Você está na página 1de 20

FAMETRO

FACULDADE METROPOLITA DE
MANAUS

BACHARELADO EM ENGENHARIA CIVIL


DISCIPLINA : Introdução à Engenharia Civil
Prof. CARLOS ALBERTO A. LIMA
Eng.Civil CREA 784-D AM/RR
Eng. Seg. Trabalho.
Mestre em Educação

4
ENGENHARIA E SOCIEDADE

Olhando à nossa volta, é fácil percebermos uma dependência

cada vez maior da sociedade moderna em relação aos produtos

tecnológicos.

Muito do que as evoluções da ciência e da tecnologia têm

proporcionado nos facilita a vida, economiza tempo, protege

nossa saúde, enfim, nos transporta de uma natureza, digamos,

"natural" para uma "natureza artificial", controlada.

Isso, em grande parte, é decorrência da evolução da

engenharia.

Aliás, o importante papel que a engenharia tem

desempenhado ao longo da história da humanidade é evidente.*


ENGENHEIRO E SOCIEDADE
Vários aspectos devem ser lembrados no início de um
curso de
engenharia.
O primeiro deles diz respeito à formação profissional.
Ninguém vai ser reconhecido como engenheiro se não
dominar minimamente os tópicos de sua área de trabalho.
Mas só isso é pouco. Ainda como estudantes, é
importante termos ao menos uma noção do papel que
desempenharemos futuramente, não apenas no campo
estritamente técnico, mas também como cidadãos.*
Desde o início de um curso de graduação devemos

considerar que possivelmente só seremos engenheiros

ativos, contribuindo de forma substancial para a

resolução de problemas, dentro de sete ou dez anos –

este tempo é o resultado da soma de cinco anos de

graduação e dois a cinco anos de experiência profissional.

O preparo para essa contribuição começa com uma boa

formação escolar.
ENGENHEIRO NO MERCADO DE TRABALHO

Um engenheiro pode desempenhar inúmeras


funções dentro do mercado de trabalho.
De uma maneira geral, quanto à sua atuação,
podemos dizer que ele pode trabalhar como
autônomo, empregado ou empresário.
Formas de atuação do engenheiro

Autônomo Empregado Empresário


O profissional autônomo é aquele que tem

maior independência de decisão sobre sua profissão,

estabelecendo seus honorários e condições de

trabalho, atuando geralmente em escritório próprio.


O empregado atua diretamente para uma
empresa, com a qual mantém um contrato de trabalho,
prestando serviços técnicos permanentes ou
trabalhando por empreitada, desenvolvendo serviços
específicos. O trabalho com vínculo empregatício — é
bom não perdermos de vista - representa grande parte
dos profissionais atuantes na área.
O engenheiro empresário - é aquele que é

responsável por alguma empresa e que contrata

outros profissionais, com vínculo trabalhista, para

operá-la.*
SETORES DE ATUAÇÃO DOS ENGENHEIROS

Indústrias

Bancos de investimento e desenvolvimento.

Construções

Escritórios de profissionais liberais

Instituições públicas e privadas

Pesquisa básica

Estabelecimentos de ensino

Escritórios de consultoria

Empresas de assessoramento

Institutos de pesquisa *
Competências e habilitações
dos engenheiros
Aplicar conhecimentos científicos, matemáticos,
tecnológicos e Instrumentais.
Conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e
processos.
Identificar, formular e resolver problemas
Assumir uma postura de permanente atualização
profissional.
Comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e
gráfica.
Avaliar a viabilidade econômica de projetos
Trabalhar com ética e responsabilidade profissional
Planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos
e serviços técnicos
Projetar e conduzir experimentos e interpretar
resultados
Desenvolver e utilizar novas ferramentas e técnicas
Avaliar criticamente a operação e a manutenção de
sistemas
Avaliar os impactos sociais e ambientais de suas
atividades
Atuar em equipes multidisciplinares
Supervisionar a operação
O ENGENHEIRO E O TÉCNICO

Um aspecto que tem preocupado profissionais


recém-formados e estagiários é uma hipotética
confrontação que se estabelece entre os seus
conhecimento e dos técnicos experientes.

É natural que os técnicos, que já trabalham


há muitos anos, dominem com segurança
vários detalhes dos processos de fabricação,
dos sistemas e dos produtos de uma empresa.*
QUALIDADES DESEJÁVEIS DE UM PROFISSIONAL

Algumas das armas com as quais um engenheiro deve contar para

um bom desempenho profissional são a sua formação básica e o seu

raciocínio analítico.

Além disso, também é desejável um senso crítico aguçado para lidar

com as complexas questões contemporâneas, pois elas envolvem

inúmeras variáveis dos mais diversos campos disciplinares.

Características como estas são muito procuradas no mercado de

trabalho. Por isso, devem sempre estar sendo aperfeiçoadas através,

principalmente, de um estudo continuado.*


Qualidades desejáveis para um engenheiro

Conhecimentos objetivos.
Relações humanas.
Experimentação.
Comunicação.
Trabalho em equipe
Aperfeiçoamento contínuo.
Ética profissional
CONHECIMENTOS OBJETIVOS.
Para projetar, construir e operar dispositivos
complexos, estruturas e processos da engenharia, um
profissional deve possuir bons conhecimentos dos
fundamentos das leis da física, da estrutura da
matéria, do comportamento dos fluidos, das ligações
químicas, da conversão de energia e de diversos
outros aspectos do mundo real.
Porém, apenas o conhecimento dos fenômenos
físicos básicos não é suficiente. E preciso, antes de
tudo, saber identificar, interpretar, modelar e aplicar
estes fenômenos à solução de problemas concretos. *
RELAÇÕES HUMANAS.

A necessidade de integração do engenheiro


com seu campo de trabalho exigirá dele
conhecimentos de relações humanas.
No cotidiano do trabalho de um profissional,
um engenheiro deverá trocar idéias com clientes,
operários, políticos, diretoria da empresa, usuários.
Para isso é importante ter-se uma boa habilidade
para interagir, argumentar, convencer, retroceder,
discutir, buscando sempre um bom nível de diálogo
em várias áreas de conhecimento.
EXPERIMENTAÇÃO
A habilidade de testar protótipos, regular o
funcionamento de sistemas, medir variáveis físicas
em processos, enfim, de realizar experiências,
quando julgar necessário para aprimorar o seu
trabalho, também é vital para um bom desempenho
profissional.
A experimentação e a medição estão intimamente
ligadas entre si e são utilizadas, basicamente, para
verificar algum resultado teórico, para obter dados
ou para analisar o comportamento de sistemas.*
COMUNICAÇÃO
Uma qualidade que muitas vezes é relegada a segundo
plano por alguns profissionais da área de engenharia é a
comunicação. Mas o fato é que uma boa comunicação, hoje,
é muito mais importante do que deve ter sido há algum
tempo.
Aliás, isso acontece tanto na área de engenharia como em
qualquer outra.
Há como imaginar um engenheiro que não realize um
relatório técnico, que não discuta com sua equipe detalhes de
um projeto, que não prepare gráficos e tabelas para mostrar
o desempenho de algum sistema, que não demonstre através
de uma equação a otimização de algum processo?
A despeito dessa desastrada confusão, o fato é que a
comunicação é uma qualidade significativa e indispensável
para um bom desempenho profissional..*
TRABALHO EM EQUIPE

O exercício de todas as profissões - não poderia ser


diferente com a engenharia - exige uma boa habilidade
para o trabalho em equipe.
E percebe-se que cada vez mais esta característica é
mais necessária ainda.
Grandes empreendimentos dominam o mundo
tecnológico, grandes problemas se entrelaçam na
maioria das áreas e inúmeras pessoas clamam por
melhoria na qualidade de vida, o que depende cada vez
mais de equipes partindo em busca de soluções.*
ÉTICA PROFISSIONAL
Talvez os próprios engenheiros desconheçam a importância de
sua profissão.
A engenharia pode modificar o ambiente, os hábitos e a
qualidade de vida das pessoas, a sua forma de morar, de se
locomover, enfim, de alterar inclusive substancialmente o próprio
comportamento da sociedade.
Sob o peso desta responsabilidade, e constantemente preocupado
em adotar soluções apropriadas, é que o engenheiro deve ter uma
postura profissional coerente e racional, pautada sempre em
preceitos éticos bem consistentes. *