Você está na página 1de 8

1.

INTRODUÇÃO
 A especificidade do objeto de estudo da
filosofia;
 A necessidade de conhecer o cânon
filosófico;
 A identificação dos gêneros textuais em
filosofia;
 A formulação de problemas filosóficos.
 
2. A ESPECIFIDADE DA
FILOSOFIA
 A produção filosófica não utiliza experimentos. Suas
ferramentas de conhecimento são o raciocínio e o discurso;
 A filosofia utiliza a observação do mundo e dos
acontecimentos para refletir;
 Mesmo sendo uma ciência teórica, ela pode diversas técnicas
e servir dos estudos das demais ciências;
 A produção filosófica se serve bastante da capacidade de
raciocínio, de organização de ideias, da observação crítica da
sociedade e do mundo
 A filosofia se difere das demais ciências porque ela trabalha
com respostas de origens das coisas.
 São especulações anteriores ao uso das coisas, à
manipulação dos objetos como fazem as ciências naturais.
3. O CÂNON FILOSÓFICO
 A pesquisa em filosofia toma como referência a tradição do
pensamento ocidental.
 Desde a antiguidade grega, certos textos tornaram-se
referências na formação dos novos filósofos.
 O modo de Platão de construir o discurso filosófico é um dos
primeiros métodos registrados do fazer filosófico.
 A pesquisa em filosofia exige uma habilidade que é comum a
todas as ciências, a habilidade de interpretar textos.
 A aprendizagem da filosofia depende da leitura dos clássicos.
4. OS GÊNEROS TEXTUAIS
 A compreensão dos diferentes gêneros textuais utilizados na
literatura filosófica é importante.
 Há diversos gêneros como o tratado, o diálogo, o romance, a
autobiografia, os aforismas.
 O ensino e aprendizagem de filosofia não pode se restringir
ao método histórico.
 A tradição é referência para a produção filosófica ao lado do
desenvolvimento da reflexão do estudante não pode ficar
esquecido.
MÉTODO HISTORIOGRÁFICO-REFLEXIVO-
CONTEXTUAL

Um método historiográfico-reflexivo-contextual
procuraria ler e interpretar os clássicos da filosofia ao
mesmo tempo em que ele ensina a produzir filosofia
pela reflexão e pela necessidade do contexto de cada
comunidade acadêmica.
5. QUESTÕES PRÁTICAS
 A aprendizagem de filosofia exige uma concentração
individual em cima de leitura e de anotações.
 Não se aprende filosofia sem contato com os textos
filosóficos de relevância do cânon.
 A primeira habilidade requerida é ler e interpretar. Depois é
necessário desenvolver a capacidade de argumentar.
 Além da leitura, a argumentação se desenvolve pela prática
da discussão em grupos.
 Cada área da filosofia se ocupa de problemas específicos. É
importante aprender a identificá-los.