Você está na página 1de 12

PORTFÓLIO A II - 2021

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO:
Cultura surda e LIBRAS no polo

EMPREENDEDORISMO, CRIATIVIDADE, INOVAÇÃO E


RESPONSABILIDADE SOCIAL

NOME: Gabriel Rocha Lemos De Almeida


RU: 3453378
POLO: Beberibe, Ceará
TEMPLATE
[utilize este arquivo para elaborar o seu
trabalho, use todos os slides dados]
TRAJETÓRIA HISTÓRICA:
A língua de sinais no mundo

Nas escolas alemães, o oralismo era o que


predominava constantemente. Na França, um
estudioso chamado Liev deu início aos estudos com
duas crianças surdas e percebeu que era possível
comunicar-se com elas por meio da língua de
sinais.
Fundou-se, então, a primeira escola de surdos, na
França. Desde então, Alemanha e França entraram
em disputa para saber o melhor método de ensino:
o oralismo ou a sinalização.
TRAJETÓRIA HISTÓRICA
A linguagem brasileira de sinais
(LIBRAS)

Podemos dizer que a LIBRAS teve início ainda


no segundo reinado, quando Dom Pedro II convidou o
frances Ernest Enet, que trouxe a língua de sinais
francesa para o Brasil. 
Relatos apontam que o imperador tinha um neto surdos
gostaria que fosse desenvolvidos métodos para educa-
lo. Em 1856, foi inaugurado o Collegio Nacional para
Surdos-mudos de ambos os sexos, no Rio de Janeiro.
Nos anos 70, foi inaugurada a Federação nacional de
educação e integração dos surdos.
CULTURA SURDA

Antigamente, não havia conhecimento e


experiencia a respeito da cultura surda. Nessa
época, os surdos só faziam uso de gestos.
Com o avanço do tempo e o aumento da população
surda, eles passaram a mostrar sua cultura,
usando mais a visibilidade e a expressões para se
comunicar melhor. Posto isso, a cultura surda é
tudo aquilo que o individuo consegue articular para
viver em sociedade.
A CULTURA SURDA NO BRASIL

No Brasil, a cultura surda só passou a ser


reconhecida a partir da segunda metade do século
xx, quando os estudos sobre língua de sinais
passaram a ser mais aprofundados.
De forma mais abrangente, vários institutos como
o ines foram intensificados, bem como a libras
sendo pauta de movimentos sociais, visando a
integração na sociedade. 
OS OUVINTES E A LIBRAS

Durante muito tempo, a interação entre os


ouvintes e surdos eram muito precárias. Ouvintes,
por falta de conhecimento, usavam mímicas para
se fazer entender em uma conversa com os surdos.

Hoje em dia, a Libras é uma disciplina obrigatória


no ensino superior justamente por se fazer
necessária no ambiente social, bem como no
mercado de trabalho, no âmbito educacional,
sobretudo.
CAPACITAÇÃO DE OUVINTES EM LIBRAS

Hoje em dia, para uma pessoa que deseja ser


fluente em Libras, dispôem de vários métodos
como cursos sobre a libras, fora e dentro do curso
superior. 
Saber se comunicar com os surdos torna-se
essencial para o mercado de trabalho, visto que a
população sirda está inserida em diversos espaços.
COLOQUE AQUI SEU NOME EM
LINGUA DE SINAIS.
LIBRAS E CULTURA SURDA: o que pode ser feito
em nosso polo?

Em meu polo, Beberibe, Ceára, não tem muita


assistenca em Libras, devido ao fato de não ter
alunos surdos matriculados.

No entanto, faz-se necessário a presença de


profissionais na area para estarem prearados se
houver a inserção de alunos surdos no polo.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

Livro Intodução a Libras.


História e percurso da Libras,
httpps\\youtube.com
Cultura surda, video no youtube.
EXPERIÊNCIAS BEM SUCEDIDAS COM
LIBRAS EM SUA CIDADE.
• Em 2019, na outra instiuição em que estudava, tivemos uma semana
dedicada ao mês do surdo, com palestras com profissionais da area e
diversas atividades voltadas ao universo da Libras. 
• Ainda no mesmo ano, fizemos uma visita a um instituto exclusivo para
crianças e adolescentes surdos.

Você também pode gostar