Você está na página 1de 91

SISTEMA CIRCULATÓRIO

• O Sistema Circulatório é um sistema fechado, sem


comunicação com o meio exterior, constituído por
tubos, no interior dos quais circulam líquidos.

• Os tubos são chamados de vasos e os líquidos são


o sangue e a linfa.
• Para que o sangue circule através dos vasos, há um
órgão central – o coração, que funciona como uma
bomba.

• A função básica do sistema circulatório é levar


material nutritivo e oxigênio às células.
FUNÇÕES
 Levar oxigênio dos pulmões e nutrientes do trato
gastro-intestinal até as células;

Transportar os produtos do metabolismo para os


locais de eliminação (pulmões, rins);

Transporte de hormônios;

Manutenção da temperatura corporal.


FUNÇÕES
Manutenção do PH

Manutenção do volume circulante

Prevenção das perdas sanguíneas

Defesa contra infecções

Intercâmbio de materiais
DIVISÃO DO SISTEMA
CIRCULATÓRIO
• Sistema Sanguíneo: composto pelos vasos condutores
de sangue (artérias, veias e capilares) e pelo coração.

• Sistema Linfático: formado pelos vasos condutores de


linfa (vasos linfáticos, capilares linfáticos e troncos
linfáticos) e pelos órgãos linfóides (linfonodos e
tonsilas).

• Órgãos Hemopoiéticos: medula óssea, baço e timo.


VISÃO GERAL DO SISTEMA
CIRCULATÓRIO
CORAÇÃO

• É um órgão muscular, oco, que funciona como uma


bomba contrátil-propulsora.
• É formado por um tecido muscular especial: tecido
muscular estriado cardíaco.
• É revestido internamente pelo endocárdio e
externamente pelo epicárdio.
• Pesa entre 250 e 350g
• Formato piramidal
• Eixo oblíquo 40°
CORAÇÃO

Epicárdio Miocárdio Endocárdio


Pericárdio
CORAÇÃO
• A cavidade do coração é dividida em quatro
câmaras:

• Átrios direito e esquerdo;


• Ventrículos direito e esquerdo.

• Entre os átrios e os ventrículos existem orifícios


com dispositivos orientadores da corrente
sanguínea, que são chamadas de valvas.
CORAÇÃO
Átrio Direito
Átrio Esquerdo

Valvas

Ventrículo Ventrículo
Direito Esquerdo
CORAÇÃO

• O coração situa-se na cavidade torácica, atrás do


osso esterno e acima do músculo diafragma.

• Apresenta-se de forma inclinada, de tal forma que


a sua maior porção fica à esquerda.

• Tem o tamanho aproximado de um punho


fechado.
CORAÇÃO
CORAÇÃO

• As câmaras cardíacas (átrios e ventrículos) são


delimitadas por septos.
• São três os septos cardíacos:
• Septo átrio-ventricular: separa os átrios dos ventrículos.
• Septo inter-atrial: separa os dois átrios.
• Septo inter-ventricular: separa os dois ventrículos.
CORAÇÃO
Septo Inter-
atrial
Septo Inter-
ventricular

Septo Átrio-
ventricular
VASOS DA BASE

• Os vasos que levam e trazem sangue para o coração


desembocam na sua porção superior (base).

• No átrio direito desembocam a veia cava superior e a


veia cava inferior.

• No átrio esquerdo desembocam as veias pulmonares,


em número de quatro (duas de cada pulmão).
VASOS DA
BASE
Veia Cava
Superior
Veias Pulmonares

Veia Cava Inferior


CIRCULAÇÃO DO SANGUE

• A circulação é a passagem de sangue através dos


vasos e do coração.
• A circulação se faz por meio de duas correntes
sanguíneas, as quais partem ao mesmo tempo do
coração.
• Uma sai do coração para o pulmão e volta para o
coração (pequena circulação).
• A outra sai do coração para os órgãos e tecidos e volta
para o coração (grande circulação).
Tipos de Circulação no Corpo
Humano

• Circulação Sistêmica: entre o coração e os sistemas


do corpo

• Pulmonar: entre os pulmões e o coração

• Coronária: músculo cardíaco

• Portal: hepático e hipofisário


PEQUENA CIRCULAÇÃO
• Geral:

CORAÇÃ CORAÇÃ
PULMÃO
O O

• Detalhada:
Artérias
Ventrículo Veias Átrio
Pulmonares Pulmões
Direito Pulmonares Esquerdo
DeE
PEQUENA CIRCULAÇÃO
GRANDE CIRCULAÇÃO
• Geral:

CORAÇÃ CORAÇÃ
TECIDOS
O O

• Detalhada:

Veias Cavas
Ventrículo Órgãos e Átrio
Aorta Superior e
Esquerdo Tecidos Direito
Inferior
GRANDE CIRCULAÇÃO
Circulação Pulmonar e Sistêmica
Circulação Coronária
Circulação Portal
ARTÉRIAS
• São tubos arredondados, elásticos, nos quais o sangue
circula se distanciando do coração.

• As artérias levam o sangue rico em oxigênio e


nutrientes para as células.

• Tendo em vista a largura, as artérias podem ser


divididas em: grande calibre, médio calibre, pequeno
calibre e arteríolas.
ARTÉRIAS

• O número de artérias que irriga um órgão é muito


variável e não depende do seu tamanho e sim da
sua função.

• As artérias podem ser divididas ainda em:


• Superficiais;
• Profundas (maioria).
VISÃO GERAL DAS
ARTÉRIAS
ARTÉRIAS DOS MEMBROS
SUPERIORES
• As principais artérias dos membros superiores
são:

• Artéria Braquial (bíceps);


• Artéria Radial;
• Artéria Ulnar.
ARTÉRIAS DOS MEMBROS
SUPERIORES

Artéria
Braquial

Artéria Radial Artéria Ulnar


ARTÉRIAS DOS MEMBROS
SUPERIORES

Artéria
Braquial

Artéria Ulnar Artéria Radial


ARTÉRIAS DOS MEMBROS
INFERIORES
• As principais artérias dos membros inferiores
são:

• Artéria femoral (quadríceps);


• Artéria Tibial Anterior (tibial anterior);
• Artéria Tibial Posterior (gastrocnêmios).
ARTÉRIAS DOS MEMBROS
INFERIORES

Artéria
Femoral

Artéria Tibial Artéria Tibial


Anterior Posterior
ARTÉRIAS DOS MEMBROS
INFERIORES

Artéria Tibial
Artéria Tibial Posterior
Anterior
VEIAS
• São tubos nos quais o sangue percorre em direção
ao coração.

• As veias transportam o sangue com os resíduos


metabólicos e com o gás carbônico (CO2) retirado
das células.

• Assim como as artérias, as veias podem ser


classificadas em: grande, médio, pequeno calibre e
vênulas.
VEIAS

• As veias em geral têm maior calibre do que as artérias


correspondentes.

• O número de veias é maior do que o de artérias, pois


geralmente existem duas veias satélites para cada
artéria, como também pela existência de um sistema
de veias superficiais às quais não correspondem
artérias.
VEIAS
• De acordo com a localização, as veias podem ser:

• Superficiais: são subcutâneas, geralmente visíveis sob a


pele e mais calibrosas nos membros e no pescoço. São
as veias onde são aplicadas as injeções endovenosas.

• Profundas: podem ser solitárias ou satélites


(acompanham as artérias).
VISÃO GERAL DAS VEIAS
VEIAS DOS MEMBROS
SUPERIORES
• As principais veias dos membros superiores são:

• Veia Cefálica;
• Veia Basílica;
• Veia Intermediária do Antebraço.
VEIAS DOS MEMBROS
SUPERIORES

Veia Cefálica
Veia Basílica

Veia Intermediária
do Antebraço
VEIAS DOS MEMBROS
INFERIORES
• As principais veias dos membros inferiores são:

• Veia Safena
• Veia Femoral Originadas da Veia Íliaca Externa
• Veias Tibiais Anteriores;
• Veia Poplítea.
VEIAS DOS MEMBROS
INFERIORES
Veia Ilíaca
Externa

Veia Femoral
Veia Safena
VEIAS DOS MEMBROS
INFERIORES

Veias Tibiais Veia Poplítea


Anteriores
CAPILARES SANGUÍNEOS
São vasos microscópicos, interpostos entre as
artérias e as veias.

São nos capilares que ocorrem as trocas de


nutrientes e oxigênio entre o sangue e os tecidos.

Apresenta distribuição em todo o corpo.

São estudados na Histologia.


Características Físicas
• Artérias  transportar sangue sob alta
pressão
• Paredes vasculares fortes
• Sangue em alta pressão
• Tecido elástico bem desenvolvido

• Arteríolas
• Pequenos ramos arteriais condutos que
controlam a liberação de sangue para os
vasos
• Músculo liso bem desenvolvido
• Maior resistência ao fluxo sanguíneo
Características Físicas
• Capilares
• Parede fina
• Local onde os nutrientes, gases,
água e solutos são trocados

• Vênulas
• Coletam sangue dos capilares

• Veias
• Condutos que transportam o
sangue de volta ao coração
• Paredes finas, mas se contraem
• Agem como reservatório
Área de secção transversal e
Velocidade de fluxo sanguíneo
VASOS Área Secção Transversal
Aorta
Pequenas artérias
Arteríolas
Capilares
Vênulas
Pequenas Veias
Veias Cavas

Velocidade média na aorta 33cm/s Velocidade média nos capilares é de


0,033cm/s
Velocidade do Fluxo sanguíneo
• Fluxo (Q)
• É o fluxo do volume por unidade de tempo ml/s

• Velocidade do Fluxo sanguíneo (v)


• É a velocidade de deslocamento do sangue por unidade
de tempo cm/s
• Área
• Área de secção transversal

V= Q/A
Área de secção transversal e
Velocidade de fluxo sanguíneo

• V= Q/A  Q = VA
• Com o mesmo volume de sangue em cada segmento,
a velocidade é inversamente proporcional à área de
secção transversal
Pressões nas diversas partes da
circulação
Pressões nas diversas partes da
circulação
• Por quê a pressão na aorta é alta?
• O bombeamento pulsátil está representado por
quem?
• Por quê existe uma diminuição progressiva da
pressão no decorrer da circulação sistêmica?
• Nos capilares a pressão é baixa o suficiente (17
mm/Hg para que pouco plasma flua através
daparede do capilar
Relações entre fluxo sanguíneo,
pressão e resistência
• Fluxo Sanguíneo
• Diferença de Pressão
• Resistência
• Q= ∆P/R
Resistência
• Resistência ao fluxo sanguíneo
• Diâmetro do vaso
• Comprimento do vaso
• Raio do vaso
• Viscosidade do sangue

• R= 8nl/Πr4,
• onde n é a viscosidade e l o comprimento do vaso
Resistência
• Disposição dos vasos
• Em Série
R1 R2 R3 R4 R5

Artéria Arteríola Capilar Vênula Veia

Rtotal= R1+ R2 + R3 + R4 + R5

• Em paralelo Cerebral (R1)


Coronárias (R2) Veia Cava
Renais(R3)
Aorta
Gastrointestinais (R4)
Músculo esquel. (R5)
1/Rtotal = 1/R1 + 1/R2 ......1/R5
Resistência
• Em série o fluxo é o mesmo
• Em paralelo, cada órgão pode regular seu fluxo
independente de outro
Fluxo Laminar
• Em condições ideais o fluxo sanguíneo é laminar
• Perfil parabólico
• Velocidade do fluxo mais alta no centro e mais baixa nas
paredes

• Depende do
• Diâmetro do vaso
• Velocidade do fluxo
• Viscosidade do sangue
• Densidade do sangue
Sangue
Fluido viscoso e opaco
Coloração escarlate (vermelho vivo) –
sangue arterial, e vermelho escuro (sangue
venoso)
PH ligeiramente alcalino (7,35 a 7,45)
Temperatura de 38ºC
Corresponde a 8% do peso corporal (5 a 6
l)
Composição do Sangue

Plasma
90% de água (55%do volume sanguíneo)
Mais de 100 solutos dissolvidos
(nutrientes, gases, restos metabólicos,
hormônios,etc.)
Proteínas: albumina (60%),
imunoglobulinas (35%), fibrinogênio
(4%)
Composição do Sangue

Elementos figurados
Eritrócitos - hemoglobina
Leucócitos – função imunológica
Plaquetas - coagulação
SISTEMA LINFÁTICO

• É um sistema formado por vasos e órgãos linfóides e


nele circula a linfa.

• É um sistema auxiliar de drenagem, ou seja, é auxiliar


do sistema venoso.

• São responsáveis pelo transporte de grandes


moléculas que não conseguem passar para as veias.
SISTEMA LINFÁTICO

• As grandes moléculas são recolhidas pelos capilares


linfáticos, de onde a linfa segue para os vasos
linfáticos, e destes para os troncos linfáticos, que
são os mais volumosos.

• Os troncos linfáticos lançam a linfa em veias de


médio e grande calibre.
SISTEMA LINFÁTICO

• Linfonodos: são elementos interpostos entre os vasos


linfáticos que servem de barreira ou filtro contra a
entrada de micro-organismos.

• Produzem os glóbulos brancos (linfócitos – são células


de defesa).

• Durante uma inflamação grave, o linfonodo pode


“entupir”, fato conhecido como íngua.
SISTEMA LINFÁTICO
PROPRIEDADES DO CORAÇÃO

Automatismo Condutibilidade Excitabilidade Contratilidad


ou ou ou e ou Distendibilidade
Cronotropism Dromotropism Batmotropism
o o o Inotropismo ou
(cronos = (dromos = (bathmos = (inos = Lusitropismo
tempo) correr) limiar) fibra)
Automatismo ou Cronotropismo
Propriedade das células nervosas do sistema cardionector e das fibras
musculares cardíacas de gerar estímulos por si próprias

As que têm uma frequência de despolarização mais rápida são as que


comandam toda a despolarização (cronos = tempo)

Tecido especializado (zona marcapasso)


Automatismo ou Cronotropismo
mV
Células do sistema
Células do miocárdio
excitocondutor
+20
0

limiar

- 40 limiar
- 55

- 70

- 90
ms
Condutibilidade ou Dromotropismo
• Propriedade de um estímulo
fisiológico gerado no
coração (nódulo sinusal) se
transmitir a todas as células
cardíacas
• Desta propriedade depende
a velocidade a que são
transmitidos os estímulos
na
musculatura cardíaca
(dromos = correr)
Condutibilidade ou Dromotropismo
• Fibras juncionais
v= 0,02 m/s
• Fibras
atriais v=
0,3 m/s
• Fibras ventriculares
v= 0,45 a 0,6 m/s
• Fibras de Purkinje
v= 1,5 a 4 m/s
Excitabilidade ou Batmotropismo
Capacidade que o miocárdio tem de reagir/responder quando
estimulado, reação esta que se estende por todo o órgão

Ativando-se um ponto, todo o órgão responde


Excitabilidade ou Batmotropismo
mV
Pico
+ 20 Platô (repolarização lenta)

Despolarização
Repolarização rápida

Estímulo
Sinusal

- 85

Registro monofásico do potencial de ação de uma fibra atrial ou ventricular ms


Contratilidade ou Inotropismo
• Propriedade que o coração tem de se
contrair ativamente como um todo
único, uma vez estimulada toda a sua
musculatura, o que resulta no fenômeno
da contração sistólica
Contratilidade ou Inotropismo
• Lei de Frank-Starling
•Quanto maior for a força de estiramento
do músculo durante a diástole, maior será
a foça de contração durante a sístole e a
quantidade de sangue bombeado para o
corpo.
Contratilidade ou Inotropismo
Lei de Frank-Starling
A força de contração de uma fibra cardíaca é diretamente
proporcional ao comprimento da mesma.

distensão   força de contração

Dentro dos limites fisiológicos, o coração bombeia todo o sangue


que chega até ele, sem permitir acúmulo excessivo de sangue nas
veias.
Distendibilidade ou Lusitropismo
Relaxamento ativo no início da diástole

Capacidade de relaxamento global que tem o coração,


cessada sua estimulação elétrica e terminado o processo de
contração, levando ao fenômeno do relaxamento diastólico
Tônus

Capacidade de maior ou menor aumento de tensão


com o aumento de volume (coração com IC desenvolve
menor tensão)

Você também pode gostar