Você está na página 1de 56

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

ANIMADOR
PERFIL E ESTATUTO PROFISSIONAL

Formadora: Cristina Silva


INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

 ESTATUTO DO ANIMADOR;

 DEVERES E DIREITOS – APTIDÃO E VOCAÇÃO;

 PAPEL E FUNÇÕES DO ANIMADOR;

 PERFIL DE COMPETÊNCIAS DO ANIMADOR;

 A FORMAÇÃO DO ANIMADOR COMO ESTRATÉGIA


DE VALORIZAÇÃO E ACTUALIZAÇÃO;
Tarefa nº1

 Formar grupos de dois elementos.


 Elaborar um pequeno texto sobre o que é
a animação e o perfil e funções de um
animador.
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

O QUE É ANIMAR?
“ DAR VIDA A; ACÇÃO; MOVIMENTO;

ENTUSIASMO; CRIAR ÂNIMO;… ”

“ANIMAÇÃO SOCIOCULTURAL é o conjunto de práticas


desenvolvidas a partir do conhecimento de uma
determinada realidade, que visa estimular os indivíduos de
uma comunidade. Instrumento decisivo para o
desenvolvimento multidisciplinar integrado (social,
económico, cultural, educacional, etc.) dos indivíduos e
dos grupos.”
http://anasc.no.sapo.pt/estatutodoASC.htm
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

ANIMAÇÃO

É uma profissão específica mas é também um estilo ou


atitude de outras profissões.

É muito mais do que um conjunto de práticas criativas e


participativas.

O universo da Animação Sociocultural é amplo e diverso.

O facto de se trabalhar com pessoas implica mudança e


adaptação. O comportamento e comunicação são
determinantes nas interacção com as outras pessoas.
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

A figura do animador desempenha um


papel central no método da animação. É
ele quem assume a responsabilidade de
promover a vida do grupo através do uso
dos instrumentos que dinamizam as
pessoas envolvidas por este método.
 Dinâmica de comunicação: rectângulos
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

ESTATUTO
ANIMADOR
(latim statutum)
1. Decreto, lei.
2. Regra ou norma de funcionamento. = regulamento
3. Condição ou situação de uma pessoa ou entidade.

“ ANIMADOR SOCIOCULTURAL é todo aquele que, sendo


possuidor de uma formação adequada, é capaz de
elaborar e/ou executar um plano de intervenção, numa
comunidade, instituição ou organismo, utilizando técnicas
de animação, independentemente do sector de
intervenção.”
http://anasc.no.sapo.pt/estatutodoASC.htm
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

DIREITOS E DEVERES PROFISSIONAIS


Capítulo II
 DIREITOS (Artigo 2º)

1. São garantidos aos ASC os direitos estabelecidos


para os trabalhadores em geral.
2. São direitos profissionais do ASC:
a) Direito de participação
b) Direito à formação e informação para o
exercício da sua função;
c) Direito de apoio técnico, material e documental;
d) Direito à segurança na actividade profissional;
e) Direito à negociação colectiva.
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

Artigo 3º - Direito de participação

1 - O direito de participação exerce-se nos diferentes


âmbitos da animação sociocultural.

2 - O direito de participação que, consoante os casos, é


exercido individualmente, em grupo ou através de
organizações profissionais ou sindicais, que venham a
formar-se, compreende:

a) O direito de participar na definição da política de


animação sociocultural à escala comunitária, nacional,
regional e local;
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

b) O direito de intervir na orientação pedagógica dos


projectos de animação sociocultural em que se
encontre envolvido, bem como na escolha dos
métodos, das tecnologias e técnicas de animação
mais adequadas;

c) O direito de participar em experiências de animação


sociocultural, bem como nos respectivos processos de
avaliação;

d) O direito de eleger e ser eleito para organizações


profissionais ou sindicais, que venham a formar-se.
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

Artigo 4º - Direito à formação e informação

1 - O direito à formação e informação para o exercício da


sua função é garantido pelo acesso a acções de
formação contínua regulares, destinadas a actualizar e
aprofundar os conhecimentos e as competências
profissionais e ainda à autoformação, podendo visar
objectivos de reconversão profissional, bem como de
mobilidade e progressão na carreira.
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

Artigo 5º - Direito ao apoio técnico, material


e documental
1 - O direito ao apoio técnico, material e documental
exerce-se sobre os recursos necessários à formação e
informação do ASC, bem como ao exercício da
animação sociocultural.
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

Artigo 6º - Direito à segurança na actividade


profissional

1 - O direito à segurança na actividade profissional


compreende a protecção por acidentes em serviço,
nos termos da legislação aplicável, bem como a
prevenção e tratamento de doenças que venham a ser
definidas por portaria conjunta dos Ministérios da
Saúde e da Qualificação do Emprego, como
resultando necessária e directamente do exercício
continuado da função do animador.
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

2 - O direito à segurança na actividade profissional


compreende ainda, nos termos dispostos no artigo 385
do <código Penal, a penalização da prática de ofensa
corporal ou outra violência sobre o ASC no exercício
das suas funções ou por causa delas.

3 – Direito ao sigilo e confidencialidade.


INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

Artigo 7º - Direito à negociação colectiva

1 – É reconhecido ao ASC o direito à negociação colectiva,


nos termos legalmente previstos.
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

 DEVERES (Artigo 8º)


1. O ASC está obrigado ao cumprimento dos deveres
estabelecidos para os trabalhadores em geral.
2. Decorrendo da natureza da função exercida, são
deveres profissionais do animador:

a) Contribuir para a formação e realização integral


dos indivíduos, promovendo o desenvolvimento
das suas capacidades, estimulando a sua
autonomia e criatividade, incentivando a
formação de cidadãos civicamente
responsáveis e democraticamente
intervenientes na vida da comunidade;
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

b) Reconhecer e respeitar as diferenças


socioculturais dos membros da comunidade,
valorizando os diferentes saberes e culturas,
combatendo processos de exclusão e
discriminação, promovendo a interculturalidade;

c) Colaborar com todos os intervenientes da


animação sociocultural, favorecendo a criacção
e o desenvolvimento de relações de respeito
mútuo;
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

d) Participar na organização e assegurar a


realização das actividades de animação
sociocultural;
e) Sigilo profissional, respeitando a natureza
confidencial da informação relativa aos
cidadãos;
f) Reflectir sobre o trabalho realizado individual e
colectivamente;
g) Enriquecer e partilhar os recursos da animação
sociocultural, bem como utilizar novos meios
que lhe sejam propostos numa perspectiva de
abertura à inovação e de reforço da qualidade
da animação sociocultural;
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

h) Co-responsabilizar-se pela preservação e uso


adequado das instalações e equipamentos que
utilize;

i) Actualizar e aperfeiçoar os seus conhecimentos,


capacidades e competências, numa perspectiva
de desenvolvimento pessoal e profissional;

j) Cooperar com os restantes intervenientes na


animação sociocultural com vista à
implementação de projectos e animação;

k) Promover as relações internacionais e a


aproximação entre povos;
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

TIPOLOGIAS DE ANIMADOR

 Animador Sociocomunitário

 Animador Cultural

 Animador Social

 Animador Socioeducativo

 Animador Turístico e/ou Desportivo


INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

DESIGNAÇÕES
 Animador Sociocomunitário

Educação pela arte, por exemplo o Teatro;


INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

 Animador Cultural

Estimula os participantes no desenvolvimento


de jogos lúdico-pedagógicos e actividades
culturais e artísticas;
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

 Animador Social
 Animador Socioeducativo

Estimula a iniciativa e a participação através de


práticas/actividades sociais e educativas.
Educação comunitária (saúde, educação intercultural e
tempo livre).
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

 Animador Turístico e/ou Desportivo

Promove o lazer, a educação e cultura através


de actividades desportivas;
Estimula o exercícios da actividade física e o
recreio.
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

 Animador Freelancer

Trabalhador, por conta própria, que


promove e desenvolve as suas próprias
actividades de animação.

Animação de festas Animação de rua Face e body


paiting
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

Organização de eventos
Ateliers artísticos

Dinâmicas de grupo
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

Olha o horizonte amigo,


E vê o mundo que passa.
Todos esperam por ti,
Por esse dom, por essa graça.

Tens em ti o compromisso,
O testemunho de uma missão.
Dá um passo em frente e segue,
Vai ao encontro do teu irmão.

Já todos esperam por ti,


Buscam um animador.
Escuta o chamamento:
Serviço, respeito e amor….
Madalena Robalinho
“O Método da Animação, Manual para o Formador”
Página 278; AVE (Associação dos Valentes Empenhados);
Porto, 2002.
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

PAPEL do animador
O papel do animador consiste em
desenvolver a auto estima, a
confiança e a personalidade dos
participantes, fazendo com que
estes tomem a iniciativa de levar a
cabo actividades sociais, culturais
e educativas.
O animador deve criar um
dinamismo comunitário que
reforce o conjunto social e as
redes sociais, e ainda despertar
o interesse dos participantes
por uma formação persistente.
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

FUNÇÃO do animador
As suas funções consistem em organizar, coordenar
e desenvolver actividades de animação.

Como???

Desenvolvendo grupos e comunidades através da


programação de um conjunto de actividades a nível
educativo, cultural, desportivo e social. Bem como
promovendo, encorajando, animando e despertando
ansiedades que afoitam a acção e germinam
potencialidades latentes a todos os indivíduos,
grupos sociais e comunidades. Avaliando os
programas e elaborando os respectivos relatórios.
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

FUNÇÃO do animador

ORGANIZAR DESENVOLVER

COORDENAR

… actividades de animação.
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

Acção:
– objectivos
ORGANIZAR – público-alvo
– local da acção
– duração

RECURSOS
EQUIPAMENTOS
REUNIR E FINANCEIROS

GERIR

RECURSOS
HUMANOS
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

Resumindo PAPEL e FUNÇÃO


Possui uma dupla função: Deve garantir:
- Bom relacionamento;
Interveniente
- Método de trabalho;
Mediador
- Eficácia do grupo;

 Promover actividades em beneficio de uma comunidade,


através de instrumentos que dinamizam as pessoas.
 Desenvolver actividades culturais, educativas, desportivas
ou lúdicas.
 Orientar as actividades com vista a dirigir a participação
do grupo.
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

Qual o perfil de competências


necessárias para se ser
animador?
 
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

• O SER DO ANIMADOR
(Identidade pessoal, maturidade,
modo de estar com os outros,
Para filosofia de vida)
desempenhar
bem a sua • O SABER DO ANIMADOR
função o
(Conhecimentos para desempenhar
animador tarefas – métodos e comunicação)
deve ter em
conta:
• O SABER-FAZER DO ANIMADOR
(Metodologia para dar vida ao grupo)
SABERES
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

Noções de:
- Politica social
- Gerontologia (animação e cuidados a idosos)
- Tecnologias de informação

Conhecimentos de: Conhecimentos


- Expressão corporal, dramática, musical e aprofundados de:
plástica
- Psicopatologia da adolescência e da - Técnicas de animação
juventude - Intervenção comunitária
- Educação física, desporto e equipamentos - Animação e Intervenção social
desportivos - Artes e actividades recreativas
- Psicologia
- Sociologia
- Psicossociologia
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

SABER – SER

 Curiosidade intelectual, espírito crítico e de questionamento.

 Criatividade e inovação.

 Capacidade de diálogo e cooperação com os outros.

 Flexibilidade e abertura à mudança.


INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

SER
social e relacional
 Fazer parte de equipas multidisciplinares.

 Adaptação às diferenças individuais e socioculturais.

 Comunicação clara, persuasiva e assertiva.

 Gerir e avaliar conflitos e adaptar-se a situações imprevistas.


INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

SABER - FAZER
Promove (desenvolvimento e qualidade)
Planifica
Executa Projectos e Programas
Avalia

Identifica
Inventaria Necessidades e Recursos
Mobiliza

Apoia/suporta indivíduos
Capacita grupos
Dinamiza instituições
Apoia comunidades
Organiza e presta informações

Contextualizado num território geográfico, social e cultural específico.


INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

PERFIL DE COMPETÊNCIAS

 FORTES COMPETÊNCIAS SOCIAIS – o animador


deve gostar de comunicar e estar com pessoas.

 CRIATIVIDADE – um animador é
constantemente desafiado a tomar
atitudes, logo tem de apelar para a
imaginação. Espírito de adaptação.
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

PERFIL DE COMPETÊNCIAS
 DINAMISMO – é fundamental o animador envolver-se nas
actividades com energia e emoção. Contagiar o grupo.

 EMPATIA – para tomar decisões adequadas o animador


deve ser capaz de se colocar no lugar dos outros.

 QUALIDADES DE LIDERANÇA –
o animador deve explicar com
clareza as actividades. Tem de saber
o que vai fazer, como e porquê.
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

PERFIL DE COMPETÊNCIAS

 ATITUDE CONSTRUTIVA –
o animador deve ser positivo e valorizar
o que for realizado correctamente.
Deve salientar-se o que cada um tem
de melhor e ser honesto ao fazê-lo.
Incentivar, fomentar e estimular as
iniciativas dos indivíduos.
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

PERFIL DE COMPETÊNCIAS

 ORGANIZADO – uma planificação adequada e uma


orientação rigorosa são a chave para o sucesso.

 ENTUSIASTA - promover o
trabalho de grupo, a cooperação e
a comunicação. Melhorar as
relações
e favorecer a aprendizagem.
Tarefa nº2
 Realização de uma ficha de avaliação de
conhecimentos
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

PERSPECTIVAS PROFISSIONAIS
Animador

Câmaras Municipais
e Juntas de Freguesia

Educação Cultura

Associações juvenis,
desportivas ou recreativas

Programas de televisão
e rádio

Companhias de teatro

Empresas de animação
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

PERSPECTIVAS PROFISSIONAIS
Instituições de enquadramento:
Natureza
Estatais (Embaixadas, Partidos, Ministérios...)
Autarquias (Juntas e Câmaras)
I.P.S.S.s (Instituições Particulares de Solidariedade Social)
Misericórdias
Cooperativas
Associações
O.N.G.s (Organização Não Governamental)
Empresas (privadas e públicas)
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

PERSPECTIVAS PROFISSIONAIS
Âmbito
Creches e/ou Jardins de Infância
Escolas (ensino básico e secundário)
Lares e/ou Centros (de dia e de convívio)
Centros (lúdicos e de recursos educativos)
Bibliotecas
Hospitais
Centros de Saúde
Clínicas
Termas
Centros Regionais de Segurança Social
Instituto de Emprego e Formação Profissional
Estabelecimentos prisionais
Institutos de Reinserção Social
Turismo em geral
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

PERSPECTIVAS PROFISSIONAIS
Público-Alvo Situações
Exclusão social
Crianças Dependência
Marginalidade
Adolescentes Desigualdade socioeconómica
Adultos Grupos de risco/vulneráveis
Idosos
Grupos heterogéneos Ao nível de:
Deficientes
Crianças negligenciadas/maltratadas
Toxicodependentes
Alcoólicos
Reclusos
Delinquentes
Acamados
Sem-abrigo
Desempregados
Hospitalizados
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

FORMAÇÃO

A crescente demanda social justifica a necessidade de


formação de animadores socioculturais.

Existe dificuldade em delinear programas formativos


comuns e específicos, devido à enorme heterogeneidade,
tanto a nível de actividades como funções de um animador.

A eficácia, prestigio e autenticidade da prática profissional


advém essencialmente da experiência e da constante
procura de formação.
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

A FORMAÇÃO PERMITE:
- Valorização dos estatutos.
- Aumento das qualificações.
- Reciclagem de conhecimentos.
- Exploração de materiais e técnicas.

ONDE SE FORMAM ANIMADORES

Cursos de curta duração Escolas Profissionais


(IEFP, IPJ, AUTARQUIAS)

Estabelecimentos de Ensino Superior


Dimensões fundamentais da formação
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

Animação Dinâmicas
Grupos Técnicas
Comunicação Expressão corporal
Programação Método narrativo

A formação específica capacita o animador para


situações distintas.
Por exemplo, um animador turístico deverá ter uma
formação especializada na área do turismo.
CATEGORIAS PROFISSIONAIS
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

TÉCNICO PROFISSIONAL DE ANIMAÇÃO SOCIOCULTURAL

TÉCNICO DE ANIMAÇÃO SOCIOCULTURAL

TÉCNICO SUPERIOR DE ANIMAÇÃO E GESTÃO


SOCIOCULTURAL
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

ACESSO ÀS CATEGORIAS
PROFISSIONAIS

TÉCNICO PROFISSIONAL DE ANIMAÇÃO SOCIOCULTURAL

Indivíduos habilitados com cursos de formação


adequados, nomeadamente Cursos de Animação
nas diversas vertentes promovidos por
estabelecimentos de Ensino Secundário e pelas
Escolas Técnico-Profissionais que concedam
habilitação equivalente ao 12º ano;
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

TÉCNICO DE ANIMAÇÃO SOCIOCULTURAL

Indivíduos habilitados com o Curso Superior de


Animação Sociocultural ou outros cursos superiores
no domínio da intervenção social, cultural e
educativa. Estes deverão conferir o grau mínimo de
bacharelato.

Indivíduos que se encontrem há mais de três anos a


desenvolver trabalho de Animação Sociocultural
nas respectivas instituições mas integrados noutra
categoria profissional do grupo respectivo (Técnico).
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

TÉCNICO SUPERIOR DE ANIMAÇÃO E GESTÃO


SOCIOCULTURAL
Indivíduos habilitados com o Curso Superior com grau de
Licenciatura ou equivalente em Animação Sociocultural
ou outros cursos no domínio da intervenção social,
cultural e educativa, considerados adequados à natureza
especifica da Animação Sociocultural.

Indivíduos que se encontrem há mais de quatro anos a


desenvolver trabalho de gestão e coordenação de
programas e projectos de Animação Sociocultural nas
respectivas instituições mas que estejam integrados
noutras categorias profissionais do grupo respectivo
(Técnico Superior).
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP
...
Tens fé e formação,
Conheces a realidade.
E depois deste teu Curso,
Serás especialista em humanidade.

Dinamizas e orientas,
Acompanhas e escutas.
Na partilha e no diálogo,
Sabes que também educas.

Prudente e assertivo,
Sabes como incentivar.
Todos confiam em ti
Para os poderes animar.
Madalena Robalinho
“O Método da Animação, Manual para o Formador”
Página 278; AVE (Associação dos Valentes Empenhados);
Porto, 2002.

Você também pode gostar