Você está na página 1de 28

MATRIZES DO

PENSAMENTO EM
PSICOLOGIA -
EXISTENCIAL
PROF° JEFFERSON DE OLIVEIRA BERTHOLINI
JEFFERSON DE OLIVEIRA
BERTHOLINI
- Superior em Psicologia – Faculdade Anhanguera de Campinas (2008-2012)

- Psicólogo Organizacional – (2012 – 2013)

- Pós Graduação “Infância e Violência Doméstica Contra a Criança e ao Adolescente” –


UNISAL (2013-2015)

- Orientador de Medida em Liberdade Assistida para adolescentes infratores (2013-2014)

- Psicólogo Social no serviço PAEFI (2014-2015)

- Psicólogo Social e Responsável Técnico em Instituição de Acolhimento para crianças e


Adolescentes (desde 2015)

- Extensão - SUPERA (Sistema para detecção do Uso abusivo e dependência de Substâncias


Psicoativas: Encaminhamento, intervenção breve, Reinserção Social e Acompanhamento) -
UNIFESP /Senad (2016)

- Extensão – Cursos para Educadores, Monitores e Supervisores de Comunidades Terapêuticas –


FEBRACT/ UNISAL (2018)

- Psicólogo Clínico na Abordagem Gestalt-Terapia (desde 2013)

- Supervisor de Estágio Básico em Psicologia Clínica (2017)

- Professor em Psicologia Aplicada a Saúde (2018)


• Divisão em 3 tempos:
• Pré-aula: atividade que irá preparar o aluno
para o tema que será desenvolvido na aula.
MODELO • Aula: Discussão do tema proposto.
DE ENSINO • Pós-aula: Serão realizadas através de
KLS discussões em sala de aula sobre o tema
(KROTON apresentado.
LEARNING O professor e o aluno são responsáveis pelo
SYSTEM) processo de Aprendizado: O professor como
um facilitador do processo de aprendizagem e
o aluno com a responsabilidade de atender ao
desejo de aprender.
PARA UM BOM
ANDAMENTO DO
SEMESTRE:
1. Respeito a si mesmo, ao outro e ao grupo;
2. Respeitar o horário de entrada e
saídas das aulas (19h10min as
22h50min);
3. Verificar e cumprir os prazos de entrega de
trabalhos (trabalharemos bastante casos
práticos para discussão);
4. “Desligar” o cetlular durante as aulas ou
deixar no modo silencioso dentro da bolsa,
atender somente em casos de urgência;
5. Em dia de provas será proibido o uso do
celular e em caso de urgência deixar com
o professor;
6. A chamada será feita 30 minutos antes de
acabar a aula.
O QUE PRETENDEMOS FAZER NOS
NOSSOS ENCONTROS?
• A concepção humanista em Psicologia (Teórico)
• A Fenomenologia como forma de investigação (Teórico)
• Existencialismo e a Psicologia (Teórico)
• As primeiras grandes aproximações entre a
Fenomenologia e o Existencialismo (Teórico)
• Pensamento existencial/fenomenológico nas teorias
(Teórico)
• Humanismo, interfaces teóricas e fronteiras permeáveis
(Teórico)
• Compreensão aprofundada do fenômeno (Teórico)
• Posicionamentos existenciais (Teórico)
• Ampliação de percepção (Teórico)
• Atuação do psicólogo (Teórico)
• Método fenomenológico, escuta e atuação psicológica
(Teórico)
• Temas atuais em Psicologia Existencial-Humanista
(Teórico)
COMO FUNCIONARÁ NOSSA PRÉ AULA
E AULA?
• Nossas aulas serão expositivas, com slides • No Ava está publicado o arquivo ‘PRÉ-
e terão conteúdo teórico. Eu tomarei como AULA – TEORIAS HUMANISTAS’.
norte de fala o tema da aula e os slides Nele já está apontado todos os links que
serão o nosso facilitador. Importante ler os vocês deverão assistir ou ler para
slides durante o período de curso, pois participar da aula.
TODAS AS PERGUNTAS DAS PROVAS • Essa aula é de apresentação, logo não terá
SERÃO RETIRADAS DOS SLIDES. Pré-Aula. Considerar a aula que vem - U1
- SEÇÃO 1 – como a primeira aula teórica
e segue a ordem prevista.
REFLETINDO...
NÃO HÁ NADA ANTES DA EXISTÊNCIA!

• A Existência é considerada em seu aspecto • A essência: Propriedades imutáveis,


particular, individual e concreto fundamentais
(sensações – sensorial)
• E as perguntas inquietantes: Existe uma
• E as perguntas que não somem: Por que essência que rege a existência (Deus)?
existimos? Para que existimos? Há alguma Somos iguais? Somos fadados a ser quem
regência para a existência (destino)? somos?
ORIGENS DO TERMO
“HUMANISMO”
ANTECEDENTES:
• Idade Moderna – Humanismo: ruptura com valores
medievais, antropocentrismo, cisão com a Igreja;
• Homem livre e responsável por suas escolhas;
• Charlotte Bühler – tensão econômica, política e social
e dúvidas sobre valores e moralidade da época do pós-
2ª guerra;
• Guerra e morte, miséria e riqueza, vencedores e
vencidos.
CONTEXTO DE
SURGIMENTO - EUA
• Psicologia Humanista e governo Kennedy –
EUA: preocupação com o individual (sujeito
como centro das preocupações);
• Valores: hedonismo, independência, tolerância;
• Liberalismo – sonho americano;
• Psicologia Humanista como forma de responder
aos anseios da sociedade, transformação que
dependa só da vontade individual.
NÃO HÁ CONCEITO DO QUE
SEJA VERDADEIRO OU FALSO

• Dinamica – (perceber)
• Limitar todo conhecimento ao sujeito e suas significações
– o que ele vê, percebe e significa, sua relação com o
objeto não pressupõe existência independente do sujeito
em relação ao sujeito que o percebe
• O objeto parece existir a partir da maneira que o sujeito o
percebe
• Não há conceito do que seja verdadeiro ou falso ou
válido para todos os indivíduos na Fenomenologia
• Maslow e Rogers, autores da Psicologia Humanista,
possuem propostas teóricas que partem desta ideia.
AS TRÊS FORÇAS EM
PSICOLOGIA
• Behaviorismo (por volta de 1913 – J. Watson)
• Psicanálise (por volta de 1900 – S . Freud)
• Psicologia Humanista (por volta de 1940 – A. Maslow
e C. Rogers)
• Dimamica – (desenho humano)
AS 3 FORÇAS OU REVOLUÇÕES EM
PSICOLOGIA: BEHAVIORISMO
• 1ª Força: Behaviorismo: Homem como
produto das determinações ambientais
• Comportamento observável – ênfase ao
ambiente externo.
AS 3 FORÇAS OU REVOLUÇÕES EM
PSICOLOGIA: PSICANÁLISE
• 2ª Força: Psicanálise: Influência pessoal;
• Estudo dos significados;
• Inconsciente minimiza papel da consciência – ênfase
ao ambiente interno;
• Homem como produto de determinismo
psicogenético.
AS 3 FORÇAS OU REVOLUÇÕES EM PSICOLOGIA:
HUMANISMO

• 3ª Força: Psicologia Humanista: Rompe com


as 2 anteriores;
• Maior ênfase à consciência;
• Vida humana possui dinâmica própria em
cada fase – o homem busca realização, é
processo e evolução;
• Preocupação em entender a vida humana em
sua totalidade – e o homem como ser único;
• Valoriza força de vontade, razão, liberdade
de escolha, responsabilidade pessoal,
contexto familiar, no trabalho e ambiente
social.
CONSTRUINDO O
RACIOCÍNIO
• Qual a diferença da Abordagem
Humanista com o Behaivorismo?
• Qual a diferença da abordagem
Humanista com a Psicanálise?
• Onde elas se encontram?
VISÃO DE HOMEM

• Homem dotado de possibilidade de se


desenvolver, realizar, e tende para o
equilíbrio e auto-organização;
• Há um potencial de vida em cada
homem;
• O indivíduo pode transformar-se e à
sociedade.
BASES
EPISTEMOLÓGICAS
• Escola Americana: Psicoterapia Humanista- Existencial
(Kierkegaard) de C. Rogers e Psicologia
Fenomenológico-Existencial de Rollo May;
• Escola Europeia: Psicoterapia Fenomenológica
Existencial- Daseinsanalyse (Heidegger) e Análise
Existencial (M. Boss).
CORRENTES DO EXISTENCIALISMO

• CRISTÃOS • ATEUS
• A existência não se origina do nada, mas de algo • As pessoas são responsáveis por suas próprias
(advinhem?) ações
• A existência é prédeterminada por uma • “Não importa o que fizeram com você, mas o
intencionalidade/funcionalidade. Algo passa a que você faz o que fizeram com você.” –
existir quando é percebido, sentido, imaginado, Sartre
recordado. Algo surge para um fim, mesmo que o
fim não seja o final. • O homem é algo em constante transformação
o e seu único juiz.

• Autores: Kierkegaard, K Jaspers, Gabriel


Marcel, Santo Agostinho • Autores: Heidegger, J Sartre
NÃO FALE AS MESMAS
COISAS COM OUTRAS
PALAVRAS.
FALE OUTRAS COISAS COM
AS MESMAS PALAVRAS.
FENOMENOLOGIA
• No pensamento do sec XVIII, descrição
filosófica dos fenômenos, em sua natureza
aparente e ilusória, manifestados na experiência
aos sentidos humanos e à consciência imediata.
• Na filosofia de William Hamilton 1788-1856, a
descrição imediata, anterior a qualquer
explicação teórica, dos fatos e das ocorrências
psíquicas.
• Em E. Husserl 1859-1938, método filosófico que
se propõe a uma descrição da experiência vivida
da consciência, cujas manifestações são
expurgadas de suas características reais ou
empíricas e consideradas no plano da
generalidade essencial.
PRINCIPAIS AUTORES
FENOMENOLÓGICOS
• Edmund Husserl (1859-1938)
• Maurice Merleau-Ponty (1908-1961)
• Martin Heidegger (1889-1976)
• Jan Patočka (1907-1977)

Epoché: Combinação Coletiva, ou


agrupamentos de itens agregados
EDMUND HUSSERL (1859-1938)

• Fenomenologia de Edmund Husserl (matemático e filósofo alemão,


1859 – 1938)
• fenômeno (gr.) phainomenon :
• “aquilo que aparece”
• Descrição e análise consciente do que inegavelmente aparece
• “E mesmo se não tivermos um interesse particular pela ciência
natural, e mesmo se nada soubermos de seu sresultados, ainda assim,
oque existe é pré-dado a nós por antecipação e determinado de tal
modo que o assumimos no mínimo como sendo em princípio
cientificamente determinável.”(Experiência e julgamento,1939) –
EXPLICAR INTENCIONALIDADE DA CONSCIÊNCIA. (toda a
consciência é consciência de algo)
MAURICE MERLEAU-
PONTY (1908-1961)
• Filósofo francês que recebeu influência direta de Husserl.
• Experiência humana num horizonte historicamente
encarnado (ser-no-tempo);
• A Ciência, na sua forma tradicional e objetiva, não seria o
adequada para a explicação da experiência humana, pois;
• O envolvimento do homem com o mundo é mais amplo,
sendo: Prático, Emocional, Imaginativo (modo único de
percepção); Estético e Econômico.

• Homem: Sujeito e Objeto


T EIX EI R A, J .A. C – I N T R O D U Ç ÃO A PSI C O T ER A PIA
E XIS TEN C IA L . A N ÁL IS E P SIC O L Ó G IC A ( 20 0 6) , 3 ( XX IV) : 2 8 9- 30 9
PARA FINALIZAR FENOMENOLOGIA
HOJE...
• O enfoque fenomenológico compreende o
humano enquanto ser no mundo, na situação
de estar lançado sendo presente e presença.
A presente abordagem possibilita-nos, ser no
modo do crescimento pessoal e profissional,
sobretudo à compreensão do ser, em sua
subjetividade enquanto ser ex-sistencial,
valorizandoo e se permitindo ser presença no
lidar com-o-outro, considerandoo em sua
vivência, a seu modo, o ser-em-si.
EXISTENCIALISMO
• “o conjunto de doutrinas segundo as quais • “O que caracteriza a existência individual é o ser

a filosofia tem como objetivo a análise e a • que se escolhe a si-mesmo com autenticidade,
descrição da existência concreta, • construindo assim o seu destino, num processo
considerada como ato e como uma • dinâmico de vir-a-ser. O indivíduo é um ser
liberdade que se constitui afirmando-se consciente,
que tem unicamente como gênese ou • capaz de fazer escolhas livres e intencionais,
fundamento esta afirmação de si” (Jolivet, • isto é, escolhas das quais resulta o sentido da sua
1975). • existência.” (TEIXEIRA, p 290)
PRINCIPAIS AUTORES EXITENCIALISTAS

• Sören Kierkegaard
• Martin Heidegger
• Jean-Paul Sartre
• Karl Jaspers
• Friedrich Nietzsche 
• Martin Buber
• Rollo May

Você também pode gostar