Você está na página 1de 7

Cultura Áfricana

Matéria: Estudos sócioantropológicos


Trabalho referente ao 2° Bimiestre
Prof: Dr Danila Faria Berto

Alunos: João Luís da Silva Sabino RA:230582


Pedro Henrique Alves Pessoa RA:230547
Bruno Vinicios de Souza Batalini RA:230546
● Transmissão da cultura e principais transmissores
Na sua massa de forma oral, através de seus
colonizadores, viajantes e missionários que
repassavam a história daquele povo
Convívio e práticas
Povo vivia da agricultura, pesca e caça, Vivendo
em pequenas comunidades ou grandes reinos,
geralmente liderados por seu lideres religiosos
● Religiões, crenças e mitológia
Se formou na reverência a espíritos da florestas, das pedras e forças
desconhecidas na natureza voltadas ao culto dos antepassados e as divindades
da naturezq, como o culto dos orixás. Com a colonização foram trazidos o
cristianismo e o islamismo, possuindo assim uma grande variedade de ritos e
crenças.
● Escravidão e perca dos direitos
Com a colonização esse povo que ali vivia, foi privado de seus próprios
direitos, para serem usados como mão de obra escrava. Usurpando
assim todo o que era principal, a cultura, crenças, e seus direitos civis.
Já que eram vistos como bárbaros praticamente animais.
UBUNTU: FILOSOFIA AFRICANA
O QUE É UBUNTU ?
Ubuntu é uma filosofia africana que nutre o conceito de a
humanidade em sua existência, uma sociedade que se sustenta nos
pilares do respeito ao próximo e solidariedade, tratando da
importância das alianças e do relacionamento interpessoal.

Ubuntu significado “Sou quem sou porque somos todos nós”


Essa é uma belíssima lenda africana que aborda valores sobre
cooperação, igualdade e respeito.
A LENDA DE UBUNTU

Conta-se que um antropólogo ao visitar uma tribo africana, quis


saber quais eram as brincadeiras de criança.
Ele então colocou uma cesta cheia de frutas embaixo de uma
árvore e disse para as crianças que a primeira que chegasse até
a árvore poderia ficar com a cesta.
Quando o sinal foi dado, algo inusitado ocorreu. As crianças
correram em direção à árvore, todas de mãos dadas. Assim,
todas chegaram juntas ao prêmio e puderam desfrutar
igualmente.
O homem ficou bastante intrigado e perguntou:
— Por que vocês correram juntos se apenas um poderia ganhar
todas as frutas?
Até que uma das crianças prontamente respondeu:
— Ubuntu! Como um de nós poderia ficar feliz enquanto os outros
estivessem tristes?
O antropólogo ficou então emocionado com a resposta.