Você está na página 1de 18

Sistema

Gastrointestinal
Apendicite
INTRODUÇ
ÃO
No âmbito da disciplina de Saúde foi proposto pela professora Graciete Paixão um trabalho sobre o sistema
gastrointestinal bem como a abordagem a uma doença relacionada com esse sistema.
Nesse sentido o grupo decidiu apresentar a doença apendicite.
No desenvolvimento do trabalho iremos desenvolver os seguintes tópicos:
• Sistema gastrointestinal - Conceito; • Sinais e sintomas da apendicite;
• Função do sistema digestivo; • Diagnóstico da doença;
• A apendicite – Conceito; • Principais causas da doença;
• Qual é a diferença de apendicite aguda e cronica? • Tratamento da apendicite;
• A apendicite aguda é grave? • Formas de lidar com a apendicite;
• Formas como afeta os clientes; • O papel de um técnico auxiliar de saúde

2
Sistema gastrointestinal
O sistema digestivo ou gastrointestinal, inclui o tubo digestivo que é constituído por
 Boca;
 Faringe;
 Esófago;
 Estômago;
 Intestino delgado;
 Intestino grosso;
 Reto;
 Órgãos glandulares – (glândulas salivares, glândulas estomacais, fígado e pâncreas);
:

3
Função do Sistema Digestivo
A função do aparelho digestivo é transferir as moléculas
orgânicas, água e sais minerais que constituem a alimentação
para o meio interno do organismo, de modo que os átomos e
moléculas que os constituem possam ser distribuídos pelas
células através do sistema circulatório.

Ou seja, é o sistema responsável por obter dos alimentos


ingeridos os nutrientes necessários às diferentes funções do
organismo, como crescimento, energia para reprodução,
locomoção, etc.

4
A Apendicite
 O apêndice é uma pequena bolsa, em forma de tubo e com cerca de 10
cm, que está ligada à primeira parte do intestino grosso, próximo do local
onde o intestino delgado e grosso se ligam.

 Dessa forma, a sua posição geralmente é sob a região inferior direita da


barriga. Embora não seja considerado um órgão essencial para o corpo,
quando está inflamado pode colocar a vida em risco, devido à elevada
probabilidade de arrebentar e libertar bactérias pelo abdômen,
resultando numa infeção generalizada.

5
QUAL É DIFERENÇA DE APENDICITE
AGUDA E CRÓNICA?
Apesar de a apendicite aguda e crónica se caracterizarem
pela inflamação do apêndice, são duas situações diferentes.

A apendicite crónica é menos frequente, tem um ritmo de


progressão lento e os sintomas são mais ligeiros.

 Já a apendicite aguda é muito comum, tem um ritmo de


progressão rápido e os sintomas são muito intensos.

6
APENDCITE AGUDA É GRAVE?

 A apendicite aguda é uma doença potencialmente


grave e requer a realização de uma cirurgia para
remover o apêndice (apendicectomia).

Se não for realizada atempadamente, a inflamação


do apêndice pode associar-se a diversas
complicações, como a perfuração, dando origem a
uma peritonite ou mesmo a uma infeção
generalizada (septicémia).

7
Formas como afeta os clientes
 Apendicite pode levar à morte se não for tratada a tempo.

 Após uma cirurgia a apêndice o utente deve ter bastante cuidado:


 Ficar em repouso relativo nos primeiros 7 dias, sendo recomendada
pequenas caminhadas, mas evitando-se esforços e carregar peso;
 Fazer o tratamento da ferida no posto de saúde a cada 2 dias, removendo
os pontos 8 a 10 dias após a cirurgia;
 Comer alimentos grelhados ou cozidos, dando preferência para carne
branca, peixe, legumes e fruta;
 Evitar conduzir durante as 3 primeiras semanas após a cirurgia e ter
cuidado ao colocar o cinto de segurança sobre a cicatriz;
8
Sinais e Sintomas da Apendicite
Os sinais e sintomas da apendicite são:

Dor ou desconforto abdominal


Dor intensa no lado inferior direito da barriga
Náuseas ou vômitos
Perda de apetite
Febre baixa persistente (entre 37,5º e 38º)
Prisão de ventre ou diarreia
Barriga inchada ou excesso de gases

9
Nota:

 Estes sintomas são mais frequentes em


crianças e adolescentes, porém a apendicite
aguda pode ocorrer em qualquer idade.
 Além disso, quando a dor é muito fraca, mas
dura mais de um mês é considerado
apendicite crônica e é mais comum a partir
dos 40 anos de idade, acontecendo
lentamente.

1
0
Diagnóstico da Doença
Exames para identificar a apendicite:
Muitas vezes o médico pode necessitar pedir alguns exames para
confirmar o diagnóstico, especialmente quando os sintomas não são
clássicos:
•Exame de sangue: permite avaliar a quantidade de células brancas, que
ajudam a confirmar a presença de uma inflamação no corpo;
•Teste de urina: ajuda a confirmar que os sintomas não estão sendo
causados por uma infeção urinária;
•Ultrassom abdominal ou tomografia computadorizada: permitem observar
a dilatação e inflamação do apêndice.

1
1
PRINCIPAIS CAUSAS DA
DOENÇA
 Na maioria das situações de apendicite não é possível identificar a causa
específica da inflamação do apêndice, no entanto, a obstrução desse local
do intestino parece ser a causa mais frequente.

 Quando isso acontece, pode ocorrer o acúmulo de fezes e bactérias no seu


interior, que acabam por provocar uma infeção e a inflamação.

 Acredita-se que a obstrução do apêndice possa surgir devido a várias


situações relativamente comuns como uma pancada forte no local ou
vermes, mas também devido a problemas mais graves como tumores
intestinais, por exemplo.
1
2
TRATAMENTO DA
APENDICITE
 A forma mais utilizada para tratar a apendicite é fazer uma cirurgia para
retirar todo o apêndice.

 Essa cirurgia é conhecida como apendicectomia e, nela, o apêndice é retirado


através de um pequeno corte no abdômen. Por isso, a pessoa normalmente
precisa ficar internada depois do tratamento por 1 a 2 dias, de forma a
avaliar que o intestino está funcionando corretamente e que não surgem
complicações da cirurgia como sangramentos ou infeção.

 Mesmo nos casos em que o diagnóstico não é preciso, a cirurgia pode ser
recomendada, principalmente porque o risco de realmente existir uma
apendicite e acabar rompendo é superior. 1
3
FORMAS DE LIDAR COM A
APENDICITE
No dia a dia as pessoas que têm apendicite devem ter cuidados extra
na sua saúde, comendo alimentos com fibras e também mantendo
hábitos saudáveis.
Mas algumas pessoas precisam ficar mais atentos, são eles:
• Pessoas com pouca idade- Quase 70% dos utentes têm menos
de 30 anos.
• Homens- Uma das maiores incidências ocorre com as pessoas do
sexo masculino
• Sedentários- Com uma vida ativa, mantém o organismo a
funcionar de forma correta.

1
4
O PAPEL DO TÉCNICO AUXILIAR
DE SAÚDE

No PRÉ-OPERATÓRIO: No PÓS-OPERATÓRIO:
• Tranquilizar o paciente e dizer que a • Monitorar os sinais vitais nas primeiras
cirurgia lhe vai aliviar a dor; 6 horas;
• Explicar sobre a cirurgia e responder a • Avisar o médico ou enfermeiro se
alguma dúvida que o paciente tenha ao houver caso de febre persistente,
lado de um enfermeiro; calafrios, náuseas, vómitos e dor
• Informar sobre o tipo de anestesia; abdominal;
• Enquanto o doente espera a cirurgia • Examinar regularmente o curativo;
colocar o utente na posição de fowler • Auxiliar na alimentação caso o utente
para atenuar a dor. precise de ajuda;

1
5
WEBGRAF https://www.youtube.com/watch?v=ziK7O0J-U98
IA https://youtu.be/Y0BmuYSMats

 https://pt.wikipedia.org/wiki/Locomo%C3%A7%C3%A3o

 https://www.tuasaude.com/apendicite/

 https://www.unimedfortaleza.com.br/blog/cuidar-de-voce/apendicite-aguda-sintomas-tratamento

 https://www.atlasdasaude.pt/publico/content/sistema-digestivo

 https://www.sns24.gov.pt/tema/doencas-gastrointestinais/apendicite/#sec-0

 https://www.portalenf.com/2015/10/cuidados-de-enfermagem-na-apendicectomia/

 https://www.eptpporto.com/tecnico-auxiliar-de-saude/

 https://www.tuasaude.com/cirurgia-para-apendicite/
  1
6
CONCLUSÃO
Com a realização do trabalho podemos concluir que o
sistema gastrointestinal é de extrema importância para o
nosso organismo uma vez que é através dele que obtemos a
energia necessária ao trabalho celular. Este sistema pode
apresentar muitas doenças, o nosso trabalho insidia sobre a
apendicite. Esta doença pode manifestar-se em qualquer
idade, necessitando quase sempre de cirurgia. A pesquisa
foi de fácil acesso, sempre cumprimos com os objetivos
propostos. O grupo em si trabalho bem.

1
7
OBRIGADA
!

1
8