Você está na página 1de 15

Cap.

1 - Introdução à
SOTERIOLOGIA

Soteriologia
Lélio Lellis

D
Cap. 1 - Introdução à SOTERIOLOGIA

I – QUESTÕES ESSENCIAIS

1. O que (Ontologia), porque (Epistemologia),


para que (Teleologia), como (Metodologia).

2. Sobre a Soteriologia:
2.1 O que é? (Conceito).
2.2 Por que estudá-la? (Fundamento).
2.3 Para que estudá-la? (Finalidade)
2.4 Como estudá-la? (Procedimento).
Cap. 1 - Introdução à SOTERIOLOGIA

II – CAMINHOS PARA UMA RESPOSTA


1. O enfoque pseudo-científico
(ceticismo naturalista / empirista).

2. O enfoque antropológico
(acomodação cultural).

3 O enfoque teológico:
a) Fé emocional (sensorialismo místico);
b) Fé racional (Bíblica).
Cap. 1 - Introdução à SOTERIOLOGIA

III – FUNDAMENTOS EPISTEMOLÓGICOS


1. Prisma cético naturalista / empirista –
a) Noção: Só é possível conhecer através da
observação científica os objetos e sujeitos do
mundo natural (Incognoscibilidade do
sobrenatural). Só há “salvação” para a
humanidade por meio da ciência. A existência
é aqui e agora.
b) Inutilidade (científica) da Teologia, de Deus,
da Bíblia e do Plano da Salvação.
A Filosofia se ocupa da ética e da moral.
Cap. 1 - Introdução à SOTERIOLOGIA

2. Prisma antropológico –
a) Noção: Apenas é possível conhecer a ideia
fenomênica expressa pelo ser humano sobre
Deus e salvação, no contexto existencial
cultural. Salvação como ideia humanística é
universal na oferta e no recebimento.
b) Inutilidade (moral e ética) de se buscar conhecer
sobre a ideia de Deus e da salvação religiosa.
Para o “paraíso” na terra aqui e agora, é suficiente
a moralidade, que é subjetiva (tolerância e
relativismo), a ética enquanto objetiva e usar a
coercibilidade para humana.
Cap. 1 - Introdução à SOTERIOLOGIA

3. Prisma teológico –
a) Fé emocional:
a1. Noção: é a esperança irracional, não-cognitiva e subjetiva,
mística em qualquer tipo subjetivo de salvação;
a2. Inutilidade da fé racional, da revelação divina cognitivo-
objetiva e do Plano da Salvação expresso pela Bíblia.
Resultados: ecumenismo, salvação de todos;
b) Fé racional:
b1. Noção: É possível conhecer sobre Deus por
meio de Sua (auto)revelação (cognitiva e objetiva).
b) Utilidade: A Soteriologia é útil para o conhecimento do
Plano da Salvação do ser humano concebido
e realizado por Deus, contado em Sua Palavra.
* 2 Tm 3:15-17; Hb 1:1-3; 8:1-6.
Cap. 1 - Introdução à SOTERIOLOGIA

IV – PRESSUPOSTOS SOTERIOLÓGICOS
1. Atributos de Deus:
a) Pensamento bíblico:
temporalidade, pessoalidade, atuação direta na
história humana [o oposto da tradição Católico-Romana
e Protestante fundadas no pensamento grego defensor da
impessoalidade, atemporalidade, atuação indireta na
história humana como atributos de Deus];
Cap. 1 - Introdução à SOTERIOLOGIA

2. Qualidades do Universo e do ser humano:


a) Pensamento bíblico:
Ser humano é unidade corpórea (natureza
pecaminosa que será restaurada), que contém
mente e corpo não há dicotomia opositora
entre o material e o espiritual; há perfeição
no universo sem pecado, que contém matéria
e temporalidade [Significativas diferenças ante a
tradição Católico-Romana e Protestante, fundadas
no pensamento grego pagão].
Cap. 1 - Introdução à SOTERIOLOGIA

3. A comunicação divina com a humanidade


(procedimentos de revelação-inspiração):
3.1 A revelação segundo a Bíblia:
a) Revelação geral (por meio da natureza,
da consciência e da história);
b) Revelação especial (através da Bíblia e de
Cristo);
c) Modo de ação do Altíssimo: pessoal
(fala, sonho, visão e ação criadora e atuação
na história).
Cap. 1 - Introdução à SOTERIOLOGIA

3.2 Fontes do conhecimento teológico:


a) Pensamento Adventista do Sétimo Dia (bíblico):
a1. A Bíblia e Jesus Cristo (princípios Sola
Scriptura e Tota Scriptura ).
* Função dos Escritos de EGW; (luz menor
a guiar para o entendimento da luz maior)
a2. Pensamento Católico e Protestante:
Bíblia (Prima Scriptura), tradição, Filosofia,
experiência.
* Alegação versus realidade das fontes de
conhecimento teológico no Protestantismo.
Cap. 1 - Introdução à SOTERIOLOGIA

3.3 A inspiração divina:


a) Teoria da inspiração histórico-cognitiva:
Inspiração do profeta/apóstolo e seus atos, que
alcança suas palavras, por união do divino com
o humano respeitadora da individualidade na
forma de expressão do inspirado e o contexto
histórico em que vive.
* Resultado: confiabilidade da Bíblia [autoridade
do seu conteúdo, todo ele
salvífico 9At + NT)];
Cap. 1 - Introdução à SOTERIOLOGIA

V – A SOTERIOLOGIA BÍBLICA
1. Aspectos conceituais elementares
a) Etimologia:
Palavra oriunda da junção dos vocábulos gregos
σωτήριος [Soterios], “salvação”, e λόγος [logos], que
significa “princípio” ou “palavra”;
b) Noção:
b1. Soteriologia é, pois, sob o prisma da Bíblia (AT e
NT) e enfoque acadêmico, a disciplina que estuda o
tema da salvação do homem por Deus, integrando o
o rol de componentes do currículo da Teologia;
Cap. 1 - Introdução à SOTERIOLOGIA

b2. A salvação é uma oferta de amor da Trindade, no


contexto do conflito cósmico entre Cristo e Satanás, pela
qual o Pai entregou o Filho encarnado, Jesus Cristo, para
ser morto em nosso lugar e por nossos pecados, a fim de
que, por Sua justiça, pudéssemos ter a oportunidade da
salvação e de viver em obediência à Lei Divina, sendo
glorificados quando da Segunda Vinda de Cristo.
(Jo 3:16; Rm 1:16-17;
1Cr 15:51-53; Hb 5:5-10);
Cap. 1 - Introdução à SOTERIOLOGIA

c) Importância:
c1. A salvação é o tema universal das Escrituras (Blazen.
Tratado de Teologia...). Portanto, a Soteriologia é o elo
de ligação e transição entre os componentes
curriculares / temas maisj teóricos e aqueles
preponderantemente práticos na Teologia (Erickson.
Teologia Sistemática; Gulley. Systematic Theology: Creation...);
c2. Permite uma visão global, sistêmica de toda a Teologia,
seus assuntos e abordagens;
c3. Trata do aspecto central da atividade da Trindade em favor da
humanidade.
Cap. 1 - Introdução à SOTERIOLOGIA

d) Elementos basilares e sua disposição temporal


(ordo salutis):
Justificação (pela fé) ► Santificação ► Glorificação

VI – QUESTIONÁRIO PARA REFLEXÃO E RESOLUÇÃO


Ler: GULLEY, N. Systematic Theology: Prolegomena, p. 3-43.
1. Por que a Filosofia não é um fundamento epistemológico
adequado para a Teologia e, pois, a Soteriologia bíblica?
2. Qual o impacto de Platão, Aristóteles e Kant na Teologia em
geral e na Soteriologia bíblica em particular?

Você também pode gostar