Você está na página 1de 18

Terapia cognitivo-

comportamental focada no
trauma para crianças e
adolescentes: um modelo
de atendimento em saúde
mental em Toronto

P S I C O T E R A P I A I N FA N T O - J U V E N I L
A P R E S E N TA Ç Ã O : S A M A R A S R A B E L O - 9
TERMO
Conceituação de trauma
 [Psicologia] Experiência emocional intensamente desagradável
que pode causar distúrbios psíquicos, deixando uma marca
duradoura na mente do indivíduo: trauma psicológico.
Tipos de violência vivenciadas por crianças que podem ocasionar em
traumas:

 Violência física:
Segundo Santiago (2013), consiste na: utilização da força física
do adulto para agredir a criança ou adolescente que esteja sob o
seus cuidados.
Ex: Estrangular, bater, provocar lesões na pele (manchas roxas e
queimaduras)
Tipos de violência vivenciadas por crianças que podem ocasionar em
traumas:
 Violência sexual:
Guerra (2005, p.35): “[...] todo ato ou jogo sexual, relação hétero
ou homossexual entre um ou mais adultos e uma criança ou
adolescente, tendo por finalidade estimular sexualmente esta
criança e adolescente ou utilizá-los para obter uma estimulação
sexual sobre sua pessoa ou de outra pessoa.”
Ex: Toques íntimos não desejados; comentários ou piadas de
carácter sexual que causem à vítima desconforto e sexo oral.
Tipos de violência vivenciadas por crianças que podem ocasionar em
traumas:
 Violência Psicológica:
Guerra (2005) caracteriza a violência psicológica como: a
constante depreciação da criança adolescente, por parte
de seus responsáveis, incluindo ameaças de abandono, de
não mais amar e cuidar. (p.46)
Ex: constrangimento, humilhação, ameaças, insultos e
isolamento.
Tipos de violência vivenciadas por crianças que podem ocasionar em
traumas:
 Negligencia:
Guerra (2000): Configura-se quando os pais responsáveis falham em
termos de prover as necessidades físicas, de saúde, educacionais,
higiênicas de seus filhos e ou de supervisionar suas atividades, de
modo a prevenir riscos e quando tal falha não é resultado das
condições de vida além do seu controle. (p.14)
Ex: Constantemente deixadas sobre cuidados de terceiros sem a
preocupação sobre o seu bem estar; Quando não incentivadas com
relação ao seu desempenho cognitivo e emocional.
TCC focada no trauma:

 Baseia- se em teorias de aprendizado e cognição, em avanços empíricos


nas ciências cognitivas e em sua aplicação na psicoterapia. Esse modelo
de terapia foi desenvolvido utilizando princípios do modelo da TCC, visando
a atuar em áreas especificas de perturbação psicológicas e
sintomatológicas observadas em crianças abusadas.

É voltada à promoção de uma abertura gradual das discussões sobre o


trauma vivido.
 O tratamento concentra- se nas memórias condicionadas e lembranças do trauma, cognições distorcidas
do(s) evento(s) e atribuições negativas sobre si mesmo, sobre os outros e sobre o mundo.
Sobre as sessões:
 45 min com os responsáveis e 45 min com as crianças
adolescentes;

 As intervenções focadas nas crianças visam desenvolver as


capacidades de expressar emoções, de realizar
enfrentamentos, de monitorar e modificar pensamentos
automáticos, como ao treinamento da capacidade de
resolução de problemas, à educação sexual (quando há
história de abuso sexual) e o desenvolvimento de habilidades
sociais;

 As intervenções focadas nos pais incluem sessões dedicadas a trabalhar as reações emocionais do
adulto diante do abuso ou trauma sofrido pela criança, desenvolver e aplicar capacidades de manejo de
comportamento adequado e assim fortalecer o suporte ao filho.
Projeto de atendimento em Toronto

Descrição do caso clínico:


Antônio, de 11 anos nascido em barbados, mora no Canadá com sua mãe
Rebecca (superprotetora), que apesar disso, deixa com que seu filho
passe férias em sua cidade natal, na casa de uma amiga, esta tem um
filho chamado Marcos de 16 anos de idade, que chega a abusar
sexualmente de Antônio, via penetração anal. Rebecca que voltou antes
para buscar o filho, descobre o ocorrido e volta ao Canadá o mais rápido
possível, e ao perceber a deterioração da saúde mental do filho, resolve
leva-lo a terapia. A PARTIR da utilização da TCC-FT, o processo se
desenvolveu em 4, sendo estas:
Descrição da técnica desenvolvido em Toronto

FASE 1:
 Estabelecer o caso;
 Despertar a esperança;
 A construção da aliança terapêutica.
Projeto de atendimento em Toronto

FASE 2:
 Psicoeducação;
 Técnicas parentais;
 Relaxamento;
Projeto de atendimento em Toronto

FASE 3:
 Expressão e modulação de afeto;
 Enfrentamento e processamento
cognitivo;
 Narrativa do trauma;
Projeto de atendimento em Toronto

FASE 4:
 Domínio in vivo das memórias do
trauma;
 Sessões conjuntas de crianças-
pais;
 Reforçando segurança e
desenvolvimento futuro.
Resultados Observados no caso de Antônio:

 Conseguiu identificar os seus pensamentos,


crenças e comportamentos disfuncionais frente a
situação traumática;
 Uma visão mais assertiva acerca do seu eu e do
mundo que o cerca;
 Sua autoestima e autoconfiança foram
estabilizadas;
 Fortalecimento da sua independência;
 E melhora do seu relacionamento com Rebecca.
Resultados apresentados:

Estudos em crianças em idade escolar utilizando a TCC-


FT tem sido demonstrado resultados promissores. Sua
eficácia tem sido demonstrada por meio da redução da
internalização e externalização de sintomas e melhora
das funções parentais. (Cohen et al., 2004; Cohen;
Mannarino, 1998; Deblinger; Lippmann; Steer, 1996).
Além disso, observa-se efeitos positivos do tratamento
um e dois anos após a intervenção (Cohen; mannarino;
Knudsen, 2005; Deblinger; Steer; Lippmann, 1999).
Contra- indicações da TCC- FT

 Falta de apoio familiar;


 Falta de motivação do paciente;
 Preocupação com a segurança do processo
terapêutico.
Considerações finais:
“A TCC focada no trauma contribui significativamente para as
práticas clínicas. Uma de suas principais qualidades advém da
sua simplicidade, possibilizando que terapeutas dos mais
variados níveis possam aprender seu conteúdo e estrutura de
forma relativamente rápida. Entretanto, como observado também
em outras formas de terapia com crianças profundamente
traumatizadas, o processo de tratamento pode ser doloroso e
difícil para o terapeuta. [...] recomenda- se que terapeutas que
trabalhem com crianças de alto risco mantenham- se em
supervisão para assegurar feedback contínuo e apoio
profissional.” (CORDIOLI, 2019)
REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS:
CORDIOLI, Aristide Volpato.- 3. ed. – Dados eletrônicos. – Porto Alegre: Artmed, 2008.
GUERRA, V.N.A. Os novos pequenos Mártires: infância e violência doméstica. São Paulo:
LACRI, 2000.
GUERRA, V.N.A. Violência doméstica de pais contra filhos: A tragédia revisitada. 5. ed. São
Paulo: Cortez, 2005.
SANTIAGO, Daniela Emilena. Violência doméstica Portal educação.1. ed. – Campo grande: Portal
educação, 2013.
https://www.dicio.com.br/trauma/#:~:text=Significado%20de%20Trauma&text=Contus%C3%A3o%2
0ou%20les%C3%A3o%20que%20resulta,trauma%2Catos%20%E2%80%9Cferida%E2%80%9D
. Acesso em:0804 2021.