Você está na página 1de 33

EXPRESSÃO E ARTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL

ADRIANA BARNI TRUCCOLO


“Quando você ensina algo a uma criança, rouba para
sempre a sua oportunidade de descobrir por si mesma”.
-Jean Piaget-
Aula 1 Módulo 1
Contextualizando a Educação Infantil
Educação
Infantil

Primeira etapa da
Creches educação básica Pré-escolas

Bebês Crianças bem pequenas Crianças Pequenas jornada integral ou


0 a 18 meses 19 meses a 3 anos e 11 meses 4 a 5 anos e 11 meses parcial
Quais os documentos que regem a
Educação Infantil?
•BNCC
•Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação
Infantil (DCNEI)
•Referencial Curricular Nacional para a Educação
Infantil (RCNEI)
•Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional
Documento de caráter normativo que define as
BNCC habilidades essenciais para todos os alunos da
Educação Básica.

Determina interações
e brincadeiras como os
eixos estruturantes
das práticas
pedagógicas
BNCC

Estabelece que a
Educação Infantil é uma
etapa essencial para a
construção da identidade
e da subjetividade das
crianças.
Propõe:
Reforçar que o cuidar está integrado às ações de conhecer e explorar o mundo.
Estabelecer que a formação de vínculos proporciona segurança afetiva para a criança construir conhecimentos
com o mundo e desenvolver autonomia.
Incentivar a autonomia, que permite que a criança enfrente e supere obstáculos.
Crianças ficam no centro do processo.
Mesmo em atividades dirigidas, todas devem ter tempo e espaço para serem ativas.
O professor deve planejar cuidadosamente momentos de livre exploração.
A instituição de uma rotina para transmitir a sensação de segurança e ajuda no desenvolvimento da autonomia.
BNCC
• Estabelece
• Seis Direitos de Aprendizagem
e
• Cinco Campos de Experiência
para a Educação Infantil,
• que indicam quais são as
experiências fundamentais para
que a criança aprenda e se
desenvolva.

Propõe objetivos de aprendizagem e desenvolvimento


organizados por campos de experiência e faixas etárias
Ressalta a necessidade de imprimir intencionalidade
educativa às práticas pedagógicas e de acompanhar a
CAMPOS DE EXPERIÊNCIA
progressão das aprendizagens e desenvolvimento
“Que experiências são importantes?”

Pedagogia de PROCESSOS não de


RESULTADOS;
Campos de experiência como “mundos
cotidianos de experiência das crianças”
Preparação do ambiente para possíveis
descobertas por parte das crianças;
Adulto apoiador, observador.
CAMPOS DE EXPERIÊNCIA Muda o foco do currículo da perspectiva do/a
professor/a para a
“Que experiências são importantes?” perspectiva das criança

“Professor/a da EI não ensina nem dá aulas


– Coloca à disposição das crianças
Tempos, espaços e materiais que favoreçam e
provoquem a imaginação e
Desafios de raciocínio – dar asas à
curiosidade”
(Campos de experiências na escola da
infância).
Os seis direitos de aprendizagem

1. Conviver
Como garantir esse direito: promovendo situações em que os pequenos possam brincar e
interagir com os colegas e se envolver em experiências diversas de convivências em grupo,
como organização dos ambiente.
É educar a criança para pensar no outro.

2. Brincar
Como garantir esse direito: brincadeiras são essenciais e devem estar presentes intensamente
na rotina da criança, porém, segundo a Base, devem ser enriquecidas e planejadas pelos
professores.

3. Participar
Como garantir esse direito: o importante é envolver as crianças em todas as etapas das
brincadeiras e das atividades, permitindo que elas ajudem a decidir como será a estrutura,
quais materiais serão usados, etc.
4. Explorar
Como garantir esse direito: permitindo que as crianças explorem sozinhas diferentes materiais e
elementos simbólicos, como músicas e histórias.

5. Expressar
Como garantir esse direito: rodas de conversa são imprescindíveis. Além disso, é interessante, por
exemplo, criar conselhos e assembleias em que os pequenos votam e argumentam sobre decisões
que afetam o coletivo ajudam nessa tarefa.

6. Conhecer-se
Como garantir esse direito: momentos do banho, da alimentação e da troca de fraldas são ricos para
essa aprendizagem: ao sentir-se cuidado e ao aprender a cuidar de si, a criança desperta a consciência
sobre seu corpo, por exemplo.
Os cinco campos de experiência

Eu, o outro Escuta, fala, Espaço, tempo,


Corpo, gestos e Traços, sons,
e o nós pensamento e quantidades,
movimentos cores e formas relações e
imaginação
transformações

Os Campos de Experiência e os objetivos não têm caráter de currículo, mas servem para auxiliar o
professor a planejar atividades com maior clareza do que deve ser desenvolvido em cada fase.

Dentro dos Campos há objetivos de aprendizagem que são divididos em três grupos etários:
bebês, crianças bem pequenas e crianças pequenas.
Campos de Experiência

1. O eu, o outro e o nós


Destaca experiências relacionadas à construção da identidade e da
subjetividade, construção de relações permeadas por interações positivas,
vínculos profundos e estáveis com os professores e os colegas.

2. Corpo, gestos e movimentos


Releva a importância de que as crianças devem viver experiências com
diferentes linguagens, como a dança e a música.
Coloca ênfase nas experiências que estimulam a exploração do espaço
com o corpo e diferentes formas de movimentos
3. Traços, sons, cores e formas
Ressalta as experiências com as diferentes manifestações artísticas, culturais e
científicas, e que promovam a sensibilidade investigativa
da criança. Valoriza a ampliação do repertório musical e a exploração
de diferentes objetos musicais.

4. Escuta, fala, pensamento e imaginação


Realça as experiências com a linguagem oral como as conversas e cantigas.
Incentiva experiências como a leitura de histórias e, ainda, à linguagem escrita,
convidando a criança a conhecer os detalhes do texto
e das imagens e a ter contato com os personagens e imaginar cenários.
5. Espaço, tempo, quantidades, relações e transformações
Ênfase está nas experiências para construção de noções espaciais
e em relação ao tempo, de ordem temporal e histórica. As crianças devem
entender que os números são recursos para representar quantidades. É
importante favorecer a construção de noções relacionadas à transformação de
materiais, objetos, e situações que aproximem as crianças da ideia de
causalidade.
Colocando em prática os conceitos da BNCC

Romper com uma lógica de Educação Infantil preparatória para o Ensino Fundamental

Cuidar e educar

Formar vínculos durante


as atividades cotidianas

Incentivar a autonomia

Respeitar o tempo de cada criança

Escutar ativamente e observar

Planejar os espaços de exploração

Organizar o tempo
Objetivo

Orientar as políticas públicas e a


elaboração, planejamento, execução e
avaliação de propostas pedagógicas e
curriculares de Educação Infantil.
As Propostas Pedagógicas na Educação Infantil devem respeitar os
seguintes Princípios
Estéticos

Éticos: da autonomia, da responsabilidade,


da solidariedade e do respeito ao bem comum, com valorização
ao meio ambiente e às diferentes culturas,
identidades e singularidades. da sensibilidade, da criatividade, da
ludicidade e da liberdade de expressão

Políticos: dos direitos de cidadania, do nas diferentes manifestações artísticas


exercício da criticidade e do respeito à ordem e culturais.
democrática.

Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil /


Secretaria de Educação Básica. – Brasília : MEC, SEB, 2010. 36
Práticas Pedagógicas da Educação Infantil

Eixos Norteadores do Currículo

Brincadeiras Experiências Interações

Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil /


Secretaria de Educação Básica. – Brasília : MEC, SEB, 2010. 36 p.
Experiências Experiências

Sensoriais,
Expressivas, Favoreçam a imersão das crianças

Corporais que possibilitem nas diferentes linguagens e o

movimentação ampla, expressão da progressivo domínio por elas de

individualidade e respeito pelos vários gêneros e formas de

ritmos e desejos da criança expressão:


gestual, verbal, plástica,

Promoverão o conhecimento de si dramática e musical.

e do mundo
Interações
Imprescindível destacar as interações como
fonte de desenvolvimento, aprendizagem e
construção da identidade.

As crianças interagem entre elas, com adultos, com


elementos da natureza, com objetos culturais.
As DCNEI afirmam os objetivos da educação infantil de
garantir o direito das crianças:

BRINCAR AMBIENTE DESENVOLVER A


SEGURO EXPRESSIVIDADE
ATENÇÃO
INDIVIDUAL
AMBIENTE DESENVOLVER A
ESTIMULANTE IMAGINAÇÃO
AMIZADE
AMBIENTE DESENVOLVER A
ACONCHEGANTE CURIOSIDADE
HÁBITOS DE
HIGIENE
MOVIMENTO
ALIMENTAÇÃO EM ESPAÇOS
CONTATO COM SAUDÁVEL AMPLOS
A NATUREZA
As DCNEI afirmam os objetivos da educação infantil de
garantir o direito das crianças:

PROTEÇÃO DESENVOLVER UMA


IDENTIDADE RELIGIOSA

AFETO DESENVOLVER UMA


IDENTIDADE CULTURAL
DESENVOLVER A
SAÚDE CURIOSIDADE
DESENVOLVER UMA
IDENTIDADE RACIAL
EXPRESSAR OS
SENTIMENTOS
APRENDER
A concepção de educação de crianças
explicitado nas DCNEI rompe com dois
modos de educação:

 o assistencialista,
 o escolarizante.
Então, para organizar o currículo da Educação Infantil é
Éticos: da autonomia, da
preciso considerar: responsabilidade, da
solidariedade e do
respeito ao bem comum,
 os dois grandes eixos, as interações e as brincadeiras; ao meio ambiente e às
diferentes culturas,
identidades e
 os princípios éticos, políticos e estéticos; singularidades.
Políticos: dos direitos de
cidadania, do exercício da
 a indissociabilidade entre o cuidar e educar; criticidade e do respeito à
ordem democrática.
Estéticos: da
 a criança como ser integral que se relaciona com o sensibilidade, da
mundo a partir do seu corpo em vivências concretas com criatividade, da ludicidade
e da liberdade de
diferentes parceiros e em distintas linguagens; expressão nas diferentes
manifestações artísticas e
culturais.
DCNEI – Art. 7º
Integra a série de documentos dos Parâmetros
Curriculares Nacionais elaborados pelo Ministério da
Educação e do Desporto.

Objetivos:

Auxiliar na realização do trabalho educativo diário junto às


crianças pequenas;
Apontar metas de qualidade que contribuam para que as
crianças tenham um desenvolvimento integral de suas
identidades;
Contribuir para a socialização das crianças em ambientes
que propiciem o acesso e a ampliação dos conhecimentos da
realidade social e cultural.
A organização do Referencial
possui caráter instrumental e didático

Pretende contribuir para o planejamento,


desenvolvimento e avaliação de práticas
educativas que considerem a pluralidade e
diversidade étnica, religiosa, de gênero, social
e cultural das crianças brasileiras, Guia de cunho educacional sobre
favorecendo a construção de propostas objetivos, conteúdos e orientações
educativas que respondam às demandas das didáticas para os profissionais que
atuam diretamente com crianças de
crianças e seus familiares nas diferentes
zero a seis anos, respeitando seus
regiões do país. estilos pedagógicos e a diversidade
cultural brasileira.
Que os seus sonhos sejam muito coloridos!!!
Adriana

Você também pode gostar