias (óxidos de ferro, matéria orgânica, por
exemplo).
As variáveis que condicionam o processo pedogenético de forma
interdependente e considerado como fatores de formação do
solo são: material de origem, clima, relevo, organismos vivos e
o tempo.
Material de origem
Pode ser de origem mineral (rochas) ou orgânica. Quando de
origem mineral estes são trabalhados ou retrabalhados para
originar os solos. Os de origem orgânica são constituídos pela
decomposição de vegetais ou animais e ocorrem em áreas
menos extensas do que as de origem mineral. Um mesmo
material de origem pode originar solos diferentes a depender
da intensidade e frequência dos agentes intempéricos que pode
ser condicionados por outros fatores de formação, como o
relevo.
Clima
• As variáveis climáticas mais importantes para ocorrência da
pedogênese são umidade e temperatura.

• A umidade através permeabilidade do solo e da intensidade e


freqüência das chuvas pode propiciar a lixiviação e o
empobrecimento das cartacterísticas minerais do solo.
• Lixiviação do solo é um processo erosivo ocasionado a partir da
lavagem da camada superficial do solo pelo escoamento das águas
superficiais de modo vertical. Em geral, ocorre em solos sem a
cobertura vegetal protetora, o que diminui, em elevado grau, a sua
fertilidade ao longo do tempo. Este processo pode causar a laterização
do solo.
Laterização é um processo no qual
o solo acumula grande quantidade de
óxidos hidratados de ferro ou alumínio,
o que modifica a sua composição e a
coloração, que se torna avermelhada,
com cor de ferrugem. É um processo
que decorre, especialmente,
o intemperismo químico, que é
ocasionado pela água das chuvas ou
irrigação.
• Já a TEMPERATURA
condiciona a
intensidade da atividade
microbiana e biológica
das reações físicas e
químicas de
desagregação e
decomposição das
rochas das rochas.
Relevo
Sua importância está,
principalmente, no
transporte da água a
depender da declividade.
Outro fator está associado
com a erosão do relevo
que pode alterar também
a configuração das
propriedades do solo.
Organismos
São um dos responsáveis pela
conversão de parte do material de
origem mineral em solos. Os líquens
que são microorganismos produzem
ácidos que degradam as rochas. As
raízes das plantas, as minhocas auxiliam
nas alterações químicas do solo
Tempo
Os processos de ocorrência
espacial também são de
ocorrência temporal. Desta
forma, entende-se que o tempo
determina a intensidade e
freqüência dos outros fatores de
formação do solo. A pedogênese
ocorre de forma dinâmica
através da dependência de
diversos eventos sendo que, que
são dependentes da
manifestação temporal de seus
acontecimentos.
UNIDADE DE ESTUDO DOS SOLOS
O perfil do solo se constitui na unidade básica de estudos dos
solos, pois, através de um corte vertical feito no solo, desde a
superfície até o material de origem, é possível efetuar uma
análise dos atributos e características do solo. As camadas do
perfil são conhecidas como horizonte. Cada horizonte possui
características físico-químicas distintas entre si e a cor é a
variável visual que permite observar diferenças, como a
espessura.
Evolução do solo
Horizontes do solo
TIPOS DE SOLO
Latossolos
• São solos minerais, não-hidromórficos (não
são saturados de água), geralmente
profundos, com mais de dois metros de
profundidade. Os horizontes de solo dos
Latossolos são pouco diferenciados, e
possuem colorações geralmente escuras,
variando de vermelhos até amarelados. São
solos que possuem boa permeabilidade à
água, ou seja, promovem uma infiltração
quando há precipitação ou outra forma de
água presente. Como há a formação de argilas
neste solo, ele pode formar crostas
superficiais. Algumas práticas inadequadas
promovem problemas neste tipo de solo,
como o uso de queimadas, mas também a
criação de bovinos, os quais pisoteiam o solo.
Argilossolos
• O segundo tipo de solo mais comum no
Brasil são os Argissolos, ocupando cerca
de 19,98% do território brasileiro. Este
tipo de solo está bem distribuído no
Brasil, com uma leve predominância na
região Norte. São solos constituídos por
material mineral, onde a principal
característica é um horizonte de solo B
textural, o qual ocorre após algum
horizonte superficial. Este tipo de solo
apresenta um incremento de argila em
profundidade, justamente pela perda de
argila na parte mais superficial dele.
Neossolos
• O terceiro tipo mais comum de solos são os
Neossolos, com predominância no Nordeste, e
posteriormente no Sul do país. Os quais são solos
pouco espessos, e que não manifestam tão
claramente os processos formativos do solo, por
preservarem características da rocha originária,
ou ainda, por não serem tão afetados pelos
elementos formativos, como clima, relevo ou
tempo. Ocorrem em uma diversidade de
terrenos, desde áreas mais aplainadas até
relevos ondulados. Em sua maioria, apresentam
boas condições de fertilidade, aptos ao uso
agrícola, exceto nas áreas onde o relevo
prejudique tais atividades.
Massapé
• Sua formação é proveniente da decomposição de
rochas, como gnaisses escuros, filitos e calcários.
Possui elevada fertilidade, é de coloração escura,
quase preta e de textura argilosa. É encontrado
facilmente no litoral nordestino. No período
colonial, foi muito explorado na agricultura de cana-
de-açúcar.
• O massapé tem em sua composição uma elevada
presença de argila. Ele se forma através da
decomposição do granito, em regiões tropicais que
possuem estações seca e úmida bem definidas.
Terra Roxa
• É um solo extremamente fértil, possui uma
coloração avermelhada. É encontrado,
especialmente, na região Sul, oeste do
Estado de São Paulo, Mato Grosso do Sul,
sul de Minas Gerais e Goiás. A terra roxa é
resultado da decomposição de rochas
compostas de basalto, que tem origem
vulcânica. Isso prova que em um passado
remoto já houve derramamento de lavas
nas áreas citadas.
Solos do Cerrado
• O domínio morfoclimático do Cerrado é composto por diferentes
tipos de solos e formas de relevo, que estão relacionados tanto
com a composição climática quanto com a caracterização da
vegetação e de seu passado geológico. Em geral, os solos do
Cerrado caracterizam-se pela predominância dos Latossolos e
pela sua acentuada acidez (com pH que pode variar de menos de
4 a pouco mais de 5).
• A ausência de fertilidade dos solos do Cerrado foi resolvida na
agricultura por intermédio da aplicação de técnicas específicas,
como a calagem (correção da acidez por meio do calcário),
a adubação fosfatada, a adubação potássica e outras.
• Na segunda metade do século XX, com o advento das
transformações técnicas proporcionadas pela Revolução Verde,
o uso do solo no Cerrado tornou-se mais intenso, contribuindo
para a expansão da fronteira agrícola, o que, por um lado,
ampliou a produtividade do país no campo, mas, por outro,
contribuiu para o notável desmatamento da vegetação original.
Outros tipos de solo
• Eluviais: quando os solos se formam por rochas encontradas no mesmo local
da formação, ou seja, quando a rocha que se decompôs e se alterou para a
formação do solo se encontra no mesmo local do solo;
• Aluviais: quando os solos foram formados por rochas localizadas em outros
lugares. Graças à ação das águas e dos ventos, os sedimentos foram
transportados para outro local.
• Tchernozion: encontrado principalmente na Argentina e Ucrânia. É muito
utilizado para o cultivo de trigo. É um solo de cor escura com grande
concentração de matéria orgânica.
• Loess: encontrado, principalmente, na China (vale do rio Hoang-Ho), Holanda
e França. É formado a partir da deposição de sedimentos trazidos pela ação
do vento (Aluvial). Grande parte da produção de arroz chinesa é proveniente
desta área.
CONSEQUÊNCIAS AMBIENTAIS DA DEGRAÇÃO
DO SOLO
A degradação do solo possui sua gênese através da ação da
erosão, que é um fenômeno natural. O que está acontecendo
nas últimas décadas é a aceleração do ritmo da erosão pelas
atividades da sociedade. A expansão de áreas para o
desenvolvimento da agricultura e a expansão para a ocupação
urbana através, respectivamente, da eliminação da capa
superficial do solo e da ausência de planejamento são fatores
que contribuem para a degradação do solo.
Retirada da cobertura vegetal
Desertificação
• Entende-se por desertificação o fenômeno de empobrecimento
e diminuição da umidade em solos arenosos, localizados em
regiões de clima subúmido, árido e semiárido. Ela pode ser
causada tanto por ações da natureza, como mudanças periódicas
de climas, quanto pela ação humana. No Brasil, esse processo
ocorre, majoritariamente, nas regiões Nordeste e
Sul (Arenizaão).
• Na região Nordeste do
Brasil, estima-se que cerca
de 230 mil km² já estejam
desertificados, Dentre os
estados nordestinos que
mais sofrem com a
desertificação, destaca-se o
Piauí, que já possui 71% do
seu espaço agrário tomado
pela infertilidade de seus
solos.
Salinização
• A salinização consiste no processo de aumento dos sais minerais
existentes, a ponto de afetar a produtividade dos solos de uma
determinada região, sendo mais comuns em áreas de clima árido e
semiárido, onde as taxas de evaporação são muito acentuadas.
• A salinização está relacionada com a prática da irrigação que se utiliza
de água com elevado teor de sais. Assim, com a evaporação da água,
os sais acumulam-se no solo e aumentam a sua salinidade. Outras
causas possíveis para a salinização são a elevação acentuada do nível
freático e a evaporação de águas salgadas ou salobras acumuladas de
mares, lagos e oceanos.
Poluição direta e contaminação
• A poluição direta ou contaminação consiste na alteração química
da composição dos solos, tornando-os, muitas vezes, inférteis.
Trata-se de um problema eminentemente antrópico e causado
pelo uso excessivo de agrotóxicos, defensivos e fertilizantes na
agricultura e também pela infiltração de materiais orgânicos
poluentes em áreas de lixões, aterros sanitários e até em
cemitérios, onde há uma elevada taxa de formação de chorume.
Questões
Questão 01. UEFS – 2009). Quanto aos fatores responsáveis pela degradação
do solo, pode-se afirmar:

a) A lixiviação é um fenômeno essencialmente natural e mais intenso nas


regiões semiáridas, onde a degradação pela perda de nutrientes se processa
de forma acelerada.
b) A acidificação do solo, apesar de ser um problema provocado exclusivamente
pela ação antrópica, não compromete a fertilidade para a prática agrícola.
c) A ocupação humana ainda constitui a melhor forma de conter os
deslizamentos de encostas íngremes decorrentes da erosão laminar.
d) A laterização é um processo de diagênese do solo, podendo ocorrer
naturalmente ou resultar de ações antrópicas.
e) A erosão de ravinamento pode atingir o lençol freático em áreas de
topografia plana e suave, caso a superfície do solo seja desnuda.
Questão 01. UEFS – 2009). Quanto aos fatores responsáveis pela degradação
do solo, pode-se afirmar:

a) A lixiviação é um fenômeno essencialmente natural e mais intenso nas


regiões semiáridas, onde a degradação pela perda de nutrientes se processa
de forma acelerada.
b) A acidificação do solo, apesar de ser um problema provocado exclusivamente
pela ação antrópica, não compromete a fertilidade para a prática agrícola.
c) A ocupação humana ainda constitui a melhor forma de conter os
deslizamentos de encostas íngremes decorrentes da erosão laminar.
d) A laterização é um processo de diagênese do solo, podendo ocorrer
naturalmente ou resultar de ações antrópicas.
e) A erosão de ravinamento pode atingir o lençol freático em áreas de
topografia plana e suave, caso a superfície do solo seja desnuda.
Questão 02. UEFS – 2001.1). Com base no conhecimento sobre solos,
pode-se afirmar:
a) Os elementos fundamentais na composição do solo são os minerais e
a matéria orgânica.
b) A decomposição e a desintegração das rochas pela ação dos agentes
físicos, químicos e biológicos são de erosão.
c) Os solos das paisagens naturais ou pouco modificados pela ação
antrópica são, em geral, pouco resistente à erosão.
d) Os horizontes mais inferiores do solo são os mais ricos em matéria
orgânica.
e) Os solos nas regiões de clima mais úmido são pouco espessos e ricos
em sais minerais.
Questão 02. UEFS – 2001.1). Com base no conhecimento sobre solos,
pode-se afirmar:
a) Os elementos fundamentais na composição do solo são os minerais e
a matéria orgânica.
b) A decomposição e a desintegração das rochas pela ação dos agentes
físicos, químicos e biológicos são de erosão.
c) Os solos das paisagens naturais ou pouco modificados pela ação
antrópica são, em geral, pouco resistente à erosão.
d) Os horizontes mais inferiores do solo são os mais ricos em matéria
orgânica.
e) Os solos nas regiões de clima mais úmido são pouco espessos e ricos
em sais minerais.
Questão 03. UEFS 2016.1
Sua biodiversidade é única em todo o mundo. Seus 844,4 mil quilômetros quadrados representam cerca
de 10% do território brasileiro. Apesar do clima, é pontilhada por “ilhas de umidade”, de solo
extremamente fértil. Vivem nesse bioma cerca de 1,2 mil espécies de plantas — 360 delas endêmicas
(que não ocorrem em nenhum outro lugar do planeta) — e outras tantas de mamíferos, aves, répteis e
anfíbios. Quanto à vegetação, as plantas são xerófilas, ou seja, adaptadas ao clima seco e à pouca
quantidade de água. Algumas armazenam água; outras possuem raízes superficiais para captar o
máximo das chuvas. Há as que contam com recursos para diminuir a transpiração, como espinhos e
poucas folhas. A vegetação é formada por três estratos: o arbóreo, com árvores de 8 a 12 metros; o
arbustivo, com vegetação de 2 a 5 metros; e o herbáceo, abaixo de 2 metros.
Os maiores problemas enfrentados pela região são a salinização do solo e a desertificação de grandes
áreas. (MAIS VIDA..., 2015. p. 81).

O bioma brasileiro descrito no texto é o


A) do Cerrado.
B) do Pantanal.
C) da Amazônia.
D) da Caatinga.
E) da Mata Atlântica.
Questão 03. UEFS 2016.1
Sua biodiversidade é única em todo o mundo. Seus 844,4 mil quilômetros quadrados representam cerca
de 10% do território brasileiro. Apesar do clima, é pontilhada por “ilhas de umidade”, de solo
extremamente fértil. Vivem nesse bioma cerca de 1,2 mil espécies de plantas — 360 delas endêmicas
(que não ocorrem em nenhum outro lugar do planeta) — e outras tantas de mamíferos, aves, répteis e
anfíbios. Quanto à vegetação, as plantas são xerófilas, ou seja, adaptadas ao clima seco e à pouca
quantidade de água. Algumas armazenam água; outras possuem raízes superficiais para captar o
máximo das chuvas. Há as que contam com recursos para diminuir a transpiração, como espinhos e
poucas folhas. A vegetação é formada por três estratos: o arbóreo, com árvores de 8 a 12 metros; o
arbustivo, com vegetação de 2 a 5 metros; e o herbáceo, abaixo de 2 metros.
Os maiores problemas enfrentados pela região são a salinização do solo e a desertificação de grandes
áreas. (MAIS VIDA..., 2015. p. 81).

O bioma brasileiro descrito no texto é o


A) do Cerrado.
B) do Pantanal.
C) da Amazônia.
D) da Caatinga.
E) da Mata Atlântica.
Questão 04. UEFS 2017.2 Geotêxtil confeccionado com fibra de buriti

Após a ocorrência de 1 087 mm de chuva, foram armazenados em D1 e em D2, respectivamente, 19 778


g/m2 e 1 317 g/m2 de sedimentos. Avaliando o resultado encontrado e considerando conhecimentos
acerca da conservação dos solos, é correto afirmar que

(A) o escoamento subsuperficial foi menor no solo exposto.


(B) o escoamento superficial foi menor no solo exposto.
(C) o intemperismo físico foi menor no solo com o geotêxtil.
(D) o intemperismo químico foi maior no solo com o geotêxtil.
(E) o escoamento superficial foi maior no solo exposto.
Questão 04. UEFS 2017.2 Geotêxtil confeccionado com fibra de buriti

Após a ocorrência de 1 087 mm de chuva, foram armazenados em D1 e em D2, respectivamente, 19 778


g/m2 e 1 317 g/m2 de sedimentos. Avaliando o resultado encontrado e considerando conhecimentos
acerca da conservação dos solos, é correto afirmar que

(A) o escoamento subsuperficial foi menor no solo exposto.


(B) o escoamento superficial foi menor no solo exposto.
(C) o intemperismo físico foi menor no solo com o geotêxtil.
(D) o intemperismo químico foi maior no solo com o geotêxtil.
(E) o escoamento superficial foi maior no solo exposto.
Questão 05. UEFS 2017.1

I.
É um solo quimicamente fértil e com elevada quantidade de matéria orgânica, tem alta
produtividade agrícola, sendo muito utilizado para o plantio de trigo.
II.
Solo formado pela deposição de sedimentos carregados pelo vento, sendo que, na China, é
intensivamente utilizado para produção de arroz.
III.
Solo argiloso e de elevada fertilidade química natural, sendo a presença da argila importante para
regular a drenagem e, consequentemente, evitar a perda de nutrientes.

A alternativa que corresponde ao nome dos solos caracterizados em I, II e III, respectivamente, é a


01) Latossolo vermelho / eluvial / terra roxa.
02) Humífero / podizol / salino.
03) Tchernozion / loess / massapê.
04) Aluvial / arenoso / litossolo.
05) Zonal / hidromórfico / latossolo preto.
Questão 05. UEFS 2017.1

I.
É um solo quimicamente fértil e com elevada quantidade de matéria orgânica, tem alta produtividade
agrícola, sendo muito utilizado para o plantio de trigo.
II.
Solo formado pela deposição de sedimentos carregados pelo vento, sendo que, na China, é intensivamente
utilizado para produção de arroz.
III.
Solo argiloso e de elevada fertilidade química natural, sendo a presença da argila importante para regular a
drenagem e, consequentemente, evitar a perda de nutrientes.

A alternativa que corresponde ao nome dos solos caracterizados em I, II e III, respectivamente, é a

01) Latossolo vermelho / eluvial / terra roxa.


02) Humífero / podizol / salino.
03) Tchernozion / loess / massapê.
04) Aluvial / arenoso / litossolo.
05) Zonal / hidromórfico / latossolo preto.
Questão 06. UEFS 2015.2

Com base nos conhecimentos sobre o intemperismo como raiz da transformação das rochas, os
solos e sua importância econômica, é correto afirmar:
A) Os horizontes dos solos não permitem identificar sua origem e idade.
B) A alteração das rochas sempre se verifica na formação de fragmentos, principalmente nos climas
intertropicais úmidos.
C) A Amazônia brasileira tende a melhorar seus solos com o avanço do desmatamento, uma vez que
a camada superficial rica em húmus está assentada em uma camada compacta.
D) A queimada limpa, incorporando cinza orgânica, cupins, formigas e minhocas, é responsável pela
aeração e pelo aumento da fertilidade do solo.
E) A origem do solo está ligada ao intemperismo sobre as rochas, sendo fundamental para o
desenvolvimento das atividades agropecuárias e para a fixação dos grupos humanos.
Questão 06. UEFS 2015.2

Com base nos conhecimentos sobre o intemperismo como raiz da transformação das rochas, os
solos e sua importância econômica, é correto afirmar:
A) Os horizontes dos solos não permitem identificar sua origem e idade.
B) A alteração das rochas sempre se verifica na formação de fragmentos, principalmente nos climas
intertropicais úmidos.
C) A Amazônia brasileira tende a melhorar seus solos com o avanço do desmatamento, uma vez que
a camada superficial rica em húmus está assentada em uma camada compacta.
D) A queimada limpa, incorporando cinza orgânica, cupins, formigas e minhocas, é responsável pela
aeração e pelo aumento da fertilidade do solo.
E) A origem do solo está ligada ao intemperismo sobre as rochas, sendo fundamental para o
desenvolvimento das atividades agropecuárias e para a fixação dos grupos humanos.
Questão 07. UEFS 2015.1

Sobre o intemperismo, os solos e sua importância socioeconômica, é correto afirmar:

A) O intemperismo é a denominação dada pelos geólogos ao conjunto de processos químicos e


biológicos responsáveis pela integração das rochas.
B) O podzol é um solo típico das áreas de baixa latitude das regiões equatoriais, enriquecidas pela
presença de húmus e suas principais ocorrências estão na Amazônia brasileira e no Congo
belga.
C) O loess é constituído por grande variedade de sedimentos e materiais orgânicos, que são
transportados pelas águas, sendo que suas principais ocorrências estão na Patagônia
Argentina.
D) O desenvolvimento das pesquisas sobre a história da utilização dos solos aponta para sua
profunda importância para as práticas agrícolas.
E) O tchernoziom é um solo de granulação fina, de cor clara, e facilmente transportado pelos
ventos nas regiões de clima tropical.
Questão 07. UEFS 2015.1

Sobre o intemperismo, os solos e sua importância socioeconômica, é correto afirmar:

A) O intemperismo é a denominação dada pelos geólogos ao conjunto de processos


químicos e biológicos responsáveis pela integração das rochas.
B) O podzol é um solo típico das áreas de baixa latitude das regiões equatoriais,
enriquecidas pela presença de húmus e suas principais ocorrências estão na
Amazônia brasileira e no Congo belga.
C) O loess é constituído por grande variedade de sedimentos e materiais orgânicos,
que são transportados pelas águas, sendo que suas principais ocorrências estão na
Patagônia Argentina.
D) O desenvolvimento das pesquisas sobre a história da utilização dos solos aponta
para sua profunda importância para as práticas agrícolas.
E) O tchernoziom é um solo de granulação fina, de cor clara, e facilmente
transportado pelos ventos nas regiões de clima tropical.
Questão 08. UEFS 2014.1

Sobre o intemperismo como raiz das transformações das rochas e os solos, e sua
importância socioeconômica, é
correto afirmar:
A) Os solos azonais geralmente são maduros, providos de todos os horizontes, e
possuem baixa fertilidade.
B) O intemperismo age através de processos químicos, físicos e biológicos, que
ocasionam a desintegração e a decomposição das rochas.
C) O uso inadequado de produtos químicos na agricultura, os agrotóxicos, os
fertilizantes, os herbicidas e outros produtos industriais não provocam a perda da
fertilidade dos solos.
D) As técnicas de terraceamento e das curvas de nível, utilizadas para o plantation nas
encostas de morros e de terrenos inclinados, dos países tropicais, eliminam o
processo erosivo.
E) Os processos naturais, que formam novos solos, são inconstantes, apesar de muito
rápidos.
Questão 08. UEFS 2014.1

Sobre o intemperismo como raiz das transformações das rochas e os solos, e


sua importância socioeconômica, é correto afirmar:
A) Os solos azonais geralmente são maduros, providos de todos os horizontes, e
possuem baixa fertilidade.
B) O intemperismo age através de processos químicos, físicos e biológicos, que
ocasionam a desintegração e a decomposição das rochas.
C) O uso inadequado de produtos químicos na agricultura, os agrotóxicos, os
fertilizantes, os herbicidas e outros produtos industriais não provocam a
perda da fertilidade dos solos.
D) As técnicas de terraceamento e das curvas de nível, utilizadas para o
plantation nas encostas de morros e de terrenos inclinados, dos países
tropicais, eliminam o processo erosivo.
E) Os processos naturais, que formam novos solos, são inconstantes, apesar de
muito rápidos.
Questão 09. UEFS 2018.1
Foi projetado para proteger as sementes mais preciosas do mundo de qualquer desastre global e
garantir o abastecimento de alimentos da humanidade para sempre. Mas o Banco Mundial de
Sementes, enterrado em uma montanha no interior do círculo do Ártico, na Noruega, foi violado. “Não
estava em nossos planos pensar que o permafrost não estaria lá”, disse Hege Njaa Aschim,
representante do governo norueguês que possui o cofre.
(www.theguardian.com, 19.05.2017. Adaptado.)

O problema enfrentado na Noruega caracteriza um exemplo

(A) de aumento do nível médio dos oceanos, percebido na reconfiguração das terras emersas ocupadas
pelo homem.
(B) dos efeitos das mudanças climáticas globais, vistos na alteração de um solo que deveria permanecer
sempre congelado.
(C) de produção desigual do espaço, identificada na expectativa frustrada do governo em oferecer um local
seguro à humanidade.
(D) das fragilidades na geopolítica mundial, traduzidas no descumprimento de acordos pelo bem da
humanidade.
(E) de instabilidade econômica em áreas de fronteira, revelada na interrupção do projeto norueguês no
Ártico.
Questão 09. UEFS 2018.1
Foi projetado para proteger as sementes mais preciosas do mundo de qualquer desastre global e
garantir o abastecimento de alimentos da humanidade para sempre. Mas o Banco Mundial de
Sementes, enterrado em uma montanha no interior do círculo do Ártico, na Noruega, foi violado. “Não
estava em nossos planos pensar que o permafrost não estaria lá”, disse Hege Njaa Aschim,
representante do governo norueguês que possui o cofre.
(www.theguardian.com, 19.05.2017. Adaptado.)

O problema enfrentado na Noruega caracteriza um exemplo

(A) de aumento do nível médio dos oceanos, percebido na reconfiguração das terras emersas ocupadas
pelo homem.
(B) dos efeitos das mudanças climáticas globais, vistos na alteração de um solo que deveria permanecer
sempre congelado.
(C) de produção desigual do espaço, identificada na expectativa frustrada do governo em oferecer um local
seguro à humanidade.
(D) das fragilidades na geopolítica mundial, traduzidas no descumprimento de acordos pelo bem da
humanidade.
(E) de instabilidade econômica em áreas de fronteira, revelada na interrupção do projeto norueguês no
Ártico.