Você está na página 1de 35

CONTROLE

ESTRATÉGICO
E
DESEMPENHO
INTRODUÇÃO AO CONCEITO

● Controle estratégico consiste em determinar em que medida as estratégias da organização são eficazes para
atingir seus objetivos.

● Caso os objetivos gerais e específicos não estejam sendo atingidos como o planejado, a função do controle é
modificar estratégias da empresa ou sua implementação, de modo a melhorar a capacidade da organização
para atingir seus objetivos.

2
diferenças entre controle estratégico e
controle orçamentário
CONTROLE ESTRATÉGICO CONTROLE ORÇAMENTÁRIO

O período de tempo é longo O período de tempo é geralmente um ano ou


(anos até uma década) menos

As mensurações quantitativas e qualitativas As mensurações são quantitativas

A concentração é interna e externa A concentração é interna

A ação corretiva é contínua A ação corretiva pode ser tomada após o


período do orçamento

3
Controle Estratégico e a Corporate

Governance
CORPORATE GOVERNANCE refere-se a conselhos de administração;

● Em termos legais, os conselhos de administração são autorizados a representar os interesses dos proprietários;

● Muitos casos os CEOS atuam como presidentes de conselhos de administração;

● Donaldson, da Harvard University, sugeriu que o papel da administração na formulação e na implementação de


estratégias “a impede de também avaliar objetivamente o trajeto estratégico em curso”.

4
Dualidade do CEO
● A implicação pode ser que a questão de saber se elementos internos estão ou não dispostos a exercer controle
pode depender da existência da dualidade do CEO. Especificamente, quando ele também é presidente do
conselho, os membros internos podem mostrar-se relutantes em discordar de suas predisposições.

● Na falta de dualidade, os executivos internos podem contribuir para o controle do conselho, algumas vezes de
maneiras sutis e indiretas que evitam que sua oposição potencial às decisões do CEO sejam documentadas.

5
O processo
de controle
estratégico e
a alta
administraç
ão 6
O Processo de Controle Estratégico

Passo 1 Passo 2 Passo 3 Passo 4 Passo 5 Passo 6


•• Determinar
Determinar que
que •• Estabelecer
Estabelecer •• Mensurar
Mensurar o
o •• Comparar
Comparar •• Se
Se está
está •• Tomar
Tomar medidas
medidas
necessidades
necessidades devem
devem ser
ser padrões
padrões desempenho
desempenho desempenho
desempenho com
com harmonizado,
harmonizado, corretivas
corretivas se
se oo
monitoradas,
monitoradas, avaliadas
avaliadas padrões
padrões não
não tomar
tomar desempenho
desempenho
ee controladas.
controladas. medida
medida alguma.
alguma. ficar
ficar abaixo
abaixo dos
dos
padrões.
padrões.

7
Missão e
objetivos
gerais e
específicos

Enfoque do
da empresa

Resultados
Macro
qualitativos e
ambiente
quantitativos

controle Controle
Estratégico

estratégico Implementa-
ção de
estratégias
Ambiente
setorial

Formulação
de
estratégias

8
Macroambiente
● É o primeiro enfoque do processo estratégico da organização, mesmo as empresas exercendo
individualmente uma influência pequena sobre as forças do macroambiente.

● Qualquer alteração no macroambiente traz consequências para as organizações;

● O controle estratégico envolve um exame contínuo da adequação da empresa a seu ambiente externo em
constante mutação;

● Principal objetivo do controle do macroambiente:

○ Modificar as operações da empresa para que ela possa se defender melhor das ameaças externas que
venham surgir e capacitar novas oportunidades externas.

9
Ambiente setorial
● O controle estratégico também envolve a monitoração do ambiente setorial;

● É importante lembrar, que a análise ambiental – tanto no nível macroambiente quanto no nível setorial – não
se restringe ao passado e ao presente, a alta administração precisa estimar tendências ambientais futuras;

● Exemplo da BMW (escalada de preços no setor automotivo)

10
Operações internas
● O controle estratégico também envolve as operações internas da empresa, por meio da monitoração e da
avaliação de sua formulação e implementação estratégicas;

● Medidas corretivas podem ser necessárias;

● As bases da monitoração e da avaliação são os padrões qualitativos e quantitativos estabelecidos pela alta
administração;

○ Em termos qualitativos, o “x” da questão é saber o grau de eficácia da estratégia no atingimento da


missão e dos objetivos da empresa;

○ Em um sentido quantitativo amplo, a administração vai perguntar qual é a medida de eficácia de sua
estratégia no atingimento de seus objetivos específicos.

11
PADROES DE
CONTROLE
ESTRATÉGIC
O
12
Benchmarking
competitivo
● Processo de mensurar

13
PARAMETROS
● Em dados coletados de programa PIMS;

● Informação publicadas em revistas e periódicos;

● Classificação de qualidade de produtos e serviços;

● Participação relativa de mercado.

14
Programa ● Programa PIMS (Profit impact of Market
strategy) – Impacto da estratégia de mercado
sobre os lucros.

PIMS ● O PIMS é um banco de dados que contém


informações quantitativas e qualitativas
sobre o desempenho de mais de 3000
unidades de negócio.

15
● Participação de Mercado;

● Qualidade de Serviços/Produtos;

● Porcentuais de Vendas dos novos produtos e serviços lançados;

● Preços relativos de produtos e serviços;

● Porcentuais das despesas de Marketing em relação as Vendas;

● Valor das instalações e equipamentos em relação as vendas e despesas com pesquisa e desenvolvimento
também relativo as vendas.

16
● O Lucro Operacional líquido antes dos impostos expresso em porcentual de venda;

● Renda líquida expressa em porcentual de investimento total ou de ativos totais.

17
Informações As dimensões das empresas são avaliadas de acordo

publicadas
com oito variáveis:

• Qualidade de produtos/serviços;

como fonte •


Qualidade da administração;

Grau de inovação;

para o • Valor do investimento a longo prazo;

controle
• Solidez financeira;

• Responsabilidade socioambiental;

estratégico •


Utilização dos ativos da empresa;

Habilidade de atrair, desenvolver e manter


pessoas talentosas;

18
Informações publicadas como fonte
para o controle estratégico
As empresas mais admiradas são aquelas que tem uma classificação alta nessas variáveis, geralmente são
empresas muito grandes e de capital aberto. Porém, são também valiosas diretrizes para o controle estratégico de
empresas menores.

19
Informações publicadas como fonte
para o controle estratégico

20
Qualidade de produtos/serviços
A qualidade tem dois aspectos:

• Conformidade de um produto ou serviço com os padrões internos da empresa;

• Percepção final que o consumidor tem da qualidade desse produto ou serviço;

21
Qualidade da administração
“O controle consiste em um processo que guia a atividade exercida para um fim previamente determinado. A
essência do controle reside em verificar se a atividade controlada está ou não alcançando os resultados desejados”
(CHIAVENATO, 2003, p.372).

22
Qualidade da administração
É importante que todas as empresas, independentemente do seu tamanho, avalie a qualidade de seus produtos e
serviços, além da qualidade da administração, pois a alta administração é responsável pelas medidas que a
empresa deve adotar.

23
Inovação

24
● Muitos pesquisadores abordam esse
assunto com enfoque em:

Despesas para P&D para produtos;

Despesas para P&D para processos.

Algumas empresas planejam e controlam seus


programas de inovação muito cuidadosamente;
O controle estratégico da inovação deve enfatizar
melhorias incrementais em produtos e serviços.

25
Participação
relativa de
mercado

26
Exercendo o controle estratégico

● O controle estratégico pode ser exercido


de várias maneiras para garantir que a
organização tenha um desempenho de
acordo com a sua missão, objetivos
gerais e específicos

27
CONTROLE POR MEIO DE
CRITÉRIOS DE DESEMPENHO
MULTINÍVEL
Pode envolver padrões de desempenho para:

 Indivíduos

 Funções

 Produtos

 Divisões ou unidades de estratégicas de negócio

28
CRITÉRIOS
DE
DESEMPENH
O
Pode ocorrer pela monitoração do retorno
sobre o investimento, ou sobre o retorno
acionário da empresa, ou medidas de
lucratividade

29
CONTROLE POR MEIO DE
CRITÉRIOS DE DESEMPENHO
Essas avaliações podem tomar a forma de:

 Comparações de desempenho de outras empresas do mercado

 Crescimento da participação relativa de mercado

 Monitoramento da alta administração dos valores das ações da empresa


 Estrutura, especificada pela

Controle por Administração, procedimentos utilizados


para a administrar a atividade
organizacional, ela pode facilitar ou
meio de variáveis impedir a realização da missão e dos
objetivos gerais e específicos da empresa.

organizacionais
Refere-se geralmente ao padrão de
ORGANIZAÇÃO FORMAL 
organização determinado pela
administração como o esquema de
divisão de trabalho e poder de controle.
 Refere-se ao relacionamento
Controle por interpessoal, ou seja, as relações
sociais que se desenvolvem

meio de variáveis espontaneamente entre o pessoal ou os


trabalhadores acima e além da formal.

organizacionais
 Refere-se a interações pessoais que
ORGANIZAÇÃO naturalmente se desenvolvem entre
indivíduos e grupos colocados em
INFORMAL contato uns com os outros .

32
ESTRUTURA FUNCIONAL
 A estrutura funcional é a mais usada e conhecida.

 É a estrutura proposta por Henry Fayol.

 A empresa deve ser departamentalizada, ter um órgão administrativo e demais departamentos


funcionais por especialidades: produção, finanças, marketing, contábil, etc. E cada funcionário
deve responder a um único chefe.

 Na estrutura funcional cada departamento conta com especialistas na função.

33
ESTRUTURA DIVISONAL

 É constituído por divisões autossuficientes que produzem um produto ou serviço específico.

 pode ser estruturada por produtos ou serviços, por região geográfica, por processo ou projeto ou
ainda por clientes

34
# É HORA DA
ATIVIDADE!

35

Você também pode gostar