Você está na página 1de 9

A escola como espaço

sociocultural
Prof. Esp. Anderson Barros
O que é Escola?

• Segundo Kelsen (2016), “O espaço escolar reduzido a


um ambiente puramente técnico, onde a rotina do
ensinar e aprender baseia-se apenas no teórico e nos
manuais, limita a integral apreensão de conhecimento
visto a necessidade de uma ótica sociocultural a fim de
compreender, dinamizar e relacionar a ciência ao
cotidiano dos indivíduos envolvidos”.
Escola como espaço sociocultural

• Compreender a escola como espaço sociocultural


requer a dinâmica da dualidade em busca de novos
panoramas educacionais, unindo as normas, conflitos e
estratégias advindas de uma apropriação constante do
espaço escolar, projetando uma nova realidade e
reelaboração do todo (KELSEN, 2016).
Escola como espaço sociocultural

• Os alunos já chegam à escola com um acúmulo de


experiências vivenciadas em múltiplos espaços, através das
quais podem elaborar uma cultura própria, uns "óculos"
pelo qual vêm, sentem e atribuem sentido e significado ao
mundo, à realidade onde se inserem. Não há, portanto um
mundo real, uma realidade única, pré-existente à atividade
mental humana (DAYRELL, 1996, p.06)
Escola como espaço sociocultural

• Portanto, os alunos que chegam à escola são sujeitos


socioculturais, com um saber, uma cultura, e também
com um projeto, mais amplo ou mais restrito, mais ou
menos consciente, mas sempre existente, fruto das
experiências vivenciadas dentro do campo de
possibilidades de cada um. A escola é parte do projeto
dos alunos (DAYRELL, 1996, p.09).
Escola como espaço sociocultural

• A escola é um espaço de rituais, iniciado pelo rito de


passagem que diferencia o indivíduo após sua entrada
na instituição escolar. Momentos de socialização no
pátio e em sala, brincadeiras e comportamentos que
configuram toda a dimensão simbólica existente,
ressaltando o caráter pedagógico existente nesses ritos
(KELSEN, 2016).
COMPETÊNCIAS GERAIS DA BASE
NACIONAL COMUM CURRICULAR

• 6. Valorizar a diversidade de saberes e vivências


culturais e apropriar-se de conhecimentos e
experiências que lhe possibilitem entender as relações
próprias do mundo do trabalho e fazer escolhas
alinhadas ao exercício da cidadania e ao seu projeto de
vida, com liberdade, autonomia, consciência crítica e
responsabilidade.
COMPETÊNCIAS GERAIS DA BASE
NACIONAL COMUM CURRICULAR
• 8. Conhecer-se, apreciar-se e cuidar de sua saúde física e
emocional, compreendendo-se na diversidade humana e
reconhecendo suas emoções e as dos outros, com autocrítica e
capacidade para lidar com elas.
• 10. Agir pessoal e coletivamente com autonomia,
responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação,
tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos,
inclusivos, sustentáveis e solidários.
COMPETÊNCIAS GERAIS DA BASE
NACIONAL COMUM CURRICULAR

• 9. Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de


conflitos e a cooperação, fazendo-se respeitar e
promovendo o respeito ao outro e aos direitos
humanos, com acolhimento e valorização da
diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus
saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem
preconceitos de qualquer natureza.