Você está na página 1de 47

UNIFEI

Formas

De Corrosão

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 1


06/10/2021
Introdução UNIFEI
Motivação

 todos os metais e ligas estão sujeitos a corrosão não há nenhum


material que possa ser empregado em todas as aplicações.

Exemplos

1) Ouro possui excelente resistência a ação da atmosfera, porém corroído


se exposto ao mercúrio.

2)Ferro não é corroído por mercúrio, mas enferruja rapidamente em


presença do ar atmosférico.

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 2


06/10/2021
Introdução UNIFEI
Diferentes formas (ou tipos de corrosão)

Assim, pode-se ter corrosão segundo:

 morfologia: uniforme, por placas, alveolar, puntiforme ou por pite,


intergranular (ou intercristalina), intragranular (ou transgranular ou
transcristalina), filiforme, por esfoliação, grafítica, dezincificação, em torno
do cordão de solda e empolamento de hidrogênio;

causas ou mecanismos: por aeração diferencial, eletrolítica ou corrente


de fuga, galvânica, associada a solicitação mecânica (corrosão sob tensão
fraturante), em torno de cordão de solda, seletiva (grafítica e
dezincificação), empolamento ou fragilização por hidrogênio;

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 3


06/10/2021
Introdução UNIFEI
Diferentes formas (ou tipos de corrosão)

 fatores mecânicos: sob tensão, sob fadiga, por atrito, associada à


erosão;

 meio corrosivo: atmosférica, pelo solo, induzida por microrganismos,


pela água do mar, por sais fundidos, etc;

 localização do ataque: por pite, uniforme, intergranular,


transgranular, etc;

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 4


06/10/2021
Principais Formas UNIFEI
Representação esquemática das diferentes formas de corrosão

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 5


06/10/2021
UNIFEI

Formas de
Corrosão

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 6


06/10/2021
Formas de Corrosão UNIFEI
Exemplo:
Árvore de natal de lâmina rasa retirada após 20 anos submersa.

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 7


06/10/2021
Formas de Corrosão UNIFEI
Características fundamentais
1. Corrosão Uniforme

Se processa em toda a extensão da superfície, ocorrendo perda


uniforme de espessura.
A perda de espessura é constante, podendo variar de acordo com
as caracteristicas do meio. (tornando-se mais fino, podendo
eventualmente sofrer uma ruptura).
É comum em metais que não formam película protetora, como
resultado do ataque.
Ocorre em geral devido a micropilhas de ação local e é,
provavelmente, o mais comum dos tipos de corrosão principalmente
nos processos corrosivos de estruturas expostas à atmosfera e
outros meios que tendo uma ação uniforme sobre a superfície
metálica.

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 8


06/10/2021
Características Fundamentais UNIFEI
1. Corrosão Uniforme
• Perda de massas relativamente uniforme
em toda a sua extensão;

• Redução de espessura uniforme;

• Perda de massa significativa;

• Taxa de corrosão bem definida e


expressa em mm/ano;

• Efeito previsível/estimativa da vida útil;

• Visível;

•Detecção e avaliação relativamente fácil.

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 9


06/10/2021
Características Fundamentais UNIFEI
1. Corrosão Uniforme

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 10


06/10/2021
Características Fundamentais UNIFEI
1. Corrosão Uniforme

*algumas vezes chamadas de corrosão generalizada, essa


terminologia que não deve ser usada pois é possível por exemplo, ter
pite ou alveolar generalizado, isso é em toda a peça.

Exemplo:
Uma peça de aço ou zinco imersa em ácido sulfúrico, geralmente
dissolve a uma taxa uniforme sobre toda a superfície.

Chapa de aço aquecida a altas temperaturas.


Obs. O ataque uniforme representa a maior destruição do metal com
base no peso. Não é problemático do ponto de vista técnico, a vida do
equipamento ou estrutura pode ser prevista com base em testes
comparativos.

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 11


06/10/2021
Características Fundamentais UNIFEI
1. Corrosão Uniforme

Corrosão Uniforme em Tubo Enterrado

Corrosão Generalizada em Rotor de Bomba Submersa

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 12


06/10/2021
Características Fundamentais UNIFEI
1. Corrosão Uniforme

Pode classificar o material em três grupos:

(I) Taxa de corrosão menor que 0,1 mm/ano ou menor 5mpy: materiais são
resistentes à corrosão e podem ser utilizados sem restrição.

(II) Taxa de corrosão entre 0,1 e 1,1 mm/ano: materiais podem ser utilizados
onde uma certa corrosão é tolerável.

(III) Taxa de corrosão maior que 1,1 mm/ano: geralmente não são utilizados

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 13


06/10/2021
UNIFEI
1. Corrosão Uniforme

CORROSÃO UNIFORME LEVE

CORROSÃO UNIFORME MÉDIA

CORROSÃO UNIFORME SEVERA


Prof. Silmara Baldissera Kabayama 14
06/10/2021
Características Fundamentais UNIFEI
2. Corrosão por placas
 Localiza-se em regiões da superfície metálica e não em toda sua
extensão – formação de placas com escavações.

 Ocorre quando os produtos de corrosão formam-se em placas e estas se


desprendem progressivamente.

 É comum em metais que formam película inicialmente protetora mas


que, ao se tornarem espessas, fraturam e perdem aderência, expondo o
metal a novo ataque.

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 15


06/10/2021
Características Fundamentais UNIFEI
3. Corrosão Alveolar
 Ocorre na superfície metálica, produzindo sulcos ou escavações –
semelhante a alvéolos (que apresentam fundo redondo e profundidade,
em geral, menor que o seu diâmetro).

 Ocorre quando o desgaste provocado pela corrosão se dá sob forma


localizada, com o aspecto de crateras.

 É freqüente em metais formadores de películas semi protetoras ou


quando se tem corrosão sob depósito, como no caso da corrosão por
aeração diferencial.

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 16


06/10/2021
Corrosão Alveolar Generalizada em Tubo UNIFEI

Corrosão Alveolar
Característica: corrosão com a forma de
alvéolos. Desgaste localizado com diâmetro
maior que a profundidade.
Corrosão Alveolar Generalizada
Prof. Silmara Baldissera Kabayama 17
06/10/2021
Características Fundamentais
UNIFEI
4. Corrosão Puntiforme ou por pite
 A corrosão processa-se em pontos ou em pequenas áreas localizadas na
superfície metálica produzindo pites, que são cavidades que apresentam o
fundo em forma angulosa e profundidade, geralmente, maior do que o seu
diâmetro.

 A forma da cavidade é, com frequência, responsável por seu crescimento


contínuo.

 O pitting é uma das formas mais destrutivas e insidiosas de corrosão.


Causa a perfuração de equipamentos, com apenas uma pequena perda
percentual de peso de toda a estrutura.

 É, geralmente, difícil de detectar pelas suas pequenas dimensões e


porque os pites são, frequentemente, escondidos pelos produtos de
corrosão.

 Os aços, quando em ambientes agressivos contendo cloretos, sofrem


corrosão por pitting.
Prof. Silmara Baldissera Kabayama 18
06/10/2021
Principais Formas UNIFEI
Corrosão Puntiforme ou por Pite

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 19


06/10/2021
UNIFEI

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 20


06/10/2021
Características Fundamentais
UNIFEI
4. Corrosão Puntiforme ou por pite

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 21


06/10/2021
Características Fundamentais
UNIFEI
5. Corrosão Intergranular

• Ocorre quando um metal policristalino é corroído, (corrosão é uniforme)


pois, geralmente, os contornos de grão são apenas ligeiramente mais
reativos que o interior dos grãos. Contudo, sob certas condições, os
contornos de grão tornam-se muito reativos e ocorre uma corrosão entre
os grãos da rede cristalina do material metálico. Este perde suas
propriedades mecânicas, em função da corrosão sob tensão fraturante
(CTF) (Stress Corrosion Cracking – SCC).

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 22


06/10/2021
Características Fundamentais
UNIFEI
5. Corrosão Intergranular

• A corrosão intergranular pode ser provocada por impurezas nos


contornos de grão, aumento da concentração de um dos elementos de
liga ou redução da concentração de um destes elementos na região dos
contornos de grão. Exemplo clássico é a redução substancial do teor de
cromo na região dos contornos de grão dos aços inoxidáveis austeníticos
pela precipitação de carboneto de cromo. Este problema será abordado
com mais detalhe no tópico sobre aços inoxidáveis.

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 23


06/10/2021
Características Fundamentais
UNIFEI
6. Corrosão Transgranular
• A corrosão evidencia-se nos grãos da rede cristalina do material
metálico, que ao perder suas propriedades mecânicas, poderá fraturar à
menor solicitação mecânica, tendo-se também corrosão sob tensão
fraturante.

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 24


06/10/2021
Características Fundamentais
UNIFEI
7.Corrosão Filiforme
 Processa-se sob a forma de finos filamentos, mas não profundos, que
se propagam em diferentes direções e que não se ultrapassam, pois se
admite que o produto de corrosão, em estado coloidal, apresenta carga
positiva, daí a repulsão.

 Ocorre, geralmente, em superfícies metálicas revestidas com tintas ou


com metais e ocasiona o deslocamento do revestimento.

 Tem sido observada, mais frequentemente, quando a umidade relativa


do ar é maior que 85% e em revestimentos mais permeáveis à penetração
de oxigênio e água ou que apresentem falhas, como riscos, ou, ainda, em
regiões de arestas.

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 25


06/10/2021
Características Fundamentais
UNIFEI
7.Corrosão Filiforme

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 26


06/10/2021
Características Fundamentais
UNIFEI
8. Corrosão Esfoliação
 É um tipo de corrosão subsuperficial, que se inicia em uma superfície
limpa, mas se espalha abaixo dela. É detectada de forma paralela à
superfície metálica.

 Ocorre em chapas ou componentes extrudados, que tiveram seus grãos


alongados e achatados, de forma a criar condições para que inclusões ou
segregações, presentes no material, sejam transformadas, devido ao
trabalho mecânico, em plaquetas alongadas.

 E geralmente em ligas de alumínio das séries 2.000 (Al, Cu, Mg), 5.000
(Al, Mg) e 7.000 (Al, Zn, Cu, Mg).

 Quando se inicia um processo corrosivo na superfície de ligas de


alumínio, com essas características, o ataque pode atingir as inclusões ou
segregações alongadas e a corrosão ocorrerá através de planos paralelos
à superfície metálica e, mais frequentemente, em frestas.

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 27


06/10/2021
Características Fundamentais
UNIFEI
8. Corrosão Esfoliação

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 28


06/10/2021
Características Fundamentais
UNIFEI
9. Corrosão Grafítica

 A corrosão evidencia-se no ferro fundido cinzento em temperatura


ambiente. O ferro metálico é convertido em produtos de corrosão,
enquanto a grafite permanece intacta. Observa-se que a área corroída
fica com aspecto escuro, característico da grafite, e esta pode ser
facilmente retirada com espátula. Quando a grafite é colocada sobre
papel branco e atritando-a, observa-se a formação de risco preto
característico.

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 29


06/10/2021
Características Fundamentais
UNIFEI
9. Corrosão Grafítica

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 30


06/10/2021
Características Fundamentais
UNIFEI
9. Corrosão Grafítica

Ocorre geralmente em tubulações de ferro fundido enterradas e usadas para


condução de água potável. E também em bombas centrígufas.

Corrosão em tubulação

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 31


06/10/2021
Características Fundamentais
UNIFEI
10. Dezincificação
É a corrosão que ocorre em ligas de cobre-zinco (latões), em que se
observa o aparecimento de regiões com coloração avermelhada em
contraste com a característica coloração amarela dos latões. Admite-se
que ocorre uma corrosão preferencial do zinco, e o cobre restante
destaca-se com sua característica cor avermelhada. A figura mostra o
trecho de uma tubulação de latão Cu-Zn (70/30), com dezincificação em
regiões com depósito de gordura e absorção de sal, NaCl; as regiões
dezincificadas são as mais escuras na fotografia.

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 32


06/10/2021
Características Fundamentais
UNIFEI
10. Dezincificação

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 33


06/10/2021
Características Fundamentais
UNIFEI
10. Dezincificação

A dezincificação e a corrosão grafítica são


exemplos de corrosão seletiva, pois há a corrosão
preferencial de zinco e ferro, respectivamente.
Prof. Silmara Baldissera Kabayama 34
06/10/2021
Características Fundamentais
UNIFEI
11. Empolamento pelo hidrogênio
 O hidrogênio atômico penetra no material metálico e, como tem pequeno
volume atômico, difunde-se rapidamente e em regiões com
descontinuidades, como inclusões e vazios, transforma-se em hidrogênio
molecular, H2. A molécula formada exerce pressão e origina bolhas, daí o
nome de empolamento.

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 35


06/10/2021
Características Fundamentais
UNIFEI
12. Corrosão em torno do cordão de solda

Forma de corrosão que se observa em torno de cordão de solda.


Ocorre em aços inoxidáveis não-estabilizados ou com teores de
carbono maiores que 0,03%. A corrosão é evidenciada inter-
granularmente.

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 36


06/10/2021
Características Fundamentais
UNIFEI
12. Corrosão em torno do cordão de solda

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 37


06/10/2021
Características Fundamentais
UNIFEI
12. Corrosão em torno do cordão de solda

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 38


06/10/2021
Principais Formas UNIFEI

Corrosão Galvânica

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 39


06/10/2021
Principais Formas UNIFEI

Corrosão sob Tensão Característica:

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 40


06/10/2021
UNIFEI

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 41


06/10/2021
Principais Formas UNIFEI
•Corrosão Seletiva
Característica: corrosão de uma determinada fase da liga, onde uma fase
apresenta um comportamento anódico em relação a outra fase presente.

Exemplos:
- dezincificação: liga latão com mais de 20% zinco em contato com água do
mar e ácidos;
- grafítica: corrosão em ferro fundido, ferro é atacado deixando o carbono e
carbonetos livres na estrutura cristalina.

• Corrosão sob Frestas


Característica: corrosão que ocorre em locais com depressões e cavidades com
fluido estagnado, onde o suprimento de oxigênio fica de difícil acesso. No
interior das fretas o meio pode atingir pH bastante baixos, acelerando a
corrosão.

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 42


06/10/2021
Principais Formas UNIFEI

Corrosão sob Frestas

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 43


06/10/2021
Principais Formas UNIFEI
•Corrosão Microbiológica
Característica: corrosão devido a ação de Microorganismos (bactérias, fungos,
algas) que podem atacar os metais através de produção de ácidos minerais ou
orgânicos, destruição da camada passivadora ou revestimento protetores, entre
outros.

• Empolamento pelo Hidrogênio


Característica: acúmulo de hidrogênio atômico nas regiões de segregação ou vazios
formando o hidrogênio molecular. Com o resfriamento aumenta a pressão interna e
formando cavidades (bolhas), associado ou não a tricamento entre as cavidades.

• Fissuramento pelo Hidrogênio


Característica: hidrogênio liberado na reação catódica ou do processo penetra
dentro do material alojando nas pontas das inclusões. Estes locais funcionam como
concentradores de tensões e assim pode nuclear trincas que se propaga na direção
paralela a superfície. O trincamento poderá unir as inclusões quando estão na
forma alongada.

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 44


06/10/2021
Principais Formas UNIFEI
Corrosão Microbiológica

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 45


06/10/2021
Principais Formas UNIFEI
•Corrosão Erosão
Característica: corrosão que quando associada a velocidade de fluxo
aumenta o desgaste da superfície metálica. Cada material possui uma
velocidade máxima de fluxo.

• Corrosão Sensitização
Característica: corrosão que ocorre próximo aos contornos dos grãos de
aços inoxidáveis. Formação de uma pilha com alta e baixa concentração
de cromo. Carbonetos são formados quando o aço fica submetido a
temperatura na faixa de 450 a 850 C.

• Corrosão Fadiga
Característica: taxa de propagação da trinca aumenta em função do grau
de corrosividade do meio.

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 46


06/10/2021
Principais Formas UNIFEI

•Corrosão Esfoliação
Característica: corrosão se processa na forma paralela a superfície
metálica. Ocorre em materiais que foram deformados ou extrudados.
Nestes casos os grãos, segregações e inclusões ficam deformados. A
corrosão se apresenta na forma de placas.

Prof. Silmara Baldissera Kabayama 47


06/10/2021