Você está na página 1de 35

INSTALAÇÕES

ELÉTRICAS PREDIAIS
– IEP 152​
SLIDES 02
1
Instalações Elétricas Prediais
Considerações Gerais
● Os empreendimentos prediais são ditos no ponto de vista
das concessionárias locais, como consumidores
individuais e/ou coletivos e para o perfil destes
consumidores a Coelba, regulamenta alguns conceitos:

2
https://servicos.coelba.com.br/residencial-
rural/Pages/Informa
%C3%A7%C3%B5es/normas-e-padroes.aspx

3
Instalações Elétricas Prediais
Introdução:
● Muito embora se trate de um assunto simples para os profissionais que
atuam na área, porém é muito frequente encontrar instalações elétricas de
pequeno e médio portes realizadas sem um projeto elétrico, e por
profissionais sem habilitação e capacitação.
Conceito e Definição :
● As instalações Elétricas Prediais tem como finalidade o suprimento e o
aproveitamento da energia elétrica por meio de circuitos elétricos, conforme a
necessidade das cargas de uma edificação, seja ela de uso residência,
comercial, individual e/ou coletiva.
● Uma instalação elétrica deve servir ao homem, sem constituir um perigo e
nem danos aos equipamentos e os bens, por esta razão deve ser
cuidadosamente planejada e bem executada.

4
Instalações Elétricas Prediais
Conceito e Definição :
● Sistemas elétricos são circuitos ou conjuntos de circuitos
elétricos interligados, destinados a levar a energia
elétrica gerada no sistemas, ou recebidas de outros
sistemas, até os pontos de utilização e/ou até os pontos
em que a energia é transferida para outros sistemas,
incluindo os circuitos e equipamentos auxiliares
destinados ao seu funcionamento.

5
6
Instalações Elétricas Prediais
Conceito e Definição :
>>>>O sistema de alimentação de uma instalação em baixa tensão pode ser
realizado de três maneiras:
• Diretamente em baixa tensão;
– Por rede pública em baixa tensão proveniente da concessionária
• Diretamente em média ou alta tensão;
- Através de subestação de transformação de usuário
• Por fonte própria em baixa tensão.
- Através de usina geradora do próprio consumidor
• As instalações alimentadas diretamente em baixa tensão, a origem
corresponde a saída do dispositivo geral do comando e proteção (disjuntor
geral), do medidor.
• Para instalações alimentadas em alta tensão, através de subestação de
transformação de usuário, a origem corresponde ao secundário, ou seja, aos
terminais de saída do transformador.
7
Sistemas e Instalações Elétricas
Sistemas Elétricos de Potência – SEP:
• São grandes sistemas de energia que englobam a geração, transmissão e
distribuição de energia elétrica;
• Devido ao grande aumento de demanda por energia elétrica e o crescente
número de interligações entre os sistemas elétricos existentes, tornaram a
operação e o controle destes, uma tarefa extremamente complexa;
• A partir da privatização das concessionárias de energia elétrica, que
resultaram em flexibilização e regulamentação dessas pela
Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), órgão regulador do
governo brasileiro, vem crescendo a exigência para que as concessionárias
busquem cada vez mais melhorar seus padrões de qualidade, confiabilidade
e continuidade no fornecimento;
• Para transmitir todo este montante de energia com menor perda possível,
faz-se o uso de elevadas tensões, pois como as perdas são dada pela Perda
Joule, a perda é proporcional ao quadrado da corrente.
8
Sistemas e Instalações Elétricas
Classificação dos Consumidores em Tensão Secundária:
• Tensão disponibilizada no sistema elétrico da
concessionária (Coelba) com valores padronizados
inferiores a 2,3 kV;
• Limite de Fornecimento: Unidades Consumidoras
Individuais com potência Instalada ≤ 75kW;
• Limite de Fornecimento: Unidades Consumidoras
Coletivas com potência Demandada ≤ 112,5kVA;
• Tensão Padronizada: 220/127V, 380/220V, 440/254V,
etc.

9
Elementos das Instalações Prediais
Diagrama de Blocos - IEP:

10
Elementos das Instalações Prediais
Entrada de Energia e Medição:
● Entrada é definida como sendo a parte da instalação compreendida entre o
“ponto de entrega” da concessionária e o equipamento de medição, ou seja
a junção entre a rede da concessionária (COELBA) e a instalação do
prédio.
Proteção e Comando:
● A proteção contra sobrecargas, curto-circuito, etc. da linha de distribuição
geral predial (Alimentadores), deve ser efetuada através de dispositivos
adequados, como por exemplo: chave fusível, disjuntores.
Quadro de Distribuição:
● Destina-se a receber o alimentador (Circuito de Distribuição), ou seja os
circuitos principais que alimentam os quadros de força, vindo da medição e
por meio de barramento conveniente, alimentar os dispositivos de proteção
e de comando dos diversos circuitos terminais e ou outros circuitos de
distribuição. 11
Elementos das Instalações Prediais
Quadro de Distribuição

12
Elementos das Instalações Prediais
Quadro de Distribuição

13
Elementos das Instalações Prediais
Circuitos Parciais:
● Também conhecidos como circuitos terminais, alimenta as cargas pontuais,
podem ser independentes (Circuitos dedicados – In≥10A), circuitos de
iluminação e circuitos de tomadas (Pontos de Força), atendo as
recomendações da norma NBR 5410.

14
Tipos de Instalações Prediais
Considerações Gerais:

● Uma Instalação elétrica é composta basicamente de uma rede de fios e/ou


cabos condutores, juntamente com outros equipamentos que suportam e
permitem a proteção e o acionamento dessa rede para suprir as
necessidades do empreendimento.
● Salvo aplicações particulares, os condutores devem ser em cobre e com
isolação de natureza plástica, para no mínimo 750V.
● As Instalações podem ser classificadas de acordo com o tipo de rede
utilizada, cuja escolha é em função do ambiente e da modalidade das
cargas a serem atendidas.
● Podem ser associados em relação ao ambiente, à utilização e ao tipo de
materiais empregados na construção civil.

15
Tipos de Instalações Prediais
Com Relação ao Ambiente:

● Temperatura Ambiente;
● Altitude;
● Presença (ou não) de água;
● Presença (ou não) de poeira ou poluição;
● Presença (ou não) de substâncias corrosivas;
● Presença (ou não) de choques mecânicos e vibrações;
● Presença (ou não) de flora e fauna.

16
Tipos de Instalações Prediais
Com Respeito à Utilização:

● Competência das pessoas que utilizam as instalações;


●Contato das pessoas com o potencial terra;
● Condições de fuga em emergência;
● Natureza dos materiais guardados.

Obs.: Quanto aos materiais empregados nas construções e à estrutura dos


prédios considera-se a presença ou não de materiais combustíveis, além de
aspectos referentes aos riscos de movimento e parede (Toldos, divisórias
móveis, etc.).

17
Tipos de Instalações Prediais
Com Relação aos Tipos de Linhas:

● Quanto a escolha da linha (Condutores Isolados, unipolares, multipolares,


condutores nus);
●Quanto a instalação da linha (Aparente, embutida, poço, canaleta, etc.).

Obs.: Estes critérios devem seguir rigorosamente as orientações da NBR-5410,


de acordo com as referências: A1, A2, B1, B2, E, D, etc.

18
Tipos de Instalações Prediais

19
Tipos de Instalações Prediais

Entre outras referências....... 20


Tipos de Instalações Prediais
.....Que São:

21
Tipos de Instalações Elétricas
Embutidas:
● Esta Infra-estrutura, apresenta normalmente a rede de fios condutores
dispostas internamente a uma rede composta por eletrodutos (Tubos
metálicos ou de PVC) e caixa de passagens, que por sua vez, são montados
no interior das paredes, pisos, e tetos das edificações.

22
Tipos de Instalações Elétricas
Aparentes:
● Tipo de instalação que apresenta normalmente a rede de fios condutores
alojados em condutos expostos fixados por suportes (Chumbadores,
Cantoneiras, Abraçadeiras), caixas de passagens de sobrepor.
● Estas montagens aparentes são mais utilizadas em sistemas de montagens
comerciais, patrimônios tombados e industriais, porém dependendo do
porte da linha elétrica,Clique
se torna comumtexto
para adicionar e necessária sua utilização em
instalações residenciais e/ou prediais.

23
Tipos de Instalações Elétricas
Principais Materiais Utilizados:

● Quadros;
● Eletrodutos e conexões;
●Caixas de Passagem;
● Interruptores e Tomadas;
● Dentre Outros.

24
Tipos de Instalações Elétricas
Quadros de Cargas 
• O objetivo do quadro de cargas também denominado como quadro de
distribuição de força é receber energia elétrica através de uma
alimentação, e distribuí-la a um ou mais circuitos, podendo também
desempenhar funções de proteção, seccionamento, controle e/ou
medição. Os valores mínimos de potência para os equipamentos
alimentados e protegidos pelo quadro de força são discriminados pela
ABNT NBR 5410, ou pela Concessionária Local.
• Um quadro de distribuição é o centro de toda a instalação elétrica de um
sistema. Eles consistem em caixas (gabinetes) de metal (aço) ou
termoplástico (ABS) utilizados para locar uma série de equipamentos
elétricos. São compostos basicamente por: corpo, porta, placa de
montagem e fecho. As principais funções dos quadros é alojar os
componentes elétricos, distribuir a energia e proteger os circuitos
elétricos. Geralmente os quadros estão disponíveis em dois modelos: de
embutir (de uso interno) ou de sobrepor (de uso externo). 25
Tipos de Instalações Elétricas
Eletrodutos:
● Geralmente constituídos de tubos metálicos ou de plásticos (PVC),
disponíveis em barras de 3m, com diâmetro variado, existindo
regulamentação e padronização pelas normas.
● A rede de “barras” de eletrodutos se conecta através de luvas,
curvas ou caixas de passagem. As emendas ou conexões dos fios
condutores, não podem ser efetuados no interior dos eletrodutos.
● Deve Haver no máximo 15m de tubulação entre duas caixas,
contando 3m para cada curva de 90º existente, onde é permitida a
existência de no máximo 03 curvas de 90 graus entre caixas.

26
Tipos de Instalações Elétricas
Eletrodutos:
● Existem várias recomendações, sobre eletrodutos, como por
exemplo:
– Área de Ocupação;
– Raio mínimo de curvatura do eletroduto;
– Intalações em lajes concretadas;
– Uso de Juntas de dilatação;
– Número máximo de condutores, por eletroduto;
– Cuidados na enfiação dos condutores.

27
Tipos de Instalações Elétricas
Eletrodutos:

A taxa de ocupação do eletroduto é dada pelo quociente entre a


soma das áreas das seções transversais dos condutores previstos e
calculadas com base no diâmetro externo. A área útil da seção
transversal do eletroduto, não deve ser superior a:

• 53% no caso de um condutor;


• 31% no caso de dois condutores;
• 40% no caso de três ou mais condutores.

28
Tipos de Instalações Elétricas
Eletrodutos:

29
Tipos de Instalações Elétricas
Caixas:
● Constituem os suportes físicos para a fixação de equipamentos
(Luminárias, Interruptores, Tomadas, etc), além de permitirem o
acesso aos condutores, servindo como inspeção, possibilitando as
derivações de eletrodutos e a passagem nos trechos mais longos.
Deverão ser empregadas caixas:
– Em todos os pontos de chegada e saída de condutores;
– Em todos os pontos de emendas ou derivação de condutores;
– Em todos os pontos de instalação de aparelhos ou dispositivos;
– Para dividir e/ou diminuir trechos longos, maiores dos
permitidos pela norma.

30
Tipos de Instalações Elétricas
Principais tipos de caixas:
– Retangulares;
– Quadradas;
– Octagonal;
– Octagonal com fundo móvel.

31
Tipos de Instalações Elétricas
Condutores:
● Aquele que, estando carregado por uma determinada carga
elétrica, tem essa carga distribuída por toda a sua extensão.
Metais são bons exemplos de condutores.
● São usualmente identificados pela sua seção transversal em mm².
de cobre e isolados. O condutor com menor seção utilizado em
instalações prediais, apresenta seção de 1,5mm², para iluminação
e 2,5mm² para pontos de força. (ABNT NBR 5410-2004).

32
Tipos de Instalações Elétricas
Interruptores:
● Os interruptores são dispositivos de seccionamento, no controle de
abertura ou fechamento de um circuito (ou parte dele) que supre
uma carga.
● A utilização de interruptores é restrita geralmente a cargas
limitadas (10A).
Tipos de Interuptores:
– Simples de um único ponto;
– Simples de dois ou três pontos;
– Paralelos (Three-Way);
– Interruptores que permitem a temporização do acionamento e
variação na intensidade da iluminação que atende.
33
Tipos de Instalações Elétricas
Tomadas e Plugues:
● São dispositivos que permitem a conexão dos condutores de um
circuito com um equipamento elétrico, de modo prático e seguro.
● As novas tomadas, são disponíveis no mercado em capacidade de
(10A e 20A), que evitam a sobre carga na instalação elétrica e o
desperdício de energia na dissipação do calor.
Tipos de Tomadas e Plugues:
– Com dois pinos redondos – Para atender a aparelhos pequenos
como eletrodomésticos;
– Com três pinos redondos (2P+T), sendo um terra, para
equipamentos grandes como refrigerador, máquina de lavar,
dentre outros.
O Pino de Aterramento tem a finalidade de dispersar a energia 34
elétrica para evitar choques ou danos aos aparelhos.
Tipos de Instalações Elétricas
Interruptores, Tomadas e Plugues:

35

Você também pode gostar