Você está na página 1de 25

Universidade Federal do Maranhão – UFMA

Centro de Ciência agrárias e ambientais – CCAA


Unidade Acadêmica de Engenharia Agrícola - UAEA

Conceitos e Princípios Básicos


da Experimentação

Prof. Patrício Gomes Leite

Chapadinha 2021
DISCIPLINA
PLANEJAMENTO EXPERIMENTAL
Carga horária: 60 horas-aula
Ementa
Conceitos básicos: Princípios. Planejamento de experimentos. Análise de resultados experimentais.
Análise de variância. Testes de comparações múltiplas. Delineamentos experimentais: Inteiramente
casualizado, blocos ao acaso, quadrado latino. Experimentos fatoriais. Parcelas subdivididas.
Tratamentos de dados quantitativos.
Bibliografia Básica
BARBIN, Décio. Planejamento e analise estatística de experimentos agronômicos. Arapongas, Pr:
Midas, 2003. 194.
TRIOLA, Mário F. Introdução a estatística. 10. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2008. 696 p.
BANZATTO, David Ariovaldo; KRINKA, Sérgio do Nascimento. Experimentação agrícola. 4.ed.
Jaboticabal: Funep, 2006. 237p.
VIEIRA, Sônia. Introdução a bioestatística. 3.ed. Rio de Janeiro: Campus, 1985. 293p.
ZIMMERMANN, F. J. P. Estatística Aplicada à Pesquisa Agrícola. 1 Ed. Embrapa Arroz e Feijão, 2004.
402 p.
Conceitos
 Estatística Descritiva: trata da coleta, da organização,
classificação, apresentação e descrição dos dados de
observação.

 Amostra: é um subconjunto e deve ser selecionada de acordo


com algum critério para que possa ser representativa da
população.

3
Medidas Descritivas Básicas

Medidas de Posição ou Medidas de


Tendência central Dispersão

Desvio Variância
Média Moda
padrão

Mediana Coeficiente
de Variação

4
Desvio Padrão
 Simbologia:
 σ = população
 S = amostra
 É uma das medidas mais úteis da variação de um grupo
de dados.
 A vantagem do desvio padrão sobre a variância, é que
este permite uma interpretação direta da variação do
grupo, pois o mesmo é expresso na mesma unidade de
medida em que estão expressas as variáveis amostradas.

5
Variância
 Simbologia:
 σ² = população
 S² = amostra
 A variância é o desvio padrão elevado ao quadrado,
então, é calculado por:

S² = (S)²

6
Coeficiente de Variação (CV)

É uma medida de dispersão relativa, utilizada quando se deseja


comparar a variação de conjunto de dados que apresentem
diferentes unidades de medição e ou tamanhos diferentes, pois o
coeficiente de variação independe da unidade de medida dos dados.

É expresso sempre em porcentagem (100%)

Fórmula: CV =
S
. 100
X
7
Introdução
Objetivo da Experimentação
 Tomar decisões baseados em observações do fenômeno que se está estudando.
Temos que decidir se um novo método que está sendo proposto é melhor do
que métodos já utilizados.
 Escolher entre um conjunto de alternativas quais devem continuar ou quais
devem ser desprezadas. Para tomar tais decisões, necessitamos estabelecer
critérios. Através de técnicas estatísticas como um suporte à tomada de
decisão.
Introdução
 emprego da Experimentação

 Para se avaliar o comportamento de cultivares quanto aos caracteres


agronômicos, como produtividade, acamamento, altura, precocidade, etc,
são realizados ensaio (experimentos) comparativos;
 As análises são realizadas com objetivo de reduzir o efeito ambiental,
que pode ser devido a fatores como heterogeneidade de solo, umidade,
temperatura, dentre outros.
 Conceitos básicos
 Experimentação: é uma parte da estatística que tem por objetivo o estudo
dos experimentos.

Planejamento

Coleta e Análise
Execução dos dados

Interpretação dos resultados


 Conceitos básicos

 Experimento: trabalho previamente planejado que segues determinados


princípios básicos e no qual faz a comparação dos efeitos dos tratamentos;
 Tratamento: trata-se do fator, o método, elemento ou material cujo efeito
desejamos comparar em um experimento.

Exemplos
 Conceitos básicos

 Parcela: é a unidade no experimento que vai receber o tratamento. As


parcelas irão fornecer os dados experimentais;
 Área útil: corresponde a área onde serão coletados os dados para as
análises;
 Bordadura: área experimental com a finalidade de evitar o efeito da
interferência entre tratamentos situados em parcelas vizinhas.
Área útil
 Conceitos básicos

Bordadura

Bordadura
 Conceitos básicos

 Erro experimental: variações que ocorrem no experimento devido a fatores


não controlados, conhecidos ou não, que afetam os resultados experimentais;
 Delineamento experimental: forma de dispor as parcelas no experimento
(DIC, DBC, DQL).
 Princípios básicos

Repetição Casualização Controle local

Reduzir efeito do
ambiente
 Princípios básicos

 Repetição: número de vezes que o tratamento aparece no experimento;


 É de uso obrigatório;
 Simbolizado por r.
 Finalidade: possibilita a estimação do erro experimental Melhora a
precisão do experimento
 Princípios básicos

 Fatores que interferem no Nº de repetições:


 Nº de tratamentos
 Disponibilidade de material e área
 Princípios básicos

Sem repetição

Com repetição
 Princípios básicos

 Casualização: é a distribuição aleatória dos tratamentos nas parcelas


experimentais.
 É de uso obrigatório;
 Proporciona a todos os tratamentos a mesma probabilidade de serem
designados a qualquer uma das parcelas;
 Evita que um ou mais tratamentos seja sistematicamente favorecido ou
prejudicado por algum fator.
 Finalidade: distribuição independente do erro experimental;
 Princípios básicos

 Princípio do Controle na Casualização Só é recomendado quando as


unidades experimentais não são ou não estão sob condições homogêneas
devido a influência de um ou mais fatores;
 Princípios básicos
Exemplo: mancha de solo (fertilidade) na experimentação

Exemplo: área com declive.


 Princípios básicos

Sem Casualização

Com Casualização
 Princípios básicos

 Controle local: consiste em distribuir os tratamentos no campo em área


homogêneas, ou seja subáreas chamadas blocos.
 Não é obrigatório.

 Finalidade: dividir um ambiente heterogêneo em subambientes


homogêneos. Ele torna o experimento mais eficiente, pois reduz o erro
experimental.
 Princípios básicos

Sem repetição, sem


casualização, sem controle
local:

Com repetição, com


casualização, com controle
local:
Obrigada e até a próxima aula!

Você também pode gostar