Você está na página 1de 8

Filosofia Romana

Tópicos
• Período greco-romano
• As tendências religiosas no Império romano
• A filosofia estoica em Roma
• Sêneca
• A origem do cristianismo
1. Período greco-romano(filosofia Romana)
Corresponde, em termos históricos, Principais pensadores: Cícero (106-
à fase de expansão militar de Roma 43 a.C.) divulgador das obras
(desde as Guerras Púnicas – Roma x clássicas da cultura grega;
Catargo), iniciadas em 264-164 a.C.,
até a decadência do império romano, Sêneca (c. 4 a.C.-65) principal
em fins do século V da era cristã); representante do estoicismo
romano;
 Ausência de originalidade das ideias
filosóficas; Plutarco (c.46-122), biógrafo,
historiador e moralista;
Voltada a desenvolver as
contribuições culturais herdadas da Plotino (c. 205-270), maior expoente
Grécia clássica; do neoplatonismo;
2. As tendências religiosas no Império romano
O mundo em que a igreja “No período clássico, os mistérios guardados em Eleusis,
fez um progresso triunfal, em homenagem a Deméter e Perséfone, eram os mais
embora às vezes doloroso, famosos. Os mais populares em nosso período eram, em
sua maioria, de origem oriental. Havia os mistérios de ísis;
estava ávido de religião da grande deusa-mãe anatólia Cibele e seu jovem amante
 Seitas orientais no mundo Atis, deus da vegetação, e de outros; provavelmente, os
greco-romano: ísis, Serápis mistérios mais disseminados e representativos eram os
e Cibele; o deus persa de Mitras. Todas essas religiões tinham refeições
sagradas, e, nos períodos de preparação, dava-se grande
Mitra(aliado do Sol) importância à abstinência, mortificação e purificação.(...)
Sincretismo religioso: Nos ritos de Cibele e Átis, por exemplo, ele se submetia a
crenças em imortalidade da um tipo de batismo no sangue de um touro (taurobolium)
alma,transmigração da alma ou de um carneiro (criobolium), que era abatido sobre
ele;como consequência, a pessoa sentia-se “renascida
As religiões de Mistérios para sempre”(KELLY.p.9-10)
3. O estoicismo romano(neo-estocísmo)
• A filosofia estoica encontrou terreno
fértil em Roma; • “O Estoicismo foi a filosofia que, em
Roma, sempre teve maior numero de
• Os romanos tinham interesse seguidores e admiradores, tanto no
especial pelos problemas éticos e o período republicano como no período
modo especifico com que os imperial. Alias, o desaparecimento da
Estoicos os apresentavam; Republica, com a consequente perda
• Em Roma, porém, o Estoicismo de liberdade do cidadão, fortaleceu
absorveu também elementos do notavelmente nos espíritos mais
Platonismo; sensíveis o interesse pelos estudos em
geral e pela filosofia estoica em
particular”(REALE.p.325)
4. Lúcio Aneu Sêneca (4-65 d.C.)
• Nasceu em Cordoba, na Espanha, • Alma x corpo: 0 corpo é peso,
entre o fim da era pagã e o vínculo, cadeia, prisão da alma; a
principio da era cristã; alma é o verdadeiro homem que
• Oscilou constantemente entre o tende a libertar-se do corpo para
naturalismo da Estoá e o dualismo alcançar sua pureza;
platônico, sustentado por sincero • Ética: o conceito de “consciência
sentimento religioso originária” de bem e mal.
• Deus: personalista e • Conceito de vontade
panteísta(providência imanente, a
razão que plasma a matéria, é a
natureza etc)
5. Origem do cristianismo
• Religião de matriz judaica e helênica:
• “O cristianismo primitivo não foi
influenciado tanto pela filosofia clássica,
mas pelo pensamento helênico”(TILLICH, Paul. Historia do
Pensamento cristão.p.26)

• “Diversas ideias e atitudes surgiram no Judaísmo


do período intertestamentário que influenciaram
profundamente a era apostólica, isto é, Jesus, os
apóstolos e os escritores do Novo Testamento”(TILLICH,
Paul. Historia do Pensamento cristão.p.32)

• Ex. A ideia de um Messias


Bibliografia
• BOEHNER, P. & E. Gilson. História da filosofia cristã. Petrópolis, Vozes, 1982.
• GILSON, Étienne. O espírito da filosofia medieval. São Paulo, Martins Fontes,
2006
• MARCONDES, Danilo. Iniciação a filosofia: dos pré-socráticos a Wittgenstein.
Rio de Janeiro:Zahar,2010.
• MOMIGLIANO, A. Os limites da helenização. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1991.
• LIBERA, A. de. A filosofia medieval. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1993.
• REZENDE, Antônio(org).Curso de filosofia: Para professores e alunos dos cursos
de ensino médio e de graduação. Rio de Janeiro:Zahar. 2010.
• TOMÁS DE AQUINO. Suma Teológica. São Paulo, Loyola, 2002..