Você está na página 1de 40

MINHOCULTURA

MINHOCÁRIO

Aluna: Líliam Cunha

Salvador
2019
MINHOCULTURA
A minhocultura tem desempenhado um papel muito importante para todo o setor
agrícola. No Brasil, segundo dados da Sociedade Nacional de Agricultura (SNA),
começou a despertar o interesse dos agricultores a partir da década de 80, por causa
do baixo custo de produção e fácil integração com outras atividades rurais.
MINHOCULTURA
De lá para cá, principalmente devido aos
novos nichos de mercado em torno do
setor agropecuário, a criação de minhocas
volta ao cenário como um bom negócio,
para quem mantém um minhocário tanto
no campo quanto na cidade.

Ricas em proteínas, as minhocas são uma boa opção de alimento


para animais. É um dos pratos prediletos de criações de aves, rãs e
peixes. Servem ainda para a fabricação de farinha e podem ser
usadas como isca viva na pesca esportiva. Outro papel importante
das minhocas é na eliminação de lixo orgânico.
MINHOCAS NA AGRICULTURA

Não só por sua grande capacidade


de produção de húmus, principal
fonte regeneradora do solo, as
minhocas também se destacam pela
sua interferência física com a grande
quantidade de terra movimentada
em seus deslocamentos.
MINHOCAS NA PECUÁRIA

Os baixos investimentos exigidos na sua


criação têm levado muitas pessoas a se
interessarem em explorar a minhocultura
no Brasil como uma fonte de proteína
barata, para a alimentação de pequenos
animais, como rãs, peixes, aves,
camarão-de-água-doce, e,
principalmente, na produção de húmus,
esterco de minhoca ou vermicomposto
(terra vegetal), para fins de jardinagem,
florístico, de paisagismo e da agricultura
em geral.
MINHOCAS NA PECUÁRIA

Os baixos investimentos exigidos na sua


criação têm levado muitas pessoas a se
interessarem em explorar a minhocultura
no Brasil como uma fonte de proteína
barata, para a alimentação de pequenos
animais, como rãs, peixes, aves,
camarão-de-água-doce, e,
principalmente, na produção de húmus,
esterco de minhoca ou vermicomposto
(terra vegetal), para fins de jardinagem,
florístico, de paisagismo e da agricultura
em geral.
ÍNDICES ZOOTÉCNICOS

Longevidade: dependendo da espécie pode atingir


uma vida útil de até 20 anos; em média; elas vivem
quatro anos;

Reprodutivo: Uma minhoca pode gerar em torno de


1,5 mil descendentes por ano;
ÍNDICES ZOOTÉCNICOS

Produção de húmus: uma minhoca pode ingerir por dia o


equivalente ao seu peso e dejetar, na forma de húmus, 70%
do material ingerido. Uma minhoca pode ser comparada a
uma “micro-usina viva de transformação (beneficiamento)”.
PRODUÇÃO DE MINHOCAS NO BRASIL E NO MUNDO

 Acredita-se que no mundo existam


mais de 8 mil espécies diferentes de
minhocas.
 No Brasil, são conhecidas entre 240
e 260 espécies, sendo as mais
utilizadas para a produção de húmus
as minhocas Vermelha-da-Califórnia
e a Gigante-Africana.

• entre nós, uma atividade recente e desconhecida do grande público. A


exemplo dos demais países da América do Sul, ela teve início no final de
1983, com matrizes trazidas da Itália pelo Comendador Lino Morganti, para a
sua propriedade em ltú (SP).
PRODUÇÃO DE MINHOCAS NO BRASIL E NO MUNDO

Thomas Barret, considerado o


"pai" da criação de minhocas em
cativeiro, foi o primeiro a
demonstrar a viabilidade de criá-
las em larga escala, através de
um sofisticado sistema de
canteiros, na década de 40, nos
EUA, daí ser esse país
considerado a pátria da
minhocultura.

EUA – primeiro país a promover


a criação de minhoca com
interesse comercial;
5 ESPÉCIES DE MINHOCAS MAIS COMUNS NO BRASIL

Amynthas gracilis
Conhecida popularmente como minhoca-louca, puladeira ou bailarina. É
uma espécie exótica (de origem asiática), mas muito comum em áreas
agrícolas (antigas, sem manejo físico do solo), jardins e hortas aqui no
Brasil. Foi a minhoca que reapareceu nos Campos Gerais do Paraná após
o advento e uso do plantio direto.
5 ESPÉCIES DE MINHOCAS MAIS COMUNS NO BRASIL

Pontoscolex corethrurus
Conhecida como minhoca-mansa, é apigmentada (sem coloração),
pois habita o interior do perfil do solo. É uma espécie peregrina no
Brasil, pois é originária da região das Guianas, com alta capacidade
adaptativa e que se espalhou pela maioria das regiões do Brasil e do
mundo.
5 ESPÉCIES DE MINHOCAS MAIS COMUNS NO BRASIL

Glossoscolex e Fimoscolex
São dois gêneros nativos brasileiros que ocorrem especialmente nas
regiões Sul e Sudeste e há muitas espécies novas sendo descobertas.
São encontradas em áreas agrícolas antigas sob plantio direto ou que não
tenham o cultivo convencional em seu histórico.
5 ESPÉCIES DE MINHOCAS MAIS COMUNS NO BRASIL

Urobenus brasiliensis
É uma minhoca de superfície do solo, muito sensível, pois quando
manipulada fragmenta o corpo como forma de defesa. Possui coloração
cinza-escuro ou vermelho-amarronzado. Ocorre no Sul e Sudeste, em
geral em floresta nativa. Tem surgido em área de integração.
5 ESPÉCIES DE MINHOCAS MAIS COMUNS NO BRASIL

Dichogaster gracilis
São minhocas pequenas (de 3 a 7 centímetros) que habitam a superfície
do solo, levemente pigmentadas. Este gênero é de origem africana e
também muito comum em áreas agrícolas antigas e que passaram por
cultivo convencional depois de adotar o sistema de plantio direto.
OBJETIVOS DA CRIAÇÃO DE MINHOCAS

 Pesca, como isca;


 Composição de farinhas
proteicas para diversos fins;
 Industria farmacêutica, para
produção de medicamentos;
 Na agricultura para
recuperação de solos
áridos;
 Transformação de restos
orgânicos agrícolas;
 Alimentação animal
(minhoca viva ou ração)
MANEJO

É uma atividade que não requer mão de obra


especializada, podendo ser feito por qualquer pessoa;
MATÉRIA PRIMA

Para o carregamento do
canteiro, podemos usar o
esterco animal curtido, lixo
domiciliar ou outra fonte de
matéria orgânica em
decomposição, que, além de
servirem como um ambiente
natural para as minhocas,
são usados na sua
alimentação. Para tanto, o
esterco de gado, o mais
utilizado, deve ser
fermentado-compostado.
MATRIZES

As matrizes podem ser adquiridas com os criadores que as


comercializam, tendo, geralmente, como base de venda o
litro de minhocas (mais ou menos 1.500), cujo preço varia
de acordo com a região.
CONDUÇÃO DO CANTEIRO

 Além da alimentação (esterco), da temperatura,


da acidez, da aeração e da drenagem do
canteiro, o teor de umidade é da máxima
importância para o desenvolvimento das
minhocas; sempre que o teor cair abaixo de
80%, o canteiro deve ser irrigado. Cuidados
especiais devem ser dados, quase que
diariamente, aos inimigos naturais das
minhocas: galinha; porco; sanguessuga;
pássaros; formiga lava-pé; etc.
COLHEITA
 Manual
 Mecanizada
CONSTRUÇÃO DO MINHOCÁRIO
POVOAMENTO DOS CANTEIROS

 Para iniciantes: 1 litro de minhocas/metro


quadrado de canteiro, com comprimento
de 5 a 6 metros (fase de adaptação e
multiplicação das matrizes).
 Canteiro comercial: 5-6 ou mais litros de
minhocas/metro quadrado de canteiro, já
que elas foram produzidas pelo próprio
criador.
CONSTRUÇÃO DO MINHOCÁRIO

 Largura entre 1 e 1,5 metros;


 Profundidade: 30 a 50 cm
 Comprimento: não há especificação
 Para a construção do canteiro, ao nível do
solo, com fundo de terra batida, podem
ser usados tijolos, blocos, tábuas e o
bambu aberto no meio
 Declividade interna de 2%, para facilitar o
sistema de drenagem.
 Entre um canteiro e outro deve haver um
espaço mínimo suficiente para o trânsito
de carrinhos de mão.
TIPOS E CUSTOS DE MINHOCÁRIO
TIPOS E CUSTOS DE MINHOCÁRIO

Minhocário de Alvenaria e Cobertura


O minhocário de alvenaria com
cobertura tem custo maior e aparência
empresarial.
É utilizado por instituições públicas e
privadas promotoras de cursos e visitas
técnicas.
As paredes são formadas por duas
linhas de blocos e rebocadas fora e
dentro.
Têm cerca de 0,4 a 0,5 m de altura.
O piso é geralmente cimentado e com
declividade de 2% para drenar excesso
de água que será direcionada a cano
com tela
TIPOS E CUSTOS DE MINHOCÁRIO

Minhocário de tronco de coqueiro


A construção de minhocário com
troncos de coqueiros é fácil e de baixo
custo, equivalendo à contratação de 3-
4 homens dia, considerando o tamanho
dos troncos, corte, transporte e
construção do minhocário. Além dos
troncos, necessita-se de piquetes para
fixação, e se houver disponibilidade de
tela (tipo sombrite), deve-se colocá-la
dentro do minhocário facilitando o
manejo do substrato (colocação e
renovação) e colheita do húmus entre
os troncos.
Dependendo da localização do minhocário, se protegido ou não do sol e
da chuva, os troncos podem durar em média 2 a 4 anos
TIPOS E CUSTOS DE MINHOCÁRIO

Minhocário de manilha

 Baixo custo: cerca de R$ 60,00 a R$ 100,00


 Tem dimensões de 1 m de diâmetro e 0,5 m de altura.
 Tem capacidade para 0,235 m³ ou 235 L com produção
aproximada de 100 kg de húmus a cada 45-60 dias.
 Mais adequado quintais, nas cidades, ou em propriedades
próximas aos grandes centros
TIPOS E CUSTOS DE MINHOCÁRIO

Minhocário de bambu

 consiste em canteiros feitos com estacas de bambu para dar


sustentação.
 Os bambus são colocados uns sobre os outros e fios de
arame são trançados junto a eles para garantir sustentação.
TIPOS E CUSTOS DE MINHOCÁRIO

Minhocários caseiros
TIPOS E CUSTOS DE MINHOCÁRIO

Minhocário de bambu

 Após a montagem da estrutura, coloca-


se tela plástica (sombrite) para cobrir o
fundo e as laterais do canteiro, costurada
no bambu com o próprio arame.
 baixo investimento, tornando o processo
mais econômico e, também, ecológico,
em função dos materiais usados.
 possibilita melhor aeração e temperatura
mais amena para as minhocas,
adequando-se bem tanto ao pequeno
produtor rural quanto ao urbano.
GALPÃO

Não precisa ser todo fechado;


Deve permitir o tráfego de carrinhos de mão;
O telhado pode ser de telhas de cimento amianto ou de

barro, podendo ser ainda de palha, desde que impeça a


entrada de água da chuva;
As paredes podem ser de alvenaria, tela, lascas de

bambu ou ripas. É recomendado que não possuam mais


de 1,5 metros de altura, para permitir a entrada de luz;
Deve dispor de uma fonte de água limpa para molhar os

canteiros;
Deve ser construído em um local de fácil acesso;
A construção em lugares baixos deve ser descartada,

para evitar encharcamento.


MINHOCÁRIO UFBA
MINHOCÁRIO UFBA
PLANTA BAIXA
PLANTA BAIXA
PLANTA BAIXA
PLANTA BAIXA
OBRIGADA!
LILIAMCUNH@HOTAMIAL.COM