Você está na página 1de 25

SUINOCULTURA

Características Gerais dos Suínos Domésticos


Nomenclatura Usual

Macho adulto reprodutor  Cachaço, varrão, varrasco

Fêmea adulta reprodutora  porca

Fêmea nova  Leitoa ou marrã

Macho novo  Leitão ou marrote

Macho castrado jovem  Capadete

Macho castrado adulto  capado ou capão

Filhotes  Leitegada
Dentes e Fórmulas Dentárias
Difiodentes  duas dentições

Ao nascer  4 caninos e 4 cantos


1 1
C ; CA = 8 dentes
1 1

Primeira Dentição  12 incisivos, 4 caninos, 16 molares

I 3 ; C 1 ; M 4 = 32 dentes
3 1 4

Segunda dentição  12 incisivos, 4 caninos, 16 molares, 12 molares

I 3 ; C 1; PM 4 ; M 3 = 44 dentes
3 1 4 3
(Completam entre 15 - 18 meses)
Determinação da idade pêlos dentes

Mais importante nos reprodutores:

3 anos  caninos superiores  3,5 cm


5 anos  caninos superiores estão fora da boca
6 anos  projetam-se os caninos inferiores
Aparelho Digestivo

Onívoro
Monogástrico
Estômago com pequena capacidade
de síntese e armazenamento de
substâncias
Suas enzimas não atuam bem sobre
a celulose e a lignina
Longevidade

10 anos 25 anos

Não obstante ser criado por 4 – 4,5 anos


Aparelho Termo Regulador

Pouco desenvolvido
Perdem ao nascer  1,7 – 7,2 °C
Funcionamento normal  2 dias após o nascimento

Sensíveis ao FRIO Sensíveis ao CALOR


Quando Jovens Quando Adultos

Possuem poucas glândulas Sudoríparas


(evaporação pulmonar)
Características de Respiração

Olfato extremamente desenvolvido

Respiração pouco difícil

Pouca capacidade das cavidades nasais

Desenvolvimento desproporcionado do véu

palatino

Fraca evaporação cutânea


Pulsação e Freqüência Cardíaca

Pulsação é medida  Artéria femural

Condições normais:

Adulto  60 - 80 ppm

Jovens  100 – 110 ppm

Freqüência respiratória  8 – 18
Temperatura Corporal

Oscilamento  38,7 a 39,8 ºC

Média  39,2 ºC

Mais elevada nos animais jovens


Rendimento

Bovinos  50 a 60 %
Ovinos  45 a 55 %

Suínos  65 a 80 %
Composição de carcaça de um suíno
abatido com 105 kg de peso vivo
Parte kg kg %
Suíno vivo 105 105 100
Carcaça quente 83,1 83,1 79,1
Carcaça fria 74,6 74,6 71
Cabeça 5,9
Rins 0,3
8,5 8,1
Unto 1
Perda Umidade 1,3
Perdas Conteúdo Gastrointentinal e
1,3 11,3 10,8
urina
Produtos Fígado 1,9
comestíveis Coração 0,4 4,4 4,2
Outros 2,1
Parte Kg Kg %
Produtos não Esôfago 0,3
comestíveis Pelos 0,4
Sangue 3,3
Glândulas 0,1 6,2 5,9
Estômago 0,6
Pulmão 1,4
Outros 0,1
Cortes comerciais Pernil, carne 12,8
Lombo, carne 11,4
Barriga, carne 7,2 42 40
Paleta, carne 5,5
Copa 5,1
Outros Maxilar 3
Ossos 7
Pés, patas 2,3
Membros anteriores 2,2
Rabo 0,2 32,6 31
Pele 4,5
Gordura 5,3
Costelas 3,7
Retalhos 4,4
TOTAL 105 100
Fases de Instalação

Cobertura – 1 a 4 semanas
Ciclo das porcas Gestação – 114 dias
Lactação – 21 dias

Ciclo dos Leitões Maternidade – 0 a 21 dias


Creche – 22 a 63 dias
Crescimento – 64 a 110 dias
Terminação – 111 a 150 dias
Vantagens e Limitações da Suinocultura
VANTAGENS DA SUINOCULTURA

Os suínos se multiplicam e crescem rapidamente

Giro de capital é rápido


Os suínos exigem pouco espaço
Criação relativamente fácil
Os suínos se adaptam a qualquer sistema ou regime de
criação
Os suínos tipo de carne têm alto rendimento de carcaça
Os dejetos são ótimos adubo e podem ser reciclados
LIMITAÇÕES IMPOSTAS À CRIAÇÃO DE SUÍNOS

1-) Regime Alimentar

2-) Alta Mortalidade Principalmente Entre os Animais


Jovens

3-) Necessidade de Observância de Cuidados


Higiênico-sanitários

4-) Alta Mortalidade Embrionária

5-) Animais com Aparelho Termo-regulador Pouco


Desenvolvido
Perfil da Suinocultura
Moderna
Tabela 1. Mudanças temporais na percepção técnico-econômica da
exploração comercial da espécie suína

Passado Presente Futuro


Criador de porcos Produtor de suínos Produtor de alimento
Criação de fundo de quintal de
Negócio – Agribusiness Parte de sociedade
subsistência; passatempo
Transação naônima Rastreável até a carcaça Rastreável do produto final à granja
Máximo lucro por porco
Preferência da Indústria Satisfação total do consumidor
vendido
Prêmio por preferência do
Lucro por kilo Prêmio por carcaça
consumidor
Produto para as massas Consumidor específico Um único consumidor
Seleção pelo consumidor e por
Seleção pelo consumidor Seleção pelo abatedouro
qualidade
Produto – porcos Carcaça Cortes nobres / alimento nobre
Produção às cegas Informatização Em rede com o mercado
Diagnóstico de doenças Biossegurança Marcadores biomoleculares
Ambiente
Adverso Patógenos

Genética

Nutrição

Instalações Manejo Médico Veterinário


Recursos Humanos
Índices Zootécnicos Esperados na
Suinocultura Tecnificada

Taxa de fertilidade (%)  86

Taxa de repetição de cio (%)  10

Número de parto / fêmeas / ano  2,4

Total de leitões nascidos / parto  11,5

Leitões nascidos vivos / parto  10,8

Leitões desmamados / parto  10,2

Leitões desmamados / fêmea / ano  24,2


Índices Zootécnicos Esperados na
Suinocultura Tecnificada

Taxa de leitões natimortos (%)  5

Taxa de leitões mumificados (%)  1,5

Taxa de mortalidade pré-desmame (%)  6

Taxa de mortalidade na creche (%)  1

Leitões terminados / fêmea / ano  23,7

Duração da lactação (dias)  21

Intervalo desmama estro (dias)  5


Índices Zootécnicos Esperados na
Suinocultura Tecnificada

Taxa de reposição anual de matrizes – 1º ano (%)  15

Taxa de reposição anual de matrizes – 2º ano (%)  25

Taxa de reposição anual de matrizes – 3º ano (%)  40

Peso dos leitões aos 21 dias (kg) - Desmame  6,4

Peso dos leitões aos 63 dias (kg) - Creche  26

Peso dos leitões aos 110 dias (kg) - Crescimento  64,2

Peso dos leitões aos 150 dias (kg) - Terminação  90 - 100


Índices Zootécnicos Esperados na
Suinocultura Tecnificada

Conversão alimentar de rebanho  2,85

Conversão alimentar dos leitões (nasc. ao abate)  2,36

Relação fêmeas / macho  20,1

Você também pode gostar