Você está na página 1de 25

FACULDADE ANHANGUERA DE PELOTAS

MBA EM FINANÇAS E CONTROLADORIA

Disciplina: GERENCIAMENTO E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

AULA 01 – O SISTEMA
TRIBUTÁRIO NACIONAL

DOCENTE: YURI SCHLEICH KLUG


POR QUE PAGAR TRIBUTOS?

O tributo é definido pelo art. 3° do CTN como uma prestação


compulsória a ser paga ao Estado.
 Assim, uma vez realizado o fato descrito na sua norma de
incidência (fato gerador), estará o contribuinte ou responsável
obrigado a recolher aos cofres públicos o respectivo montante.
 O planejamento tributário se insere, portanto, neste contexto.
POR QUE PAGAR TRIBUTOS?

 Poder Estatal de Instituir Tributos – manutenção do Estado e Serviços


Públicos

 O tributo seria a participação de cada um nas despesas comuns, na


manutenção e no exercício das funções essenciais do Estado.

 Decorre do consentimento da População, que sacrificam seus bens


particulares em prol do bem social.
POR QUE PAGAR TRIBUTOS?

 Função Social do Tributo


A função social do tributo fundamenta-se na Constituição Federal que, em seu
artigo 3º determina que são objetivos da República Federativa do Brasil:
I – construir uma sociedade livre, justa e solidária;
II – garantir o desenvolvimento nacional;
III – erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e
regionais;
IV – promover o bem de todos sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor,
idade e quaisquer outras formas de discriminação.
LIMITAÇÕES À TRIBUTAÇÃO

 O Poder de Tributar não é ilimitado e incondicionado, pelo contrário. Há


vários Princípios Limitadores, entre eles:

 Legalidade, anterioridade, Isonomia, capacidade contributiva, vedação ao


confisco, irretroatividade, dentre tantos outros.

 Todavia, não é possível que, nesta oportunidade, sejam todos estudados a


fundo.
IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO

 Um engano que administradores de empresa de todo porte


cometem é tratar o recolhimento como assunto para o contador ou
o advogado da empresa resolver na data do vencimento.

 EFICIÊNCIA DA FISCALIZAÇÃO

 AUMENTO DA CONCORRÊNCIA
IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO
 É possível fazer do recolhimento de tributos uma ferramenta de
administração no planejamento de longo prazo, chegando-se a um saldo
menor de tributos a pagar ao final do mês e uma despesa menor com
impostos significa margem de lucro maior e mais competitividade.

SALDO MENOR
DE TRIBUTOS

PLANEJANENTO MENOR
LONGO PRAZO DESPESA

MAIOR LUCRO E
COMPETITIVIDAD
E
IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO
 O sistema tributário brasileiro é um tema polêmico e controverso.

 alta complexidade das “regras do jogo”.

 desde leis que são constantemente modificadas, alíquotas majoradas, até o


problema dos poderes atribuídos ao fisco e a guerra fiscal entre estados e
municípios. Tudo isso complica os negócios das organizações.
IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO
 O planejamento tributário deveria ser uma prática constante, em qualquer
período do ano, para que a empresa conheça sua posição e reveja suas
opções considerando a alternativa que melhor se adeque à sua realidade.

 Não existe uma fórmula pronta, pois, cada empresa tem suas características,
seu faturamento e gastos mensais que resultam em margem de lucratividade
e rentabilidade distintas. São essas variáveis que definirão as estratégias
empresariais de cada gestor.
O SISTEMA TRIBUTÁRIO BRASILEIRO
 desde1988, quando foi promulgada a Constituição Federal, foram
editadas:
 mais de 5,4 milhões de normas legislativas,
 representa cerca de 769 normas por dia útil,
 entre leis, medidas provisórias, instruções normativas, emendas
constitucionais, decretos, portarias, instruções normativas, atos
declaratórios, entre outras,
(Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação – IBPT, 2017)
O SISTEMA TRIBUTÁRIO BRASILEIRO
 NoÂmbito Tributário, desde 1988, quando foi promulgada a Constituição
Federal, foram editadas:
363.779 normas,
o que representa mais de 1,88 normas tributárias por hora em um dia
útil,
a maioria com cobranças em excesso, e responsável por dificultar a vida
dos contribuintes, confundindo-os e exigindo de pessoas físicas e
jurídicas a ajuda de outros profissionais a fim de compreender e realizar
o cumprimento de todas as regras sem maiores problemas com o Fisco.
(Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação – IBPT, 2017)
O SISTEMA TRIBUTÁRIO BRASILEIRO
O Brasil é o País com a maior carga tributária em toda América
Latina e Caribe.
 brasileiros pagam o equivalente a 33,4% do tamanho da economia
em taxas e impostos. 
 Países de outros continentes possuem carga tributária maior, contudo,
o retorno dos serviços a população é maior.

(Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico - OCDE, 2017)


O SISTEMA TRIBUTÁRIO BRASILEIRO

OBRIGAÇÃO PECUNIÁRIA – PAGAR TRIBUTO


IR, IPI, ICMS, PIS, COFINS, CSLL, IOF, II, CIDE, INSS, FGTS, ISS,
IPTU, IPVA, ITBI, ITCMD, IRRF, CRF, FUNRURAL, TAXAS, ENTRE
OUTROS – CERCA DE 95 TRIBUTOS DIFERENTES (PORTAL
TRIBUTARIO, 2017).

OBRIGAÇÃO ACESSÓRIA – OBRIGAÇÃO DE “FAZER ALGUMA


COISA” – DECLARAÇÕES IMPOSTAS
DIRPF, SPED ECF (DIPJ), SPED CONTRIBUIÇÕES (PIS COFINS),
SPED ICMS IPI, E-SOCIAL, SPED REINF, DCTF, GFIP, GIA, GISS,
ENTRE OUTRAS
TIPOS DE TRIBUTO

IMPOSTO - É o tributo que tem como fato gerador uma situação
independente de qualquer atividade estatal específica relativa ao contribuinte
(Art. 16 do CTN). Em outras palavras, imposto é o tributo que não está
vinculado a uma contraprestação direta a quem o está pagando. 
As receitas de impostos não são destinadas a custear obras ou serviços em prol
de quem os paga, mas sim para serem utilizadas para custear as despesas gerais
do estado, visando promover o bem comum. 
EXEMPLO: Imposto de renda
TIPOS DE TRIBUTO

TAXA - É o tributo que pode ser cobrado pela União, Estados, Distrito Federal
ou Municípios, no âmbito de suas respectivas atribuições, que tem como fato
gerador, o exercício do poder de polícia ou a utilização efetiva ou potencial, de
serviço público específico e divisível prestado ao contribuinte ou posto a sua
disposição (Art. 77 do CTN). 
EXEMPLO: Taxa de Alvará, Taxa de Custas Judiciais
TIPOS DE TRIBUTO

CONTRIBUIÇÕES ESPECIAIS - Estão previstas nos artigos 149 e 149-A da


Constituição Federal, são tributos cobrados para custeio de atividades
paraestatais e podem ser: sociais, de intervenção no domínio econômico e de
interesse de categorias econômicas ou profissionais.
EXEMPLO: Contribuição Previdenciária (INSS), CSLL, FGTS, Contribuições
ao Sistema S, CIDE-Combustível
TRIBUTOS FEDERAIS – IMPOSTOS (ART. 153, CF)

1) II - Imposto de Importação
2) IE – Imposto de Exportação
3) IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados
4) IR – Imposto sobre a Renda (irpf e irpj)
5) IOF – Imposto sobre operações financeiras
6) ITR – imposto terrirorial rural
7) Igf – imposto sobre grandes fortunas
TRIBUTOS FEDERAIS – OUTROS

1) PIS – Programa de Integração Social


2) COFINS – Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social
3) Csll - Contribuição Social sobre o Lucro Líquido
4) Inss - Contribuição previdenciária
5) Fgts – fundo de garantia do tempo de serviços
TRIBUTOS ESTADUAIS – IMPOSTOS (ART. 155, CF)

1) Icms - Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (icms,


icms st, difal, antecipação icms)

2) Itcmd - Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação

3) Ipva - Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores


TRIBUTOS MUNICIPAIS (ART. 156, CF)

1) ISS - Imposto sobre Serviços (ISSQN)

2) ITBI - Imposto sobre Transmissão de Bens Inter Vivos

3) IPTU - Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana


TRIBUTOS MUNICIPAIS (ART. 156, CF)

1) ISS - Imposto sobre Serviços (ISSQN)

2) ITBI - Imposto sobre Transmissão de Bens Inter Vivos

3) IPTU - Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana


QUESTÃO

1) Cite os tributos devidos por uma empresa de comércio de calçados,


com 02 funcionários, e para quem devem ser pagos.
QUESTÃO

2) Um Arquiteto lhe procura para constituir uma empresa individual para


prestar serviços de arquitetura, sozinho. Quais os tributos que ele deverá
recolher pela empresa?
QUESTÃO

3) Um Fisioterapeuta está em dúvida se continua prestando serviços como


contribuinte individual (autônomo) ou se constitui uma empresa para isto, no
intuito de diminuir sua carga tributária. Qual a melhor opção?
QUESTÃO

4) Um Fisioterapeuta está em dúvida se continua prestando serviços como


contribuinte individual (autônomo) ou se constitui uma empresa para isto, no
intuito de diminuir sua carga tributária. Considerando os seguintes
faturamentos, para cada valor, qual a melhor opção? Total de tributos na
Empresa – 14,83%

a) R$1.500,00
b) R$3.000,00
c) R$6.000,00