Você está na página 1de 12

Universidade Federal de Campina Grande

Centro de Ciências e Tecnologia


P
R Unidade Acadêmica de Engenharia Mecânica
O Área de Metalurgia e Fabricação
G
R M
A A
M T
A E PROGRAMA DA DISCIPLINA MATERIAIS
R DE CONSTRUÇÃO MECÂNICA I
I
A
I Prof. Ricardo Cabral de Vasconcelos
S
E-mail: ricocv@superig.com.br
I
Prof. Ricardo Cabral de Vasconcelos
UFCG/CCT/UAEM
P
R NOME DA DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO MECÂNICA I
O CODIGO: 2105160
C.HORÁRIA TEÓRICA: 60 C. HORÁRIA PRÁTICA: 00 CREDITOS: 04
G
R M 
PRÉ-REQUISITOS: QUIMICA DOS MATERIAIS (1105410)
A A CÓ-REQUISITOS: NENHUM
M T  
A E MATÉRIA A QUE PERTENCE: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO MECANICA
R - UAEM
I TIPO DE DISCIPLINA: C. MÍNIMO:
I C. OBRIGATÓRIA:
A
I
S
I
Prof. Ricardo Cabral de Vasconcelos
2
UFCG/CCT/UAEM
EMENTA DA DISCIPLINA: Requisitos dos Materiais para Construção Mecânica.
Plasticidade dos Metais. Propriedades Mecânicas dos
Materiais. Propriedades Elétricas, Magnéticas,
Térmicas. Materiais Poliméricos e Cerâmicos. Materiais
P Compósitos. Introdução à Seleção dos Materiais.
R Diagrama de Fases. Diagrama Ferro-Carbono: Aços e
Ferros fundidos.
O
G OBJETIVOS DA DISCIPLINA: Identificar as propriedades dos materiais de
R M engenharia, sua determinação e correlações de forma a

A A estabelecer uma formação crítica de conceitos para


seleção de materiais.
M T Apresentar os principais tipos de materiais

A E poliméricos, cerâmicos e compósitos e suas


aplicações em engenharia.
R Fornecer os princípios básicos da Seleção dos
I Materiais de engenharia.
Fornecer os princípios básicos envolvidos no estudo
A de diagrama de fases e apresentar o diagrama Fe-C:
I Aços e Ferros fundidos.

S METODOLOGIA/ESTRATÉGI Aulas expositivas e seminários.


AS PARA ALCANÇAR OS
I OBJETIVOS:
Prof. Ricardo Cabral de Vasconcelos
3
FORMAS DE AVALIAÇÃO: UFCG/CCT/UAEM
A avaliação constará da apresentação de seminários e
BIBLIOGRAFIA 1. Chiaverini, V., Tecnologia Mecânica vol. I, vol. II e
RECOMENDADA: vol. III, Ed. Makron Books do Brasil Ltda, 1986.
2. Sousa, S.A., Ensaios Mecânicos de Materiais
P Metálicos. Ed. Edgard Blucher Ltda, 1974.
R 3. CHIAVERINI, V. Aços e ferros fundidos. 4 ed. São
O Paulo: Editora ABM, 2000.
4. CALISTER JR, William D. Ciência dos de
G
M materiais: uma introdução. Rio de Janeiro: Livro
R Técnico e Científico Editora S.A., 2009
A A 5. Callister Jr., W. D., Ciência e Engenharia de
M T Materiais: Uma Introdução, LTC – Livros Técnicos
A E e Científicos Editora S.A., 2002.
R 6. SHACKERLFORD, James F. Ciência dos
I materiais. São Paulo. Pearson Education, 2008.
7. GARCIA, A.; Spim, J.A. e Santos C.A. Ensaios dos
A materiais. Rio de Janeiro: LTC Editora,2000.
I 8. Van Vlack, LH. Princípios de ciência e tecnologia
S dos materiais. Rio de Janeiro, Campus Ltda, 1984.

I
Prof. Ricardo Cabral de Vasconcelos
4
UFCG/CCT/UAEM
BIBLIOGRAFIA 9. Van Vlack, L H., Princípio de Ciência dos
RECOMENDADA: Materiais, Ed. Edgard Blucher Ltda, 1970.
10. REED HILL, R. E., Princípios de Metalurgia
P Física. Rio de Janeiro: Guanabara Dois, 1982.
R 11. COLPAERT, H. Metalografia dos Produtos
O Siderúrgicos Comuns. São Paulo: Edgard
Blucher Ltda, Editora USP, 1974.
G
M 12. Gomes, N. R. e Bresciani Filho. Propriedades e
R Uso dos Metais Não-Ferrosos. Editora da
A A Associação Brasileira de Metais, 1976.
M T 13. Higgins, R. A. Propriedades e Estruturas dos
A E Materiais em Engenharia. São Paulo: Difusão
R Editorial S.A., 1982.
I 14. Cottrell, Alan. H. Introdução à Metalurgia.
Lisboa: Fudação Caloustre Gulbenkian, 1975.
A 15. Padilha, Ângelo F. Materiais de Engenharia. São
I Paulo: Editora Hemus, 1997.
S 16. Coutinho, T. de A. Metalografia de Não-Ferrosos
– Análise e Prática. São Paulo: Editora Edgard
I Blücher Ltda., 1980.
Prof. Ricardo Cabral de Vasconcelos
5
UFCG/CCT/UAEM
P
R
BIBLIOGRAFIA 17. Freire, J. M., Materiais de Construção Mecânica,
O RECOMENDADA: Rio de Janeiro: Ed. Livros Técnicos e Científicos
G S.A., 1983.
R M 18. Monteiro, H. P., Diagrama de Equilíbrio de Fases
A A de Ligas Metálicas, UFRJ, 1967.
M T 19. Guedes, Benedito e Filkauskas, Mário E., O
E Plástico, Livros Érica Editora Ltda, 1986.
A Verçosa, E. J., Materiais de Construção. vol. I e
R 20.
vol. II., Sagra Editora e Distribuidora, 1973.
I 21. Dieter, G. E., Metalurgia Mecânica, Editora
A Guanabara Dois, 1981.
I
S
I
Prof. Ricardo Cabral de Vasconcelos
6
UFCG/CCT/UAEM
PROGRAMA DA 1. Requisitos dos Materiais para Construção
DISCIPLINA/DISTRIBUI- Mecânica
ÇÃO DO CONTEÚDO 1. Classificação dos materiais;
EMENTADO: 2. Utilização dos metais;
P 3. Ocorrências dos metais;
Principais materiais metálicos e suas ligas;
R
4.
5. Características físico-químicas dos materiais;
O 6. Fatores que influem na seleção do material;
Especificação.
G
7.
Plasticidade dos Metais
M
2.
R 1. Deformação elástica, deformação plástica e
A A deformação por maclação;
Deformação dos materiais policristalinos;
T
2.
M 3. Deformação a quente, deformação a frio e
A E recristalização.
Propriedades Mecânicas e suas Determinações
R
3.
1. Tração e Compressão;
I 2. Dureza;
Fluência;
A
3.
4. Resistência ao Choque;
I 5. Fadiga.

S
I
Prof. Ricardo Cabral de Vasconcelos
7
UFCG/CCT/UAEM
PROGRAMA DA 4. Propriedades Elétricas e suas Determinações
DISCIPLINA/DISTRIBUI- 1. Condução Elétrica;
ÇÃO DO CONTEÚDO 2. Semicondutividade;
EMENTADO: 3. Condução Elétrica em Cerâmicas Iônicas e
P em Polímeros;
Comportamento Dielétrico;
R
4.
5. Outras Características Elétricas dos
O Materiais.
Propriedades Térmicas e suas Determinações
G
5.
Capacidade Calorífica;
M
1.
R 2. Expansão Térmica;
A A 3. Condutividade Térmica;
Tensões Térmicas.
T
4.
M 6. Propriedades Magnéticas e suas Determinações
A E 1. Diamagnetismo e Paramagnetismo;
Ferromagnetismo;
R
2.
3. Domínios e Histereses;
I 4. Anisotropia Magnética;
Supercondutividade.
A
5.

I
S
I
Prof. Ricardo Cabral de Vasconcelos
8
UFCG/CCT/UAEM
PROGRAMA DA 7. Propriedades Ópticas e suas Determinações
P DISCIPLINA/DISTRIBUI- 1. Refração;
ÇÃO DO CONTEÚDO Reflexão;
R
2.
EMENTADO: 3. Absorção;
O 4. Transmissão;
Cor.
G
5.
8. Materiais Poliméricos
R M 1. Principais materiais poliméricos e suas e

A A aplicações.
9. Materiais Cerâmicos
M T 1. Principais materiais Cerâmicos e suas

A E aplicações.
10. Materiais Compósitos
R 1. Principais materiais Compósitos e suas
I aplicações.

A
I
S
I
Prof. Ricardo Cabral de Vasconcelos
9
UFCG/CCT/UAEM
PROGRAMA DA 11. Introdução à Seleção dos Materiais
DISCIPLINA/DISTRIBUI- 1. Estudo de Casos.
ÇÃO DO CONTEÚDO 12. Diagramas de Equilíbrio
EMENTADO: 13. Principais diagramas de equilíbrio;
P 14. Introdução ao diagrama de equilíbrio Ferro-
R Carbono.
Diagrama Fe-C: Aços e Ferros fundidos
O 13.
14. Definições;
G 15. Alotropia do Ferro Puro;
R M 16. Diagrama de Equilíbrio Fe-C;
Propriedades dos Constituintes do Aço;
A A 17.
18. Efeitos do Esfriamento e do Aquecimento
M T Sobre a Posição das Linhas de
Transformação;
A E 19. Efeito dos Elementos de Liga Sobre o
R Diagrama de Equilíbrio Fe-C.
I
A
I
S
I
Prof. Ricardo Cabral de Vasconcelos
10
UFCG/CCT/UAEM
LEMBRETES:
P
R 1.A avaliação constará da apresentação de seminários e
O provas.
G
R M
A 2.O aluno terá ao final do curso 04 (quatro) notas.
A
M T
A E 3.Existe reposição de apenas um e somente um estágio. Não
R falte a qualquer um destes estágios por motivo banal.
I
A 4.A reposição será ao final do semestre.
I
S 5.Os estágios deverão ser respondidos pelos alunos em caneta nas
cores azul ou preto. Não será permitido o uso de grafite.
I
Prof. Ricardo Cabral de Vasconcelos
11
UFCG/CCT/UAEM
Orientações para os Seminários

1. A nota do seminário será a média aritmética das seguintes notas:


P
Nota 1 – Trabalho impresso e arquivo eletrônico do mesmo;
R 1.
2. Nota 2 – Apresentação em PowerPoint (das partes mais importantes
O do trabalho impresso) e seu arquivo eletrônico. Tempo de
apresentação: 02 horas.
G
R M
Observações:
A A
M T 1. O trabalho impresso deverá ser o mais completo possível. Não
A E esquecer da bibliografia. O texto disponibilizado pelo professor,
para o seminário é a principal referência. Outras fontes podem e
R devem ser utilizadas.
I
A 2. Cada membro da equipe deverá apresentar parte do trabalho em
sala de aula. Caso haja abandono de algum membro, os demais
I devem assumir todo o seminário (mesmo que fique apenas um
S membro da equipe).

I 3. A ordem de apresentação será a ordem de assunto.


Prof. Ricardo Cabral de Vasconcelos
12
UFCG/CCT/UAEM