Você está na página 1de 25

Ministério do Meio Ambiente

Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental – SAIC


Departamento de Produção e Consumo Sustentável – DPCS

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS


SÓLIDOS E PRINCIPAIS DESAFIOS

Rio de Janeiro/RJ - 13 de julho de 2015

Seminário sobre Gestao de Resíduos na Ministério do


Adminsitraçao Pública Meio Ambiente
Política Nacional de Resíduos Sólidos
Lei 12.305/2010

Para ser adotada A PNRS reúne princípios, objetivos,


pela União instrumentos, metas e ações, assim como
isoladamente ou diretrizes relativas:
em parceria com
estados, Distrito À gestão integrada e ao gerenciamento
Federal e de resíduos sólidos;
municípios visando
a gestão integrada À responsabilidade dos geradores e do
e ambientalmente poder público; e
saudável dos
resíduos sólidos Aos instrumentos econômicos
aplicáveis
Deve articular com outras políticas do Governo:

Política Federal
de Saneamento
Básico
Lei nº
Política Nacional
11.107/05
de Educação
Consórcios
Ambiental
Públicos

PNRS
Princípios da PNRS

I - a prevenção e a precaução;
II - o poluidor-pagador e o protetor-recebedor;
III - a visão sistêmica
IV - o desenvolvimento sustentável;
V - a ecoeficiência;
VI - a cooperação;
VII - a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos;
VIII - o reconhecimento do resíduo sólido reutilizável e reciclável como um
bem econômico e de valor social, gerador de trabalho e renda e promotor
de cidadania;
IX - o respeito às diversidades locais e regionais;
X - o direito da sociedade à informação e ao controle social;
XI - a razoabilidade e a proporcionalidade.
Responsabilidade Compartilhada pelo ciclo de vida
dos produtos

Um conjunto de atribuições individualizadas e encadeadas dos:

• FABRICANTES COM O OBJETIVO DE:


• IMPORTADORES • Minimizar o volume de
resíduos sólidos e
• DISTRIBUIDORES
rejeitos gerados;
• COMERCIANTES • Reduzir os impactos
causados à saúde
• CONSUMIDORES humana e à qualidade
• TITULARES DOS SERVIÇOS ambiental
PÚBLICOS DE LIMPEZA URBANA E
Decorrentes do ciclo de
DE MANEJO DE RESÍDUOS SÓLIDOS
vida dos produtos
(MUNICÍPIOS)
Ordem de prioridadade na gestão e no gerenciamento de
resíduos sólidos:

A essência da Política Nacional de Resíduos Sólidos

Tratamento
Não Geração Reutilização dos RESÍDUOS
SÓLIDOS
Disposição final
ambientalmente
Redução Reciclagem
adequada dos
REJEITOS
IMPORTANTE QUANTO A DISPOSIÇÃO FINAL:

REJEITOS:
RESÍDUOS SÓLIDOS: Resíduos sólidos
material, substância, Definições da PNRS: que, depois de
objeto ou bem esgotadas todas as
descartado resultante possibilidades de
de atividades tratamento e
humanas em Rejeito recuperação por
sociedade, a cuja processos
destinação final se tecnológicos
procede nos estados disponíveis e
sólido ou semissólido, Resíduos economicamente
gases contidos em Sólidos viáveis, não
recipientes e líquidos apresentem outra
cujas particularidades possibilidade que
tornem inviável o seu não a disposição
lançamento na rede final
pública de esgotos ou ambientalmente
em corpos d’água adequada
Contexto atual da gestão de resíduos sólidos no Brasil

PROBLEMAS RELATADOS NA GESTÃO E NO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS


SÓLIDOS

1 – Priorização histórica do trabalho de


2 - Os hábitos culturais de produção e
coleta sobre as atividades de reciclagem e
consumo da sociedade (necessidade de
disposição final ambientalmente
melhoria da educação ambiental).
adequada.

3 - A falta de capacidade técnica, 4 - A falta de informações técnicas


institucional e financeira dos titulares na consistentes e suficientes para a
Gestão dos RS (municípios). formulação de políticas públicas de gestão
de resíduos sólidos a nível municipal.

6 - A coleta seletiva é praticada em 2051


5 - Em média, 50% do lixo produzido no
municípios ou 37% do total de municípios no
Brasil é composto de matéria orgânica e é
Brasil (principalmente nas regiões Sul e
enviado para aterros sanitários ou lixões.
Sudeste).
PNRS – principais instrumentos

Plano de Resíduos Sólidos

Educação Ambiental

Coleta seletiva, sistemas de logística reversa e outras ferramentas relacionadas à


implementação da responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos

Incentivo à criação e ao desenvolvimento de cooperativas ou de outras formas de


associação de catadores de materiais recicláveis e reutilizáveis

Sistema Nacional de Informações sobre Resíduos Sólidos (SINIR)

Incentivos fiscais, financeiros e creditícios


PRINCIPAIS RESULTADOS ESPERADOS NA
PNRS

Ministério do
Meio Ambiente
ESPERADO

 Disposição ambientalmente adequada dos rejeitos até 02 de agosto de


2014 (art. 54, Lei 12.305/10);

 Elaboração dos Planos Estaduais de Resíduos Sólidos até 02 de agosto


de 2012 (art. 16 e 55, Lei 12.305/10);

Elaboração dos Planos Municipais de Resíduos Sólidos até 02 de agosto


de 2012 (art. 18 e 55, Lei 12.305/10);

 Elaboração e divulgação do Plano Nacional de Resíduos Sólidos, em até


180 dias a partir da publicação do Decreto 7.404/10 (art. 47, Decreto
7.404/10);

 Implantação do Sistema Nacional de Informação sobre Resíduos Sólidos


– SINIR até 23 de dezembro de 2012 (art. 41, Decreto 7.404/10).
Realizado – Disposição Final
Realizado – Disposição Final
Realizado – Disposição Final
Realizado – Planos Estaduais
Realizado – Planos Municipais
Realizado – Plano Nacional
Realizado – SINIR

Versão 1.0 concluída – 1,5 milhões investidos


PRINCIPAIS DESAFIOS

Ministério do
Meio Ambiente
COLETA SELETIVA
CATADORES

Inclusão Socioeconômica – contratação dos catadores com dispensa de


licitação já se encontra prevista no art. 44 do decreto n° 7.404/2010, nos
termos do inciso XXVII, do art. 24 da Lei n° 8.666, de 21 de junho de 1993.
LOGÍSTICA REVERSA

É um instrumento de desenvolvimento econômico e social que permite a coleta do


que foi consumido e sua restituição ao setor empresarial, para reaproveitamento no
mesmo ciclo produtivo ou em outros ciclos. Trata-se do caminho de volta que o
produto percorre, após ser vendido e consumido.
Logística Reversa Obrigatória
OBRIGADA!!!!

Ana Carla L. de Almeida


ana.almeida@mma.gov.br
61 – 20281500

http://www.mma.gov.br/responsabilidade-socioambiental/a3p