Você está na página 1de 25

MANUAL DE

PRESTAÇÃO DE
CONTAS
Resoluções
O que é uma resolução?
• É um ato administrativo normativo assinado pelo Secretário de
Estado de Saúde onde se determina a transferência de recursos do
Fundo Estadual de Saúde – FES a Fundos Municipais de Saúde e
entidades de saúde, objetivando o desenvolvimento das ações e
serviços de saúde no âmbito do SUS.
• Em uma resolução deve ser especificado:
• o programa de saúde que está repassando o recurso;
• para quais fins deve ser utilizado o recurso;
• a dotação orçamentária de onde está saindo o recurso;
• o montante que será repassado, e
• quais serão os beneficiários contemplados.
• A SES e os beneficiários contemplados celebram termo de
compromisso (FMS) ou metas (entidade) que deve ser assinado
digitalmente no sistema SIG-RES.
Legislações anteriores que regulamentaram as
resoluções

ENTRE 26/03/2008 E ENTRE 13/11/2010 E ENTRE 12/09/2012 e


ATÉ 25/03/2008
12/11/2010 12/09/2012 17/12/2014

• Legislação especificada • Decreto Estadual nº • Decreto Estadual nº • Decreto Estadual nº


na própria Resolução, 44.761/2008 de 25 de 45.468/2010 de 13 de 45.468/2010 e
no termo de março de 2008 e setembro de 2010 e • Resolução SES Nº
compromisso assinado • Resolução SES Nº • Resolução SES Nº 3432/2012
e 1516/2008 2568/2010
• Decreto Estadual nº
43.635/03 (convênios)
subsidiariamente
Legislação atual (válida para qualquer
prestação de contas não concluída)

Desde 17/12/2014 até


os dias atuais

• Decreto Estadual nº
45.468/2010 e
• Resolução SES Nº
4.606/2014
Legislação vigente

• Decreto Estadual Nº 45.468/2010 (Institui o GEICOM)


Dispõe sobre as normas de transferência, controle e avaliação das
contas de recursos financeiros repassados pelo fundo estadual de
saúde.
• Resolução Nº 4606/2014 (Regulamenta o Decreto 45.468/2010)
Dispõe sobre as normas gerais do processo de prestação de
contas dos recursos financeiros repassados pelo Fundo Estadual
de Saúde – FES nos termos do Decreto Estadual n.º 45.468/2010.
Denúncias ou indícios de irregularidades
• Se uma prestação de contas, seja ela de qualquer período, for
objeto de denúncia ou quaisquer indícios de irregularidades
relativos à execução do recurso repassado, esta prestação de
contas deverá ser analisada por meio físico aplicando-se a
legislação atual.
Características da prestação de contas de
resoluções
• A prestação de contas de resolução acontece da seguinte maneira:

• Por meio eletrônico, no sistema GEICOM (Decreto 45468/10, Art. 21);


• Anualmente, enquanto durar a vigência da resolução, utilizando-se o
ano fiscal como período de referência (Res. 4606/14, Art. 3º, §1º);
• Obrigatoriamente nos casos em que o beneficiário tenha recebido
recursos do FES no período de referência ou se ainda houver saldo
remanescente de repasses de anos anteriores em conta (Res. 4606/14,
Art. 3º, §2º);
• De forma declaratória, por meio do preenchimento de formulário
digital pelo beneficiário (Res. 4606/14, Art. 4º).
Quando realizar análise por meio físico
De modo geral, a prestação de contas ocorre apenas de forma declaratória
por meio eletrônico (GEICOM), ou seja, sem necessidade de análise das
contas.

No entanto, existem situações em que é obrigatória a realização da análise


financeira, são os casos dos seguintes procedimentos (Res. 4606/14, Art. 7º):
I. amostragem das prestações de contas dos Beneficiários (Res.
4606/14, Art. 7º);
II. seleção de prestações de contas dos Beneficiários (Res. 4606/14, Art.
9º); e
III. denúncias e omissões (Res. 4606/14, Arts. 12 e 13).
I - Amostragem das prestações de contas
dos Beneficiários
O procedimento de amostragem é regulamentado pela Resolução 4.606/2014, Art. 8º e deve ser
realizado mediante sorteio, na seguinte sequência:
I - na primeira reunião ordinária do ano da Comissão Intergestores Bipartite – CIB, a Diretoria de
Prestação de Contas da SPF/SES/MG irá informar a data e local do sorteio dos Beneficiários que
terão seus processos de prestação de contas analisados pela SES/MG;
II – o sorteio realizará mediante o agrupamento dos Beneficiários por Unidade Regional;
III – para cada Unidade Regional serão sorteados 10% dos Beneficiários contemplados com o
recurso do FES; e
IV – para cada Beneficiário sorteado pela SES/MG deverá ser sorteado um Programa Estadual,
dentre os quais ele é signatário, para ser analisada a correta aplicação dos recursos públicos
repassados pelo FES.
Paragrafo único. O percentual, que trata o inciso III deste artigo, deverá terá critério de
arredondamento de números após a vírgula, eliminando-se números inferiores a 0,5 e
arredondando-se para cima os números iguais ou superiores a 0,5.
II - Seleção de prestações de contas dos
Beneficiários
O procedimento de seleção é regulamentado pela Resolução 4.606/2014, Art. 9º e deve ser
realizado realizado mediante classificação das prestações de contas dos Beneficiários:
§ 1º As prestações de contas realizadas pelos Beneficiários receberão pontuações de acordo com
os seguintes critérios:
I – Montante de recurso recebido no período;
II – Preenchimento do formulário de prestação de contas via GEICOM fora do prazo;
III – Desempenho na execução dos objetos de acompanhamento, através dos resultados dos
indicadores pactuados no período; e
IV – Prestações de contas com incoerências nas informações declaradas.

Este procedimento nunca foi realizado e até os dias atuais não há meios de executá-lo por falta de
dados, uma vez que o sistema atual (SIG-RES) não produz relatórios que possibilitam a
classificação das prestações de contas de acordo com os critérios elencados acima, já que o
sistema não possui informações sobre valores repassados aos beneficiários (inciso I), além de não
possuir um meio de detecção de incoerências de informações declaradas (inciso IV).
III - Denúncias

Art. 12. O procedimento de denúncia e omissão será realizado na seguinte


forma:
I - em uma eventual denúncia de irregularidades na utilização do recurso, o
beneficiário terá suas contas analisadas sem necessidade de sorteio.

No caso de denúncia, o beneficiário deverá apresentar a documentação por


meio físico para que a regional proceda à análise financeira da prestação de
contas.
III - Omissões
Art. 13. Sendo constatada a omissão quanto ao preenchimento do formulário digital
da Prestação de Contas via GEICOM, a Diretoria de Prestação de Contas da
SPF/SES/MG notificará o Beneficiário, por meio de ofício com AR, para que, no prazo
de 30 (trinta) dias, sob pena da instauração de tomada de contas especial, em
atendimento ao art. 47 da Lei Complementar nº 102, de 17 de janeiro de 2008, tome
as seguintes providências:
I - sane a irregularidade (ou seja, assine a prestação de contas no sistema);
II - apresente justificativas e alegações de defesa;
III - apresente documentação complementar que fundamente a regularização das
possíveis falhas detectadas; e
IV - proceda com a devolução dos recursos liberados, atualizados monetariamente,
caso não seja possível apresentar as documentações previstas nos incisos de I a III
neste artigo.
Etapas da análise da prestação de contas
1. Realizar a cobrança para apresentação da prestação de contas por meio físico;
2. Realizar a conferência da documentação apresentada;
3. Realizar a análise das contas;
4. Emitir parecer financeiro;
5. Solicitar parecer técnico da área técnica;
6. Emitir relatório conclusivo;
7. Encaminhar formulário de decisão para o ordenador de despesa;
8. Emitir termo de encerramento de resolução/baixa. (em caso de aprovação)
1. Realizar a cobrança para apresentação da
prestação de contas por meio físico
1. Iniciar um processo no SEI! para a prestação de contas em questão;
2. Extrair os termos de compromisso/metas do SIG-RES para identificar o beneficiário
signatário do instrumento;
3. Inserir o termo de compromisso/metas e aditivos no processo SEI! iniciado;
4. Elaborar ofício ao beneficiário signatário do termo de compromisso / metas para
que apresente a prestação de contas por meio físico;
5. Enviar o ofício ao beneficiário;
6. Aguardar o prazo de 10 (dez) dias a partir da data de recebimento da notificação
pelo beneficiário para entrega da prestação de contas (Resolução 4.606/2014, Art.
14);

14
2. Realizar a conferência da documentação
apresentada
1. Ao receber a prestação de contas, proceder à conferência dos itens listados no Art.
25 do Decreto 45.468/2010;
2. Ao todo, o Art. 25 listou 15 itens a serem conferidos, no entanto, alguns itens não
são possíveis de serem entregues pelo beneficiário.
3. Item I - cópia do protocolo de entrega do processo digital de acompanhamento,
controle e avaliação: este item somente será exigido, caso o beneficiário tenha
assinado a prestação de contas no sistema GEICOM;
4. Item II - comprovante da contabilização dos recursos recebidos pelo município,
órgão ou entidade beneficiada: este item pode ser comprovado com apresentação
de extratos bancários;
5. Item III - nota de empenho do órgão/entidade/município beneficiado: caso o
beneficiário seja o fundo municipal de saúde, verificar se foram apresentadas as
notas de empenho;
6. Item IV - balancete financeiro: este item pode ser suprido com apresentação de
extratos bancários;

15
2. Realizar a conferência da documentação
apresentada
7. Item V - relação de pagamentos efetuados: relação de todos os pagamentos
realizados com o recurso;
8. Item VI - comprovante original dos documentos fiscais das despesas realizadas,
rotuladas com o número dos Termos de Metas ou de Compromisso: as notas
fiscais apresentadas devem ser as originais ou equivalentes;
9. Item VII - extratos bancários completos da movimentação financeira e de
rendimentos de aplicações no mercado financeiro, referente à conta bancária
vinculada: os extratos bancários de conta corrente e de aplicação devem ser
apresentados a partir do mês de recebimento do recurso até o mês da entrega da
documentação ou encerramento do termo;
10. Item VIII - demonstrativo dos rendimentos de aplicação financeira: pode ser
suprido pela apresentação dos extratos bancários de conta investimento de todo o
período;
11. Item IX – termo de recebimento da obra ou serviço;
12. Item X - comprovante de devolução de saldo remanescente: este item deve ser
exigido apenas em caso de não haver termo de compromisso/metas subsequente.

16
2. Realizar a conferência da documentação
apresentada
13. Item XI - atestado de execução do objeto do termo, expedido por setor
competente do órgão ou entidade repassador do recurso: este item o beneficiário
possivelmente não conseguirá apresentar, por se tratar do parecer técnico. Este
item deve ser solicitado à área técnica da regional;
14. Item XII - procedimento licitatório ou processo de compra, composto com os
comprovantes de divulgação do edital da modalidade utilizada e respectivo
resultado, procedimento de dispensa ou inexigibilidade de licitação, quando for o
caso;
15. Item XIII - comprovantes e guias de retenções e recolhimentos de impostos e
encargos sociais incidentes, se for o caso;
16. Item XIV - contratos firmados para a execução do objeto pactuado, se for o caso;
17. Item XV - termo de aprovação do processo emitido pelo órgão ou entidade
responsável pelo repasse dos recursos, ou, no caso de irregularidade na execução,
prova das providências adotadas para seu saneamento ou para o ressarcimento ao
erário: este item também o beneficiário não irá apresentar, pois se trata da termo
de encerramento de resolução que será emitido apenas no final do processo em
caso de aprovação das contas.

17
3. Realizar a análise das contas
1. Preencher a aba de “demonstrativo” com os dados de todas as notas fiscais pagas;
2. Preencher a aba de “conciliação bancária” com os dados de todos os lançamentos
registrados nos extratos bancários apresentados;
3. Preencher a aba “período não aplicado” com os dados de todos os períodos em
que o recurso não foi mantido em conta investimento;
4. Preencher a aba “glosas” com os dados de pagamentos indevidos identificados no
extrato bancário ou notas fiscais;

18
4. Emitir o parecer financeiro
1. Inserir no processo SEI! iniciado no etapa 1 o modelo de parecer financeiro para
análise de resoluções (documento 26903102);
2. Inserir os dados do termo de compromisso/metas, beneficiário, valores
repassados, vigência e objeto do termo;
3. Na introdução, preencher os espaços faltantes com os dados da prestação de
contas;
4. No checklist, responder as perguntas sobre a documentação apresentada, caso a
pergunta não se aplique à prestação de contas em questão, responder “N/A”;
5. Relatar em texto as irregularidades apuradas;
6. Na conclusão, constatar se houve ou não indícios de inconformidades a serem
sanadas pelo beneficiário;
7. Devem assinar o documento, o analista e o coordenador da Coordenação de
Gestão, Finanças e Prestação de Contas;
8. Elaborar ofício dentro do processo SEI! para enviar o parecer financeiro para o
beneficiário para que ele tenha a oportunidade de sanar as pendências apontadas.

19
4. Emitir o parecer financeiro
9. Caso o beneficiário envie resposta, avaliar se os documentos encaminhados são
suficientes para sanar todas as pendências identificadas no parecer financeiro;
10. Caso não sejam suficientes, enviar mais um ofício solicitando que sejam
encaminhados os documentos faltantes, de forma a dar mais uma oportunidade
para que o beneficiário sane as inconformidades por meio de medidas
administrativas;
11. Esgotar as medidas administrativas para que sejam dadas as oportunidades para
que o beneficiário possa regularizar a prestação de contas;
12. Caso o beneficiário demonstre impossibilidade de sanar as pendências ou
permaneça omisso quanto às cobranças realizadas, partir para o próximo passo,
para que o processo não permaneça parado sem ações da SES.

20
5. Solicitar parecer técnico da área técnica
1. Inserir memorando no processo SEI! para ser enviado à área técnica
correspondente à política que repassou o recurso para que emitam um parecer
técnico e que ele seja inserido dentro do processo SEI!;
2. Caso a área técnica apresente dúvidas quanto à emissão do parecer técnico,
orientar para que procurem o gestor do programa no nível central para esclarecer
as dúvidas. A DPC não possui competências para esclarecer dúvidas relativas a
pareceres técnicos. O parecer técnico deve ser emitido pela área técnica.

21
6. Emitir relatório conclusivo
1. Após a inserção dos pareceres financeiro e técnico, incluir no processo SEI! o
documento Relatório Conclusivo (documento 2995890);
2. Preencher o item I com os dados sobre o termo de compromisso/metas assinado;
3. No item II, relatar todas as inconformidades apontadas no parecer financeiro e
informar se foram sanadas ou não;
4. No item III, registrar todas as correspondências enviadas pela regional ao
beneficiário juntamente com todos os AR’s das respectivas correspondências;
5. No item IV, registrar as correspondências enviadas pelo beneficiário à regional;
6. No item V, relatar os dados relativos ao parecer técnico emitido pela área técnica;
7. Nas considerações finais, expor as recomendações do parecer financeiro e do
parecer técnico quanto à aprovação ou reprovação;
8. Devem assinar este documento o analista, o coordenador e o Diretor ou
Superintendente.

22
7. Encaminhar formulário de decisão para o
ordenador de despesa
1. Inserir no processo SEI! o formulário de decisão do ordenador de despesas
(documento 3002505) ao Superintendente/Diretor da regional, para que ele possa
tomar a decisão de aprovação ou reprovação das contas, com base nas
recomendações registradas no Relatório Conclusivo;
2. Esse documento deverá ser encaminhado para o ordenador junto ao Relatório
Conclusivo;
3. Após assinatura da decisão do ordenador de despesa; tomar as providências com
base na decisão tomada, no caso de aprovação das contas, emitir o termo de
encerramento de resolução e no caso de reprovação, seguir o manual do PACE
para que seja dado prosseguimento ao processo de instauração de tomada de
contas especial.

23
8. Emitir termo de encerramento de resolução
(baixa)
1. Em caso de aprovação das contas pelo ordenador de despesa, inserir no processo
SEI! o termo de encerramento de resolução (documento 3713130);
2. Preencher com os dados relativos ao termo de compromisso/metas firmado e as
informações de repasses;
3. Este documento deverá ser assinado pelo analista e coordenador;
4. Inserir no processo SEI! um memorando encaminhando o processo à DPC,
solicitando que seja realizada a baixa da resolução em questão;
5. Após a devolução do processo pela DPC, enviar um ofício anexando o termo de
encerramento de resolução ao beneficiário;
6. Inserir o AR referente ao ofício encaminhado;
7. Concluir o processo na unidade.

24
Diretoria de Prestação de Contas
dpc@saude.mg.gov.br

Gean Schmitt
Diretor de Prestação de Contas

Graziela Guimarães
Coordenação de Acompanhamento e Capacitação das Regionais