Você está na página 1de 13

COMAS

PROF . CARLOS D.F. DE ALMEIDA


ENFERMAGEM INTENSIVA
DEFINIÇÃO
A INCONSCIÊNCIA É UMA CONDIÇÃO EM QUE O
PACIENTE NÃO RESPONDE AOS ESTÍMULOS AMBIENTAIS E NÃO
ESTÁ CIENTE DELES .

A palavra coma vem da palavra grega koma,


que significa "estado de dormir."

O COMA É UM ESTADO CLINICO DE INCONSCIÊNCIA NO


QUAL O PACIENTE NÃO ESTÁ CIENTE DE SI MESMO OU DO
AMBIENTE, POR PERÍODOS PROLONGADOS
CAUSAS
• NEUROLÓGICAS : TCE , AVE;

• TOXICOLÓGICAS : OVERDOSE DE
DROGAS, INTOXICAÇÃO ETÍLICA;

• METABÓLICA : INSUFICIÊNCIA HEPÁTICA


OU RENAL, CETOACIDODE DIABÉTICA.
GRAUS DO COMA
• GRAU I : Coma vígil, torpor ou semi-coma.
( Pode-se reverter 50%).
Sinais : Apenas depresão da consciência;
Paciente abre os olhos e movimenta-se;
Resposta verbal monossilabica;
Funções vegetativas intactas.

• GRAU II : Coma superficial


( Pode-se reverter 25%)
Sinais : Maior comprometimento da consciência;
Sem contato com o meio ambiente;
Paciente não reage a estímulos;
Agitação psicomotora;
Reflexos, espinhais, corneanos e deglutição
deprimidos;
Controle esfincteriano abolido;
Funções vegetativas inalteradas.
GRAUS DO COMA
• GRAU III : Coma profundo
Sinais : Abolição completa da consciência;
Nenhum contato com o meio ambiente;
Não reage a estímulos;
Reflexos espinhais, corneanos e
controle esfincteriano abolido;
Disturbios vegetativos : hipertemia,
taquipnéia, hipo/hipertensão arterial,
hipersecreção brônquica.

• GRAU IV : Coma depassé / Coma


vegetativo
Sinais : Dependente da ventilação mecânica
Reanimação cardíaca;
GERALMENTE IRREVERSÍVEL !!
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO COMA
• FORNECENDO CUIDADO BUCAL :

1. REMOÇÃO DE SECREÇÕES E CROSTAS;


2. MANTER AS MUCOSAS BUCAIS UMEDECIDAS;
3. MOBILIZAR O TOT COM CUIDADO.

• MANTER INTEGRIDADE CUTÂNEA :


1. MUDANÇA DE POSIÇÃO FREQUENTE ( 2 / 2 HORAS );
2. MUDANÇA DE DECÚBITO;

• PRESERVAR A INTEGRIDADE DA CÓRNEA:


1. LIMPEZA DOS OLHOS COM BOLA DE ALGODÃO + SF A 0,9 % ESTÉRIL;
2. LUBRIFICAÇÃO COM LAGRIMA ARTIFICIAL ( SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA ).

• OBTER REGULAÇÃO TÉRMICA .


MORTE CEREBRAL
DEFINIÇÃO
Morte Cerebral ou Morte Encefálica, a perda definitiva e irreversível das
funções cerebrais relacionadas com a existência consciente. O termo Morte
Encefálica se aplica a condição final, irreversível, definitiva de cessação das
atividades do Tronco Cerebral. O Tronco Cerebral é constituido pelo Mesencéfalo,
Ponte e Bulbo.
DETECTANDO A MORTE ENCEFÁLICA

• O PACIENTE NÃO TEM RESPOSTA COMANDO VERBAL OU VISUAL;

• APRESENTA FLÁCIDEZ ( Hipotônia), COM EXTREMIDADES ARREFLEXAS;

• AS PUPILAS SÃO ARREATIVAS ( Fixas );

• O PACIENTE PERDE O REFLEXO OCULOCEFÁLICO ( Os olhos se mantém fixo quando se movimenta a cabeça do paciente );

• PERDA DO REFLEXO CÓRNEO ( Olhos não piscam quando estimulados);

• AUSÊNCIA DE DRIVE RESPIRATÓRIO;

Você também pode gostar