Você está na página 1de 13

Educação e Pedagogia Clássica

Romana
Primeiros Tempos:

Não existia Propriedade privada;


Autoridade máxima pertencia ao
paterfamilias;
Os membros da clã rendiam culto aos
antepassados.
Realeza:

O comércio transformou Roma


em urbs, cidade;
O início da propriedade privada
provocou divisão de classes:
patrícios e plebeus.
República:

Representava os interesses dos


patrícios;
Surgimento de uma nova
aristocracia;
Expansão militar e romana
causaram fortes mudanças.
Império:

Surgiu por causa da fragilidade


da República;
Instituição do Direito Romano;
Surgimento do cristianismo.
Educação Romana:

Diferentemente da Grécia, não havia


discriminação dos vencidos;
A cultura universalizada pode ser
expressa na palavra humanitas.
Podemos distinguir três fases:
- Educação latina original;
- Influência do helenismo;
- Fusão entre a cultura grega e a
helenística.
Educação Heroico-Patrícia:

Os aristocráticos patrícios recebiam uma


educação que visava perpetuar os valores da
nobreza de sangue e cultuar os ancestrais.
Até os 7 anos, a criança permanecia sob os
cuidados da mãe. Após essa idade, as meninas
aprendiam no lar os serviços domésticos,
enquanto o pai se encarregava pessoalmente da
educação do filho.
Educação Cosmopolita:

Foram criadas escolas elementares onde dos 7 aos


10 anos se aprendia a ler, escrever e contar.
Jovens dos 12 aos 16 anos entravam em contato
com os clássicos gregos e estudavam geografia,
aritmética, geometria e astronomia, além de
ampliarem seus conceitos literários.
Com o tempo, surgiu a necessidade do terceiro
grau de educação, onde os jovens da elite
estudavam política, direito, filosofia e as disciplinas
reais. A educação física merecia atenção, só que
mais virada para o lado de artes marciais.
Educação no Império:

Parecia-se com a oferecida no período anterior.


No início, havia uma pequena intervenção do
Estado, o qual, por fim, tomou total
responsabilidade pela educação.
Nesse período a função de professor tornou-se
oficial.
No ensino terciário foram inclusos, além dos
cursos de filosofia e retórica, a medicina,
matemática, mecânica e, sobretudo, direito.
Inúmeras bibliotecas foram criadas.
Pedagogia:

Assim como na Grécia, cabia aos escravos os


trabalhos manuais, enquanto o “ócio digno” era
valorizado. A diferença está no fato de que a
pedagogia grega apresentava duas vertentes:
uma visão filosófica mais sistematizada (Platão),
e outra em que predominava a retórica
(Isócrates). Já em Roma foi adotada uma postura
mais pragmática, onde a retórica prevalecia
sobre a filosofia.
Conclusão:

Segundo o historiador Henri-Irénée Marrou, “o


papel histórico de Roma não foi criar uma nova
civilização, mas implantar e radicar solidamente
no mundo mediterrâneo a civilização
helenística, pela qual ela mesma fora
conquistada.” “A civilização original não é o
único título com que uma civilização possa
glorificar-se. Sua grandeza histórica, a
importância do seu papel na humanidade
medem-se (...) também por sua extensão, por
radicação no tempo e no espaço.”
Bibliografia:

ARANHA, Maria L. A. História da


Educação e
da Pedagogia: geral e do Brasil.
3. Ed. São
Paulo: Moderna, 2006.
Integrantes:

Edmar Carlos Pereira


Prontuário:1160303
Rayssa Sibelle Baracho Correia
Prontuário: 1160231