Você está na página 1de 51

HISTÓRIA

HISTÓRIA DA
DA
ENFERMAGEM
ENFERMAGEM
Prof. Ms: Marcelo Lassala
HISTÓRIA E EXERCÍCIO
DA ENFERMAGEM

SURGIMENTO DA
ENFERMAGEM MODERNA.
Florence Nigthgale:
• Histórico:
1. Nascimento: 12/05/1820 – Florença(Itália)-filha
de inglêses.
2. Dominava vários idiomas
3. Desejo de realizar-se como enfermeira
4. 1844-Roma – estudando atividades irmandades
católicas
5. 1849 – viagem ao Egito(decisão de servir a deus)
5. Desejo de seguir vocação – visita hospitais
dirigido por Irmãs de Misericórdia(ordem
católica de Enfermeiras)
6. 1854 – enviada para a guerra da Criméia
junto com 38 voluntárias.
7. Mortalidade de 40% entre os
hospitalizados - a mesma caiu p/ 2% com
atuação de Florence.
• Imortalizada pelos soldados como:

“A Dama da Lâmpada”- Símbolo da


Enfermagem
• Contrai tifo e retorna em 1856 – invalidez

• Por reconhecimento pelo trabalho


desempenhado – prêmio do Governo Inglês.

• 1859 -Institui Escola de Enfermagem


• 1860 - Escola de Treinamento Nightingale e a Casa das
Enfermeiras do Hospital Saint Thomas.
 Disciplina rigorosa – tipo militar
 Exigência de qualidades morais
 Curso de um ano
 Aula ministrada por médicos
 1910 - Morte de Florence
 Floresce o ensino de enfermagem
 Torna-se ocupação assalariada
 Constitui-se prática social específica e
institucionalizada.
História da Enfermagem
• 1873 – primeira escola criada nos
EUA(segundo modelo de Florence):
• Treinamento de enfermeiras em escolas
• Associação das escolas de treinamento com
os hospitais, porém com independência
financeira e administrativa
• Enfermeiras – responsáveis pelo ensino de
enfermagem
• Residência confortável e agradável p/
estudantes, próximo aos hospitais.
• Sistema Nightingale de Ensino:
1. Direção da escola por enfermeira
2. Mais ensino metódico
3. Seleção de candidatas do ponto de
vista moral, intelectual e aptidão
profissional.
A ORGANIZAÇÃO DA ENFERMAGEM
NA SOCIEDADE BRASILEIRA

Desde o período colonial até o século


XIX
HISTÓRIA DA
ENFERMAGEM no Brasil
• PERÍODO COLONIAL
1. Surgem as Casas de Misericórdia – origem em
Portugal.

São elas:
 Vila de Santos – 1543
 Rio de Janeiro
 Vitória
 Olinda e Ilhéus
HISTÓRIA DA
ENFERMAGEM
 Mais tarde: Porto Alegre e Curitiba –
1880 c/ D. Pedro II e sua esposa.
 Destacam-se padre José de Anchieta e
Frei Fabiano de Cristo.
 Auxílio dos escravos
 1738 – Romão de Matos Duarte fundou
a Casa dos Expostos.
HISTÓRIA DA
ENFERMAGEM
• 1822 – Proteção à Maternidade (José
Bonifácio)
• 1ª Sala de parto – Casa dos Expostos
• 1832 – Faculdade de Medicina do Rio de
Janeiro – Escola de Parteiras
• Nome de destaque no Brasil Império:
Ana Nery
A Evolução da HISTÓRIA
DA ENFERMAGEM
Final séc XIX
• Cenário brasileiro:
 Imenso território
 Contingente populacional pequeno e disperso
 Urbanização progressiva porém lenta em
cidades de comércio mais intenso (Rio e SP)
HISTÓRIA DA
ENFERMAGEM
 Propagação das doenças infecto-contagiosas –
(europeus e africanos)

 Ameaça à expansão comercial


 Governo sob pressão externa

 Saúde constitui-se como problema sócio-


econômico)
HISTÓRIA DA
ENFERMAGEM
• 1864-1870 (Guerra do Paraguai) – atuou
como voluntária no cuidado aos soldados
feridos, improvisando hospitais.
• 5 anos depois – recebe pensão do
Governo Imperial, medalhas e coroa de
louros.
• Deu nome à 1ª Escola de Enfermagem.
HISTÓRIA da
ENFERMAGEM
• Governo assume assistência à saúde:
 Criação de serviços públicos
 Vigilância e controle sobre os portos – reforma
Oswaldo Cruz(1904)
 Diretoria geral de Saúde Pública – reestruturação
sanitária(profilaxia da Febre Amarela, inspetoria,
isolamento e desinfecção, Instituto Soroterápico
Federal) – Instituto Oswaldo Cruz.
HISTÓRIA DA
ENFERMAGEM

 Criação da Cruz Vermelha Brasileira – fins 1908

 1º Presidente – Oswaldo Cruz

 Destaque na 1ª Guerra Mundial e durante


epidemia de Gripe Espanhola.
1920- REFORMA CARLOS
CHAGAS
• Criação do Departamento Nacional de Saúde Pública.

• Enviada ao Brasil a enfermeira norte-americana Ethel Parsons para chefiar


a Missão Técnica de Cooperação para o Desenvolvimento da Enfermagem.
Esta Missão tinha por fim avaliar as condições existentes para a
organização de uma escola ou cursos de treinamento de enfermeiras, e

também para o desenvolvimento de um serviço público de enfermagem .


• Em 1923 foi criado por Ethel Parsons a EEAN. A primeira escola de
enfermagem brasileira nos padrôes Naigtengaleanos.
A SELEÇÃO DAS
CANDIDATAS
• O processo de seleção incluía além de uma carta de encaminhamento por um político ou um
religioso, ainda um exame médico minucioso para comprovar as condições de saúde da
candidata, além da anamnese sobre doenças atuais; procedia-se à inspeção e avaliação direta
de sinais e sintomas, bem como à análise laboratorial (hemograma completo, urina, fezes)

• Influiriam, por igual, a aptidão e a capacidade intelectual para o estudo verificada pelo
exame de suficiência e as qualidades pessoais requeridas pela profissão de Enfermeira.
Havia também uma entrevista individual, onde era avaliada a aparência pessoal da candidata
e o refinamento de seus modos.

• A procura da escola era por jovens com hábitos e comportamentos com algum
condicionamento ou modelações, considerados, à época, distintivos de "boas maneiras" e de
consequente respeitabilidade. Na avaliação final, seriam eliminadas desde logo as que
apresentassem deficiências físicas, as emocionalmente "incapazes" e as que mostrassem

"rudeza dos costumes ".


Criação das Escolas de
Enfermagem
• CRIAÇÃO DAS ESCOLAS DE ENFERMAGEM
BRASILEIRAS.
1ª - Escola de Enfermagem Alfredo Pinto 1890
(decreto federal 791 de 27 de setembro de
1890).

Foi reformada em 1923 – Maria Pamphiro


• Curso c/ duração de 3 anos
• Dirigida por Enfermeiras diplomadas
Criação das Escolas
Enfermagem
• 2ª - Escola da Cruz Vermelha do Rio de Janeiro – 1916

 Iniciou c/ curso de socorrista


 Não era de nível superior.Só formava aux. De
enfermagem.

 Diplomas registrados pelo Ministério da Guerra.


Criação das Escolas de
Enfermagem
• 3ª - Escola Anna Nery
• Primeira escola nos padrões norte americanos
( de Florence)– 1923
• Internato – Hospital São Francisco de Assis
• Alunas atuaram no controle da Varíola
• 1ª turma diplomou em julho 1925.
• Algumas que mais se destacaram receberam bolsa
estudos EUA
• 1ª diretoria brasileira - Raquel Haddock Lobo
Criação das escolas de
Enfermagem
5ª - Escola de Enfermagem “Luiza de Marillac”
• Dirigida por Irmã Matilde Nina
• Parte da Pontifícia Universidade Católica do
RJ
• Avanço na Enfermagem a nível nacional –
ingresso de religiosas de diversas
congregações.
Criação das Escolas de
Enfermagem
6ª - Escola Paulista de Enfermagem
• 1939 – Franciscanas Missionária de Maria
• Renovação da enfermagem na capital
paulista – acolheu outras congregações
• Início de curso de Pós Graduação em
Obstetrícia
Criação das escolas de
Enfermagem
7ª - Escola de Enfermagem da USP
• 1ª turma 1946
• 1ª diretora – Edith Franckel
• Fundada com a colaboração da
Fundação de Serviços de Saúde
Pública (FSESP) - SP
EVOLUÇÃO DA ENFERMAGEM
MODERNA NO BRASIL.
CONTEXTO HISTÓRICO E POLÍTICO
Aula 3
HISTÓRIA

• DÉCADA: DE 30 A 60
 QUEDA DO ESTADO OLIGÁRQUICO
 ASCENSÃO DE GETÚLIO VARGAS
 DÉFICIT DO SETOR CAFEEIRO CRISE
ECONÔMICO-FINANCEIRA- TENSÕES
CLASSE TRABALHADORA URBANA
HISTÓRIA

• MEADOS DA DÉCADA DE 50:


 TRANSFORMAÇÕES NO PANORAMA
ECONÔMICO – SISTEMA CAPITALISTA
C/ ETRATÉGIAS DE Kubistschek –
conturbações sociais – golpe 1964 – governo
militar.
 RÁPIDA ESCALADA INDUSTRIAL -
CAPITAL ESTRANGEIRO
• AUMENTO INDUSTRIALIZAÇÃO
• CRESCIMENTO URBANO –
• PROLIFERAÇÃO DE FAVELAS E CORTIÇOS

FALTA DE INFRAESTRUTURA URBANA, ALTO CUSTO DE


ViDA, INFLAÇÃO, GRANDES AGLOMERAÇÕES

• PIORA DA CONDIÇÃO DE VIDA DA POPULAÇÃO E


DETERIORAÇÃO DA SAÚDE.
Defesa dos Direitos

SOB PRESSÃO DA CLASSE


TRABALHADORA EM DEFESA DE
SEUS DIREITOS

SISTEMA DE SAÚDE SOFREU


EXPANSÃO E MODIFICAÇÕES
DE ACORDO COM CONDIÇÃO
POLÍTICA E ECONÔMICA VIGENTE.
PRINCIPAL UNIDADE
ADMINISTRATIVA DA AÇÃO
SANITÁRIA

MINISTÉRIO DA SAÚDE
CONSOLIDAÇÃO DA INDUSTRIALIZAÇÃO

DESTAQUE À TECNOLOGIA HOSPITALAR E


INDÚSTRIA FARMACÊUTICA
A Mudança.......
ENFERMAGEM CONSOLIDADA – INTEGRADA COM
PROGRAMAS UNIVERSITÁRIOS E GOVERNAMENTAIS

ENFERMEIROS CONCENTRADOS NA ÁREA HOSPITALAR.

CRESCIMENTO DE OUTRAS CATEGORIAS NA NFERMAGEM P/


ATENDER MERCADO, PORÉM FORMA DESORDENADA.
DITADURA MILITAR(1964-1985)

REFORMA UNIVERSITÁRIA DE 1968:


Vestibular unificado de 1971;
Criação do curso de mestrado em 1975;
Saída dos professores médicos do
curso de enfermagem.
Criação do doutorado em 1985.
Entrada dos homens no curso de
enfermagem.
• 1971 – Primeira turma do vestibular unificado,
reformulado pela reforma universitária de
1968,onde entram os primeiros alunos do sexo
masculino em uma graduação de enfermagem
no Rio de Janeiro na EEAN.

*Marco para enfermagem que desde 1923,eram


escolhidas por entrevista e prova pelas
diretoras da escola de enfermagem.

PRIVATIZAÇÃO DO SETOR SAÚDE.


• AMPLIAÇÃO NO CAMPO DA
ENFERMAGEM

• PROFISSIONAIS DE NÍVEL SUPERIOR


MAIS ABSORVIDOS SETOR PÚBLICO

• SETOR PRIVADO – ABSORVE MAIS


AUXILIARES E OPERACIONAIS COMO
FORMA DE REDUZIR GASTOS.
O Surgimento da
Hierarquia da
Enfermagem
Aula 4
A Pirâmide

Enfermeiro

Técnicos

Auxiliares

Atendentes
Fraca participação em entidades de classe
Conjuntura política – limita o poder de decisão da
enf. - papel subalterno

Enfermagem sem reflexão crítica no fazer


Delegando ato de cuidar aos outros

Aumento custos hospitalares


Expansão do capital
• DECADA DE 70
 ESTRUTURA SOCIAL SOFRE
TRANSFORMAÇÕES – MUDANÇA NO QUADRO
POLÍTICO NACIONAL

 CRISE FINANCEIRA – CLASSE OPERÁRIA


CRESCE E MÉDIA SOFRE COM CRISE

 CRISE SAÚDE – DISCORDÂNCIA ENTRE A


DEMANDA DE SERVIÇO PREVIDENCIÁRIO E
AS AÇÕES EFETIVAS
• 1975:
 SISTEMA NACIONAL DE SAÚDE –
DEFINE NOVO MODELO – LEI
6.229

PREVIDÊNCIA SOCIAL MINISTÉRIO DA SAÚDE


ASSISTÊNCIA INDIVIDUAL CUIDADOS PREVENTIVOS E
E CURATIVA DE ALCANCE COLETIVO
A Criação das Conferências

• CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE ATENÇÃO PRIMÁRIA À


SAÚDE
Na Conferência de Alma-Ata, em 1978, 134 países e 67
organismos internacionais se comprometeram com uma
grande meta: garantir saúde para todos até o ano 2000.
Um desafio ainda maior considerando que a
conferência, organizada pela Organização Mundial de
Saúde (OMS) e pelo Unicef, descreveu saúde não
apenas a ausência de enfermidades, mas como "um
estado de completo bem-estar físico, mental e social",
além de um direito humano fundamental. O foco de todo
esse trabalho deveria ser a atenção primária à saúde.
Ampliação da cobertura
dos serviços de saúde
•Com crise financeira
•Não atingiu objetivos propostos
• AUMENTO DOS CURSOS DE PÓS
GRADUAÇÃO

• ENFERMEIRO RESPONSÁVEIS POR


TREINAMENTO, COORDENAÇÃO E
SUPERVISÃO
O EXERCÍCIO DA
ENFERMAGEM
• Década de 80

 LEI Nº 7.498, DE 25 DE JUNHO DE 1986.

Dispõe sobre a Regulamentação do Exercício


da Enfermagem, e dá outras Providências
O Exercício da Profisão
Enfermagem

Aula 5
O EXERCÍCIO DA
ENFERMAGEM
• Em 1981, é instituído o CONASP - Conselho
Consultivo de Administração da Saúde
Previdenciária -, composto por representantes de
vários ministérios, prestadores e trabalhadores,
com o propósito de organizar a assistência médica,
sugerir critérios para alocação de recursos,
estabelecer mecanismos de controle de custos e
avaliação do financiamento, além de buscar
disciplinar o atendimento dos serviços.
EXERCÍCIO DA Profissão
ENFERMAGEM
• 1986 – VIII Conferência Nacional de Saúde (início
1947).

Discussão de propostas de reforma sanitária com vistas


na universalização do direito à saúde
Sofreram desdobramentos até serem aprovados e
incorporados ao texto da nova Constituição
Brasileira(1988).
O EXERCÍCIO DA
ENFERMAGEM
Com a promulgação da Constituição da República
Federativa do Brasil, em 1988, a saúde tornou-se
"um direito de todos e um dever do Estado,
garantido mediante políticas sociais e econômicas".
O texto da Carta Magna afirma que "as ações e
serviços de saúde integram um rede regionalizada e
hierarquizada e constituem um sistema único" e que
"ao Sistema Único de Saúde compete executar as
ações de saúde do trabalhador".
• OBRIGADO !

• BONS ESTUDOS !

Você também pode gostar