Você está na página 1de 49

Cultura Egípcia

T R A B A L H O PA R A A D I S C I P L I N A : C U LT U R A S E C O S T U M E S B Í B L I C O S

PROFESSOR: PR. HENRIQUE AMURAIBY

BRUNO MENEZES; DIOGO NUNES; FEBE BARBOSA; FRANCIANE OLIVEIRA ; INARA ROMEIRO; TIAGO
FREIRE; WILKER BEZERRA; ZENAIDE BARROS
História da civilização egípcia
História da civilização egípcia
Uma das principais
civilizações que se  Formada a partir da
desenvolveu na região do mistura de diversos povos
crescente fértil

A partir de 4000 a.C* os
egípcios passaram a se Sua história se divide em
organizar em nomos, que Antigo Império, Médio
deram origem ao Alto
Império e Novo Império
Egito e ao Baixo Egito
História da civilização egípcia:
Antigo Império (3200 a.C - 2000 a.C)
 Menés (Narmer) conquistou o Baixo Egito, tornando-se
o primeiro Faraó e inaugurando o período dinástico

 Faraós formaram a sua identidade como deuses vivos


na terra, detentores das maiores riquezas e dos poderes
político, religioso e militar

Tínis era a capital

Quéops, Quefren e Miquerinos mandaram construir as
pirâmides de Gizé

A partir de 2300 a.C aconteceram guerras internas e


grave crise social
História da civilização egípcia:
Médio Império (2000 a.C - 1580 a.C)
Foi restabelecido o poder faraônico, por causa do enfraquecimento dos nomarcas

A "paz" interna passou a reinar e o exército foi reorganizado

Por volta de 1800 a.C a 1700 a.C os hicsos tomaram o poder

"Durante o domínio hicso os hebreus entraram no Egito e se fixaram livremente. Com a


expulsão dos hicsos (± 1580 a.C.), os hebreus foram escravizados, até que Moisés
liderou o povo rumo à Terra Prometida, em 1250 a.C., num episódio relatado na Bíblia
como Êxodo"
História da civilização egípcia:
Novo Império (1580 a.C - 670 a.C)
•  Os hicsos foram expulsos pelo príncipes de Tebas
•  Período conhecido como "Imperialismo" e "Militarismo"

• Reforma religiosa: Amenófis IV unificou todos os deuses com um


único símbolo
• Nova capital: Akhetaton (cidade do sol). 

•  Tutankamon assumiu o poder e trouxe de volta a


adoração politeísta. Após sua morte um cenário de instabilidade
geral se estabeleceu e o Egito passou a ruir progressivamente

•  670 a.C., os assírios invadiram o Egito; em 525 a.C., os persas; em


332 a.C., Alexandre, da Macedônia; por fim, em 30 a.C., os
romanos."
Religião

•  A religião
do Egito Antigo influenciava
diretamente em como os egípcios viviam como
os aspectos de nascimento, casamento, morte e
festas. 
• Politeista

• Dois Conceitos importantes 


 Maat
 Heka
Religião
•  Deuses onipresentes 
• deus sol, Rá (Khepri)

• Os egípcios criam que o princípio do universo foi


iniciado por deus que autocriou seus aspectos chamado
Religião

• Panteão Egípcio 
• Antropomórfica (forma humana) 
• Zoomórfica (forma animal) 
• Antropozoomórfica (forma animal e
humana).
Religião
•  Deuses Conhecidos
• Hórus (deus do céu, do sol
nascente e mediador de
mundos)
• Rá (deus sol)
• Ísis (deusa da fertilidade)
• Anúbis (deus dos mortos)
• Maat (deusa da justiça) 
Bastet (deusa dos gatos e
da fertilidade). 
Religião
•  Vida após a morte
• acreditavam que a vida terrena era apenas
uma jornada que eles precisavam viver de
forma mais justa possível pois seria crucial
para definir o destino de cada um.
• Os mortos seriam julgados por Osíris
• A Mumificação
Religião
• Vida após a morte
• As seputuras 
 Os hipogeus 
 As mastabas 

MASTABA
Religião
•Adoração nos templos
• Era feita por sacerdotes, que podiam ser
tanto homens quanto mulheres
(responsáveis pela adoração as deusas). 
Economia
Nilo

 Sustento do Egito Antigo


 Agricultura 
 Produção de Alimentos
 Comércio externo
 Calendário
 Nilômetro 
Agricultura
Sociedade
Mulher Egípcia 
Arte e
Arquitetura
Na cultura egípcia, por serem bastante
religiosos, a arte e a arquitetura tinha
como finalidade a adoração aos seus
deuses.

Grande parte das obras de arte feitas,


pintura e escultura, tiveram como
intuito a decoração de túmulos e
templos. E a forma como representavam
o ser humano era numa posição que se
chama de “posição hierática” (rígidos e
respeitosos, cabeça e pernas de perfil e
o tronco para a frente)
A arte egípcia, ao contrário do que se
pensa, não era com o intuito de ser
exibida para o mundo.

Ainda que nos nossos dias podemos


observar os maravilhosos túmulos de
Tutankhamun e de outros faraós, nunca
eram para ter sido abertos.

Os egípcios planejavam suas obras para


que fossem “expostas” nos túmulos e nos
santuários. Não eram obras para serem
apreciadas pela sua beleza, e sim para
prestar culto às diversas divindades.

Elas visavam, em seus aspetos, à vida


após a morte, marcando para a eternidade
a força e o poder dos faraós.
As características gerais da
arquitetura e arte egípcias são:

• Solidez e durabilidade;

• Sentimento de eternidade;

• Aspecto misterioso e impenetrável.

• Grande escala
Por serem peças bastante
trabalhadas e com o intuito de
serem duradouras, naturalmente
era um trabalho muito
dispendioso. Só as camadas
mais altas da sociedade
conseguiam comportar
tamanhos gastos.

Algumas famílias construíram


jazigos, onde os membros mais
influentes da família seriam
enterrados.
Os templos, os túmulos e
as esculturas foram
decorados com hieróglifos
e pinturas, cujos murais
retratavam cenas
religiosas, militares e do
dia a dia.
Escrita e literatura

Esta Foto de Autor Desconhecido está licenciado em CC BY-SA


Escrita Hieroglífica
 A escritahieroglífica era a escrita mais utilizada no
Egito. Os hieróglifos eram desenhos e símbolos que
representavam alguma ideia, ou conceito ou até mesmo
um objeto. Quando juntados, eles formavam textos. Este
tipo de escrita era dominado principalmente por escribas.

Etimologia: origem da palavra

A palavra hieróglifo vem da palavra


grega hierogluphikós, que signfica "escritura sagrada".
Esta Foto de Autor Desconhecido está licenciado em CC BY-SA
Escrita Hieroglífica
Características principais:
Esta Foto de Autor Desconhecido está licenciado em CC BY
 Os hieróglifos eram escritos em papiros, ou em
pirâmides.

A escrita hieroglífica é a característica mais importantes


para conseguir estudar e entender a cultura egipcia

Esta Foto de Autor Desconhecido está licenciado em CC BY-SA-NC


Jean-François
Champollion
Curiosidades históricas:

Jean-François Champollion, egiptólogo e linguista de


nacionalidade francesa, fez a decifração dos hieróglifos
egípcios. Isso aconteceu entre os anos de 1822 e 1824,
usando a Pedra de Roseta como fonte.

Esta Foto de Autor Desconhecido está licenciado em CC BY-NC-ND


Evolução dos hieróglifos
 Hierático:
 as mesmas bases dos hieróglifos, só que se
podiam escrever (pintar) em papiros ou até
mesmo em placas de barros.

 Demótico:
 nessa evolução os hieróglifos começaram a
ficar mais bonitos aparentemente, isso foi
possível com a adaptação de sinais gregos aos
hieróglifos.
Literatura
O Diálogo de um Misantropo com sua Alma:
◦ é uma condenação das iniquidades e injustiças dessa vida e uma exaltação da outra – verdadeira libertação de todos os
infortúnios humanos.

As aventuras de Sinehue:
◦ autobiografia movimentada de episódios interessantes

História do Náufrago:
◦ odisseia vivida por um marinheiro egípcio. 

Esta Foto de Autor Desconhecido está licenciado em CC BY-NC


Literatura
o Hino a Amon Rá:
◦ exalta a grandeza da divindade amoniana

Canto Triunfal de Ramsés II:


◦ exalta os feitos do faraó vencedor dos hititas.

Livro dos Mortos:


◦ reunião de textos de cunho moral que deveriam ser recitados pela alma do morto ao comparecer ante ao Tribunal de
Osíris, deus da vegetação, das forças da natureza e dos mortos.

Esta Foto de Autor Desconhecido está licenciado em CC BY-NC


As ciências na civilização
As ciências na civilização
Egípcios não eram muito
filosóficos, desenvolveram
o seu saber para resolução
de problemas práticos como
construção, enfermidades,
contabilidade e estações
agrícolas. 
• Química: manipulação de substâncias
químicas surgiu no Egito e deu origem à
fabricação de remédios e composições. 

As ciências • Matemática: foi desenvolvida devido as


na transações comerciais e a necessidade de
padronização de pesos e medidas.
civilização Desenvolveram a álgebra e a geometria.

• Astronomia: orientava a navegação e


atividades agrícolas. Também desenvolveram
a Astrologia.
As ciências na civilizaçã
o
O desenvolvimento científico nos campos
da astronomia e da matemática tinha fins
práticos. Os egípcios utilizavam os
cálculos para prever as cheias do rio Nilo,
dividir as terras aráveis e as construções
hidráulicas e, deste modo, civis e, por
meio deles, foram desenvolvidas a
aritmética, a geometria e a álgebra. 
As ciências na civilizaçã
o
O ano de 365 dias baseava-se no Sol
e dividia-se em três estações:
inundação, semeadura e colheita. Se
na astronomia e na matemática a
civilização egípcia não atingiu o
nível dos babilônios, na medicina, o
progresso foi notável.
As ciências n
a civilização
Medicina: devido ao respeito
pelos mortos, cadáveres não eram
dissecados, mas mumificação
permitia tais estudos. Médicos
especializavam-se em diferentes
partes do corpo. Apesar disso a
medicina era ligada a magia.
Tratamentos variavam desde livro
velho fervido com azeite até
excremento de crocodilo.
As ciências na
civilização
A fama dos médicos egípcios
atravessou fronteiras, chegando às
Cortes da Síria, Assíria e Pérsia.
Esse desenvolvimento se explica
pela prática da mumificação, que
favoreceu o estudo do corpo
humano.
As ciências na
civilização
Os egípcios eram caprichosos
joalheiros e marceneiros.
Na marcenaria, se destacaram
pelos detalhes no entalhamento
dos móveis e modernidade dos
projetos. Já produziam móveis
dobráveis e foram os precursores
das camas com estrado. “Os
egípcios de classes mais altas
foram os primeiros a dormir em
camas de madeira com estrado”. 
Pirâmides e
outras
paisagens
Pirâmides
•Existem cerca de 130 no Egito

•As mais famosas são as três


pirâmides encontradas em Gizé
•Esfinge de Gizé
• Maior estatua feita de monólito.
Curiosidades
A maior delas possui mais de 140 metros de altura.
•• Equivalente
Equivalente aa um
um prédio
prédio de
de 40
40 andares.
andares.

Suas paredes eram 'lisas'.

Boa parte da deterioração é de responsabilidade humana. 

Cada pedra pesava entre 2 a 15 toneladas

Acredita-se que não houve mão de obra escrava na sua construção


Obeliscos
• Templo de Luxor
• Cada um destes obeliscos possui
23 metros de altura.

• O obelisco que falta nesta imagem se


encontra hoje na França.
• Foi uma oferecido aos franceses
em 1829.
• Hoje pode ser encontrado na praça
da Concórdia, em Paris.
Mar vermelho
•Não é vermelho
• As aguas do mar são muito cristalinas
• Excelente para a prática de mergulho

•Possui um dos mais belos corais do mundo.

•Muito visitado por conta da sua beleza e importância no relato bíblico. 


REFERÊNCIAS
AGUIAR, Lilian M.M. A economia do Egito Antigo. Disponível em:< https://www.historiadomundo.com.br/idade-antiga/a-economia-no-antigo-egito.htm>. Acesso
em: 17 de out. de 2020.

FERREIRA, Lucas. Calendário Egípcio. Disponível em:< https://antigoegito.org/calendario-egipcio/> Acesso em: 19 de out. de 2020.

RAMOS, Jefferson E.M. Economia do Egito Antigo. Disponível em: <https://www.suapesquisa.com/egito/economia_egito_antigo.htm >. Acesso em: 17 de out. de
2020.

TOFFOLI, Leopoldo. Economia e Sociedade no Egito Antigo. Disponível em: <https://www.infoescola.com/civilizacao-egipcia/economia-e-sociedade/ >. Acesso


em: 17 de out. de 2020.

GIMENEZ, K. A Incrível Ciência do Egito Antigo. Super Interessante. Disponível em: <https://super.abril.com.br/especiais/a-incrivel-ciencia-do-egito-antigo/>.


Acesso em: 19 Outubro 2020.

MOUTINHO, W. T. Civilização Egípcia. Cola da Web. Disponível em: <https://www.coladaweb.com/historia/civilizacao-egipcia/>. Acesso em: 19 Outubro 2020.

VARGAS, F. F. G. R. Egito Antigo. Brasil Escola: Monografias Brasil Escola. Disponível em: <https://monografias.brasilescola.uol.com.br/historia/egito-
antigo.htm/>. Acesso em: 19 Outubro 2020.

Você também pode gostar