Você está na página 1de 12

História da Educação

Prof. Julina Valentini


juliana.Valentini@ifpr.edu.br

Instituto Federal do Paraná


IFPR
Aula 14
1701 - 1800

1
Na última aula

EDUCAÇÃO
NO
BRASIL
IMPÉRIO 2
Lei de 15 de
outubro de 1827 ➭1ª
lei de educação do
Brasil Independente

➭determinava a
criação de “Escolas
de Primeiras
Letras”
Não era universal
Determinava o
método do “ensino
mútuo”.
Tentava garantir
acesso aos
“rudimentos” do
saber.

3
Trechos da lei de 1827: currículo escolar mais enxuto para as meninas
ATO ADICIONAL DE 1834 –
Descentralização da Educação

1. Descentraliza a educação para as províncias.

2. A lei de 1827 não se cumpre totalmente.

3. Desobriga o governo central com a educação


Método Mutuo - Joseph Lancaster Elementar e Secundário
• Instrução e disciplina
4. Não realiza a ideia de SISTEMA DE
• Castigos
EDUCAÇÃO
• Atende a muitos com poucos professores
5. Cria enormes desigualdades, tendo em vista as
desigualdades econômicas das províncias.

4
Debates sobre educação feminina no século
XIX: Nísia Floresta

Até o século XVIII (1701-1800) as famílias reservavam a


escolarização e o letramento aos meninos, por serem tais
atributos consideradas incompatíveis com a "identidade
feminina", afirmada a partir do distanciamento em relação
à alfabetização, leitura, produção de textos,
profissionalização e participação na vida pública.

No século XIX (1801-1900) o debate sobre a educação


feminina ganhou força.

Nísia Floresta, considerada nossa primeira feminista.

O conceito de direitos das mulheres quase não recebeu


atenção, nem mesmo no contexto das revoluções Francesa
ou Americana o status das mulheres foi alterado, as leis
limitavam seus direitos, e pensava-se que eram
"moralmente senão intelectualmente dependentes dos pais
ou maridos.

Dionísia Gonçalves Pinto.

https://www.youtube.com/watch?v=-fqz5fsFssE –
Documentário 5
Enquanto aqui vivemos a
expulsão dos jesuítas (1759) e
a implementação (lenta) de
uma ensino por parte do
Estado, o que estava
ocorrendo na Europa?

Pensadores
Educação
1701-1800
6
Pensamento filosófico Iluminista
Enciclopédia - 1751-1772

  É evidente que para cada ordem de cidadãos num


Estado há um tipo de educação próprio: educação para
os filhos dos soberanos, educação para os filhos dos
grandes, para os filhos dos magistrados etc., educação
para as crianças dos campos, onde, como existem escolas
para aprender as verdades religiosas, deveriam também
existir escolas nas quais se mostrassem a eles os
exercícios, as práticas, os deveres, as virtudes do seu
Estado, a fim de que aprendessem a agir com mais
reconhecimento . . . “ (DUMARSAIS, C. p. 397, In:
Enciclopédia, Diderot D’Alembert. Verbete Educação).

Jean-Jacques ROUSSEAU (1712-1788) Natural de Genebra-Suiça


Foi um precursor da pedagogia não-centrada no(a) docente ou conteúdos, defendida por:
- Maria Montessori (1870-1952) e - John Dewey (1859-1952)

Centro do ensino é o aluno A criança é diferente do adulto e deve ser tratada de modo diferente. 7
8
Duas experencias concretas (particulares) entre o Setecentos e o
Oitocentos

a) O ensino mútuo - Joseph Lancaster ( 1778-1838) Inglaterra


• Uma nova iniciativa educacional, promovida por particulares : o chamado "ensino mútuo" ou "monitorial
'', no qual alguns adolescentes instruídos diretamente pelo mestre, atuando com variedade de tarefas como
auxiliares ou monitores, ensinam por sua vez outros adolescentes, supervisionando a conduta deles e
administrando os materiais didáticos.
• - método didático; opção política conservadora;

b) J. H. Pestalozzi (1746 – 1827) Suíça

• Inspirado em Rousseau, suas intuições de psicologia infantil e de didática constituíram um dos pontos de
partida de toda a nova pedagogia.
• Educação não-repressiva, não baseada no medo das punições, "que serviria apenas para agravar o mal".
• Pestalozzi afirma, com profunda e clara consciência, o princípio do interesse e da curiosidade infantil como
base para qualquer intervenção das mãe ou do professor.
• Por isso, cada um dos objetos que rodeiam a criança pode servir para fazer surgir nela ideias. É um quadro
de educação ao mesmo tempo física e intelectual, que se utiliza de métodos que hoje chamaríamos ativos;

10
Outras propostas e atuações de uma escola estatal
• Na França, Louis René de la Chalotais (1701 – 1785) “reivindicava uma educação que dependesse somente
do Estado”;

• Também na França, Condorcet (1743-1794) sustentava a necessidade de uma instrução para todo o povo,
aos cuidados do Estado e inspirada num laicismo absoluto: uma instrução, enfim, "única, gratuita e neutra".

• Na Alemanha, Johann Bernhardt Basedow (1724–1790) as escolas fossem dirigidas com critérios uniformes
pelo Estado para o bem civil de todos os cidadãos;

• Na Itália, Gaetano Filangieri (1752-1788) - Ele é pela universalidade da instrução, não pela igualdade.
(MANACORDA, 1999, p.245)

Século XIX: A Educação Nacional

Revolução Industrial altera a fisionomia do mundo


As populações deslocam-se para as cidades
Instaura-se o Imperialismo colonialista
Consolida-se o poder da burguesia
Aumenta o contraste entre pobreza e riqueza 11
12
LER TEXTO COMPLEMENTAR

O que de fato foi


implementado?
1801-1900
13

Você também pode gostar