Você está na página 1de 17

História da Educação

Prof. Julina Valentini


juliana.Valentini@ifpr.edu.br

Instituto Federal do Paraná


IFPR

Aula 4

1
2
3
4
5
6
XX -
XII XII-
VIII VIII-
VI VVII --
IIV
V
IV-
Pré-H
om
XX a érico –
XII a. Hom
C. ér i c
–VIII o –XII
a. C
. Arca
ico –
II
VIII
a VI Clás
sico
C. – VI
a IV a.
C
Hele
nís tico
I V a.
C. at
é 14
6 a. C
Na Grécia encontraremos aspectos da educação do antigo
Egito, que nos foram transmitidos e interpretados por
autores gregos como: Heródoto, Platão, Diodoro de
Sicília.

Preparar para as tarefas do poder, que são o "pensar" ou o


"falar" (isto é, a política) e o "fazer" a esta inerente (isto é,
as armas);

Para os produtores governados nenhuma escola Para as classes excluídas e oprimidas, sem arte nem
inicialmente, mas só um treinamento no trabalho, cujas parte, nenhuma escola e nenhum treinamento mas,
modalidades, que foram mostradas por Platão. em modo e em graus diferentes, a mesma
aculturação que descende do alto para as classes
subalternas. (MANACORDA, 1999, p.41)
8
Uma sociedade composta por grupos sociais antagônicos: VIII-
VI

Grupos Grupos
enriqueci trabalhad Arca
ico –
dos ores V III a
V I

Comerciantes não enriquecidos

os grandes proprietários de terras e de escravos Artesãos livres, ameaçados pelo


crescente predomínio do trabalho
escravo nas oficinas
Donos de oficinas de artesãos (não aristocrático)
Camponeses livres
Comerciantes ricos (não aristocrático)
Escravo

9
No Período Arcaico as duas Educações VIII-
  VI
a- A educação homérica: guerreiro; orador
“Os indivíduos das classes dominantes são guerreiros na juventude e políticos na velhice”
Virtude, força, coragem, prudência, lealdade, honra, glória, heroísmo (arete), guerreiro bom e belo Arc(kalokagathia)
aico
– VI
justificava os privilégios de uma linhagem nobre, de origem divina. II a V
I
O ideal educativo denominado “Kaloskgathia” busca alcançar além de honra e glória, a excelência física e moral, sendo
que os atributos que o homem deve procurar realizar são: a beleza (kalos) e a bondade (Kagatos). Para isto, a educação
implica em dois elementos fundamentais: a ginástica para o desenvolvimento do corpo, e a música (aliada à leitura e ao
canto para o desenvolvimento da alma.
b- A educação hesiodéica: camponeses produtores, moral
Em uma civilização agrícola sabedoria e de moralidade camponesa

Assiste-se, enfim, a um conflito entre as duas tradições culturais, a dos aristocratas guerreiros e a do povo de
produtores. A esse conflito se entrelaçará um outro que, com base social semelhante, dará origem à polêmica
entre a excelência por nascimento e a excelência adquirida, entre virtudes inatas e virtudes aprendidas, entre
natureza e educação. Neste conflito aparecerá o desprezo dos espíritos conservadores por qualquer ascensão
das classes populares através da aprendizagem. (Manacorda, 1999, p.45) 10
No período Arcaico, como essa educação acontecia?

Na educação grega arcaica encontramos a aculturação


(moral, religiosa, patriótica) e a aquisição das técnicas,
sobretudo as do governar.

A educação através da "música" e da "ginástica": por


música entende-se a aculturação ao patrimônio ideal,
transmitido através dos hinos religiosos e militares,
cantados em coro pelos jovens (naquele tempo não havia
transmissão escrita, portanto o verso cantado era
necessário para a memória e a prática coral para a
socialidade), e por ginástica entende-se a preparação do
guerreiro. 11
A história política de Atenas começou com a
Administrar as polis
Monarquia. Nela, o rei (Basileu) acumulava
Escrever as leis (alterá-las a seus interesses);
as funções de sacerdote, de juiz e de chefe
Interpretar as Leis;
militar.
Administração da Justiça;
A Monarquia foi rapidamente substituída
Executavam as leis;
(na maioria das cidades gregas) pela
Penas para os delitos eram baseadas na tradição e
Oligarquia, marcando a passagem do poder
costume;
do rei para a aristocracia dos Eupátridas. O
rei permaneceu apenas com as atribuições
religiosas.

Modelo das Oligarquias


Governados pelos Aristoi (os Ouve-se o clamor da Justiça arrastada por onde a conduzem os homens
melhores* eupátridas) devoradores de presentes, e julgam com sentenças distorcidas. Ela os
acompanha deplorando a cidade e os costumes do povo, vestida de bruma,
arcontado – homens escolhidos entre levando o mal aos humanos que a repelem e não a distribuem retamente.
os eupátridas 1 ano (religiosas,
jurídicas e militares Hesíodo (O Trabalhos e Dias) +-VIII-VII a.C

* areópago, conselho de eupátridas


responsável pelo controle e pela
fiscalização dos arcontes No século VIII a. C – renasceu a escrita (Fenícios; Ugarit)
A partir do século VII – Leis na Grécia passaram a ser escritas
PRINCIPAIS LEGISLADORES ATENIENSES MUDANÇAS SOCIAIS NAS POLIS GREGAS
Drácon (c. 650 a.C.-600 a.C.): cresceram as tensões sociais já existentes, tornando
Sólon (c. 638 a.C.-c. 558 a.C.): impossível a manutenção do poder nas mãos de um único
grupo social.

Leis de Draconianas – Código


de Drácon – 624 a. C (VII)
Arconte, de origem
aristocrática, Drácon.

• Responsabilidade Sólon eleito arconte


Individual do Delito mediador para trazer a
(EUNOMIA) aceitar a 500 medimnos = Política
(família) diferença social para haver 300 medimnos = Política
• Distinção a a harmonia; Ordem e 200 ou Junta de bois = Hoplitas
Unidade; Não possuir renda acumulada = frota de guerra
intencionalidade e a Atender as demandas eram marinheiros ou infantaria
casualidade (morte) necessárias;
Criou novas leis;
• “Duras”
• Tiranias (Psístrato, Hípias e Hiparco).
Clístenes (c. 570 a.C.-508a.C.):

MUDANÇAS DE CLÍSTENES

Instituiu o princípio da ISONOMIA para os cidadãos gregos;


Isonomia – igualdade de tratamento, de direitos e responsabilidade;
EKKLESIA – TODOS OS CIDADÃOS
BOULÉ – ASSEMBLEIA DE 500 CIDADÃOS
DEMOS – ‘POVO’ (BAIRROS E ALDEIAS) ADMINISTRAVA SUAS FINANÇAS; ARRECADAVAM OS IMPOSTOS; ORGANIZAVAM AS
OBRAS; ESCOLHIAM QUEM IRIA PARA A BOULÉ; ESCOLHIAM QUEM IRIA AO SERVIÇO MILITAR;
No final do século VI – Sob o governo de Clístenes
• Pensamento de Isonomia (cidadãos têm tratamento igual) Demokratia
• Democracia – participação dos cidadãos nas ações estatais (40.000)
• Eclésia; Demos, que quer dizer REGIÕES
‘POVO”, e Kratia que significa
Distribuiu os cidadãos em dez tribos; A bulé passou a ter governo, força ou potência de
quinhentos integrantes, cinquenta por tribo, e a ser dominação.
presidida de forma sucessiva por representantes de cada Literalmente democracia significa
uma das tribos “governo do DEMOS”

Demos Demos Demos Demos


ECLÉSIA
Demos Demos Demos Demos Demos Demos

Ostracismo: Evitar as tiranias,


oligarquias – Votos – cidadão suspeito
Boulé/Bulé – Elabora as leis e decisões
BULÉ
era exilado por 10 anos.
cotidianas (500); (50 a cada mês+-)
Eclésia – Assembleia popular para todos Mistoforia
os cidadãos (homens livres com mais de
18 anos). Ocorria na Agora Votar 500
Ostracons, pedaços de cerâmica onde se escrevia o nome do
governante que sofreria ostracismo
Um resumo parcial
Uma sociedade que passará a manejar de modo cotidiano a escrita (objetos escritos).
O Alfabeto;
A Concepção de Isonomia;
A Democracia;

O conhecimento do alfabeto fomentou, como nunca antes, o pensamento crítico, a Filosofia, a Oratória, a
curiosidade, a arte, o teatro, a literatura; O nascimento da filosofia, fato histórico enraizado no passado,
achava-se, portanto, vinculado às já citadas transformações: a escrita, a lei, a moeda, o cidadão, a pólis, as
instituições políticas.

Na Grécia clássica (IV e V), ao contrário, as explicações predominantemente religiosas foram substituídas pelo
uso da razão autônoma, da inteligência crítica e pela atuação da personalidade livre, capaz de estabelecer uma
lei humana e não mais divina.

Decorre daí uma nova concepção de virtude, diferente do valor do “guerreiro belo e bom”. Se antes a virtude
era ética, aristocrática, agora ela é política, voltada para o ideal democrático da igual repartição do poder.

Você também pode gostar