Você está na página 1de 6

“Quando a harmonia chega”

Carlos de Oliveira
Biografia do autor:
 Carlos Alberto Serra de Oliveira nasceu no dia 10 de agosto de 1921 em
Belém, no Brasil e morreu no dia 1 de julho de 1981, em Lisboa.
 Foi um escritor português que recebeu o Prémio Bordalo em 1971 na categoria
de “Literatura” e o Prémio Cidade de Lisboa em 1978.
Quando a harmonia chega
Escrevo na madrugada as últimas palavras deste livro: e tenho o coração
tranquilo, sei que a alegria se reconstrói e continua.
Acordam pouco a pouco os construtores terrenos, gente que desperta no rumor
das casas, forças surgindo da terra inesgotável, crianças que passam ao ar livre
gargalhando. Como um rio lento e irrevogável, a humanidade está na rua.
E a harmonia, que se desprende dos seus olhos densos ao encontro da luz,
parece de repente uma ave de fogo.
Análise do poema
 O "eu" está alegre porque acabou de escrever o seu livro, sente-se bem com o
trabalho feito;
 Esteve a trabalhar durante a noite, enquanto as outras pessoas dormiam;
 Ele observa o raiar de um novo dia e o despertar das pessoas que começam a
sair para o trabalho e para a escola;
 Manifesta a sua confiança e esperança na humanidade, através de um
vocabulário de cariz positivo, como luz, fogo, harmonia e ave;
 Nada poderá parar o avançar da humanidade (ver as comparações).
Recursos expressivos:
“coração tranquilo” e “rumor das casas” – Personificação
“como um rio lento e irrevogável” – Adjetivação
“E a harmonia, que se desprende dos seus olhos densos ao encontro da luz,
parece de repente uma ave de fogo” e “como um rio lento e irrevogável, a
humanidade está na rua” – Comparação
Análise formal:
 É um poema em prosa: três parágrafos;
 Não há versos, estrofes ou rima;
 Expressa os sentimentos e emoções do “eu”.