Você está na página 1de 20

Instalações Elétricas

Prof. Carolina Garreto


De acordo com a norma NBR5410, a
taxa máxima de ocupação em
relação à área da seção transversal
Dimensionamento
dos eletrodutos não deve ser
de eletrodutos superior a:
53% para um condutor ou cabo;
31% para dois condutores ou cabos;
40% para três ou mais condutores ou
cabos.
Dimensionamento
de eletrodutos
 Uma das formas de dimensionamento dos eletrodutos segue o
seguinte roteiro:
a) Determinar a seção dos condutores que irão passar no interior do
eletroduto;
Dimensionamento de b) Determinar a área total de cada condutor (considerando a
eletrodutos camada de isolação) na tabela A;
c) Efetuar a somatória das seções totais, obtida no item anterior;
d) Com o valor da somatória, determinar na tabela B ou C (na coluna
40% da área) o valor imediatamente superior ao valor da
somatória e o respectivo diâmetro do eletroduto a ser utilizado;
e) Em uma instalação elétrica, o eletroduto deve ter um diâmetro
mínimo de 20mm, estes eletrodutos não são cotados na planta.
Uma outra forma de
dimensionamento utiliza
a tabela D, onde, em
função da quantidade de
condutores e a seção
nominal do maior
condutor no eletroduto
determina-se o tamanho
nominal do eletroduto.
 Devem ser previstos espaços para ampliações futuras em quadros de distribuições;
Descrito seção 6.5.9.2 da NBR 5410;

Tabela com quantidade de circuitos e espaços reservas:

Quantidade de circuitos
efetivamente disponíveis Espaço mínimo destinado a reserva
Espaço para N (em número de circuitos)
ampliação em
Até 6 2
quadros de
distribuição 7 a 12 3
13 a 30 4
N > 30 0,15*N
Nota: A capacidade de reserva deve ser considerada no cálculo do alimentador do
respectivo quadro de distribuição

7
Proteção contra Sobrecargas e
Correntes de Curto-Circuito
Sobrecarga
 As sobrecargas são extremamente prejudiciais ao
Dispositivos de sistema elétrico, produzindo efeitos térmicos
altamente danosos aos circuitos
proteção para  provocam, no circuito, correntes superiores à
instalações elétricas corrente nominal (até 10 x IN);
 provocam solicitações dos equipamentos acima de
suas capacidades
Correntes de curto-circuito
 As correntes de curtos-circuitos são provenientes de
falhas ou defeitos graves das instalações, tais como:
Dispositivos de  falha ou rompimento da isolação entre fase e terra;
proteção para  falha ou rompimento da isolação entre fase e neutro;
instalações elétricas  falha ou rompimento da isolação entre fases distintas.
 As correntes de curto-circuito se caracterizam por
possuir valores extremamente elevados, da ordem de
1.000 a 10.000% da corrente nominal do circuito.
Fusíveis
 Definição

Fusíveis “Dispositivo de proteção que, pela fusão de uma


parte dimensionada para tal, interrompe a corrente
elétrica quando esta excede um certo valor
estabelecido, durante um tempo determinado”.
 Definição

Disjuntor “Equipamento de proteção cuja finalidade é conduzir a


corrente de carga sob condições nominais e
interromper correntes anormais de sobrecarga e de
curto-circuito”.
Disjuntor
Termomagnétic
o - DTM
Fonte: Merlin Gerin

Fonte: Weg
Aplicações:
Manobras

Proteção contra correntes de sobrecarga


Disjuntores
Termomagnéticos Proteção contra curto-circuito

Disjuntores devem SEMPRE ser ligados aos condutores


FASE.
 Em resumo, os DTMs cumprem 3 funções básicas:

1. Abrir e fechar os circuitos (Manobra)


Disjuntores 2. Proteger os condutores e equipamentos contra
Termomagnéticos sobrecarga (dispositivo térmico)
3. Proteger condutores contra as correntes de curto-
circuito (dispositivo magnético).
Disjuntores Termomagnéticos atuam por:

DTMs – Princípio  Efeito térmico com sobrecarga.


de
funcionamento  Efeito eletromagnético com corrente de curto-circuito.
 Disjuntores termomagnéticos
 Os disjuntores são dispositivos que garantem,
simultaneamente, a manobra e a proteção contra
correntes de sobrecarga e contra correntes de curto
circuito.
Dispositivos de  De forma resumida, os disjuntores cumprem três
proteção para funções básicas:
instalações elétricas  abrir e fechar os circuitos (manobra);
 proteger os condutores e os aparelhos contra
sobrecarga, através de seu dispositivo térmico;
 proteger os condutores contra curto-circuito, através
de seu dispositivo magnético.
 Corrente nominal (In):
 Valor eficaz da corrente de regime contínuo que o disjuntor deve
conduzir indefinidamente, sem elevação de temperatura acima dos
valores especificados.
Características  Corrente convencional de não atuação (Int):
técnicas - disjuntor  Valor especificado de corrente que pode ser suportado pelo disjuntor
durante um tempo especificado(tempo convencional).
 Corrente convencional de atuação (It)(I2):
 Valor especificado de corrente que provoca a atuação do disjuntor
dentro de um tempo especificado. (tempo convencional)
O item 5.3.4 estabelece que proteção deve
satisfazer as duas inequações:

e
Dimensionamento
de Disjuntores

IB – corrente de projeto
IN – corrente nominal do disjuntor
IZ – capacidade de condução dos condutores vivos
I2 – corrente convencional de atuação do disjuntor ou fusível.

Você também pode gostar