LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDÊNCIARIA RELATIVAS A SEGURANÇA DO TRABALHO

1

a) Leis Constitucionais (CF-88) * Art. 7º - São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social: XXII - redução dos riscos inerentes aos trabalhos, por meio de normas de saúde, higiene e segurança do trabalho; XXVIII - Seguro contra acidentes do trabalho, a cargo do empregador, sem excluir a indenização a que este está obrigado quando incorrer em dolo ou culpa

2

b) Leis Ordinárias: Decreto Lei 5452 de 1º de maio de 1943 (Estado Novo 1930-1945) Capítulo V - DA SEGURANÇA E DA MEDICINA DO TRABALHO (Arts. 154 a 201) (16 Seções) Seção IV - DO EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL DO TRABALHO Lei 8.212/91 (Plano de Custeio da residência)
3

c) Atos

do Poder Executivo - Portarias, Resoluções. Resoluções Portarias MT E nº 3.214 de 08/06/78 (NR¶s) e 3.067 de 12/04/88 (NRR¶s). NR 6 - Equipamento de Proteção Individual (EPI).

4

CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS TRABALHISTAS . 1 a 12) 5 .CLT (Introdução caps.

* A pessoa física ou jurídica que contrata mão de obra especializada para determinado serviço.Considera-se empregador ... 6 .Art 2º .

A pessoa física ou jurídica especializada para execução dos serviços contratado. 7 .Considera-se empregado ..Art.. 3º .

155 a 201) 8 .CLT Capítulo V (Da Segurança e da Medicina do Trabalho) (Arts.CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS TRABALHISTAS .

Art. 155 Incube ao órgão de âmbito nacional (SSST/M T E ) competente em matéria de segurança e medicina do trabalho: 9 .

controlar e III .conhecer. supervisionar a fiscalização.coordenar.. em última instância. voluntários ou de ofício. dos recursos. II .. orientar.. das decisões proferidas pelos Delegados Regionais do Trabalho em matéria de segurança e medicina do trabalho.estabelecer normas .I . 10 ..

Art. 157 .Cabe às empresas: 11 .

12 ..cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho.I . III . IV.Instruir os empregados..adotar as medidas que lhes sejam determinadas pelo órgão regional competente.facilitar o exercício da fiscalização pela autoridade competente. II .

158.Cabe aos empregados: 13 .Art.

colaborar com a empresa na aplicação dos dispositivos deste capítulo. 14 . II .observar as normas de segurança e medicina .I ...

Parágrafo único: CONSTITUI ATO FALTOSO DO EMPREGADO A RECUSA INJUSTIFICADA: 15 .

16 .a) à observância das instruções expedidas pelo empregador na forma do item II anterior.. b) ao uso dos equipamentos de proteção individual fornecidos pela empresa.

213/91 17 .FUNDAMENTOS DA LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA Lei nº 8.

Art.. Lei nº 8.Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa ..213/91 18 . 19 .

213/91 19 .Parágrafo 1º .A empresa é responsável pela adoção e uso das medidas coletivas e individuais de proteção a segurança e saúde do trabalhador. Lei nº 8.

213/91 20 .Parágrafo 2º constitui Contravenção Penal. deixar a empresa de cumprir as normas de segurança e higiene do trabalho. punível com multa. Lei nº 8.

Lei nº 8.213/91 21 .Parágrafo 3º É dever da empresa prestar informações pormenorizadas sobre os riscos da operação a executar e do produto a manipular.

conforme dispuser o regulamento.O Ministério do Trabalho e da Previdência Social fiscalizará e os sindicatos e entidades representativas de classe acompanharão o fiel cumprimento do disposto nos parágrafos anteriores. 22 .

213/91 23 .FUNDAMENTOS DA LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA Lei nº 8.

Art. para efeitos desta Lei: Lei nº 8. 21 .Equiparam-se também ao Acidente do Trabalho.213/91 24 .

Lei nº 8. para redução ou perda da sua capacidade para o trabalho ou produzido lesão que exija atenção médica para a sua recuperação.o acidente ligado ao trabalho que.I .213/91 25 . embora não tenha sido causa única haja contribuído diretamente para a morte do segurado.

em conseqüência de: Lei nº 8.II .213/91 26 .o acidente sofrido pelo segurado no local e no horário de trabalho.

sabotagem ou terrorismo praticado por terceiro ou companheiro de trabalho.a) ato de agressão. b) ofensa física intencional. por motivo de disputa relacionada com o trabalho. Lei nº 8. inclusive de terceiro.213/91 27 .

incêndio e outros casos fortuitos ou decorrentes de força maior. de negligência ou de imperícia de terceiro ou de companheiro de trabalho. inundação. e) desabamento.213/91 28 . d) ato de pessoa privada do uso da razão.c) ato de imprudência. Lei nº 8.

ainda que fora do local e horário de trabalho: Lei nº 8.o acidente sofrido pelo segurado.a doença proveniente de contaminação acidental do empregado no exercício de sua atividade.213/91 29 .III . IV .

213/91 30 .a) na execução de ordem ou realização de serviço sob a autoridade da empresa. Lei nº 8. b) na prestação espontânea de qualquer serviço a empresa para lhe evitar prejuízo ou proporcionar proveito.

213/91 31 . independente do meio de locomoção utilizado. d) no percurso da residência para o local de trabalho ou deste para aquela. inclusive para estudo quando financiada por esta dentro de seus planos para melhor capacitação da mão-de-obra. inclusive veículo de propriedade do segurado. inclusive veículo de propriedade do segurado (Acidente de Trajeto ou In itinere) Lei nº 8. qualquer que seja o meio de locomoção.c) em viagem a serviço da empresa.

o empregado é considerado no exercício do trabalho. ou por ocasião da satisfação de outras necessidades fisiológicas.Parágrafo 1º . no local de trabalho ou durante este.Nos períodos destinados a refeição ou descanso.213/91 32 . Lei nº 8.

sucessivamente aumentado nas reincidências.213/91 33 . em caso de morte. aplicada e cobrada pela Previdência Social. 22 .A empresa deverá comunicar o Acidente do Trabalho à Previdência Social até o 1º dia útil seguinte ao da ocorrência e.Art. sob pena de multa variável entre o limite mínimo e limite máximo do salário-decontribuição. Lei nº 8. de imediato a autoridade competente.

34 .Parágrafo 1º .Da comunicação a que se refere este artigo receberão cópia fiel o acidentado ou seus dependentes. bem como o sindicato a que se corresponda sua categoria.

podem formaliza-lá o próprio acidentado. não prevalecendo nestes casos o prazo previsto neste artigo. a entidade sindical competente. seus dependentes.213/91 35 . Lei nº 8.Na falta de comunicação por parte da empresa. o médico que o assistiu ou qualquer autoridade pública.Parágrafo 2º .

Lei nº 8.Parágrafo 3º .a comunicação a que se refere o parágrafo 2º não exime a empresa pela falta do cumprimento do disposto neste artigo.213/91 36 .

valendo para este efeito o que ocorrer primeiro. 37 .Lei nº 8. ou o dia da segregação compulsória. a data de início da incapacidade laborativa para o exercício da atividade habitual.Considera-se como Dia do Acidente. 23 . ou o dia em que for realizado o diagnóstico.213/91 Art. no caso de doença profissional ou do trabalho.

Art. a manutenção do seu contrato de trabalho na empresa. após a cessação do auxílio-doença acidentário. independentemente de percepção de auxílio-doença. 118 . 38 .O segurado que sofreu acidente do trabalho tem garantida. pelo prazo mínimo de doze meses.

O segurado reabilitado poderá ter remuneração menor do que na época do acidente. 39 . desde que compensada pelo valor do auxílio-acidente. referido no parágrafo 1º do artigo 86 desta Lei.Parágrafo único .

Plano de Custeio da Previdência Social Art. é de: 40 . além do disposto no artigo 23.212/91 . destinada à Seguridade Social.Lei nº 8. 22 .A contribuição a cargo da empresa.

trabalhadores avulsos e autônomos que lhe prestem serviços: 41 . empresários.20% (vinte por cento) sobre o total das remunerações pagas ou creditadas.I . aos empregados. no decorrer do mês. a qualquer título.

no decorrer do mês.II .para o financiamento da complementação das prestações por acidente do trabalho. incidentes sobre o total das remunerações pagas ou creditadas. dos seguintes percentuais. aos segurados empregados e trabalhadores avulsos: .

b) 2% (dois por cento) para as empresas em cuja atividade preponderante esse risco seja considerado médio.a) 1% (um por cento) para as empresas em cuja atividade preponderante o risco de acidentes do trabalho seja considerado leve. c) 3% (três por cento) para as empresas em cuja atividade preponderante esse risco seja considerado grave. .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful