Você está na página 1de 24

O Mundo Romano

no
Apogeu do Império
No início do século V a. C., Roma era uma modesta povoação de
agricultores e pastores.

Roma

Mas, entre os séculos III a. C. e II d.C., Roma foi capaz de criar um


dos maiores impérios da Antiguidade.
A expansão militar de Roma passou pela conquista de:

• Itália (no século III a.C.)

• territórios em volta do
Mediterrâneo

• De grande parte da Europa


e do Próximo Oriente (até
ao século II d.C.)
Mare
Nostrum.
O sucesso das campanhas militares
romanas deveu-se à organização,
armamento e disciplina das legiões.
legiões

As grandes vitórias militares eram


celebradas com a construção de
monumentos, como os arcos de triunfo.
Para melhor dominar e organizar o seu vasto império, os Romanos
divulgaram e impuseram aos povos dominados os seus costumes, modos
de vida e cultura.
Assim:

• criaram uma vasta rede de estradas;

• divulgaram o latim entre os povos do


Império;

• impuseram as leis romanas a toda a


população do território romano.
Nas províncias do Império, impuseram-se às
populações locais as leis do Direito Romano.

Nas cidades, instalaram-se


belos edifícios (teatros,
termas, templos) e funcionais
equipamentos públicos
(aquedutos, esgotos,
muralhas).

A esta divulgação da cultura e costumes romanos atribui-se o nome de


ROMANIZAÇÃO.
Com o estabelecimento do Império, numerosas riquezas afluíram a
Roma, tornando-a no centro da economia de todo o mundo romano.

A maior parte dos produtos


eram transportados por via
marítima.

Nas trocas e vendas de produtos, os


Romanos usavam moedas de ouro e
prata.
As enormes riquezas do império beneficiaram pequenos grupos sociais
e deram origem a grandes desigualdades entre os romanos.

Uma minoria rica e privilegiada dominava a vida


política e económica, os patrícios.

De entre eles distinguiam-se


os membros da ordem
senatorial e os da ordem
equestre.
Os patrícios viviam, na
sua maioria, em vivendas
luxuosas, as Domus.
Domus

Nos campos, os Romanos mais


ricos viviam nas villae,
villae ou seja,
grandes propriedades rurais com
moradias, rodeadas de oficinas,
armazéns, estábulos, alojamentos
dos trabalhadores.
Os plebeus eram cidadãos livres que viviam do
comércio, agricultura e artesanato.

Moravam em habitações
frágeis e sem grandes
condições de habitabilidade,
as Insulae.
Insulae
Nesta sociedade altamente estratificada existia um grupo
social muito numeroso – os escravos, população não-
livre que, devido à sua vida dura e difícil, desencadeou
diversas revoltas.

Quando um escravo era libertado (por exemplo, por


testamento do seu senhor) passava a uma nova categoria
social, a dos libertos.
O estilo de vida dos romanos variava consoante o seu estatuto social. Uns
gostavam de ir ao teatro, outros divertiam-se com os músicos de rua e todos
iam assistir aos jogos nos circos e anfiteatros.
Roma teve várias formas de governo ao longo da
sua história:
-Monarquia (753 - 509 a.C.)

-República (509 - 27 a.C.)

-Império (27a.C. - 476d.C.)

Os imperadores tinham muitos poderes, cabendo-lhe


dirigir toda a vida económica, social e política. Alguns
chegaram até a receber culto divino em vida.
Os romanos adoravam vários deuses, eram politeístas.
politeístas

A primitiva religião estava ligada à


família e ao culto dos antepassados.

Com a expansão, os romanos


assimilaram deuses “estrangeiros”,
em particular gregos.

Para adorar os seus deuses


construíam-lhes templos,
faziam-lhes oferendas.
A arte romana foi criativa e inovadora, em particular pelo seu carácter
funcional, robusto e realista.

A escultura, a pintura a
fresco e o mosaico romanos
alcançaram grande beleza e
perfeição técnica.
Nas obras arquitetónicas, a robustez e a monumentalidade
são as características dominantes.
As suas construções tinham, também, um carácter utilitário,
como as pontes, aquedutos, termas, etc.
Este espírito prático observa-se no urbanismo,
urbanismo ou seja, na construção
organizada das cidades.

O seu plano obedecia a uma


planta geométrica, no centro
da qual se localizava o
Fórum.
Fórum

No fórum, situavam-se os edifícios públicos mais


importantes, bem como templos e as basílicas.
Na literatura, os géneros mais apreciados
eram a oratória, a retórica, a comédia e a
história.
Juntamente com o urbanismo, o direito constituiu
um dos maiores contributos civilizacionais dos
romanos. A sua importância foi tal que, ainda hoje,
é fonte inspiradora da organização jurídica de
muitos Estados.

De facto, logo em meados do século V


a.C., os Romanos criaram a Lei das
Doze Tábuas, o primeiro códice do
Direito Romano e do Direito ocidental.
Até ao século XIX, vários países
europeus seguiram os códigos
romanos.
O Império Romano caiu nos
finais do século V, mas legou à
civilização ocidental importantes
contributos a nível ...
...da planificação urbana

Timgad
(cidade romana na Argélia)

Londinium (actual Londres)


...da língua latina, que deu origem a várias línguas europeias.

Romeno Francês Castelhano Italiano Português

Latim

...da numeração romana


... e do direito, ao inspirar os principais códigos legislativos
europeus durante mais de dois milénios

Você também pode gostar